Balbi e Swian começaram vencendo na Superliga de MX

18 de abril de 2010 - 17:00

Sol forte, arquibancadas cobertas cheias e motores roncando alto. Assim começou a Superliga Brasil de Motocross, nova competição que grandes pilotos e equipes do país. Com a participação de 243 pilotos, importantes patrocinadores, distribuição 40 mil reais em prêmios aos vencedores, a competição reuniu doze mil pessoas no Centro Educacional de Trânsito Honda – CETH, em Indaiatuba, São Paulo.

Jorge Balbi, Swian Zanoni, Milton Becker, Anderson Amaral, Nivaldo Viana e Kioman Navarro foram os grandes vencedores da primeira etapa da Superliga de Motocross, disputada neste domingo, 18 de abril, evento que apresentou infraestrutura de ponta, com transmissão de imagens ao vivo pela internet, arquibancadas cobertas e áreas vips. Veja agora como foram as disputas nas seis categorias da Superliga…

CATEGORIA MX1
A principal categoria da Superliga brindou os presentes com uma alucinante corrida. Com um início de prova que nem o mais corajoso torcedor arriscava quem venceria, o mineiro Jorge Balbi Jr. da equipe 2B Duracell Racing mostrou por que é considerado um dos pilotos mais talentosos do motocross atual. Em uma espetacular recuperação, Balbi, que no início da prova se encontrava na terceira posição, foi à caça de Wellington Garcia da equipe oficial Honda, que até então liderava.

Após muito insistir, o mineiro ultrapassou Wellington e passou a ser o líder da prova. A partir daí, passou a ter como principal adversário João Marronzinho, companheiro de equipe de Wellington. Porém, mesmo o bom desempenho de Marronzinho não foi suficiente para atrapalhar a vitória de Balbi (foto), que graças ao resultado levou um cheque no valor de R$4.000,00.

“A prova foi muito boa, mas também muito complicada. Imprimi um ritmo forte, pois os adversários estavam muito bem. É muito bom correr com a arquibancada cheia, com o público vibrando. Pretendo continuar com esse desempenho durante toda a temporada”, avaliou Balbi. João Marronzinho e Wellington Garcia ficaram em segundo e terceiro colocados respectivamente.

CATEGORIA MX2
Disputas eletrizantes marcaram uma das principais categorias da competição. Jean Ramos, piloto da equipe oficial Honda, liderava a corrida até a quarta volta, quando passou a sofrer uma forte pressão de seu companheiro de equipe, Swian Zanoni. Após intensa briga ‘caseira’, Swian ultrapassou Ramos e passou a liderar a prova. Logo depois, Jean também foi ultrapassado por Jorge Balbi Jr. e uma nova disputa teve início. Mesmo com a intensa aproximação, Swian segurou a ponta e venceu a corrida no dia em que completou 22 anos.

“Essa vitória é muito especial, foi bem difícil controlar a ansiedade, principalmente hoje, meu aniversário. Além disso, a pressão do Balbi foi bastante dura, meu preparo físico foi muito importante para a conquista da vitória”, explicou o vencedor. Em segundo lugar ficou o mineiro Jorge Balbi e em terceiro o paranaense Jean Ramos.

CATEGORIA MX3
Uma disputa muita acirrada entre os pilotos Cristiano Lopes, Davis Guimarães e Milton ‘Chumbinho’ Becker, marcou o início da MX3. Com todos os pilotos imprimindo um ritmo muito forte nas primeiras voltas, Guimarães sustentava a ponta até a quarta volta, quando sofreu uma queda na descida da Mata, deixando o caminho livre para Lopes e Chumbinho duelarem pela primeira posição.

O que se viu nas voltas seguintes foi uma intensa briga entre os dois pilotos, até que o catarinense Chumbinho assumiu a ponta, administrou a posição e conquistou a vitória. “Foi uma prova excelente, a minha equipe, a Pro Tork Racing Team, fez um ótimo trabalho e consegui me superar mais uma vez”, avaliou o piloto. Na segunda posição ficou o paranaense Davis Guimarães e em terceiro Cristiano Lopes.

CATEGORIA MXJR (85)
Uma briga particular entre Endrews Armstrong e Anderson Amaral dominou a prova. Os dois pilotos disputaram o primeiro lugar durante toda a corrida, até que na última volta Amaral fez uma ultrapassagem polêmica em Armstrong e conquistou a vitória. Após análise dos diretores de prova, o piloto da equipe 2B Duracell Racing foi declarado vencedor.

“Foi uma ultrapassagem bem difícil, muito bonita. Há muito tempo não fazia uma dessas. É importante sempre acreditar no que está fazendo”, falou Amaral. Na segunda posição chegou Endrews Armstrong e em terceiro Diego Henning.

CATEGORIA CRF230
O piloto Murilo Tomazelli, de Indaiatuba, teve um bom início e começou na frente. Na tentativa de assumir a ponta, Ismael Rojas passou a pressioná-lo, porém, depois de forte perseguição, sofreu uma queda e foi ultrapassado por Nivaldo Viana. A partir daí, a cada volta, Viana se aproximava mais de Tomazelli, até que depois de tanto pressionar conseguiu a primeira posição e não perdeu mais, vencendo a corrida.

“Não fiz uma boa largada, quando isso acontece tem que manter a calma e forçar o erro do piloto que está à frente. Com a experiência que adquiri com os anos de Motocross, sei que a calma é necessária para o adversário sentir a pressão”, disse o piloto da 2B Racing. Ismael Rojas, da Freire Motos, e Murilo Tomazelli, da IMS, ficaram em segundo e terceiro colocados respectivamente.

CATEGORIA 65
Uma corrida que parecia estar decidida desde a largada. Essa era a impressão que se tinha até a última volta, quando o piloto Enzo Lopes, que liderou praticamente toda a prova, caiu na última volta e foi ultrapassado por Kioman Navarro, da equipe Rinaldi, o grande vencedor.

“Com a ajuda dos meus patrocinadores e de todos que me apoiaram conquistei a vitória, se não fossem eles não estaria aqui. Também quero parabenizar o Enzo Lopes e o Djalma de Brito, respectivamente segundo e terceiro colocados”, afirmou Kioman.

RESULTADOS DA PRIMEIRA ETAPA DA SUPERLIGA DE MOTOCROSS

MX1
1 – Jorge Balbi Jr. – Duracell / Gillete /Ariel / i9 Hidrotônico
2 – João ‘Marronzinho’ – Honda / Polisport / Motoshop
3 – Wellington Garcia – Honda / Mobil / Super Moto
4 – Roosevelt Assunção – Fox / Itamaracá / Honda
5 – Marcello ‘Ratinho’ Lima – Vaz / IMS / Rinaldi / Kawasaki

MX2
1 – Swian Zanoni – Honda / ASW / Mobil / CCM
2 – Jorge Balbi Jr. – Duracell / Gillete / Ariel / i9 Coca-Cola
3 – Jean Ramos – Honda / Mobil / Pirelli / JMR
4 – Rafael Faria – MX Parts / 5inco / Honda
5 – Hector Assunção – Fox / Itamaracá / Honda

MX3
1 – Milton ‘Chumbinho’ Becker – Pro Tork Racing Team / TBT
2 – Davis Guimarães – Pro Tork Racing Team
3 – Cristiano Lopes – W3 Racing / IMS / Honda
4 – Richard Berois – Geração / Yamaha
5 – Wagner Lachi – Freeway / BelParts

MXJR
1 – Anderson Amaral – 2B Duracell Racing / Gillete
2 – Endrews Armstrong – Dunas / Brasil Racing / Honda
3 – Diego Henning – Mastter Moto
4 – Gustavo Pessoa – Fox / Itamaracá / Honda
5 – Wilgner Francisco – Privado

CRF 230
1 – Nivaldo Viana – 2B Duracell Racing / Sanmel
2 – Ismael Rojas – Freire Motos / Grupo TC
3 – Murilo Tomazelli – IMS / Polisport / Pro Taper
4 – Murilo Bertate – Privado
5 – Anderson Chupel – Comercial Madezan / Agro Florestal

65
1 – Kioman Navarro – Rinaldi / Tonin Bala
2 – Enzo Lopes – Pirelli / Answer / Freeday
3 – Djalma de Brito – Brasil Racing / Transbrito
4 – Daniel Tomatinho – Mineração Argentina
5 – Gabriel Reichardt – Pro Motos / Honda

A Superliga Brasil de Motocross tem patrocínio da Honda, Mobil e Aymoré Financiamentos e co-patrocínio da Pirelli e do Consórcio Nacional Honda.

Redação Mundocross
Texto by VipComm
Foto by Maurício Arruda

Compartilhe este conteúdo

Comentários

é Editor do Mundocross, site que foi lançado por causa de sua paixão por Motocross e Supercross. Em 1990 ele começou a escrever sobre motos no Jornal VS, em São Leopoldo, no RS, numa coluna onde escrevia sobre Trilhas, Enduro e Motocross. Depois também escreveu para o Jornal O Pódium, Revista Moto Action. Nestes 24 anos teve experiências em eventos internacionais, como Mundiais de Motocross, AMA Supercross, AMA Motocross, Motocross das Nações e US Open Supercross.

Desenvolvido por GetFly