Balbi ganhou carro zero na final do Brasileiro de MX

Por João Perocco | Fotos por Idário Araújo | 28 de novembro de 2010 - 23:01

A 2B Duracell Racing mostrou neste domingo, 28 de novembro, porque é a equipe mais forte do Motocross nacional. Na final do Campeonato Brasileiro de Motocross 2010, realizada no Centro de Treinamento da Pro Tork em Siqueira Campos, no Paraná, a equipe não deu nenhuma chance aos times adversários e venceu em quatro categorias.

O principal destaque da equipe foi Jorge Balbi Jr., que venceu tanto na categoria MX1, como na MX2. Retornando à competição nacional, o piloto mostrou que, se não fosse o acidente que o afastou das pistas por três meses, estaria na briga pelo título de todas as competições e venceu mais uma vez na MX1 e na MX2.

Na MX 2, Balbi não fez uma boa largada mas se recuperou rapidamente e, logo no início da prova, ultrapassou o catarinense Anderson Cidade em uma sequencia de triplos e assumiu a liderança da bateria. Depois que assumiu a ponta, o piloto se aproveitou do duelo entre Cidade e Marcello ‘Ratinho’ Lima pela segunda posição, imprimiu um ritmo forte e abriu grande vantagem, terminando com mais de 12 segundos de vantagem sobre seus adversários e ganhando uma moto TR 50 da Pro Tork.

Jorginho Balbi ganhou um celta zero por vencer a categoria MX1

Jorginho Balbi ganhou um celta zero por vencer a categoria MX1

Na principal categoria do dia, a MX1, a prova não foi muito diferente. O mineiro largou na terceira colocação mas, logo no início da corrida, assumiu a ponta e abriu uma boa vantagem sobre os seus rivais, vencendo com tranquilidade. O resultado deu ao piloto um Celta 0 Km, prêmio que seria concedido ao grande campeão da última etapa do Brasileiro de Motocross.

“Na primeira etapa do ano corri aqui e não consegui vencer a MX1. Por isso, vim para essa etapa muito focado e disposto a conquistar a vitória. Sabia que seria difícil, mas queria muito ganhar aqui. Graças a Deus fiz uma bela prova, fiz tudo certo e conquistei a vitória”, declarou Jorginho.

Balbi venceu as duas principais categorias em Siqueira

Balbi venceu as duas principais categorias em Siqueira

Mas Balbi não foi o único piloto da equipe a brilhar nas pistas paranaenses. Anderson Amaral também fez bonito e mostrou mais uma vez, porque foi o grande nome do Motocross brasileiro em 2010. Único piloto a vencer as três principais competições nacionais na 85 (Brasileiro, Superliga e Arenacross), Anderson obteve 100% de aproveitamento ao vencer a sétima prova que disputou no campeonato.

Com uma condução forte e segura, Anderson Amaral mostrou domínio absoluto na prova, que aconteceu junto com a MX Feminina, terminando a etapa com mais de 30 segundos de vantagem para o segundo colocado. Além disso, o paulista fez também uma bela prova na MX Júnior, onde terminou na terceira posição, competindo com uma moto 250 4T.

Anderson venceu todas as provas que correu no Brasileiro na 85

Anderson venceu todas as provas que correu no Brasileiro na 85

A inscrição do piloto na Júnior visa prepará-lo para o ano de 2011, quando ele pretende subir de categoria. Mas quem teve um desempenho ainda melhor na MX Júnior foi seu companheiro de equipe, o sergipano Rodrigo ‘Lama’, que venceu sua segunda prova seguida na categoria.

Lama superou mais uma vez o campeão Marçal Müller e mostrou que está totalmente recuperado da contusão que o atrapalhou durante boa parte da temporada 2010. A equipe competiu ainda na categoria 230. Campeão da Superliga de Motocross, o paulista Nivaldo Viana terminou na segunda colocação, completando a festa da equipe mineira.

Nivaldo ficou em segundo lugar na 230 em Siqueira Campos

Nivaldo ficou em segundo lugar na 230 em Siqueira Campos

Compartilhe este conteúdo

Comentários

Carlos Junior disse:

Jorge, no site tem a enquete de qual campeonat. considera melhor???? existem tres opções para voto…. acredito que esta faltando uma Quarta opção que seria,,, NENHUM DOS DOIS… infelizmente essa é a realidade.. Abraço.

marquisoel ferraz andrade disse:

parabens a equipe 2b.a mehlor

é Editor do Mundocross, site que foi lançado por causa de sua paixão por Motocross e Supercross. Em 1990 ele começou a escrever sobre motos no Jornal VS, em São Leopoldo, no RS, numa coluna onde escrevia sobre Trilhas, Enduro e Motocross. Depois também escreveu para o Jornal O Pódium, Revista Moto Action. Nestes 24 anos teve experiências em eventos internacionais, como Mundiais de Motocross, AMA Supercross, AMA Motocross, Motocross das Nações e US Open Supercross.

Desenvolvido por GetFly