Vaidades geram prejuízos ao Motocross

Foto por Divulgação | 17 de setembro de 2010 - 14:39

Acordemos antes que seja tarde demais. Motocross é motivo de paixão. Porque as vaidades sempre superam a razão das coisas ? Quando foi lançada a Superliga de Motocross imaginávamos que pudessem fazer com que este esporte sobre duas rodas, tivesse o valor, o respeito e o respaldo que merecem.

Hoje corrida de lagartixa vale mais que o Mundo do Motociclismo. Corrida de ganso ganha mais mídia que nosso esporte. Não que seja um produto morno, pobre, que não represente nada. É só ver o mundo industrial deste produto sobre duas rodas, no Brasil, e no mundo, e o quanto representa em emprego, impostos e renda, e por isto deveria ter um tratamento diferente.

O motivo todos sabem. Vejam quem cuida deste esporte há anos, e ver o resultado catastrófico gerado pelas vaidades, e percebemos que continua sendo briga de beleza a todo momento, infelizmente.

Eu vi na Superliga de Motocross algo que pudesse profissionalizar esta modalidade, tão apaixonante, e tão ‘rica’ de tudo, e que no futuro permanecesse como um produto dentro de uma Confederação, e foi ao contrário, por um simples fato isolado : o de proibir os pilotos Honda e Satélites Honda de andarem no Campeonato Federado, ou seja, no Campeonato Brasileiro de Motocross.

Uma atitude isolada, vaidosa e antiesportiva, gerando prejuízos enormes ao esporte e a muitas equipes e pilotos, e ainda ao público local e nacional, que ficam sem aquela motivação de ver uma verdadeira competição, de verdade. Respeitamos sim a que paga a conta, mas o prejuízo ao produto Motocross, na minha opinião é grande.

Os motivos podem sim ser privados, e internos e até racionais, mas prejudicou muito o esporte. Não se pensou naqueles que gostam de participar, e ou de assistir esta modalidade. Quando ouvi falarem da Superliga/Honda de Motocross, vislumbrei um futuro promissor ao esporte, pois teríamos parte dos melhores pilotos Brasileiros, Superliga e Satélites, competindo com os melhores do Brasileiro de Motocross, e grande parte dos pilotos nacionais competindo na Superliga, e no final se veria primeiramente uma competição autêntica, de verdade, e de incentivo a todas as equipes. Mas infelizmente a desmotivação é total, pois é assim que vejo este tema.

A solução é unir forças em prol do esporte

A solução é unir forças em prol do esporte

Mais na frente ainda se veria qual o real objetivo da Superliga/Honda de Motocross. Imaginei que pudesse no finalzinho ter uma pequena esperança de que o esporte estaria sim, sendo profissionalizado de uma vez por todas, sendo parte sim de um grande produto, com muito dinheiro, dentro da CBM, que pudesse valer muito mais que apenas vaidades, ou movido somente pela paixão de alguns aficionados. Minha esperança era isolada, é claro, como ex-piloto fora de forma, e pai de piloto.

Quando vi a Dunas Race administrando o Brasileiro de Supercross, vi a possibilidade do esporte Supercross voltar a ser aquele Supercross do tempo do Skol Supercross. E por vaidades, certamente o grande empresário Marcos Moraes, preferiu parar com o produto. Porquê ? Perguntas que não calam. As dúvidas são muitas.

Quando vemos os dois campeonatos nacionais de Motocross andando no paralelo, com menos de 150 pilotos inscritos em média a cada etapa; me pergunto, porquê isso ?!?! Perdemos mais um ano, o da grande chance, de evoluirmos.

Tomara que tenhamos a chance de tirar proveito de tudo a que estamos vendo. Mas minhas esperanças são pequenas, e isoladas, mas mesmo assim penso que um dia poderá mudar, deixando a paixão e a vaidade de lado, e buscando o profissionalismo nesta modalidade, que é sim, uma riqueza ampla e insuperável, pois as pessoas passam e o esporte permanece.

Me perdoem pela franqueza, mas é assim que vejo o momento catastrófico desta modalidade esportiva tão apaixonante.

Paulo Vitor Sebben
Empresário e pai de piloto

Compartilhe este conteúdo

Comentários

Gabriel Gabiru #98 disse:

Gosteiii muito que Pauloo Sebben falou, pois corro de MotoCross e minha Família em geral todos tem o Sangue em cima do Motociclismo..
É muito triste ver a situação que nos encontramos hoje,,,,
Acho que os campeonatos tem que cresceu muito, e se desenvolver mais…nos dias de hoje pra que ser Campeão Brasileiro?que você ganhã?
Alguém lembra do piloto rondoniense Rodrigo Selhorst?Também conhecido como Alemão e Rô?
Título de Campeão Brasileiro de MotoCross MX2 2008, Selhorst definitivamente entrou para a história do MX brasileiro.
É Ficou sem equipe sem nada…
aii ta fazendo oque hoje?
Dificiiill né!!!

Nosso campeonato Gauchoo eu to achando um dos piores que já andeii… pois ano passado tínhamos transponde nas motos com Tv no boxe com todos os tempos de volta com velocidade media e tudo bem detalhado….
Tinha park fechado que cumpria o horariooo…
éra mais rigidooo…
os pilotos tem que se unir,,, pois quem faz o espetáculo ?
é nós….
mais eras isso aii….
abraços a todos vamos todos unir para melhorar….
as coisas!

Sandra Souza disse:

Twitter: enzolopes_2
Parabéns Paulo pela clareza das suas palavras… O tema não poderia ter sido melhor tratado. Fica apenas a impressão de que nada vai mudar, muito triste isso. Vamos entrar agora na reta final de temporada e início da pré-temporada, e ficaremos novamente no “limbo” da desinformação até meados de março/abril, como aconteceu em 2010.. Boa sorte para nós todos que trabalhamos com paixão pelo motocross brasileiro.

Rafael Novaes disse:

Mas se a Honda largou a CBM neste ano, quer dizer que algo muito podre tinha na confederação, mas como todo mundo tem o rabo preso com alguém, taparam o sol com a peneira. A realização do brasileiro só está beneficiando a Marlon Bonilha e Edu Appel, que estão trabalhando duro e limpo em benefício do esporte. Pena que o bom trabalho deles tem jogado no esquecimento as sujeiras que o presidente faz nos bastidores…

xânto disse:

Prezados:
Mudanças sempre são bem vindas e demora um pouco a gente digerir. Penso que com articulação política saudável, aplicada, direcionada há condições de juntar a CBM, YAMAHA, KAWASAKI, KTM(logo no Brasil), e quem sabe uma marca de refrigerante( coca-cola ou pepsi), ou ainda um energético destes que a grande maioria dos brasileiros desconhece e aí sim, termos um campeonato onde os custos deixem de pesar em um ou dois bolsos apenas.
Com tantos anos distante, ou com participações pífias, NÀO ME CONFORMO EM NÀO VER A YAMAHA, minha marca do coração distante do Motocross, provado históricamente que há retorno ao longo prazo.
Esta queda de braço sairá vencedor, o que errar menos. O melhor organizado, o mais justo, o mais pontual.
Ser CAMPEÃO BRASILEIRO tem um nome. CBM.

Twitter: claudiodamata38
Amigos, acho interessante a ideia que o colega deu acima. Vamos boicotar a marca Honda ! dar preferência as Kawasakis, Suzukis, Yamahas e KTMs. Enquanto eles não sentirem no bolso e nas pistas, a Honda não vai parar de pensar que manda no esporte. Já tô de saco cheio desta Honda, e não é de hoje que ela faz isto !!! Lembro-me no pré-mundial na pista do Rio Verde kart Cluve em Nova Lima-MG – região metropolitana de Belo Horizonte-MG, o locutor ( pago pela Honda ) falava: ” – O gate está um verdadeiro tomatal….” se referindo a quantidade de Hondas no gate……pobre coitado ….. As atitudes da Pro Tork, Rinaldi são dignas de exemplo, não fizerem igual a Honda que proibia a TTR 230 da Yamaha participar do campeonato e a Pirelli em proibir pneus de outras marcas rodarem nas provas….. ridículo.

Olhem a guerra dos energéticos americanos, é um guerra limpa

Túlio disse:

Twitter: tuliorenan
Num país onde politico onde seu mandato é cassado,etc… e depois de 18 meses ele candidata de novo, pode esperar de tudo, tudo mesmo.
Falar o quer de um esporte (que amo d+) ao mesmo tempo é forte e fraco. FORTE porque quem gosta do MOTOCROSS, mesmo com essas diferenças, se faz um esforço danado pra ir em Etapas, e FRACO pq os dirigentes querem…devem embolsar o dinheiro que é liberado pra gastar com o motocross tinha que ser gasto principalmente com premiação para pilotos, pq sem piloto meu amigo não existe motocross….quero ver se esses velhos barrigudo dirigentes, dão conta de tocar uma moto, igual esses pilotOs brilhantes que o brasil tem- MESMO OS 70% QUE NAO TEM condição financeira, espero que o motocross não acabe.
Me expliquem, pq no rodeio, futebol,basquete,volei os atletas ganham tanto dinheiro…nós do motocross temos federação tbm, sera pq essa grande diferença…pilotos de motocross….se arrebentar de tanto treinar, pra chegar um domingo de corrida, correr em troca de 300,500 ou1000 reais para né isso, é premiação de truco de final de semana aqui na minha cidade Vazante-MG…onde ninguem gasta mais que uma inscrição de 40 por equipe 2 pessoas….agora imagine quanto um piloto vo dar exemplo de pilotos privados quem são a maioria no brasil, gasta so pra ir num etapa de campeonato regional,estudual ou nacional…meu amigo né fácil não… “pior de tudo nem tem reconhecimento” tem reconhecimento da familia e dos amigos (de verdade)e até da namorada, que ti incentiva pra não para de lutar pela sua paixão.
Quer saber vamos correr atrás do prejuizo dos outros que se torna sendo nossos prejuizos tbm.

Luiz Fujii disse:

Twitter: Fujii
Infelizmente CBM não é CBF a CBM dependeu muito ,depende e ainda dependera da toda poderosa Honda Brasil,,Alguem por acaso poderia me explicar pq a Yamaha so participou da etapa de Canelinha?a Honda só liberou a Yamaha pra essa etapa??estranho né!?

Álvaro PIU disse:

Olha gente, acompnho motocross desde 83, ja fui piloto e hoje acompanho tudo que rola no meio das motos, tudo mesmo. Moro em Curitiba e fui a Canelinha no Brasileiro e na outra semana ja estava em Cpo Grande no Mundial, só pra asistir, tamanha a minha paixão pela coisa.

Na minha opinião, a coisa mais sensata que podemos fazer, tendo em vista o poderio financeiro da Honda, é não andar na Superliga!!!!!!
Ao invés de se esperar proibirem que se ande com outras marcas, mesmo os privados que tem Honda não deveria andar, pois acredito que esses também não estejam satisfeitos, não é mesmo?!?!? Deixe que somente os 20 ou 30 pilotos deles andem. Isso vai enfraquecer o campeonato e esvaziar as corridas deles. Vão ter que repensar.

E até a Yamaha, que ninguém falou até agora, mas que também proibiu os pilotos de tomarem pau no Brasileiro (é eles só estão liberados pra toma pau na Superliga), vão ter que se reposicionar.

Pensando sob este aspecto podemos concluir que grande parte do problema podemos forçá-lo diretamente a resolver, mas isso depende de ATITUDE e pensamento no futuro, para colhermos as melhorias lá na frente.

Moreira disse:

Concordo plenamente com o Paulo e muitos outros acima, a Honda está uma merda.
Tenho 3 Hondas mas estou odiando essa Honda …
A superliga deveria ser extinta, Pro tork é muito melhor, acho que deve fazer algo contra eles ! Só aqui no Brasil mesmo para ocorrer isso, é uma vergonha o que esta ocorrendo. espero que nosso esporte pare com essa palhaçada e melhore !
abrss

Luiz disse:

Parabéns Paulo pelo seu texto, acredito que vc colocaste o que muita gente pensa, mas que infelizmente poucos tem falado, preferem ficar omissos ao que esta acontecendo nesse esporte que é movido a paixão, muito mais que qualquer outro… Acredito que estamos passando por um ano de aprendizado, pena que esse aprendizado seja negativo… mas varias mudanças acredito que devem ser feitas, quer um exemplo?? A categoria 230 foi criada anteriormente porque a Honda mandava na CBM, e precisava seu produto exposto,,, e agora?? porque continuar com a 230 no brasileiro?? pra começar não tem numero de pilotos participantes, no maximo meia duzia de pilotos fazem o campeonato inteiro… e o pior!!! as pistas não são feitas pra esse tipo de moto, assim como essa moto não é feita para os tipos de pistas de motocross…. Quando falam em menos de 150 pilotos inscritos,,, esquecem de um detalhe, onde as estatisticas pioram,,, é de que varios e varios pilotos correm em duas categorias, ou seja n° de pilotos é bem inferior, coisa esta que não acontece nos campeonatos AMA e Mundial,, pois cada piloto corre em uma categoria só… Vamos tomar cuidado para a Honda e a Super Briga não acabar com esse esporte, pois os erros são muitos,,, e ao contrario do que alguns defendem, seria bom mesmo que a Honda deixasse participar dessa M. de campeonato somente motocicletas de sua marca,, pois, tudo esta se encaminhando pra isso.. pois chegaram ao cumulo de premiar o mehor privado em algumas etapas que estivesse com a sua Marca..Pergunto??? o piloto que estava de Yamaha, KTM, Suzuki ou Kawasaki, vale menos do que quem estava de Honda???… Tomara realmente que a Honda faça o campeonato só com sua marca pra ver que ela não manda no mercado e nem no esporte no Brasil… è uma pena que a cabeça do Japones seja tão pequena assim,,,, quando mandava, pintava e bordava na CBM o campeonato Brasileiro era maravilhoso…. agora que não tem mais esse poder o campeonato não é bom o suficiente??? Lastimavel…. Abraço a todos..

Alexandro disse:

Sem palavras, a anos hipocrisia de quem administra o motocross, agora o resultado e esse.

Tiago Souza disse:

Depois dessa do Nosso amigo Paulo Sebben , pra que comentar mais ??? É isso ai Paulo a panela se tornou de Nivel Nacional e Internacional , eu estou puto da vida pelo fato do Swian nao ir pro Nações , acho que a receita Balbi+Swian+Pipo daria muito certo…

moacirfausto disse:

infelizmente e a realidade ate o meu cachorro sabia que isto nao iria dar certo menos a honda como o moço ai de cima falou eles váo acabar proibindo outras marcar de andarem na supermerda

Joao b lopes Jr# 411 disse:

Se continuar assim a tendecia e o nosso esporte piorar cada ves mais , eu vejo por min tem brasileiro a 150 km da minha casa e eu nao tenho a minima vontade de ir , nao e mais igual a 3 4 anos atras ,,e complicado demais…

JOÃO #38# SÃO FRANCISCO disse:

EU SOU PARCEIRO DA PRO TORK E ACREDITO NELA
SE A HONDA NÃO QUISER ENTRAR NO CAMPEONATO
BRASILEIRO O POBLEMA E DELA . AQUI NO NORTE DE MINAS
E SUL DA BAHIA ONDE EXISTE VARIOS CAMPEONATOS REGIONAIS
OS PILOTOS TODOS ESTÃO COMPRANDO MOTOS KAWAZAKI E YAMAHA EU INCLUSIVE JA COMPREI UMA KXF E MEU DESEPENHO SO MELHORA . EU ACHO QUE A HONDA DEVE CHEGAR MAIS LONGE DO QUE ELA JA FOI DAQUI ALGUM TEMPO ELA DEVE PROIBER OUTRAS MARCAS DE PARTICIPAR DA SUPER LIGA NÃO ACREDITA ESPERE PRA VER .QUE VERGONHA EU SEMPRE TIVE MOTO HONDA HOJE TENHO VERGONHA DE ANDAR EM UMA.

cleber todeschini disse:

bom dia a todos!
tentar formar uma opinião com imparcialidade nesse asunto de paixão realmente não é tarefa facil,acredito que o que todos nós queremos é
justamente o crecimento do motocross,vaidade é do ser humano e principalmente de que paga a conta, o meu amigo sebben é apaixanado
como eu e vive sonhando com um motocross maior que o ego de quem
o dirige.
“todos tem razão,ninguem tem razão”
seguimos sonhando com um campeonato proficional e outro amador,com
televisão ai sim creseremos.
abraços a todos !!

Jorge Soares disse:

Twitter: mundocross
Oi Luiz !!

Na real este tema já havia sido abordado aqui no Mundocross em matéria redigida por mim e publicada lá no dia 24 de abril, a qual vc pode conferir neste link aqui : http://www.mundocross.com.br/2010/04/24/refletindo-sobre-as-aberturas/

É que naquele momento o imbróglio estava no seu início e a maioria ainda não tinha um opinião formada, e eu explanei meu ponto de vista, que de certa forma não mudou, pois é preferível termos ao invés de DOIS BONS campeonatos nacionais , UM GRANDIOSO CAMPEONATO NACIONAL DE MOTOCROSS.

Mas respeito a opinião de todos e este espaço aqui no Mundocross é justamente para todos poderem expor seus pensamentos e sentimento.

Um abraço e ótimo final de semana a todos.

Jorge

Douglas Poly disse:

Twitter: dougpoly
Concordo plenamente com todas suas palavras!!! É pura vaidade,com isso prejudica o desenvolvimento do esporte no país. Principalmente o piloto,que acaba sendo restrito a correr onde seu patrocinador quer…
Vergonhoso…

Luiz Fujii disse:

Twitter: Fujii
Eu estava achando estranho o fato de a imprensa “especializada “ainda não ter comentado nada a respeito até agora rs. muito estranho?!!

Elmar Becker disse:

O Paulo tem razão quanto aos problemas da modalidade motocross atualmente , mas os fatores são vários a liga esta organizada segundo a lei Pelé e ela esta ai para ficar com pessoas altamente profissionais como a empresa de Carlinhos Romagnoli a muitos anos no esporte.
Quanto a quantidade de pilotos por etapa não ultrapassar a 150 pilotos não e problema para o evento pois com duas categorias mx1 e mx2 e com duas baterias por etapa mais uma de 60 e 80 nos intervalos das mesmas com 40 pilotos em cada categoria na mx1 e mx2 com tempo de no maximo de 5 segundos entre o primeiro e o 20 colocado teriamos um grande campeonato, pois temos que ter qualidade e não quantidade.Para terminar so uma pergunta Paulo porque o mundial não foi novamente realizado em Canelinha S/C que e sempre foi o berço do motocross no Brasil. Se isto tiver explicação saberemos o porque da situação???????? Abraços a todos

Rodrigo Sippel disse:

Espero que no futuro 2010 seja lembrado como um ano de erros, um exemplo a não ser mais seguido. Que em breve possamos ver os melhores pilotos do país largando lado a lado, independente de quem esteja patrocinando os mesmos.

Marcelo disse:

Eu já penso diferente é bom ter a SLM pq se o campeonato da CBM não for bom tem a Super Liga ou vice e versa, só não concordo da proibição de um atleta que foi convidado (no caso do Swian) de não dar o suporte ao piloto para participar da prova de Canelinha (pois esta prova serviria para o Nações que acredito eu dv ser o sonho de qualquer piloto profissional) que por sinal eu vi na ESPN e a pista esta um show!

Eu acredito sim que a CBM tem q contratar uma Empresa promotora de eventos e profissionalizar o motocross isso sim.

Se tem 150 pilotos inscritos em cada campeonato é bom e este ano está sendo bom pois o ditado diz para melhorar tem que piorar um pouco.

Mas sou totalmente a favor de ter uma Liga e um Campeonato Oficial.

Mais uma vez a indignação fica por conta de tirarem uma grande chance ao piloto Swian de participar do Nações pq este ano esta acelerando barbaridade. Parabéns a ele.

Sobre o Brasileiro Junior tbm é excelente pois as Meninas e Juniores, 85, 65 e 50 não deveriam correr em mesma pista de um campeonato profissional. (Acredito que deveria ser uma pista com poucos obstáculos, pois é a idade onde deveriam aprender a velocidade e não riscos de obstáculos como triplos, duplos em decidas)

Vale repensar em um campeonato bom para TODOS. Continuem com SLM e Campeonato Pro Tork e Rinaldi de Motocross. Mas sem proibição. Os pilotos e equipes que escolham em qual campeonato correr.

Mais uma vez peço orações e forças positivas para a excelente seleção brasileira. Balbi, Pipo, Ratinho e Thales vão com Deus e acelerem com muita alegria!!! Força Brasil !!!!!!!!! =)

Valmir disse:

Sebben, Hofmann, estou de acordo com voces esta divisao so causa retraçao no esporte.
Queria manifestar contra todos estes organizadores desde Cbm Fpm. e varias entidades amadoras que aboliram a categoria JUNIOR nao da pra tirar um garoto da 85 ou 150cc e coloca lo na 250cc REVEJAM, pelo bem do esporte, ou va fazer um camp junior de 4 etapas onda a mais perto e 1000 kilometros

julliano disse:

Estão acabando com o nosso esporte, no ano passado nesta nesma epoca o fofocross rolava a todo vapor sobre a torrida briga pelo campeonato brasileiro de Marron e Garcia, todo mundo estavam num extase danado palpitando qual dos dois ia ser campeão….que pena.

Acredito que este seja o pensamento da maioria dos que torcem para o crescimento e o profissionalismo do motocross.
Mas pelo que tenho visto nas matérias distribuidas pela Liga Nacional de Motociclismo, a coisa é muito maior do que parece e as esperanças vão se perdendo a medida que cehgam as noticias.
O Lincoln Miranda Duarte, ex-presidente da CBM, é o atual presidente da LNM, e varios outros ex-integrantes da CBM também estão ocupando cargos na nova entidade.

Em uma das matérias tem o seguinte texto:
“A atuação da LNM começou no motocross – com a Superliga Brasil, chegando ao Arena Cross e à motovelocidade – através da categoria Hornet 600 do Racing Festival. Os planos, porém, são de expandir para outras modalidades, como rali e o enduro. A Liga Nacional de Motociclismo também regulamenta as regras e diretrizes das provas e ainda supervisiona as corridas. ”

Isto quer dizer que a LNM pretende ser CONCORRENTE da CBM em todas as modalidades, e não só ter um campeonato paralelo de MX.
Parece que o intuito é SUBSTITUIR a entidade maior no motociclismo brasileiro.
Isso explicaria o boicote da equipe Honda no BR de MX, eles não queriam “alimentar” a “concorrencia”…
Pelo visto as complicações só estão começando…

Henrique disse:

Concordo com todas as palavras do Paulo. Esse ano foi de vergonha para o esporto no Brasil. Esta divisão dos pilotos por parte da Honda foi uma vergonha, tanto que pilotos Pro Tork, por exemplo, participam da Superliga. Sem contar que não liberaram seu melhor piloto na atualidade para representar o país no Nações. Isso é mais vergonhoso ainda! Espero que no próximo ano, essa ‘palhaçada’ acabe e que possamos ir ver corridas com gates cheios de pilots. Os dois campeonatos concerteza, faria com que os pilotos melhoracem e muito, mas que trabalhassem de forma unida. Um campeonato a parte e um campeonato brasileiro, para que ambos, conseguissem trazer o prazer que o esporte gera.
Fico triste pelo fato acontecido neste ano, apesar de gostar muito do Team Honda, parabenizo muito a Pro Tork e a Rinaldi, por propiciarem aos pilotos estruturas de Campeonato Mundial aqui no Brasil e levar pilotos de 3 equipes diferentes dentro do país, para representar o mesmo de forma unida no exterior. Parabéns pela crítica, concerteza foi muito construtiva.

é Editor do Mundocross, site que foi lançado por causa de sua paixão por Motocross e Supercross. Em 1990 ele começou a escrever sobre motos no Jornal VS, em São Leopoldo, no RS, numa coluna onde escrevia sobre Trilhas, Enduro e Motocross. Depois também escreveu para o Jornal O Pódium, Revista Moto Action. Nestes 24 anos teve experiências em eventos internacionais, como Mundiais de Motocross, AMA Supercross, AMA Motocross, Motocross das Nações e US Open Supercross.

Desenvolvido por GetFly