Blog do Jorge Balbi Jr. – Enduro del Verano na Argentina

23 de Fevereiro de 2010 - 17:00

Olá amigos !! Nesse fim de semana corri na Argentina, como anunciei na semana passada. Fui convidado pela Kawasaki do país e a princípio neguei o convite, pois a prova principal era um Enduro. Porém, eles me convenceram que era muito parecido com um MX, mas no fundo sabia que não era MX.

Acabei aceitando o convite porque tinha certeza que a oportunidade de começar a me acostumar com a Kawasaki 450 seria muito boa. Fiz minhas malas e entrei no avião com a mentalidade de fazer um bom treino. Cheguei à Argentina na quarta-feira passada, e comecei a treinar para o fim de semana. A minha primeira impressão da Kawa 450 foi muito boa e acredito que com essa moto poderei andar muito bem no MX.

Andei com o motor original, que me surpreendeu por ser muito forte e progressivo. Tive muitos problemas com as suspensões, pois levei uma preparada, mas era de 250. Como não testei nada antes, verifiquei que ela estava muito macia. Na verdade esperava uma pista arenosa e descobri que a areia aqui é muito funda, rs… O treino foi surpreendente. Até ontem estava com o corpo todo doendo, parecia que tinha saído de uma briga, rs…

No sábado foi disputado um Supercross, que na verdade era um Mega Motocross de areia. A pista era bem de alta, e de saltos tinha 5 mesas. Concentrei bastante, pois queria muito vencer no sábado.

Primeiro rolou uma classificatória de cinco voltas. Fiquei confuso com o procedimento de largada e quando o gate caiu ainda estava em ponto morto, rs… Saí em último e sabia que tinha que acelerar forte e foi o que fiz. Coloquei um bom ritmo no mega esburacado circuito de areia, e fazendo várias ultrapassagens, ainda consegui salvar um ótimo 3° lugar.

A areia era tão pesada que as cinco voltas foram suficientes para derreter a embreagem da moto. O Max fez uma troca rápida e alinhei no gate para a final. O fato de ter perdido a largada fez com que eu andasse mais agressivo e mais nervoso que o normal e como resultado fritei a embreagem, hehehehe…

FINAL NO SUPERCROSS

Com um gate bom e sabendo que aqui a largada acontece a qualquer momento, estava bem confiante para a final que contava com vários especialistas na areia. Os melhores pilotos argentinos, o americano Ricky Dietrich, bem conhecido meu e que corre o Enduro americano e cinco franceses, dentre eles Arnold Demester, inúmeras vezes campeão do Le Touquet, na França, e N. Potiseik, que domina junto com Demester as corridas nesse terreno, que são tradicionais na Europa.

Enfim, caiu o gate ! Larguei bem melhor dessa vez e era o quinto colocado no fim da primeira volta. Senti que estava muito bem na moto e na areia e comecei a atacar. A pista era uma arena rodeada de arquibancadas e o público argentino é muito, mas muito barulhento, o que tornou a corrida ainda mais divertida.

Andei por duas voltas em quinto, fui pra cima do argentino D. Villar e o público não gostou muito quando passei por ele… Em seguida ataquei um outro argentino e já era o terceiro na metade da corrida. À minha frente estavam os dois franceses. Dei o meu melhor, encostei no Demester, e na reta das arquibancadas vim com tudo na mesa e saltei muito além da recepção conseguindo a ultrapassagem.

Era o segundo, mas queria mais. Coloquei um ritmo ainda mais forte para buscar o 1° colocado, que estava 6 segundos à frente. Acelerei fundo e a diferença foi caindo volta a volta. Nesse momento, acredito que o publico já estava do meu lado, pois gritava muito quando eu passava rs…

Cheguei muito, porém a corrida estava acabando e acho que acabei passando do limite. Ao entrar em uma das curvas que tinham inúmeras costelas de areia formada pelas motos, acabei deixando a frente enterrar e caí muito forte… Não podia acreditar. Fiquei muito zonzo com o tombo, levantei, porém, demorei muito a ligar a moto e perdi várias posições. Mesmo assim terminei a corrida.

Após a prova pensei em ficar triste, mas me lembrei do propósito que coloquei ao sair da Califórnia. “Estou indo treinar”, rs… Sou muito competitivo e às vezes acabo cometendo erros. Se tivesse aceitado o segundo lugar teria sido melhor rs… Vivendo e aprendendo, hehehehe…

De cabeça fria, analisei tudo e fiquei satisfeito da forma em que andei e comecei a me lembrar do Six Days em Fortaleza, em que o mesmo Arnold Demester, que eu tinha acabado de passar e abrir, foi um dos únicos pilotos que conseguiu vencer especiais na frente de Stefan Everts, e que na época ele era muito mais muito mais rápido do que eu…

PROVA DE ENDURO

No dia seguinte era o Enduro. Para essa corrida cheguei a pensar em não correr, pois não era a prova que esperava. A pista tinha retas em que se andava a mais de 130 Km/h sem saber o que vinha na frente.

Vi tombos espetaculares nestas retas, e pra ser sincero não queria me arriscar, pois tenho toda uma temporada pela frente. Pra se ter uma idéia, a moto usava uma relação com pinhão 14 e coroa 48 rs…Porém, gosto de desafios e convenci o Max que ia correr devagar rs…Ele não queria que eu fosse.

Na verdade resolvi correr porque achei que seria, e foi um bom treino. Nas partes de alta eu ia bem tranquilo e sofria várias ultrapassagens. Mas quando chegava nas partes mais travadas e técnicas como de MX com costelas de areia eu imprimia um ritmo forte, passava vários de pilotos de volta.

Até vinha fazendo uma boa corrida na metade da prova, estava entre os 10 melhores dos 400 que largaram… Só que na minha parada, tudo deu errado. Perdi muito tempo, tive problemas com o abastecimento, a apagou o motor e ele não pegava por nada…

Depois de quase dois minutos de atraso consegui voltar à pista e perdi várias posições. Mesmo assim mantive um bom ritmo e confesso que a cada volta estava mais confortável na areia e fui novamente passando vários pilotos. Ainda não vi o resultado oficial, mas acho que depois do abastecimento era como estar em 25° na contagem do Max e, no fim, terminei próximo dos 10.

A corrida é muito dura e foi uma experiência divertida. Porém não acho que faria novamente. Vi vários acidentes durante a prova e não quis nem saber como eles terminaram. Agradeço muito a Deus, pois tudo correu muito bem e estou indo pra casa 100% fisicamente, com um treino na bagagem que dificilmente faria em qualquer outro lugar que fosse.

No mais agradeço à equipe Argentina que me recebeu muito bem. Como sempre temos muito trabalho pela frente, pois a temporada está só começando.

Abraço a todos, fiquem com Deus e tenham uma boa semana !

Balbi

Ndr. O vencedor do Enduro del Verano na categoria geral foi Jean Claude Mousse. Jorge Balbi Jr. finalizou na 14ª colocação no geral do Enduro del Verano 2010.

Compartilhe este conteúdo

Comentários

é Editor do Mundocross, site que foi lançado por causa de sua paixão por Motocross e Supercross. Em 1990 ele começou a escrever sobre motos no Jornal VS, em São Leopoldo, no RS, numa coluna onde escrevia sobre Trilhas, Enduro e Motocross. Depois também escreveu para o Jornal O Pódium, Revista Moto Action. Nestes 24 anos teve experiências em eventos internacionais, como Mundiais de Motocross, AMA Supercross, AMA Motocross, Motocross das Nações e US Open Supercross.

Desenvolvido por GetFly