Jorge Balbi Jr. fraturou o pulso em Chapecó

Por João Perocco | Fotos por Idário Araújo | 20 de junho de 2010 - 23:20

A terceira etapa da Superliga de Motocross que aconteceu neste fim de semana, dias 19 e 20 de junho, em Chapecó, Santa Catarina, era para marcar a estreia de mais um reforço para a equipe 2B Duracell Racing: o inglês Adam Chatfield. Mas uma queda do piloto Jorge Balbi Jr. nos treinos de sábado, acabaram desviando a atenção de todos os fãs da equipe para o mineiro. Na queda Jorge Balbi acabou fraturando o pulso e ficou de fora da etapa, diminuindo suas chances de brigar pelo título da competição.

“Estou bem desapontado com o nível do Motocross no Brasil. As pistas estão muito ruins. Tinha um salto lá que tinha que ‘matar a moto’ e, ao fazer o salto, errei, cai e acabei desmaiando. Infelizmente, vou ficar fora por algum tempo”, lamentou o mineiro.

Balbi se lesionou e está fora das próximas competições

Balbi se lesionou e está fora das próximas competições

A equipe entrou nas pistas neste domingo desfalcada de seu principal piloto. Mesmo assim, a 2B Duracell Racing conseguiu um bom desempenho, saindo da cidade catarinense com uma vitória e dois segundos lugares. A equipe ficou de fora do pódio apenas na categoria MX1.

O responsável pela vitória da 2B neste fim de semana foi Nivaldo Vianna, que venceu na CRF 230. O piloto largou na frente e fez uma prova bem tranquila, vencendo de ponta a ponta. Com o resultado, ele conquista a sua terceira vitória seguida na competição.

Nivaldo está invicto na categoria 230 da Superliga

Nivaldo está invicto na categoria 230 da Superliga

“Estou invicto ainda na Superliga e muito satisfeito com meu resultado. Nos treinos de sábado optei por poupar a moto e hoje andei muito forte, conseguindo mais essa vitória e ficando mais perto do título”, destacou o piloto.

Quem também fez uma belíssima prova foi Anderson Amaral na MXJR. O piloto errou na largada e saiu na última posição, mas logo na primeira volta fez várias ultrapassagens e terminou em 6º lugar. A partir daí, continuou buscando os seus adversários até assumir a 2ª colocação. Muito rápido, Anderson ainda tentou partir pra cima de Endrews e brigar pela liderança, mas não conseguiu alcançar seu adversário e terminou em segundo.

Na MX2, Adam Chatfield mostrou o porquê foi contratado pela equipe e fez uma bela corrida. O piloto inglês largou na primeira posição e liderou quase toda a prova, mas, no final, foi ultrapassado por Scott Simon e terminou na segunda posição. Cansado e se adaptando ao país, ele não conseguiu repetir o bom desempenho na MX1, terminando em oitavo lugar. O vencedor foi Swian Zanoni.

Chatfield fez uma ótima estreia na categoria MX2 da Superliga

Chatfield fez uma ótima estreia na categoria MX2 da Superliga

Os outros três integrantes da equipe também não fizeram boas provas. Gustavo Amaral e Rodrigo ‘Lama’ terminaram na 15ª e 18ª posições respectivamente na MX2 e Pipo foi 13º na MX1. A 2B Duracell Racing volta às pistas no próximo fim de semana, para participar da 3ª etapa do Campeonato Brasileiro de Motocross que acontece em Quissamã, no Rio de Janeiro.

A 2B Duracell Racing tem o patrocínio de Gilette, Ariel, Mobil, i9/Coca-Cola, Mormaii, Café Fino Grão e Mart Plus. Os patrocinadores/fornecedores são NFS, NEYFA, Pirelli e Laquila.

Com exceção de Pipo Castro, que tem o patrocínio da Rinaldi, os demais pilotos da Equipe 2B utilizam durante todo o campeonato a linha Scorpion da Pirelli, que oferece uma gama de soluções completa para competições. Desenvolvida nas mais duras provas off-road do planeta, os pneus Scorpion já disputaram nos mais variados terrenos e climas, e acumulam mais de 50 troféus no Campeonato Mundial de Motocross.

Sobre a Duracell
Nessa temporada, a equipe tem uma energia extra da líder mundial em pilhas alcalinas de alta performance. O forte apoio da Duracell, uma das marcas da Procter & Gamble (P&G), propicia a equipe condições pelos melhores resultados nas pistas. Conceitos importantes para a Duracell como energia e durabilidade são conceitos em comum com a equipe, além é claro da resistência e capacidade de superação que os pilotos apresentam a cada etapa.

Compartilhe este conteúdo

Comentários

é Editor do Mundocross, site que foi lançado por causa de sua paixão por Motocross e Supercross. Em 1990 ele começou a escrever sobre motos no Jornal VS, em São Leopoldo, no RS, numa coluna onde escrevia sobre Trilhas, Enduro e Motocross. Depois também escreveu para o Jornal O Pódium, Revista Moto Action. Nestes 24 anos teve experiências em eventos internacionais, como Mundiais de Motocross, AMA Supercross, AMA Motocross, Motocross das Nações e US Open Supercross.

Desenvolvido por GetFly