CBM anunciou equipe para o Motocross das Nações

Por Adriano Winckler | Fotos por Bolívar Trindade | 16 de agosto de 2010 - 18:35

Logo após o encerramento da programação da 5ª etapa do Campeonato Pro Tork Brasileiro de Motocross 2010, ontem em Canelinha, Santa Catarina, o presidente da Confederação Brasileira de Motociclismo – CBM, Alexandre Caravana, anunciou a lista dos pilotos que irão representar o Brasil no Motocross das Nações 2010, evento que será realizado nos dias 25 e 26 de setembro, no circuito de Thunder Valley, em Lakewood, no Estado do Colorado, Estados Unidos.

De acordo com os critérios anunciados pela própria CBM no início da temporada, as duas primeiras vagas ficariam para os pilotos brasileiros melhores ranqueados nas categorias MX1 e MX2, além de uma terceira vaga a critério técnico, definida pela própria CBM.

Como o americano Scott Simon, piloto da Pro Tork Racing Team é o líder de ambas as categorias do Brasileiro de MX, os vice-líderes ocuparão estas vagas. Da MX1 vem o catarinense Cristopher ‘Pipo’ Castro, piloto da 2B Duracell Racing,; da MX2 vem o paulista Marcello ‘Ratinho’ Lima, da equipe Vaz/Kawasaki/Rinaldi, e a terceira vaga é do mineiro Antônio Jorge Balbi Jr., piloto da 2B Duracell Racing. Mas também foi anunciado um quarto integrante, que viajará com o time e fará testes nos Estados Unidos, e este piloto é  Thales Vilardi. piloto da KTM/Foz/Mega.

Thales, Ratinho, Alexandre, Roberto e Pipo

Thales, Ratinho, Alexandre, Roberto e Pipo

“O Nações é uma competição que visa o país, o conjunto… Não é individual. Participamos das últimas três edições e queríamos levar um time com características diferentes dos outros anos. Não um time comercial. Um time efetivamente do Brasil. Essa ideia foi comprada pela Pro Tork e pela Rinaldi, que abriram mão de que fossem convocados apenas os seus pilotos patrocinados. Estamos dando um passo à frente nessa maneira de se trabalhar”, declarou Alexandre Caravana.

“Sabemos que em um esporte como o motocross pode acontecer de um piloto se machucar. E isso poderia comprometer o rendimento do Brasil. Ficar limitado a um grupo de três pilotos, poderia nos comprometer para amanhã ou depois, sem conseguirmos trocar uma inscrição, por exemplo. Então levaremos quatro pilotos. Inicialmente a inscrição será feita para o Pipo, o Rato e o Balbi, mas o Thales, por mérito e desempenho no Brasileiro, viajará com a delegação e a partir de agora os quatro estão convocados”, completou o presidente da CBM.

Visual dos gráficos das motos do Team Brasil 2010

Visual dos gráficos das motos do Team Brasil 2010

A chefia da delegação brasileira nos Estados Unidos coube mais uma vez a um dos mais experientes pilotos da história do Motocross brasileiro, o goiano Roberto Boettcher, atual diretor nacional de Motocross da CBM. Dono de cinco títulos brasileiros na modalidade, Boettcher foi o único brasileiro a disputar uma temporada completa do Mundial de Motocross, e durante dois anos correu em mais de 30 países.

“Vou tentar passar para os meninos novos, que estão indo pela primeira vez, que nosso potencial é muito grande, que eles têm todas as condições de representar o Brasil. O que falta é acreditarmos mais. O Nações é uma competição de conjunto. Não é individual. Precisamos dos três pilotos com essa visão. É um trabalho de equipe e vamos lutar muito para essa equipe ser vitoriosa”, falou Boettcher.

Team Brasil terá o patrocínio da Pro Tork e da Rinaldi

Team Brasil terá o patrocínio da Pro Tork e da Rinaldi

A expectativa para a prova é enorme

“Agradeço essa chance que estou tendo de defender o país. Agradeço aos patrocinadores que estão viabilizando a ida do time inteiro, bem como a CBM, que cumpriu o que foi divulgado no início do ano. Estou confiante de que podemos fazer o melhor para trazer um resultado inédito”, comentou Pipo Castro.

Marcello Ratinho também está confiante. “Sei que não é fácil ir para o Nações, que a competição é muito dura, mas vou dar o meu máximo e fazer de tudo para conseguir um ótimo resultado para o país. Agradeço à CBM pelo apoio e estou muito feliz e confiante para o Nações”, disse Ratinho.

Thales Vilardi também quer aproveitar a oportunidade para poder mostrar bom desempenho nos Estados Unidos. “Também agradeço à CBM e aos patrocinadores por terem viabilizado a ida da equipe. Para mim é a realização de um sonho de tantos anos. É algo que queria ter a oportunidade há muito tempo. Estou muito confiante depois que voltei da minha lesão recuperei minha velocidade bem rápido. Ainda temos mais de um mês para a prova, e junto com o time quero fazer o melhor resultado para o Brasil”, encerrou o piloto da KTM.

A equipe contratada para atender a delegação brasileira nos Estados Unidos, a TripleX, foi a mesma com a qual a CBM trabalhou em 2007, também no Motocross das Nações.

“Nossa expectativa é grande, e é claro que será cobrado um resultado, mas estamos indo para o Nações com uma equipe verdadeiramente brasileira, oriunda de méritos no Campeonato Brasileiro. Acho que temos muita chance de ter um resultado favorável”, ressaltou Caravana.

Team Brasil Motocross das Nações 2010

Categoria MX1 – Jorge Balbi Jr.
Categoria MX2 – Cristopher Castro
Categoria Open – Marcello Lima
Piloto reserva – Thales Vilardi
Chefe de equipe – Roberto Boettcher

Compartilhe este conteúdo

Comentários

Jorge Soares disse:

Twitter: mundocross
É….. com certeza não será fácil a classificação……. mas como diz o ditado, a esperança é última q morre.

E por isto fica uma dica minha prá quem vai casar……. nunca se case com uma mulher que tem a mãe com o nome de Esperança !!!!!

Hehehehe

Paulinho disse:

Vamos torcer… xD

diogo disse:

hahahaha que piada esse time hein, nao precisa nem falar que eh fato que nao vao se classificar

Rafael disse:

bom.. como eu havia dito, entre thales e swian, eu prefiro swian até pela sua experiencia fora do país, a fase do thales é boa (aqui no brasil !), la fora sao outros 500..mas a historia de que a honda nao liberou pilotos é novidade para mim. QUE PALHAÇADA!, nao da pra entender a honda, tem uma otima equipe mas parece que age apenas por dinheiro e popularidade, nao por amor ao motocross… é isso ai.. vamo brasil!

Rodrigo disse:

A honda não irá levar nenhum time para o nações, cada país pode enviar apenas uma equipe. Swian foi convidado e a honda não permitiu a ida dele.
Acho que a escolha do time foi acertada.

Guilherme disse:

Como a Honda fez o papelão novamente de não liberar seus pilotos, acredito que tenhamos uma equipe fraca neste ano! Em minha opinião a fase que passa o Pipo e o Ratinho, não são pilotos experientes o suficiente para representar o país, principalmente depois da participação de ambos na etapa de Canelinha, onde tinhamos uma pista de nível de Nações. Como a Honda continua nessa palhaçada, neste momento tinhamos pilotos no Pro Tork Brasileiro, em fase muito melhor que os escolhidos. Porém, o critério é justo e a classificação é uma consequencia de resultados regulares, mas também pode ser por N motivos. Da mesma forma, vamos torcer muito para o Brasil e a escolha do Thales, foi excelente e muito merecida a vaga do Balbi, que nem precisa se dar a opinião!

Luiz Fujii disse:

Twitter: Fujii
Como a Honda não liberou seus pilotos a escolha do Thales foi super acertada ele ta muito rápido o unico a conseguir acompanhar os estrangeiros parabens ,espero que ele seja titular ,entre no lugar do Pipo Castro que não esta tão rapido !

Jorge Soares disse:

Twitter: mundocross
Com certeza, o Thales está muito rápido e só tem que ter mais concentração para não cair, pois ele está andando muito este ano.

A equipe será definida dias antes do Nações, e irão andar os mais rápidos nos testes que farão nos Estados Unidos.

O time vai embarcar no dia 19 de setembro, um domingo, logo após a sexta etapa do Brasileiro de MX em Nova Friburgo.

Valewwwww

Jorge

glaidon brito disse:

Vamos ter 2 times este ano que maneiro.

Jorge Soares disse:

Twitter: mundocross
O Nações naum é como o Six Days, onde os países podem ter vários times.

O Motocross das Nações é somente um time por país.

Falowwww

Jorge

glaidon brito disse:

estou sabendo que a Honda vai mandar os pilotos dela para nações,ficaremos na espera.

Rafael disse:

olá, sinceramente eu achei interessante a escolha da equipe, mas cá entre nós, forçaram muitoo a barra com a escolha do thales, é um otimo piloto (aqui no brasil!) poxa, tem uma demanda ai de pilotos com muito mais experiencia como marronzinho, swian(que vem em uma exelente fase), e o proprio leandro silva, por coincidência eles sao do team honda, mas é fato! pra essa vaga do thales a CBM nao fez uma boa escolha, essa vaga era do swian.. nao discuto as outras vagas porque foi de acordo com o que disseram no começo da temporada, mas essa vaga do Thales nao foi boa.. é um menino ainda, a vida la fora com pilotos de fabrica e equipe de ponta é muito severa, exige no mínimooo uma boa experiencia..
enfim, agora ja foi e só nos resta torcer, vamo brasil!!!

Jorge Soares disse:

Twitter: mundocross
Oi Rafael !!

É que como anteriormente estava havendo muitas reclamações de que não existia um critério para a escolha do time brasileiro, sendo que somente pilotos da Honda iam para o Nações porque a fábrica patrocinava a equipe, neste ano existiu um critério.

Agora, se este critério está certo ou não aí já é outra coisa, mas que tem ter um critério, isto tem que ter.

E o Swian naum irá pro Nações p q ele naum está correndo no Brasileiro de MX, que é o critério fundamental para escolha do time.

Que os pilotos escolhidos tenham muita sorte e classifiquem o Brasil para mais uma final do Nações.

Um abraço,

Jorge

marcio andreoli disse:

Ola Jorge eu sou o Marcio pai do piloto Daua Andreoli, como voce ja deve saber moramos e competimos aqui nos Usa e estamos oferecendo nossa ajuda ao Team Brasil aqui na america, meu telefone aqui da Florida e 954-560-2191 ou contato pelo meu email [email protected] , caso precisem de algo por aqui teremos o maio prazer em ajuda-los, por favor repasse esse email a CBM e ao Roberto Boettcher, boa sorte ao Team brasil…

Jorge Soares disse:

Twitter: mundocross
Valeu Marcio !!

Enviei email para o Boettcher e para o Edu com cópia para você para vocês manterem contato direto e aí verem alguma ação em conjunto e no que vc pode ajudar, blz.

Parabéns pelos resultados do Dauã aí nos USA.

Um abração,

Jorge

é Editor do Mundocross, site que foi lançado por causa de sua paixão por Motocross e Supercross. Em 1990 ele começou a escrever sobre motos no Jornal VS, em São Leopoldo, no RS, numa coluna onde escrevia sobre Trilhas, Enduro e Motocross. Depois também escreveu para o Jornal O Pódium, Revista Moto Action. Nestes 24 anos teve experiências em eventos internacionais, como Mundiais de Motocross, AMA Supercross, AMA Motocross, Motocross das Nações e US Open Supercross.

Desenvolvido por GetFly