Motocross Brasileiro – Passou da hora

Por Cláudio da Mata | Fotos por Divulgação | 10 de Fevereiro de 2011 - 12:57

Passou da hora do Brasil ter um Campeonato Brasileiro de Motocross com uma organização profissional. Para o esporte ter maturidade, os dirigentes tem que criar condições para tal. Isto é o princípio básico. Podemos afirmar que temos 30 anos no mínimo de experiência em organização de eventos de Motocross e Supercross, mas ainda não temos um campeonato organizado e eficaz. Para encurtar a minha tese, temos que copiar o modelo que está dando certo, e pronto.

Não adianta querer inventar isto ou aquilo, temos que ir direto ao ponto. Uma organização perfeita eleva o nível dos pilotos, consequentemente atraem mais patrocinadores e a tão sonhada TV aberta pode aparecer. Uma das primeiras medidas que a organização do Brasileiro de Motocross tem que fazer é ter somente duas categorias, MX1 e MX2 com duas baterias de 30 minutos e mais 2 voltas.

É importante prestigiarmos as mulheres e termos a MXF também com duas baterias de 15 minutos mais 2 voltas. Assim não só nossos pilotos, quanto as nossas pilotas terão condições de enfrentar pilotos e pistas do AMA, que é a principal vitrine do esporte. Dentro deste mesmo evento, é necessário ter uma prova com as lendas do esporte. Termos provas com pilotos Over50, pois no passado eles foram nossos ídolos, e um esporte não se fortalece sem os Mitos !!

E infelizmente os nossos Mitos aqui no Brasil são os pilotos estrangeiros. Está na hora de acabar com isto. Poderemos ter sim nossos ídolos estrangeiros, mas a nossa história tem que ser bem escrita também. Seções de autógrafos, homenagens aos antigos campeões e provas de exibição fazem com que os jovens de hoje entendam como era a tocada, as motos e os equipamentos da época, pois as Vintages no AMA Motocross, por exemplo, são exibidas por seus pilotos com equipamentos da época.

Os nossos organizadores do Campeonato Brasileiro tem que entender que modelos já consagrados estão aí para serem copiados mesmo, pois não adianta querer inventar a roda. O público fica de saco cheio ver um monte de prova no Brasileiro num mesmo dia e sem qualidade ou quantidade na maioria destas provas. O modelo americano, como também o modelo do Mundial, seguem a mesma filosofia: 2 baterias de 30 minutos mais 2 voltas, no caso do AMA Motocross e Mundial de Motocross.

Esta mais do que na hora do Motocross buscar seu lugar ao sol

Esta mais do que na hora do Motocross buscar seu lugar ao sol

Veremos este ano o Swian Zanoni participando do Mundial. Torço muito por ele, mas este ano basicamente vai ser de aprendizado, pois justamente o que estou sugerindo para o nosso Motocross é o que ele utilizará nas provas. Se o Zanoni tivesse uma ambientação com o modelo do Mundial, ou mesmo do AMA Motocross aqui em nossos campeonatos, provavelmente neste primeiro ano já andaria em um ritmo muito mais forte, e os resultados poderiam ser melhores do que possivelmente ele terá nesta primeira temporada.

Chega de querer inventar, chega de querer fazer meia dúzia de provas em dois dias, pois Campeonato Brasileiro tem que ser para pilotos profissionais, as outras categorias tem que encaixarem em campeonatos regionais ou no Campeonato Brasileiro de Motocross Júnior. Mantendo um dos modelos, ou do AMA, ou do Mundial de Motocross, teremos um Motocross melhor, com mais patrocinadores, pilotos melhores remunerados, mais retorno da mídia, e quem sabe a tão desejada TV aberta transmitindo as corridas.

O mineiro Cláudio da Mata é piloto amador de Motocross Over40

O mineiro Cláudio da Mata é piloto amador de Motocross Over40

Compartilhe este conteúdo

Comentários

gustavo disse:

eu tenho 14 anos e quero participa em uma corrida de moto crros mas ñ tenho moto mas tenho experiência moro em maceió se estive interresado entre em contato meu msn: [email protected]

mike racing disse:

vcs estao tudo por fora mesmo o brasil é ruim mesmo pra esse tipo de esporte os organizadores frabicas equipes o esporte em geral precisa de gente naum corruptitas quem sabe assim un dia nosso motocross vira ser um esporte de alto nivel….pensen nisso mais nada …..

Anderson Fabiano disse:

Claudio, parabéns pela brilhante idéia de promover esse painel de debates. Não sou piloto, nem participante do mundo cross, mas um profissional de marketing tentando desenvolver um projeto para viabilizar a participação de um promissor piloto no campeonato catarinense. Confesso estar impressionado com a falta de informações e com amadorismo da organização do campeonato local.
Acredito haver aprendido muito com o que li hoje aqui e, para não perder a oportunidade, deixo aqui minha opinião sobre o assunto: campeonatos regionais fortes criam bons pilotos, visibilidade para seus patrocinadores e poder de fogo para discussões no âmbito nacional. Assim, vamos prestigiar os regionais e dar tempo ao tempo. Muito do que está registrado aqui, em termos de comparações com outros países e fórmulas de campeonatos é válido, mas é ingênuo querer sair do Mobral direto pra faculdade. Bons pilotos nascem na base dos esportes e só o tempo (e as competições bem organizadas) vão “mostrar” esses novos valores.
Meu abraço,
Anderson Fabiano

marcio andreoli disse:

Parabens pelos pensamentos,concordo plenamente com todas as suas palavras,profissional é profissional e amador é amador,o brasileiro tem que ser para profissionais ai um dia poderão encarar os estrangeiros de igual para igual, meu filho Daua Andreoli e amador nos USA e espero que o dia dele correr no Brasil chegar possa correr a nivel profissional,e isso oque os patrocinadores e o publico esperam dos organizadores e dos pilotos, estamos sempre vendo pilotos profissionais ai do Brasil, sem citar nomes, vir correr aqui nos USA e se inscrever em classes de nivel mais fraco aqui no amador, e oque e pior nao ganham,precisamos de pistas com alto nivel.

Jorge Soares disse:

Twitter: mundocross
Oi Julliano !!

Coloquei este texto do Cláudio lá no quadro de destaques aqui no Mundocross.

Valeu pela dica de deixar o assunto em pauta

Falowwww

Jorge

Twitter: claudiodamata38
Heinz Chrispim, você é um ótimo piloto. Fiquei muito impressionado com seu estilo e disputando com os melhores pilotos naquela prova do Supercross Edgel. E fico ainda mais tem fã com sua atitude de manifestar o que pensa através deste canal que é o mundocross.com.br.
Muitos pilotos não tem coragem de manifestar opiniões, mas no fundo, sei que a maioria concorda conosco. Mas suas declarações são importantes também, pois ficarmos esperando um milagre Divino, isto nunca vai acontecer.
Temos que unir para exigirmos melhores tratamentos junto a CBM.
Olha, lá nos Estados Unidos, o AMA é uma instituição guardadas as devidas proporções igual ao ABPMX nossa aqui. Então teríamos que fortalecer nossa entidade de tal forma que ela com representatividade consiga poderes para dirigir nosso esporte. Pois sabemos que a CBM atual não está tendo tal destreza.
Fala isto e sempre quando pude, ajudei nas organizações dos eventos de Motocross em minha cidade. A gente não pode somente falar, tem que agir.
Até como bandeirinha de etapa do Brasileiro de Motocross aqui na minha cidade eu já fui. Então, de alguma forma temos que ajudar o esporte a sair do submundo. Temos que colocar no patamar que os outros países conseguiram, e o primeiro passo é a união dos pilotos, equipes, patrocinadores, Federações sérias e com muito trabalho deixarmos no topo o Motocross e Supercross. (Leia-se FMX também)
Abraços !
Cláudio da Mata

Jorge, coloque novamente esta pagina na principal, quanto mais gente ler e opinar melhor, este forum pode mudar muitas coisas…..

heinz chrispim disse:

claudio obrigado por sitar meu nome fiquei muito contente, eu como piloto privado e fazendo milagre as vezes para participar de provas..concordo que o problema é financeiro e adoraria correr duas baterias de uma mesma categoria no dia. tambem concordo muito com o que escreveu com o Fernando ele resume quase tudo o que falta pra nos pilotos que gostamos muito de que fazemos e vemos que as condições dadas pelos principais organizadores, cbm superliga, se volta apenas para eles mesmos e para nos pilotos as vezes me parece que pensem ser obrigação nossa estar no gate…bom fico torcendo para alguem acordar .parabens pelo site ter este espaço aberto para podermos opinar..espero que outros pilotos se manifestem para mudarmos para melhor. grato heinz chrispim

Dudu #28 disse:

A situação do motocross brasileiro é triste. Um esporte maravilhoso e que encanta a qualquer um que assista uma prova ou até mesmo um treino mas que não tem o valor merecido. Temos provas ruins, pistas ruins, premiações ruins dentre outros fatores que desanimam qualquer piloto. Vamos torcer pra que essa triste realidade venha a mudar, e rápido!!!

Twitter: claudiodamata38
Fernando, tudo que as pessoas estão escrevendo aqui vai servir para alguma coisa. Temos que filtrar o que é bom, o que é inteligente e o que vai fazer crescer o esporte, crescer o nível dos pilotos e gerar formas de trazer as mídias televisivas para o nosso esporte definitivamente aparecer.
Neste domingo passou BMX ao vivo pela famigerada Globo, fiz por 19 anos BMX e fui campeão Brasileiro e vice Sul Americano na categoria Cruiser 30-34 anos. O BMX só está aparecendo na TV porque tornou-se esporte olímpico.
Temos que fazer com que nosso esporte seja viável para a mídia. Este é um caminho que precisamos achar para o esporte ser valorizado por todos.

Quanto a modelo do AMA ou Mundial, quando se tem um campeonato organizado, e consequentemente com bons patrocínios os pilotos saem até dos cafundéus do Judas para correr.
Exemplo: Aqui em MInas, cidade minúscula, Capim Branco-MG por dois anos seguidos realizou o Edgel Supercross. Premiação: Uma moto no varlos de 10 mil reais !!! Vieram pilotos do Brasil inteiro. Conversei com Jean Ramos, Marronzinho, Balbi, Roger Hoffman, Swian Zanoni, Leandro Silva, Roberto Castro e Humberto Martin, Heins Crispin, Mariana Balbi, etc etc

Bom, quando tem uma boa premiação, pilotos de locais mais distantes vem sim participar, pois ganham um valor que em tese demorariam talvez 3 meses de um patrocinador pessoal.

Olha, não sei sua idade, mas posso afirmar que na administração do Linchon Duarte, antigo Presidente da CBM que era daqui perto, de Belo Horizonte, realizou muita coisa boa em seu mandato.

Pude conviver com toda a organização, Know How de nossos profissionais em realizações de etapas do Mundial de Motocross, como fui em todas as que foram realizadas no Serra Verde, pista que recebeu etapas do Mundial.
O organização era nota 10.
Pude também participar de uma prova de um campeonato amador nesta pista onde tinha sido realizada etapas do mundial de Motocross, vi como é outro nível o tipo de pista, e sinceramente consequi andar na pista, mas muito longe do ideal, pois a pista foi projetada para piloto profissionais e a gente vê isto quando está na mesma pista, tentando correr.

Portanto, temos que começar, não importa de vamos errar em algum momento, o importante é começar e ajustando no decorrer do tempo.

Então, o que está dando certo lá fora, deve ser seguido aqui sim.

Olhe a Austrália, fazem um campeonato de Supercross aos moldes do AMA Supercross, a cada ano, vários pilotos americanos participam do evento. Sinal que o modelo seguido é promissor.

Abraços !!

Cláudio da Mata

Fernando disse:

boa tarde Leitores, lendo todos os comentarios, percebemos que existem varias opiniões e interesses pessoais ditos,,, Acredito que o que o Claudio da Matta quis colocar era algo para quem as pessoas que dirigem o MX lesses e pensassem, agissem de alguma forma, mas que por enquanto as opinões foram só de pessoas que praticam MX ou pai de pilotos,,, E mais uma vez digo,,,o Motocross é igual em todo mundo,,ou seja, é pra quem tem Dinheiro ou quem tem patrocinio,,, o resto é o resto,,
Não vi nenhum Piloto de equipe se pronunciar aqui,,sabe porque??? eles estao cagando pra tudo isso, eles vão andar onde o patrocinador mandar gostem ou não…
Concordo com a redução de categorias no Brasileiro, na minha opiniao teria que ser 85cc, Mx2, MX1 e Mx3, se possivel duas baterias de cada ou pelo menos duas baterias da Mx2 e Mx1.
Sobre osw campeonatos teria que ser Regional em cada Estado, o Estadual e o Brasileiro, e nesses casos anda quem pode, quem tem dinheiro pra ir, quem tem apoio, quem tem patrocinio, Querem copiar o que existe no AMA e no Mundial,,,, antes disso peça para as empresas do Brasil copiar as empresas de lá.. que fabricam equipamentos e outros,,, porque o investimento lá é muito maior que aqui, e não é só questão de retorno mesmo não,,, é questão de investir mesmo, porque se investe primeiro pra ter retorno.
Sou do RS e concordo que o povo da região Sul é Bairrista e do Sudeste também,, e naõ é questao de bairro ,,, é questao de querer participar de provas são nessas regiões porque é mais perto, viaja menos, e por resultado gasta menos,,, estão dizendo que querem copiar do AMA, no campeonato Americano tem provas em todas as regiões,, aqui tem??? se tem quem vai??? alguem vai em prova no MT ou RO, aguem vai na BA ou em qualquer outro estado do Nordeste??? por isso são bairristas sim… porque o maior numero de praticantes de Motocross esta nestas duas regiões,,que são Sul com os estados de RS, SC e PR mais as região Sudeste com SP, MG RJ e ES,,,ou seja o resto dos pilotos do Brasil que se F… ou seja eles que gastem dinheiro pra vir aqui,,, porque é muito longe ou muito quente para as “madames” irem correr lá…
E quanto as categorias, não concordo e nunca concordei com a existecia de categorias de motos nacionais 230, 65 e junior junto com o Brasileiro… se fosse existir categoria Junior teria que ser com motos de 125 ou 150CC 2Tempos, como é lá fora,,,( não querem ser iguais ao que tem lá fora ), pois se um piloto sabe tocar uma 250 4T, ele pode participar da Mx2, ou ele tem medo de ficar fora dos 40 no Gate, ou o Pai dele ta tão acostumado com vitorias em categorias inferiores, que não admite pelo menos 1 ano de aprendizado na MX-2, pega os tempos dos ponteiros da 85cc, Andrews, Amaral. Lizot, Pinho, Formhel… estariam todos alinhados entre os 40 no gate da Mx-2…
E sobre a Mx-3,,, infelizmente pelo caminho que estao tomando o Brasileiro e a Super Liga vão acabar com a categoria,,pois sempre foi uma categoria que teve um grande numero de motos no gate,,, e estão mudando o regulamento paraidade minima de 30 anos,,para a criação da Mx-4, achando que com isso vai dar mais inscriçoes,,, pois bem como um piloto de 35-36-37 anos que antes era competitivo nessa categoria , vai andar junto com Duda Parize, Massoud, e outros??? caras que andam de igual pra igual com os ponteiros da Mx-2 e Mx-1… ou seja,,,, como ja foi na MX-3 antigamente… a Mx-4 vai ser a categoria da AJUDA de CUSTOS… que não ajuda nada.. e dos Secas Poças…. e mais e mais categorias pra fazer mais inscrições…
No RS inventaram de criar a categoria GOLD,,, herança da falida fereração de SP… não basta a Mx-2 e a Mx-1, agora tem a Gold…o que significa isso??? mais inscriçoes, mais despesas pros Moto Clubes em troféis e premiações, senão a redução de premiação de outras categorias para viabilizar esta…. não sei o que estão pensando….
Por tudo isso,,,, eu ja fiz a minha escolhar,, as coisas seguindo do jeito que estão,,,façam voces também…. se filiem em federações se realmente for necessario, mas boicotem a participação em campeonatos Nacionais,,,tanto o Brasileiro como a Super liga,,, deixem só os “proficionais” participarem,,, vcs verão que vai dar efeito,,,pode até de vez enquando aparecer em cabeça de bagre no meio dos bons,,,mas vcs terão a certeza de que aquele cara ta lá porque tem dinheiro pra rasgar… Obrigado.

Juliano - SC disse:

Só pra completar:

O estímulo aos campeões regionais poderia vir das federações em questão em seus devidos campeonatos regionais….com o apoio dessas federações (que teriam mais força) e com o apoio da CBM esses pilotos viriam disputar o Brasileiro de Motocross.(com algum tipo de ajuda,transporte de motos…passagens… etc)

Qual piloto não gostaria de poder disputar um Brasileiro de Motocross sabendo que se fizesse um bom regional…de alguma maneira teriam o apoio dessas federações e da CBM?

Com certeza penso eu que muitos pilotos do Brasil inteiro poderiam e acreditariam em disputar um Brasileiro.

Quantos pilotos do Norte e Nordeste disputam um Brasileiro?

A forma que a CBM definiu os participantes do nações não foi correta?

Sim..quem for o melhor é convocado….isso é democracia!

Juliano - SC disse:

Caro Volney

A intenção aqui é falar e levantar questões na qual se vê e acontecem hoje no motocross.
Se fosse bairrismo eu não torceria para que o estado mais rico do país que é São Paulo se tornasse novamente a força que era antigamente no motocross…um campeonato do Sudeste entre esses estados é o que salvaria as entidades enfraquecidades.(como é hoje o paulista de Motocross). Isso foi uma idéia minha.

Você realmente não entendeu ou não leu com atenção…o exemplo que quis dar era que uma empresa que tem seus negocios em São Paulo por exemplo de pequeno e médio porte poderia sim investir um valor maior em um campeonato “REGIONAL” e não estadual…MAIS ORGANIZADO,MAIS PREPARADO…NA SUA REGIÃO DE INVESTIMENTO ….não seria interessante para essa empresa disputar um campeonato gaúcho por exemplo.

O Campeonato Brasileiro Motocross é um campeonato do país inteiro com os campeões regionais entendeu?

Talvez hoje o motocross passe por momentos delicados,de interesses próprios,do amanhã eu resolvo,de entidades falidas, aonde à justiça já penhorou sedes…por termos pessoas infiltradas nessas entidades que não tem o profissionalismo,a ética e o amor ao esporte.

Alias bairrismo é a pessoa que só defende os interreses do seu bairro da sua região…que não é o caso…pois tenho muitos amigos em São Paulo e Nordeste….pergunta se eles estão felizes com o motocross na região deles??

Mas legal da sua parte,você deu a sua opinião…isso que é importante para o esporte….pior é aqueles que não falam nada e ficam roubando!!!

Pilotos entendem de motocross…muitoooooo!!!

Mas sabe quem tem que entender BEM MESMO???

É presidente,diretor de provas,financeiro, markent…

E obrigado Jorge Soares pelo sua colocação…

Abraço.

Jorge Soares disse:

Twitter: mundocross
Pessoal !!!

Como já escrevi antes em outros comentários, o Mundocross tem por princípio dar a palavra aos leitores, pois o site é feito para os leitores.

Mas por outro lado, tem momentos que os comentários acabam sendo muito exaltados e em alguns casos ofensivos.

Por isto, fiquem a vontade para comentar e dar suas opiniões, mas com embasamento, respeito e consideração ao que os outros pensam também, pois temos que usar este espaço para ajudar o Motocross Brasileiro e não para esculhambar !!!

Falowwww

Jorge

Volney Lima disse:

Juliano-SC metade do que vc falou é pura asneira e bairrismo, vc foi no mínimo infeliz nas bobagens que disse em relação a correr no MS, MG e SP, acorda meu, deixa de ser bairrista, se os campeonatos fossem bem organizados, com certeza se eu tivesse uma empresa de médio porte adoraria que um piloto com meu patrocínio corresse até em Roraima; muito bla bla e pouco raciocínio da sua parte, respeito é bom, seu infeliz, será que realmente vc gosta ou conhece de motocross………

celso disse:

olha amigos tenho um pensamento muito meu a confederação e a maior culpada disto tudo , nao tem organização alguma , so pra swe ter um ex o piloto em um estadual paga 50,00 mnpara inscrição e ganha um podium se ganhar em primeiro 300,00 e adespesa fica aonde , entao assim tem muito dinheiro n0o governo federal e estadual para o esporte seja ele qual for tem sim . so que as federações e cbm nao fazem nada para obter esta verba , campeonatos mal organizados sem alguma insfraestrutura. acho melhor a honda yamaha e outros fabricantes e pilotos e a tal endidade abpmx e isto que nao faz exatamebnte nada tambem . sabe acho isto uma vergonha ver corrida de galinha na gloco no domingo e nao um motocross. pox ex este domingo bicicross quem anda de bicicleta se moto e febre ou melhor teve o mundial no brasil e globo nao mostrou nada , cade ols poderos politicos da cbm e da honda . e uma verdadeira merda mesmo .
e uma opena isto. certo ta o carlinhos do arena cross. olha que interesante o o desafio das estrelas pasa na globo uma merda que ninguem, deu bola e nosso motocross cade. presidente levanta abundinha da cadeira e te mexe o incopetente.

Juliano - SC disse:

Concordo plenamente com algumas idéias acima:
Brasileiro Mx1 e Mx2- 2 bateria ÓTIMO

O problema são as categorias de base…pois como foi dito fazer um campeonato junior 85 e 60cc os custos são bem piores pois as verbas são poucas e os patrocinios complicadissimos.

Sinceramente acho que idéias de campeonatos SUL,NORDESTE,CENTRO-OESTE…ETC,maravilhosa pois ai sim poderiam formar um campeonato reginal forte,com pilotos preparados (com verbas da região)..com varias etapas….pistas técnicas são 3 cabeças pensantes..e ai por diante…

Outro dia uma revenda de Motos (que já foi patrocinador do Marron) disse que não da pra bancar um brasileiro pois é pouca visibilidade.Agora digamos que esse campeonato fosse na região sul,PR,RS e SC a visibilidade dele e de muitos outros patrocinadores iria mudar pois estariam investindo em uma região que é foco de crescimeto..de que adianta um patrocinador de médio porte investir em um piloto que vai correr em MG,SP,MS para esse patrocinador isso é inviavel.

O custo para muito pilotos iria diminuir,as TV’s regionais com certeza dariam um foco maior…pois patrocinios daqui são interessantes para as emissoras.

Em que ponto isso seria interessante para a CBM?,E os 3 presidentes das 3 federações PR,RS,SC (por exemplo)…não teriam força?

Um “VERDADEIRO” Brasileiro de Motocross competitissimo não viria por ai?

O futuro é por partes,estão querendo abraçar o mundo e nesse abraço só a 2 grandes veem juntos….não é por ai…tem que fortalecer a base e a base são os estaduais,se não da pra fazer façamos os regionais.

Pessoal…empresas que querem aparecer são muitas,de pequeno e medio porte,saber que seu produto vai aparecer aqui na região vai chamar atenção deles.

Agora que matemática é essa que vai se fazer!!….a CBM adotaria uma medida dessas?…a Assossiação de pilotos acha isso interessante?Quantos pilotos por exemplo da região sul/sudeste/noredeste/centro-oeste gostariam dessa ideia?quantos patrocinadores apareceriam sabendo que seus produtos estariam expostos nessa regiões?

A Honda não colocaria pilotos nesses campeonatos!!…claro que sim…quantas motos se vende na região sul,quantas peças da protork se vende aqui?e na região sudeste…Minas,são paulo,Rio e Espirito santo…que campeonato maravilhoso seria esse hein??…Claro antes disso banir um certo presidente de federação do sudeste.

O que não pode acontecer no Brasileiro de Motocross,é ter pistas mediocres…pistas perigosas que mais parecem asfalto…pistas sem técnica nenhuma..pilotos que nunca correram profissionalmente….não é disputando um brasileiro que se forma piloto..piloto se forma na base….e o dinheiro ta aqui perto de todos.

E essa desorganização nos calendários???….faltando um mês pra começar um campeonato,não se tem calendário,patrocinador…não se tem nada!!!!!!!!EU JURO PRA VC’S O QUE ESSES DIGIGNETES TEM NA CABEÇA…porra eu tenho o meu trabalho,levo com organização,não deixo nada pra ultima hora….agora esses caras com todo esse poder na mão ficarem dessa maneira???e por fim um brasileiro de supercross com 2 etapas….eu sentiria vergonha em apresentar isso!!!

Até mais galera…

Thyago Lorentz disse:

Twitter: ThyagoLorentz
Volney, então cara… pode acreditar que ele está fazendo isso! Eu, meu irmão(LEANDRO LORENTZ (BI-CAMPEÃO CADETE 2009 E 3º CATEGORIA CRF 230 2010 – ESTADUAL DE MXN/MS) e meu pai somos praticantes do motocross no campeonato de MXN com CRF 230, estavamos pesquisando uma importada pra adquirir esse ano, mas sinceramente, com esse incentivo local fica dificil!!
Mas é isso ai pessoal, vamos nos unir cada vez mais…
infelizmente Volney essa imagem que nos pilotos temos das federações, só querem o $$, sem se importarem com o resto!
prova disso, uma reclamação minha a um diretor de prova sobre a molhagem da pista… resposta do mesmo: ” se não está bom pra vc, não corre então” “poeira vai ter mesmo”… será que ele falaria isso pra todos que fossem cobrar a molhagem??? sumindo a historia, após 7 min de prova, bandeira vermelha, por falta de segurança!!!
esse é o perfil do nosso DIRETORES…preferem fazer de qualquer maneira, pra dizerem que fizeram… que vergonha!
abraço!

VOLNEY LIMA disse:

Tiago, sou do MS e não estava sabendo que o Firmo (Presidente da Federação Local) esta fazendo este “papelão” com o Campeonato de 2011, e olha que num passado não muito distante o nosso motocross local era de bom nível, tinhamos andando por aqui excelentes pilotos, até mesmo de nivel nacional, MS já foi celeiro de grandes pilotos, como Osmar Ferreira Filho, Nicomedes Rocha (andou muito tempo aqui), Gean Carlos Cazarin , o próprio Firmo, Fabio Festi entre tantos outros.
O Firmo como ex-piloto, tinha que pensar como piloto e não seguir os passos destes dirigentes medíocres, que só querem os $$$$$ no bolso deles; repito mais uma vez o motocross acho eu, só vai mudar quando os verdadeiros artistas (pilotos) se fizerem ouvidos, no mais só vamos ficar aqui, chorando, reclamando e nada vai mudar…

julliano disse:

Faço um convite para todos os presidentes de federações e entidades CBM, Superliga, chefe de equipes, que esponham aqui as suas ideias, aproveitem que este artigo teve uma grande repercusão, para ouvirmos o outro lado da moeda, por que se ninguem fala nada da uma imprenssão que estão se omitindo, queremos ouvir a realidade da boca dos organizadores, por que ser lider é isso levar os creditos e assumir o erro também,

Essa materia merece ficar na capa por muito tempo para que todos participem.

Um abraço a todos.

Twitter: claudiodamata38
Rapaziada, o intuito desta matéria foi fazer uma “provocação” mesmo a nível de levantarmos esta questão que vem nos afligindo há anos. sou totalmente contra eliminar categorias de base, pois o futuro do esporte é a ligação da novíssima geração com os pilotos atuais e também as “Lendas vivas” do esporte. O que sugiro é que campeonatos sejam particionados. Conheço muitos pilotos que deixam de correr seu campeonato estadual e correm somente o Brasileiro ou a Lida de Motocross. Tudo bem, a escolha é de cada um. Mas se não fortalecermos o Motocross local, da sua cidade, de seu estado não conseguiremos trazer novas promessas para o esporte.
Sim!, o Motocross no Brasil é um esporte essencialmente de elite, não podemos fechar os olhos para isto, mas nada impede de qualquer um comprar uma Motocross mais velha, uma 2T, uma nacional e iniciar no esporte.
Para isto temos que ter uma boa pista na cidade, um bom número de pilotos praticando o esporte e provinhas que dê acesso a este iniciante entranhar no Motocross.
Vamos buscar uma notícia veiculada aqui mesmo no Mundocross, o Senador Waldir Raupp ( se não me engano o nome dele ) estava com um projeto no Senado para isentar as Motocross de impostos e consequentemente termos um melhor acesso a estes equipamentos a um preço mais humano.
Vamos utilizar a nossa cidadania e enviar alguns e-mails para o Ilustríssimo Senador para ver a quanto andas o projeto.
Quanto mais campeonatos amadores, provas extras ( bem organizadas ) estaremos crescendo o número de praticantes e de forma organizada ( a ABPMX ) está criada justamente para nos ajudar nisto. Assim teremos um fortalecimento do esporte.
Dou um exemplo da minha cidade. Praticamente eu era o único que praticava Motocross na cidade, a minha primeira prova foi em 1983. De lá para cá fui trazendo o pessoal que fazia trilha para a prática do Motocross. Hoje, consegui trazer um grande número de praticantes de trilha para as pistas, precisa ver a evolução destes pilotos. Os caras não evoluíam, agora no Motocross tiveram um salto técnico enorme e continuam evoluindo.
Cada um, em sua cidade, em seu estado pode ajudar a melhorar de alguma forma o esporte. Dando dicas para a construção de uma pista segura e com qualidade técnica, trazendo amigos para o esporte, ajudando na organização dos eventos, propondo seus prefeitos a criarem um espaço oficial para a pista, enfim, muita coisa pode ser feita em prol do esporte.
E as sugestões são sempre bem vindas, acho que estamos no país errado, temos que lutar contra um esporte que nos sufoca, que é o futebol, mas como não temos como mudar de país, é aqui mesmo que teremos que lutar para o nosso espaço ser conseguido.
Vamos valorizar as associações que lutam pelo esporte, pessoas que dedicam integralmente ao Motocross e cada um pensando no que pode mudar para melhor, estaremos elevando o nível do mais incrível esporte que foi criado!

Thyago Lorentz disse:

Twitter: ThyagoLorentz
oww pessoal retificando… não sou a favor da exclusão de categorias, citei o que o presidente da federação de Mato Grosso do Sul fez no campeonato estadual de 2011… fará o campeonato sem muitas categorias “essenciais”!
Jorge… essa é a idéia!! ir passando fase a fase, podendo até uma prova no formato do NAÇÕES. cada estado com sua equipe!
mas nem tudo é fácil como parece né rapaziada!! mas vms lá, unidos somos mais fortes!!
abraço a todos!

henrique disse:

continuação eo absurdo dos preços das motos como tentar competir com meia duzia de pilotos pro que esta hora estao dando risada desta babozeira toda não minima são campeoes sem nenhuam atuaçao para o esporte estes sim deveriam ser o maior desafio deles e facil competir e ganhar com tudo na mão. a nossa ilusão é ir lá e fazer um bom papel mas como vamos as contas duas motos simples sem nenhum equpamento R$ 66.000,00 1 furgão pode ser mais simples umacaminhonete R$ 45.000,00 gasolina para treinos R$ 5.000,00 incrições R$ 1.000,00so pra um campeonato…um ajudante ganhando salario minimo pra lavar as motos R$ 10.000,00. combustivel e desgates do carro para treinos e corridas 30.000km mais ou menos R$ 12.000,00…bom enfim nem coloquei ainda yuma ponteira na moto nem pneus novos para corrida relação peças mecanicos ja deu quase R$ 200.000,00fora salario do piloto ..bom é um esporte pra quem tem dinheiro pra gastar…e não adianta reclamar de chaveiros e luvas como brindes ou R$500,00 reais de premios, que não esta contente…tem que achar outro esporte…pois o gasto da brincadeira e grande ..calcule isto por 40 motos no gate um ,gate so pois temos varias categorias…o Brasil esta rico estamos reclamando de que……

henrique disse:

concordo totalmene com a opinião do marcelo todos aqui tm suas edeias seus ideais, mas na abertura dos campeonatos liga ou brasileiro ou qualquer outro todos aqui já pagaram suas incriçoes e estarãp la pagando o pau para os organizadores e saberão que levarõa fumo..entao repito aqui ninguem tem c….para boicotar boa noite

Nelson Bolangerie disse:

Pessoal além do Swain outro brasileiro vai correr o mundial! Anotem isso

Jorge Soares disse:

Twitter: mundocross
Concordo com vc Rodrigo !!! E pelo que reparei até agora, a maior parte dos comentários são a favor de que o Brasileiro de Motocross deve ser somente MX1 e MX2 com duas baterias cada (e como o Cláudio escreveu, com duas outras categorias nos intervalos delas).

Eu tenho o mesmo pensamento que você Rodrigo, que você Pedro, você Marcelo, Tiago, Thyago, Julliano e Euripedes, em relação as categorias de base, tendo a CBM a missão de fomentar as categorias de base, dando suporte para as Federações alavancarem os campeonatos Estaduais.

E é fantástica a ideia de ter nos campeonatos Regionais (tipo Regional Leste / Oeste / Sul / Norte e em outubro, por exemplo, faz uma final dos Regionais em cada Estado e em Novembro faz uma grande final Brasileira com os melhores de cada Regional de cada Estado do Brasil) em cada Estado o primeiro passo para daí o piloto poder passar para os campeonatos Estaduais e aí sim poder chegar no Brasileiro de Motocross Pró ou Brasileiro de Motocross Lites (a Stock Car aqui no Brasil fez isso).

Seria algo como o piloto ter q passar por cada etapa e tendo destaque nos campeonatos Regionais ganha uma licença para correr nos Estaduais e se destacando nos Estaduais ganha um licença para participar do Brasileiro Motocross Pró ou Brasileiro de Motocross Lites (pois como devem ter categorias MX3 e MX4 (e porque naum a MX5 tbém) naum pode ser chamado nem de Júnior e nem de Amador, não é mesmo !!!)

O caminho das pedras não é assim tão difícil de achar.

Falowwww

Jorge

Ale disse:

Se não tiver união não vai dar certo nunca.
O surf pegou o exemplo do motocross e do volei, na década de 80, se profissionalizou (na estrutura e nas empresas envolvidas) e hoje é o que é.

Olá Amigos , esse comentário foi muito interessante porem como li eu acho que temos muitas realidades.

Temos que nos adaptar de acordo com os investimentos que vem sendo feito no esporte , temos poucas equipes ,. fabricantes de moto não investem como deveria , se sair a Honda e a pro tork como ficaria o patrocínio para os pilotos.
Eu acho que em relação as categorias o brasileiro deveria de ter mx1 , mx2 e a mx3 , ai as demais categorias se encaixaria no brasileiro JR , que poderia ser feito junto com os estaduais , eu moro em sp aqui o estadual não existe dês de 2007 , ano passado foi feito um campeonato pela federação , me pergunte quantas motos , 30 motos!!!! isso mesmo é inaceitável!!!!
éééé meus amigos eu acho que o esporte precisa de UNIÃO das federações dos pilotos para que todos tenham voz ativa e todos cheguem em um acordo….
Aqui no Brasil tudo é mais caro , moto , peças , equipamentos , viagens , eu acho que só ira melhorar quando tiver mais investimento no geral.
um abraço para todos e vamos torcer para o nosso esporte melhorar e se cada um de nos fizermos um pouco podemos acelerar essa melhoria…..

Rodrigo Sippel disse:

Bem, pelo visto o artigo Cláudio, aceito ou não teve um efeito positivo, gerou debate. Opiniões divergentes, idéias diferentes, ótimo isso. Concordo com todos que acham que os campeonatos regionais e estaduais devem ganhar força e servir como “currículo” para os pilotos que almejam um dia disputar um campeonato nacional. Não é o caso de extinguir categorias, apenas profissionalizar o esporte. Mudanças que hoje parecem duras mas que a longo prazo trarão benefícios ao esporte.

Apaixonado realista das antigas disse:

Entenderam porque surgiu a Superliga? Vamos optar pelas ligas estaduais quando a federação estadual não funcionar.
Não tem piloto, não tem campeonato, não tem patrocinador, acaba o dinheiro e eles não tem mais interesse em apoiar a CBM. Simples! Mas o esporte continua, pode ter certeza…

euripedes disse:

Depois de tantas opinioes, divergentes ou não eu analiso o seguinte;
De fato ter um campeonato Brasileiro dividido, ou seja pros separado de amador, torna tudo mais profissional, e quem quiser chegar la que faca um regional e se classifique para tal;
O problema que nimguem comenta aqui é oseguinte;

Voces sabem quem elege o presidente da CBM?
Não, pois bem, são as federações, que em muitos casos (la do nordeste) não tem representatividade do mx, mas tem direito a voto e sao eles que vao deixar o Carvana por quanto tempo mais ele desejar,
alguem duvida??????????

E Outra

Sou de SP, aqui o caso é pior ainda, e vejam que, indiscutivelmente estamos falando da maior federação e com numero maior de pilotos por estado no Brasil.

O Cara daqui (Decio Fantozzi) nao faz absolutamente nada pelo esporte,
tem suas associações de pilotos (Moto clubes) inclusive algumas no seu nome e pronto;

Não sai de lá nuncaaaaaaaaaaaaa

Nos somos responsaveis por tudo o que esta acontecendo, ou tomamos atitude de verdade, ou

Engolimos tudo isso..a seco.

E tenho dito!!!

COMPLEMENTO

E as categorias nacionais também no estaduais( que é a categoria aonde a maioria entra no esporte).

Esse é o problema! a maioria do povo brasileiro é pobre, então são realidades diferentes; agora por moto nacional na pista de brasileiro????? na verdade eu também acho que um campeonato brasileiro só com mx-1 e mx-2 ficaria muito melhor, só que teria de ter campeonatos regionais fortes para correr a 50, 65, 85, jr, mx-3 ( meu caso) e a nova mx-4, o grande problema que todo mundo quer correr o brasileiro, ai reclama da distancia( o brasil é um pais continental) do custo e das equipes grandes, deixemos o brasileiro para profissionais e
vamos organizar melhorar os campeonatos regionais, no final do ano a federação bancaria os pilotos campeões de cada categoria numa grande final aonde estariam os olheiros das grandes equipes, é como se a jataiense( time do interior de goias, 5º divisão rs rs rs) quisesse jogar o brasileirão da 1º divisão, isso é o que acontece no motocross qualquer um com uma moto, equipamento e a filiação corre o brasileiro de motocross (superliga) é o cumulo do absurdo, na etapa de brasilia correu um piloto que ninguem sabe quem é, verdade saiu na mídia especializada, vamos preocupar com os estaduais( tem campeonato legal o goiano por exemplo) e deixar o brasileiro( supeliga) só para os profissionais, aqueles que vivem do esporte.
este é somente mais um ponto de vista meu, que Deus abençoe o MOTOCROSS.

Thyago Lorentz disse:

Twitter: ThyagoLorentz
é rapaziada com certeza consolidar os regionais, fortalecer os estaduais seria uma grande alternativa e quem sabe a saída pra isso tudo, mantendo regras, ou seja: piloto campeão regional na temporada seguinte participa do estadual, campeão estadual ai sim poderá participar do brasileiro!
já o brasileiro também seria divido em campeonatos o de “juniors” e “pró”…
fazendo assim com que pilotos tenham curriculum pra participar de uma prova de brasileiro, e não aquele que tenha poder aquisitivo maior, participe!
mais isso não é a preocupação das federações estaduais… no caso da do meu estado, para o ano de 2011 eliminou 3 categorias dos campeonatos estaduais. São divididos em 2, o estadual pra motos importadas, do qual excluiram a categoria MX2 (250cc), isso mesmo excluiram a principal categoria, fazendo com que os pilotos de motos de 250cc corram junto com as motos de 450cc com pilotos veteranos MX1. e excluiram também a categoria de nacional, onde nos pilotos iamos nos acostumando com um outro nível de pista mais técnica e maior e com obstáculos mais dificeis! Já no campeonato de MXN ou seja de motocross para motos nacionais, excluiram a categoria cadete que aquela categoria em que a maioria dos pilotos iniciaram sua carreira que é a categoria das famosas DT180, XR200; agora não consigo entender, o nosso presidente aqui fala que criou o MXN pra dar maior visibilidade ao esporte e pra aqueles de poder aquisitivo menor poderem praticar sem ter um investimento tão alto!
Relatei isso aqui meus amigos, pra vcs verem que o DESCASO com o nosso esporte é muito grande! Se nós, PILOTOS, não nos unirmos nosso motocross é que será excluido!
obrigado e desculpas pelo desabafo!

Apaixonado realista das antigas disse:

Tão viajando???? Só dá pra fazer campeonato com $$$$. Seria bom ter o campeonato pro, o JR, o Senior, o Mini etc. Cadê a grana pra fazer? Todo campeonato tem seu objetivo esportivo, formato, categorias e outros detalhes técnicos, mas comercialmente tem que ser atrativo certo? Vejam o prêmio do filho do Valmir…vocês acham que a PRO MOTO ou o organizador não queriam dar um prêmio melhor? Lógico que sim, mas o que tinham mal deu pra fazer o campeonato. Daqui a pouco vão meter o pau nesses que fizeram alguma coisa pra ajudar o esporte! E outra, se tivesse um prêmio muito bom não seria ele quem ganharia pois todos os pros iriam. Olha o Chumbo…29 anos de motocross e não tem equipe ou patrcinador por não saber onde e quando vai correr. Vocês acham que só o calendário resolve? Precisa é ter a grana pra fazer. Vocês acham que a CBM ou outra entidade tem? Só dá pra garantir o campeonato se tiver a grana pra fazer, o que não é baratinho…

tiago disse:

eu concordo em um campeonato realmente profissioanal, com apenas 2 categorias e 2 baterias. alem disso, temos q ter um capeonato amador, ou juvenil, para revelar novos talentos, com pista apropriadas. o problema q no brasil, quem compra a cota maxima d epatrocicio, compra o campeonato todo e manda e desmanda da forma q for melhor apenas para a sua empresa, se tivemos uma confederação mais preparada e com uma postura melhor, sem duvida seria um campeonato mais serio…

Raul Guilherme disse:

Se eles puderem colocar mais uma categoria eles colocam…o negócio deles é arrecar inscrição…
Eles não querem saber se quem tá correndo é pro ou amador. Não temos nem calendario ainda, colocar datas no site é mole, eu quero ver as cidades e até mesmo se estas datas vão ser efetivadas…
É triste mas é a realidade.

Marcelo disse:

a galera! naum adianta soh falar… tem q ter dois campeonatos sim! eu sou totalmente a favor…. de 2 grandes campeonatos. Pq se pensar bem hj. O que vale sair campeão brasileiro? O Scott saiu campeão na mx1 e na mx2 kd o cara? tem patrocínio? já está treinando? o Selhort pilotaço kd? campeão brasileiro merecidamente com a equipe oasis kd?

Ser campeão brasileiro hj não conta nd!

Então galera vamos parar com essa discussão chata. Se quiserem que o Brasileiro melhore então não corram! vamos tirar esse presidente que infelizmente não está fazendo o correto.

Estamos descontentes? sim estamos! então pq vamos em campeonatos que não tem valor?

Para mim infelizmente essa CBM regrediu.

Não podemos pensar nos campeonatos la fora.

Qtos pilotos conseguem andar em uma pista de mundial?? 10 pilotos e o resto? Tem que ter pistas onde todos os inscritos possam andar.

Mas uma coisa sim tem q ter somente categoria MX1 e MX2 com 2 baterias isso sim tem que ser aplicado.

Infelizmente digo fora presidente. Deixe o cargo para quem queira melhorar o nosso esporte.

Do que adianta reclamar aqui??? vamos todos na abertura do Brasileiro e alinhamos no gate e não largamos! pronto. Agora quero ver quem tem C… para isso kkkkk

se acabar o Brasileiro por causa disso. Tem a super liga. Ae quero ver o presidente dar explicação para o ministro do esporte kkkkkkkkkkk

Mas quero ver quem tem C… para fazer isso =)

Está aew o meu recado

Valmir disse:

Desculpe a voce e a todos, cade as categorias de base ?? cade as 50cc
65cc as 85cc a Junior ?? Se queres algun brasileiro no AMA e destas categorias que sairao, investir no futuro. A provas e provas sem estas
categorias como pode como um garoto andar bem ?? na Categoria
85cc o pilotinho sai vai encarar a 250cc pro, isso e coisa de brasileiro
nao comprometido so pensa $$, lembre se nos USA um garoto de 16 anos e PRO, aqui ele e piloto de final de semana, la ele tem patrocinio
Meu filho ganhou o campeonato regional da PRO MOTO, na ultima etapa
fez uma segunda colocaçao, sabe que ganhou no podio, UM CHAVEIRO DA CIRCUIT.
um abraço a todos, que DEUS esteja conosco amantes do motocross, na mao de uns faz de conta..

Apaixonado realista das antigas disse:

O Cláudio precisa viver um pouco mais a realidade profissional do esporte brasileiro. Tudo que fala no artigo seria realmente interessante para os profissionais, atuais e futuros. No entanto, quem brigaria nessas provas? A Honda, a Pro Tork e …..pois é gente, falta apoio pros pilotos. Espetáculo para os 5 ou 6 profissionais desse país. De nada adianta um Brasileiro forte quando a maioria dos estaduais morreu. Esqueçam modelos gringos! A resposta está aqui mesmo! Antigamente, de onde surgiram nomes como Negretti, Saçaki, Nuno, Nogueira, Sona, Chumbo, Elton, Cássio, Valadares, Paraguaio, Nivanor, Usso, Guto Lima, Morongo, Skatena, Cerejinha, Boetcher, entre tantos outros, os estaduais eram competitivos, fortes, de menor custo e com muito mais apoio local. Primeiro eram campeões na região, depois o estadual e aí sim o brasileiro. Hoje quem quer começar a “brincar” tem que ter R$150.000 sobrando…só pra começar, sem colocar as viagens. Qual patrocinador se anima? Pra aparecer onde? Esqueçam essa história que a TV vai onde o esporte está. Perguntem a qualquer profissional de TV. Só vão se pagar ou o anunciante for muito forte. Tudo que acontece hoje é em troca de vários $$$$. Business!!! Vejam bem…hoje um piloto de 65 tem que viajar o país pra ser campeão e em mais ou menos 10 anos sonhar em ser contratado pela Honda ou Pro Tork. Cadê o resto? Que pai aguenta bancar? E o pior, se fizer um campeonato só para a MX3 e os JR, além dos minis, quem quer patrocinar? Já se vem tentando há muito tempo essa separação, mas se acontecer, acabou campeonato JR. Precisamos fortalecer os regionais, com custos menores pros pilotos, atrativos para patrocinadores regionais e que gerem a “curiosidade” das TVs regionais. Aí se forma a base, pra depois se juntarem os melhores no brasileiro num formato realmente profissional, e não de meia dúzia que podem se dedicar. Essa é minha opinião e pior, vivi isso, comecei a pilotar assim, sonhando em ser um dos ponteiros. Não consegui por pura incompetência, mas não quebrei a cara no caminho e continuo competindo até hoje. Essa palhaçada em criticar a Superliga ou Brasileiro tem que acabar! Não se juntaram porque os motivos comerciais são divergentes e pronto. Tem espaço pra todo mundo e piloto profissional vai onde pagam bem. Tem dúvida? Dê uma premiação de R$100.000 e vejam quantos pros aparecem (todos os 10). Não vai ser um recorde de pilotos mas a briga vai ser boa. Já os outros nem vão tentar. Como competir com os pros se não têm grana nem pra trocar de pneu toda prova? David contra Golias, no entanto desejo muita para aqueles que estão tentando. Piloto (em geral) quer competir de igual pra igual, numa pista segura, desafiante e que dê um retorno financeiro (ajuda de custo/ prêmio). As empresas também querem o seu retorno em vendas de produtos. Os promotores/ organizadores tem que viver e ganham produzindo o que dá com o dinheiro que conseguem. Resumindo minha gente, a solução é muito mais complexa do que 2 baterias, pista técnica e a valorização dos ídolos. Aliás, alguém já pediu sugestão pra eles em como ter o sucesso de antigamente?

Luiz disse:

Concordo com as criticas aos organizadores que são de A a Z uma VERGONHA….mas querer extinguir MX3 e a gurizada do evento dai não concordo…Temos que tratar com descencia todos os pilotos,equipes,o que no momento não ocorre por parte de ngm tanto da CBM qto de algumas peças que são um atraso na vida de todos.O que se tem de fazer é termos apenas UM campeonato e não fazer como a HONDA ta fazendo um campeonato paralelo mandando em quem pode andar ou não isso é uma coisa que nao se pode admitir.Vamos acordar logo pois temos pilotos que ainda estão sem rumo,desempregados por não saberem onde vão andar e em que categoria irão participar….

VOLNEY LIMA disse:

Claudio, dias atrás fiz um comentário numa matéria aqui neste site, mais ou menos assim; dizia que no motocross tem que ser administrado e organizado pelos pilotos ou a associação que representa os mesmos, pois as grandes estrelas da coisa são os pilotos, a CBM ficaria responsável pela parte técnica, como homologação de regulamentos e equipamentos, e o que você colocou em discussão seria o mais correto para os dias de hoje, sem inventar é o mais lógico. Mais deixo uma pergunta, será que pilotos, equipes e dirigentes, estão a fim de sentarem na mesa para conversarem e mudarem o rumo do motocross, ou pra eles o jeito que está, está bom?
Não adianta nada ficarmos a vida inteira, escrevendo, falando ou reclamando, se os grandes interessados não se unirem e juntarem forças para tentarem mudar o atual quadro.

Pedro H. #369 disse:

Concordo!!! Mas… não podemos esquecer das cotegorias MX3 e JRs, que na minha opinião deveriam acontecer em um campeonato paralelo ao brasileiro, com pista com mais facilidades tecnicas para os velinhos e um pouco mais tecnica para as crianças e deixando a pista bastante tecnica para os PRÓs…..
Mas até quando continuaremos “dividindo” o motocross no BRASIL….
Espero que acabem com isso algum dia….

Badaró disse:

Twitter: FastBrothers
Parabéns pelo artigo. Concordo 100% com o que você escreveu, enquanto tivermos na mesma pista as crianças e os profissionais correndo, o nível dos nossos pilotos nunca vai melhorar. Temos que ter um campeonato amador no estilo do famoso Loreta Lyns, com campeonatos regionais e etc. A volta ao formato das 2 baterias é mais do que necessária, é urgente, pois favorece o piloto melhor preparado, e que é constante ao longo de todo o campeonato. Resumindo, o que você falou é a solução para o motocross nacional, para que nossos pilotos possam viver (e bem) do esporte, e para que as empresas que investem no esporte tenham retorno!

Rodrigo Sippel disse:

Sábias e muito oportunas as palavras do Cláudio.
Organizadores, ao invés de dividir pensem em somar e no futuro irão colher a multiplicação.

é Editor do Mundocross, site que foi lançado por causa de sua paixão por Motocross e Supercross. Em 1990 ele começou a escrever sobre motos no Jornal VS, em São Leopoldo, no RS, numa coluna onde escrevia sobre Trilhas, Enduro e Motocross. Depois também escreveu para o Jornal O Pódium, Revista Moto Action. Nestes 24 anos teve experiências em eventos internacionais, como Mundiais de Motocross, AMA Supercross, AMA Motocross, Motocross das Nações e US Open Supercross.

Desenvolvido por GetFly