ABPMX ganha importante apoio

26 de abril de 2010 - 23:00

O presidente da Associação Brasileira de Pilotos do Motociclismo Esportivo – ABPMX, Reinaldo Selhorst, e o secretário geral da instituição, Marlon Olsen, participaram de uma importante audiência com o senador Valdir Raupp em Brasília. Na ocasião o senador da república assumiu o compromisso de defender os interesses da ABPMX, outorgando irrestrito apoio, principalmente para defender, consequentemente, os interesses da classe dos profissionais do Motociclismo Brasileiro.

Um dos principais benefícios que esse apoio deverá trazer para a Associação é o reconhecimento da instituição por parte do Ministério dos Esportes. Para o Presidente Reinaldo Selhorst, o apoio do senador será fundamental para que os pedidos da ABPMX surtam maior efeito. “Somos uma associação que visa, sobretudo, a defesa dos interesses dos pilotos de motociclismo que estão competindo no Brasil, e o apoio de um Senador da República será fundamental para que os interesses desses profissionais sejam defendidos com maior representatividade”, disse Reinaldo Selhorst.

O presidente da ABPMX e o secretário geral aproveitaram para visitar, acompanhados do senador Raupp, a Receita Federal, onde estará sendo avaliado o pedido da Confederação Brasileira de Motociclismo – CBM, e da ABPMX, para que as motos de competição importadas sejam isentadas dos impostos de importação.

Reinaldo Selhorst afirmou que o departamento jurídico da Receita Federal deverá se pronunciar oficialmente esta semana a respeito da isenção de impostos para a importação de motos de competição. Se o departamento jurídico não avaliar positivamente o texto, a Receita Federal enviará a Medida Provisória 472, através do senador Valdir Raupp, para aprovação no Senado Federal. “O texto do projeto está sendo avaliado neste momento, e nos estamos contando também com o apoio do senador Valdir Raupp nessa questão”, apontou Selhorst.

“Nós da ABPMX acreditamos que essa isenção seria o mínimo que o Governo Federal poderia fazer pelos pilotos brasileiros, porque essa nossa expectativa por uma definição positiva da Receita Federal, é a expectativa de grande parte dos pilotos do Brasil que teriam condições de melhorar sua competitividade adquirindo uma moto importada, se esta fosse isenta das altas taxas de importação”, observou Reinaldo Selhorst.

“Quando eu assumi a ABMX este ano, pedi que me fosse dado um tempo de dois a três anos para que pudesse fazer com que as coisas funcionassem de acordo com o anseio da classe dos pilotos. Acho que temos evoluído significantemente, principalmente se levado em consideração que apenas 20% do nosso trabalho será realizado dentro das pistas, e 80% fora delas”, concluiu o presidente da ABPMX.

Por Arnaldo Martins

Compartilhe este conteúdo

Comentários

é Editor do Mundocross, site que foi lançado por causa de sua paixão por Motocross e Supercross. Em 1990 ele começou a escrever sobre motos no Jornal VS, em São Leopoldo, no RS, numa coluna onde escrevia sobre Trilhas, Enduro e Motocross. Depois também escreveu para o Jornal O Pódium, Revista Moto Action. Nestes 24 anos teve experiências em eventos internacionais, como Mundiais de Motocross, AMA Supercross, AMA Motocross, Motocross das Nações e US Open Supercross.

Desenvolvido por GetFly