Nando fez barba e cabelo no Latino de MX em Brasília

Por Jorge Soares | Fotos por Jorge Soares | 30 de maio de 2010 - 17:15

Num evento dentro do terceiro Brasília Games, a segunda etapa do Campeonato Latino de Motocross MX2 2010 aconteceu neste domingo, 30 de maio, em Guará, no Distrito Federal. E um público de 14.000 pessoas prestigiou a prova, que teve a presença de pilotos do Equador, México, Peru, Venezuela, Estados Unidos e Brasil.

O horário da largada da primeira bateria da segunda etapa do Campeonato Latino Americano de Motocross largou às 14 horas, conforme a programação divulgada durante a semana pela organização do evento. E quem fez a primeira curva na frente foi o brasileiro Leandro Silva, piloto da equipe oficial Honda, seguido de Miguel Cordovez do Equador, Swian ‘SZ’ Zanoni, Wellington Garcia e Jean Ramos do Brasil e Raimundo Trasolini da Venezuela.

Largada da primeira bateria do Latino MX2 em Brasília

Largada da primeira bateria do Latino MX2 em Brasília

Mas na metade da primeira volta Wellington já era o segundo, seguido de Jean, Swian e Trasolini. Na terceira volta o paranaense Leandro ‘Nando’ Silva mantinha a liderança com Wellington bem próximo fazendo uma pressão. Em terceiro estava Jean, e um pouco mais atrás Swian, que por sua vez recebia uma pressão de Trasolini, que tinha Jetro Salazar, do Equador,  bem próximo.

Até a metade da prova estas posições se mantiveram, com Leandrinho abrindo distância de Wellington. Passado metade da corrida, Swian estava com dificuldades com os óculos, que não extraia bem os tear-offs, e acabou perdendo a posição para o venezuelano Trasolini, da Yamaha. Aos 20 minutos de prova Wellington deixou o motor de sua CRF apagar e com isto Jean assumiu a segunda posição, atrás de Leandro, que andava solto na frente.

Disputa entre Miguel Cordovez e Raimundo Trasolini

Disputa entre Miguel Cordovez e Raimundo Trasolini

Mas depois que assumiu a segunda posição, Jean imprimiu um ritmo mais forte e chegou a ficar bem próximo de Leandro por pelo menos três voltas, mas daí Leandro reagiu e começou a abrir distância na ponta novamente. Depois de passar várias voltas tentando ultrapassar Trasolini, aos 26 minutos de prova Swian conseguiu retomar a quarta colocação. Depois de 30 minutos + 2 voltas, Leandro Silva venceu de ponta a ponta, com Jean Ramos em segundo e Wellington Garcia em terceiro.

Nando Silva recebendo a bandeirada do diretor Paulo Della Flora

Nando Silva recebendo a bandeirada do diretor Paulo Della Flora

Segunda bateria

Pontualmente às 16 horas largou a segunda e última bateria da segunda etapa do Latino de Motocross em Guará, e desta vez quem saiu na frente foi Swian Zanoni, que tinha Leandro Silva em segundo. Quem se deu mal nesta largada foi Jean Ramos, companheiro de equipe de Swian e Leandro, que levou um forte tombo e fechou a primeira volta entre os últimos colocados.

Swian sustentava a primeira posição. sempre com Nando Silva na sua cola, mas na metade de bateria, SZ deu uma escorregada de dianteira na parede de numa curva no miolo da pista, e como Nando estava bem próximo, assumiu a liderança. Swian bem que tentou, mas não conseguiu recuperar a primeira liderança.

O equatoriano Andres Gavilanes finalizou a etapa em nono lugar

O equatoriano Andres Gavilanes finalizou a etapa em nono lugar

Faltando poucas voltas para o final da corrida, Thales Vilardi que naquele momento estava em quinto lugar na prova, teve problema com a ponteira da sua KTM, que soltou e acabou caindo. Com o problema ele acabou sendo penalizado por causa do excesso de ruído, e com isto perdeu três posições, finalizando na oitava colocação.

Na imagem Thales já aparece sem a ponteira da sua KTM

Na imagem Thales já aparece sem a ponteira da sua KTM

“Na segunda bateria eu consegui fazer uma boa largada, mas cometi um pequeno erro e bati o pé esquerdo no chão. Pé este que machuquei num treino durante esta semana. Senti muita dor e comecei a errar mais, como na curva que escorreguei de frente, e o Leandro me passou. Eu procurei me concentrar bastante para tentar seguí-lo. Mas não tinha como atacar, pois meu pé estava doendo muito. Mas estou feliz e agradeço a Deus pelo resultado, e quero parabenizar o Leandro, pois hoje foi o dia dele,” comentou Swian depois da prova.

“Vencer em Brasília foi muito legal. É uma cidade bem parecida com Curitiba, obviamente não no clima, que eu estranhei um pouco por estar bem mais quente do que lá onde eu moro”, brincou Leandro. “As baterias foram muito boas. Larguei na ponta na primeira, e na última acabei largando em segundo, então foram boas largadas. Nas duas eu sempre tive companhia. Na segunda o Swian me pressionou bastante. Ele está muito rápido e está em ótima fase. E na primeira também, com o Wellington e o Jean me pressionando até o final. Graças a Deus consegui render o meu melhor e conquistar os dois primeiros lugares”, ressaltou o piloto paranaense.

Com o resultado da etapa de Brasília, o venezuelano Raimundo Trasolini assumiu a liderança da classificação geral com 76 pontos. O peruano Jetro Salazar é o segundo com 68, seguido pelos equatorianos Felipe Espinosa, com 55, e Miguel Cordovez com 52 pontos conquistados. O brasileiro Leandro Silva é o quinto, com 50 e depois de ter ficado com o vice-campeonato duas vezes, ele quer aproveitar o bom momento e se livrar do tabu.

Swian ficou com a segunda colocação geral em Brasília

Swian ficou com a segunda colocação geral em Brasília

“Não fiz as contas para ver que resultado eu preciso fazer, mas duas vezes eu ganhei três baterias e tive problema. Uma delas em que eu fui vice, acabei caindo e perdi o título por besteira. Na outra eu tive problema com a minha moto quando estava liderando a quarta bateria. Então, esse ano espero que eu não tenha nenhum problema e consiga finalmente conquistar esse título”, ressaltou o piloto brasileiro da equipe oficial Honda Racing.

Resultado da primeira bateria da segunda etapa do Latino de Motocross MX2
1) Leandro Silva / Honda – Brasil
2) Jean Carlo Ramos / Honda – Brasil
3) Wellington Garcia / Honda – Brasil
4) Swian Zanoni / Honda – Brasil
5) Raimundo Trasolini / Yamaha – Venezuela
6) Thales Vilardi /KTM – Brasil
7) Jetro Salazar / KTM – Equador
8) Felipe Espinosa / Yamaha – Equador
9) Andres Gavilanes / Yamaha – Equador
10) Scott Simon / Kawasaki – Estados Unidos
11) Heinz Crispim / Suzuki – Brasil
12) Caio Cardoso / Honda – Brasil
13) Julian Araujo / Yamaha – Peru
14) Kurt Feichtenberger / Honda – Brasil
15) Victor Blanco / Kawasaki – México

Resultado da segunda bateria da segunda etapa do Latino de Motocross MX2
1) Leandro Silva / Honda – Brasil
2) Swian Zanoni / Honda – Brasil
3) Wellington Garcia / Honda – Brasil
4) Scott Simon /Kawasaki – Estados Unidos
5) Jetro Salazar / KTM – Equador
6)  Raimundo Trasolini / Yamaha – Venezuela
7)  Andres Gavilanes / Yamaha – Equador
8)  Thales Vilardi / KTM – Brasil
9)  Jean Ramos / Honda – Brasil
10) Felipe Espinosa / Yamaha – Equador
11) Heinz Crispim / Suzuki – Brasil
12) Justiano Romero / Honda – Equador
13) Julian Araujo / Yamaha – Peru
14) Kurt Feichtenberger / Honda – Brasil
15) Caio Cardoso / Honda – Brasil

Resultado geral da segunda etapa do Latino de Motocross MX2
1) Leandro Silva – Brasil – 50 pontos
2) Swian Zanoni – Brasil – 40
3) Wellington Garcia – Brasil – 40
4) Jean Ramos – Brasil – 34
5) Raimundo Trasolini – Venezuela – 31
6) Jetro Salazar – Peru – 30
7) Scott Simon – Estados Unidos – 29
8) Thales Vilardi – Brasil – 28
9) Andres Gavilanes – Equador – 26
10) Felipe Espinosa – Equador – 24 pontos

Classificação geral do Latino Americano MX2 após duas etapas
1) Raimundo Trasolini – Venezuela – 76 pontos
2) Jetro Salazar – Peru – 68
3) Felipe Espinosa – Equador – 55
4) Miguel Cordovez – Equador – 52
5) Leandro Silva – Brasil – 50 pontos

A segunda etapa do Campeonato Latino Americano de Motocross MX2 2010 foi uma realização da Federação de Motociclismo do Distrito Federal – FMDF e administração de Guará/Distrito Federal, com supervisão da Confederação Brasileira de Motociclismo – CBM e da União Latino Americana de Motociclismo – ULM.

Compartilhe este conteúdo

Comentários

é Editor do Mundocross, site que foi lançado por causa de sua paixão por Motocross e Supercross. Em 1990 ele começou a escrever sobre motos no Jornal VS, em São Leopoldo, no RS, numa coluna onde escrevia sobre Trilhas, Enduro e Motocross. Depois também escreveu para o Jornal O Pódium, Revista Moto Action. Nestes 24 anos teve experiências em eventos internacionais, como Mundiais de Motocross, AMA Supercross, AMA Motocross, Motocross das Nações e US Open Supercross.

Desenvolvido por GetFly