Foto Histórica Mundocross

Por Jorge Soares | Foto por Divulgação | 16 de maio de 2011 - 10:08

Na imagem histórica de hoje nada mais, nada menos que três lendas do Motocross Brasileiro. A esquerda Pedro Bernardo Raymundo, o Moronguinho, piloto gaúcho que é até hoje o maior detentor de títulos de campeão Brasileiro de Motocross de todos os tempos com 14 conquistas. Atualmente Moronguinho mora em Garopaba, Santa Catarina, e se dedica a administração das suas lojas de surf, a Sul Nativo.

A direita Álvaro Cândido Filho, o Paraguaio, que tem seu currículo dois títulos de campeão Brasileiro de Motocross na categoria 250 em 1983 e 1984, e que ganhou o apelido de Paraguaio por ter sido algumas vezes campeão nacional de Motocross no país vizinho. Paraguaio mora em Sorocaba, interior de São Paulo, onde tem uma revenda Honda.

E no meio do dois, só que no fundo, Ylton Veloso Cavalcanti, o Paraibinha, que faleceu em 1988 durante a disputa de uma etapa do Brasileiro de Motocross em Petrópolis, no Rio de Janeiro. Paraibinha era um dos pilotos mais carismáticos do Motocross Brasileiro e deixa saudades até hoje.

Ylton Veloso Cavalcanti, o eterno Paraibinha, faleceu quando era o líder do Brasileiro de Motocross na categoria 250, e foi homenageado com o título de Campeão In Memorian. Por sinal, muitíssimo merecido, pois era uma grande pessoa e um ótimo piloto.

Os três eram pilotos patrocinados pela Honda, que naquela a´poca tinha um esquema parecido com os das equipes satélites atualmente, com a fábrica dando o suporte para as revendas da marca que por sua vez eram as patrocinadoras dos pilotos, sendo que naquela temporada não havia nenhum piloto de fábrica.

Moronguinho era patrocinado pela Gaúcha Cross / Honda revenda do Rio Grande do Sul, Paraguaio pela Comstar / Honda revenda de São Paulo, e Paraibinha pela Mesbla / Honda que tinha revendas em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Compartilhe este conteúdo

Comentários

Carlos disse:

O Dal Corso sitetizou toda esta conversa. Também apreciei muito estas feras no Mato queimado, Canela RS se não me engano…eta tempinho bom. Depois que entrou o Eduardo Saçaki ( Japonês Voador) não acompanhei mais, mesmo pois logo acabaram com o Hollywood Motocross. Abraços a todos!

Luis Dal Corso disse:

Corria muuuito o Moronguinho. Fazendo uma comparação: o Morongo foi para o motocross brasileiro dos anos 80 o que o Airton Senna foi para o automobilismo mundial: simplesmente o MELHOR…..
Quem viu, viu, quem não viu tem que se contentar com esses mediocres de hoje em dia….

Delcio Bier disse:

Se nesta foto aparecesse o Nivanor Bernardi, a velha guarda estaria completa! Tive a oportunidade de ver todos estes andando ao vivo! Por sinal, o Nivanor, que também já é falecido, era muito figura, andando mais na raça do que na técnica, mas muito rápido! Bons tempos!

Abraço a todos.
Delcio Bier

Vanderlei Souza disse:

Jorge meus parabéns pela foto ,tive o prazer de ver os 3 competindo.
Realmente andavam muito, quanto aos titulos acho que só o Enzo Lopes vai conseguir superar.

Um abraço.

sidy silva disse:

acho q nossos ilustres amantes do motocross mx427 e 246 fabio ainda sao um pouco leigo sobre motocross!!!!!!
chumbinho eu uma celebridade no motocross tanto quanto moronguinho e paraguaio…..chumbinho na atualidade e referencia p o motocross brasileiro e para a america do sul…GUERREIRO!!!!
Ainda luta pelo o q ama !!!ao contrario d quem na epoca tava no AUGE abandonaram sairam por cima como os TOP .VALEW CHUMBO!!!! SIDY CANELINHA,,,,,,,,,,,,,,,,,

Marcelo Zanoni disse:

Esse trio realmente deveria ser de arrepiar, pois tive a oportunidade de ver o morronguinho andando em 2008, quando tinha comprado uma moto para brincar e ele simplesmente é fera, pilota muito.

#246 Fabio disse:

concordo com mx 427 a mx 3 e mx 4 seria mais para pilotos amadores que vão em corridas só para tirar o stresse.

mx427 disse:

Os 14 titulos do Moronguinho não vão ser batidos tão cedo. Até porque (teoricamente) o mais próximo seria o Chumbinho, só que vários dos seus titulos foram em uma categoria amadora, a MX3, que não deveria ser considerada nessa estatistica.

Se a ambição Chumbo é ser considerado o maior campeão do motocross brasileiro (como ele próprio diz), ele deveria voltar para MX2 e MX1 em vez de ficar competindo com médicos, profissionais liberais, engenheiros, e etc em uma categoria de veteranos e pilotos amadores…

cesar lucena disse:

parabens pela materia sou de caruaru pe nunca vi o paraibinha correr mas pra mim vai ser sempre uma referencia no motocross do nordeste ele sera sempre lembrado por abrir portas para outros pilotos que vendo o exenplo deste cara seguiram carrrira neste esporte valeu paraibinha

Juarez/Boston(no Brasil agora) disse:

Jorge,,,,muito legal a foto,,,quanto ao acidente do Paraibinha em Petropolis,eu estava presente,,,,morava la na epoca,,,apesar de nao ter visto o acidente,a comocao foi geral…parabens pela foto.

Juarez

é Editor do Mundocross, site que foi lançado por causa de sua paixão por Motocross e Supercross. Em 1990 ele começou a escrever sobre motos no Jornal VS, em São Leopoldo, no RS, numa coluna onde escrevia sobre Trilhas, Enduro e Motocross. Depois também escreveu para o Jornal O Pódium, Revista Moto Action. Nestes 24 anos teve experiências em eventos internacionais, como Mundiais de Motocross, AMA Supercross, AMA Motocross, Motocross das Nações e US Open Supercross.

Desenvolvido por GetFly