Foto Histórica Mundocross

Por Jorge Soares | Fotos por Roberto Boettcher | 11 de abril de 2011 - 17:39

Ele foi o piloto brasileiro pioneiro em ir correr no campeonato Mundial de Motocross. A façanha foi na década de 70, e ele saiu de Goiânia com a cara, a coragem e a companhia de um grande amigo, que foi seu chefe de equipe, preparador, mecânico e motorista durante a temporada do Mundial de Motocross 125 em 1977.

Estamos falando de Roberto ‘Beto’ Boettcher, que nas décadas de 70 e 80 juntamente com Nivanor Bernardi, Pedro Bernardo ‘Moronguinho’ Raymundo e Álvaro ‘Paraguaio’ Cândido formaram os chamados Quatro Mosqueteiros,que fizeram, e fazem, parte de vários capítulos da história do Motocross brasileiro.

E na temporada de 2011, quando um piloto brasileiro irá representar novamente o Brasil numa temporada completa do Mundial de Motocross MX2, é hora de relembrar alguns dos momentos da ‘aventura’ de Roberto Boettcher e de seu amigo José Augusto Cruz Toledo na Europa. Beto enviou para o Mundocross algumas fotos do seu arquivo pessoal para a gente compartilhar com a galera que é amante do esporte e que dá valor as pessoas que foram os feras da categoria no passado.

“Um carinho especial ao meu amigo José Augusto Cruz Toledo, engenheiro mecânico de profissão, e que foi chefe de equipe, mecânico e motorista do caminhão. Aqui no Brasil o Toledo era piloto da categoria e 250cc, e largou tudo, fechando seu escritório para chefiar a 1ª equipe Brasileira no Mundial de Motocross”, comentou Beto Boettcher.

Beto Boettcher foi competir a temporada de 1977 no Mundial de Motocross 125 com o patrocínio do Governo de Goiás e da Moto Mil, revenda Yamaha de Goiânia. Boettcher continua morando em Goiânia, vendeu a revenda Yamaha, e é atualmente um dos diretores do Departamento de Trânsito da Prefeitura de Goiânia, é presidente da Federação Goiana de Motociclismo – FMG, e diretor de Motocross da Confederação Brasileira de Motociclismo – CBM.

A estrutura da primeira equipe brasileira no Mundial de Motocross

A estrutura da primeira equipe brasileira no Mundial de Motocross

Moto preparada pelo holandês Ferry Suwap da Yamaha oficial no Mundial

Moto preparada pelo holandês Ferry Suwap da Yamaha oficial no Mundial

Pista de treino na Holanda. Frio de zero grau e muita areia

Pista de treino na Holanda. Frio de zero grau e muita areia

Casa alugada na Holanda na cidade de Eipe a 40km de Amsterdan

Casa alugada na Holanda na cidade de Eipe a 40km de Amsterdan

Segunda etapa na Bélgica. Frio de 2 graus negativos

Segunda etapa na Bélgica. Frio de 2 graus negativos

Junto ao furgão da equipe na etapa da Bélgica

Junto ao furgão da equipe na etapa da Bélgica

Em ação na pista da Espanha

Em ação na pista da Espanha

Grande público presente no GP da Itália

Grande público presente no GP da Itália

Apresentação dos pilotos e equipes era tradicional em cada etapa

Apresentação dos pilotos e equipes era tradicional em cada etapa

Em ação na pista da Polônia

Em ação na pista da Polônia

Apresentação dos pilotos a cada etapa era um acontecimento

Apresentação dos pilotos a cada etapa era um acontecimento

Pronto para entrar na pista da Alemanha

Pronto para entrar na pista da Alemanha

No parque fechado conversando com o belga Gilbert de Rouver da Beta

No parque fechado conversando com o belga Gilbert de Rouver da Beta

José Augusto Cruz Toledo e Roberto 'Beto' Boettcher

José Augusto Cruz Toledo e Roberto 'Beto' Boettcher

Compartilhe este conteúdo

Comentários

Mitterhofer disse:

Parabéns para o Beto Boettcher e o Toledo, por terem encarado o mundial de motocross com toda essa garra, naquela época viamos pilotos que amavam de verdade o esporte e corriam com todo amor e profissionalismo, foi a melhor era do motocross no Brasil, eu me apaixonei por motocross nessa época de 1980, acompanhava as corridas pelas revistas pois tinha apenas 8 anos, e em 1985 assisti ao Hollywod motocross em Juiz de Fora-MG que foi um espetáculo e tinha um King enorme, foi na época do Rodney e Kenny, aqui em minha cidade temos o piloto Guto Lima que é um excelente profissional, e parabéns Jorge pela matéria e um forte abraço a todos do Cross. Mitterhofer

Maureen disse:

Valeu ver essas fotos me remeteu ao passado, sempre adorei motocross ví esses caras correrem em minha cidade São José dos Campos e em muitas outras Abraços Maureen Roveran

Ando meio fora do ar(internet) ultimamente e só hoje vi essa materia com o Beto Boettcher… show a materia, parabéns Jorge Soares, voce ta sempre nos surpreendendo!!!
Estive em algumas corridas com o Beto, Nivanor, Moronguinho, Paraibinha, Alvaro Candido, Scateninha e inclusive o Marcio Campos(que escreveu aqui em cima) nos anos 80.
Na época era incrivel como o Beto, menor e magrinho, encarava o Nivanor(O Touro do Paraná) de igual para igual… rssss

Marcio Campos disse:

Grande Roberto,

Que bom que a façanha do Beto e do Toledo está sendo relembrada. Naquela época, em que eu também corria, era algo inimaginável até mesmo pensar em correr o Mundial. Além dele o carioca Ybere Matorin também fez uma participação no Mundial de MX e o Adú Celso no Mundial de Motovelocidade. Parabéns Beto e espero que a estória dele sirva de lição e inspiração para os nossos jovens pilotos que ainda estão devendo uma presença brasileira no Top 10 do Mundiial de MX.

Abraços,

Marcio Campos

Adriano Winckler disse:

Parabéns, Jorge, pela JUSTÍSSIMA homenagem a essa pessoa incrível que é Roberto Boettcher. Foi um dos melhores pilotos do país, faz um trabalho excepcional à frente da Fed. Goiana, e, mais do que tudo isso, é uma pessoa de um caráter e de um coração fora-de-série.
Parabéns, Jorge! Parabéns, presidente!

Paulo Vieira disse:

FICO MUITO FELIZ POR RESGATAREM ESSA LENDA DO MOTOCROSS BRASILEIRO E MUNDIAL. ALEM DE SER UM OTIMO PILOTO E TAMBEM UMA OTIMA PESSOA, QUERIDA POR TODOS NO MUNDO DO MOTOCICLISMO. E TRABALHAR COM ELE E MELHOR AINDA!!! KKKK ESSE CARA MERECE. VLW FUI.

Leo Boettcher disse:

E digo mais…. desafio qualquer um desses feras da atualidade para um racha de 2 voltas,ja que o preparo nao e o forte do momento,em qualquer pista com o Tio Betao. Alguns ja tentaram e a vergonha foi grande ! Detalhe a motoca nova chegou essa semana.

kazu disse:

Jorge vc esqueceu de mencionar q o melhor resultado foi o decimo lugar se nao me engano na Polonia. Alias resultado igualmente historico

Jorge Soares disse:

Twitter: mundocross
Olá pessoal !!

Quero agradecer de coração os vários elogios a matéria homenageando o Beto Boettcher…… mas na real quem agradece sou eu….. pois comecei a gostar de Motocross assistindo primeiro o Moronguinho e depois com o Brasileiro de Motocross tendo etapas na Sociedade Esperança em Novo Hamburgo, pude acompanhar de perto as lendas Nivanor Bernardi, Beto Boettcher e depois o Scateninha, Paraibinha, Paraguaio, Fábio Ceschin, Casanova, Márcio Campos, Fábio Toldi, Cláudio Assunpção, Léo Dias, Ademir Silva, Angelo Scelzo, Paulo Hegele, Ronaldo Torman.

Todos estes correram no Esperança, que nos anos 80 era considerada a melhor pista de Motocross do Brasil e creio da América do Sul.

Valeu Betinho !!! Obrigado por vcs terem me dado grandes alegrias.

Falowww

Jorge

chandler disse:

sem comentarios sobre esa epoca ” a epoca de ouro do motocross “”

JORGE MEU PAI TEM VARIAS FOTOS DESSE TEMPO AI VO VER SE TE MANDO UMAS LEGAIS

PJ BOETTCHER disse:

I am very happy, and that there uncle, and you are still better, I’m Sadad

Edu Appel disse:

Muito legal esta matéria. Temos que reconhecer o feito do Boettcher que jamais foi repetido por outro piloto Brasileiro. Pena que nossa memória é tão curta e não temos tantos registros dessa natureza. Parabéns pelo resgate!

Paulo Araújo disse:

Parabéns tio pela homenagem, lembrando que este ano temos um Boettcher no brasileiro de 85 cc , Lucas Bottcher, guardem esse nome.
Parabéns pela matéria resgatando a memória do motocross brasileiro.

alvaro costa disse:

SHOW DE REPORTAGEM PARABENS .

Juarez/Boston(no Brasil agora) disse:

Parabens Jorge pela materia,tenho varios posters dessa turma em casa,muitas obtidas na revista DUAS RODAS…Sugestao;porque nao criar uma sessao HISTORIA DO MOTOCROSS com fotos e texto explicativo…

Eliseu jr. disse:

parabéns pela matéria!!!!!

Max Rocha -RJ disse:

parabens por essas materias que resgatam a nossa historia. Na final do carioca de MX 2010, em Rocha Leão,Rio das Ostras- RJ, trouxemos como convidado de honra, Alvaro Candido( Paraguaio). Foi muito emocionante ver o grande astro a bordo da KX250F passeando pela nossa pista, enquanto o locutor falava de suas vitorias, dando oportunidade dos mais antigos matarem a saudade e os mais jovens conhecerem um pouco mais da historia do nosso esporte. Mandarei foto.

OSCAR 707 disse:

PARABENS, ESSA É UMA DAS COLUNAS QUE MAIS APRECIO, MUITO BACANA MESMO…

Twitter: FISCHER
EU FALO DA ANTIGA PISTA DE MOTOCROSS DE VENÂNCIO AIRES NA AREA DO AEROCLUBE DA CIDADE , O KING KONG LÁ ERA MUITO SHOWWW O LENDARIO ELTON ZAGONEL NUMERAL 83 ( PIMENTA) VENCEU VARIAS PROVAS PELO CAMPEONATO HOLLYWOOD DE MOTOCROSS !!!

eliandro porrada disse:

Twitter: porrada lanches
tenho trinta e cinco anos meu filho é piloto e tem onze anos as veses as pessoas me perguntam de onde vem o amor pelo esporte tu era piloto ,e respondo nao ,para quem teve o prazer de vivenciar uma epoca de ouro como esta onde o talento falava bem mais alto que a grana e a tecnologia de ponta ,nao precisa ser piloto para se apaixonar .e o king em taquari tinha um king kong quando a cidade era o woodstock do motocross no rs e o lendario pimenta dava show ,valeuuuuuu…….parabens pela materia jorge

Sérgio Alves dos Santos disse:

Tenho 39 anos e estes pilotos eram meus heróis na infância. O Boettcher, Moronguinho, Paraguaio e Nivanor. E raramente pude assistí-los nesta fase, só em algumas corridas do Hollywood. Eu e meus amigos líamos todas as revistas de motociclismo e motocross da época acompanhando as reportagens do campeonato brasileiro. Obrigado Beto, por compartilhar estas fotos conosco. Abraço

Twitter: FISCHER
DANIEL CHUVA SOBRE O KING ?? AQUI NA CIDADE NA DECADA DE 80 TBM TINHA O KING E ALÉM DISSO TINHA O KING KONG QUE ERA UM POUCO MAIS ALTO !!! NO SUL O PESSOAL TBM CONHECE DE CROSS E PISTAS …

Twitter: claudiodamata38
Acompanhei toda a carreira do Boettcher. Tive o prazer de conversar com ele aqui em Sete Lagoas, quando ele fazia parte da equipe Yamaha Shell que continha também Saçaki, Kenny Keylon e Rodney Smith. Conversei com todos e peguei um poster com autógrafo de todos eles. Esta conversa foi no Posto de Gasolina da distribuidora Shell aqui da cidade, onde eles estavam em uma seção de autógrafos.
Gostei muito de conversar com eles, pois desde aquela época já entendia bem do Motocross e quando chega uma pessoa que entende do assunto, os pilotos dão mais atenção. E foi isto que aconteceu uma tarde inesquecível !!!!
Ah, foi em uma etapa do Brasileiro de Motocross aqui em Sete Lagoas- Minas Gerais.

Rodrigo Sippel disse:

Parabéns pela reportagem. Se hoje com o apoio de uma fábrica é complicado para um piloto brasileiro competir no mundial a 34 anos atrás com certeza as coisas eram um tanto piores. Parabéns ao piloto e chefe de equipe que na raça e na coragem viveram essa aventura.

Daniel Chuva disse:

Este piloto me fez chorar. No Hollywood Motocross de 1986, em Campinas, ele liderava a categoria C, que envolvia as MX180 2T da Yamaha e as XL´s 250 da Honda (Equipes oficiais), ele liderava a corrida com o Paraguaio colado nele, em todas as voltas na retona da chegada o Paraguaio o ultrapassava e ele dava o troco no miolo da pista no braço mesmo, quando faltavam menos de 5 min para o fim ele caiu numa curva antes de um King (alguém de hoje sabe o que era essa rampa?) na beira da curva do lago, e o Paraguaio foi embora e venceu. Eu chorei (DE RAIVA) porque eu tava torcendo muito por ele.

Essa corrida marcou minha vida, sempre o admirei desde então.

Twitter: FISCHER
JORGE SHOW DE BOLA ESTAS IMAGENS DO PASSADO !! PARABENS PELA HOMENAGEM FEITA A ELES !!!

é Editor do Mundocross, site que foi lançado por causa de sua paixão por Motocross e Supercross. Em 1990 ele começou a escrever sobre motos no Jornal VS, em São Leopoldo, no RS, numa coluna onde escrevia sobre Trilhas, Enduro e Motocross. Depois também escreveu para o Jornal O Pódium, Revista Moto Action. Nestes 24 anos teve experiências em eventos internacionais, como Mundiais de Motocross, AMA Supercross, AMA Motocross, Motocross das Nações e US Open Supercross.

Desenvolvido por GetFly