Cidade conta como foi no Latino de Supercross

Por Adriano Winckler | Fotos por Galef Montañez | 17 de maio de 2011 - 12:33

O catarinense Anderson Cidade, piloto da equipe Yamaha / Geração, conquistou a quinta colocação no campeonato Latino e Pan Americano de Supercross SX1 2011, disputado neste fim de semana, 14 e 15 de maio, em Fresnillo, no México. A vitória na prova ficou com o mexicano Martín García, após uma polêmica envolvendo a desclassificação do americano Tiger Lacey. Na categoria SX2, outro mexicano, Julio Zambrano, conquistou o título do campeonato (disputado em prova única) correndo em casa.

“Foi uma corrida bem legal, porém, tive muitas dificuldades. A lesão, a altitude, e muito tempo sem disputar provas Supercross me atrapalharam um pouco. De qualquer forma, o evento foi muito bonito e com grandes pilotos. A maioria mora nos Estados Unidos, independentemente do seu país de origem”, declarou.

Único brasileiro na competição, Cidade não chegou a Fresnillo 100% fisicamente. Representante do nosso país no Motocross das Nações de 2010, nos Estados Unidos, o piloto sofreu uma queda nos treinos para a segunda etapa do campeonato Pro Tork Brasileiro de Motocross em Carlos Barbosa, no Rio Grande do Sul na semana anterior. A queda resultou em uma fissura de úmero e um estiramento no tornozelo.

Circuito onde foram disputadas as provas em Fresnillo

Circuito onde foram disputadas as provas em Fresnillo

“Na classificatória eu larguei em segundo, mas logo na primeira volta um piloto pulou em cima de mim no triplo. Com isso, saí da corrida classificatória e fiquei no ambulatório. Mesmo assim decidi disputar a final, mas entrei por último no gate para escolher a posição de largada”, ressaltou o brasileiro.

Volta de apresentação de Anderson Cidade (no meio)

Volta de apresentação de Anderson Cidade (no meio)

Além do tempo no ambulatório, a queda ainda traria mais problemas para Cidade. “Na correria, não vimos que o disco de freio traseiro havia entortado. Corri a final sem freio traseiro, o que no Supercross é quase impossível. Como fui o último a escolher o gate, fiz uma péssima largada. Mas mesmo sem freio vim me recuperando e terminei em quinto, colado no quarto colocado”,  completou Anderson Cidade.

O inglês Adam Chatfield em sua volta de apresentação

O inglês Adam Chatfield em sua volta de apresentação

A polêmica do dia envolveu o americano Tiger Lacey, que foi desclassificado por não estar no parque fechado no tempo certo (10 minutos antes da largada). Mas aí ele invadiu a pista, bateu no gate, que era frágil, e que acabou caindo e todos largaram. Essa parte foi um grande erro da ULM, pois deveriam ter anulado a largada e retirado o americano da pista. Mas no final a direção de prova só pediu desculpas e aceitaram o erro, mas não tomaram nenhuma atitude.

Lacey andou forte e cruzou a linha de chegada em primeiro, porém foi desclassificado logo em seguida, deixando o título nas mãos de Martín García. Os guatemaltecos Stefan e Tomas Pablo Castillo terminaram em segundo e terceiro.

O mexicano Martin Garcia venceu as disputas na categoria SX1

O mexicano Martin Garcia venceu as disputas na categoria SX1

Na categoria SX2, o inglês Adam Chatfield, que disputa o Pro Tork Brasileiro de Motocross 2011, terminou na quarta colocação. A vitória ficou com o mexicano Julio Zambrano, seguido pelo americano Gared Ftemkei e pelo guatemalteco Tomas Ángel Castillo.

“Valeu muito a experiência. Os organizadores (família Bonilla) me ajudaram muito por lá e tive um suporte muito bom. Só tenho que agradecer o carinho que recebi de todo o povo mexicano. Foi incrível. Nunca fui tão assediado em uma corrida. A toda hora dando autógrafos, batendo fotos, etc. O público de lá é muito apaixonado pelo esporte e pelos pilotos”, finalizou o catarinense.

Após a participação na prova, Anderson Cidade foi convidado a voltar a Fresnillo em agosto, para disputar a etapa do campeonato Mexicano. O resultado alcançado por Anderson pode ser considerado bom, pois se for levado em consideração a lesão, a altitude, muito tempo sem correr Supercross, e que a grande maioria dos pilotos que correram mora nos Estados Unidos, que tem o melhor Supercross do mundo, o quinto lugar foi de bom tamanho.

Resultado do Pan e Latino Americano de Supercross 2011

Categoria SX1
1º – Martín Garcia (México) – Suzuki
2º – Stefan Castillo (Guatemala) – Yamaha
3º – Tomas Pablo Castillo (Guatemala) – Yamaha
4º – Rubén Alanis (México) – KTM
5º – Anderson Cidade (Brasil) – Yamaha
6º – Eleazar Solis (México) – Yamaha
7º – Javier Nevarez (México) – Suzuki
8º – Alberto Heredia (México) – Yamaha
9º – Jorge Bujanda (México) – Yamaha
10º – Israel Camacho (México) – Kawasaki

Categoria SX2
1º – Julio Zambrano (México) – Yamaha
2º – Gared Ftemkei (EUA) – Honda
3º – Tomas Ángel Castillo (Guatemala) – Yamaha
4º – Adam CHatfield (Inglaterra) – Yamaha
5º – Ricardo Chacon (Costa Rica) – Honda
6º – Alexis Garza (México) – Kawasaki
7º – Donovan Garcia (México) – Honda
8º – Ramón Guzman (México) – Kawasaki
9º – Krystán Torres (México) – Yamaha
10º – Carlos Oros (México) – Kawasaki

Compartilhe este conteúdo

Comentários

é Editor do Mundocross, site que foi lançado por causa de sua paixão por Motocross e Supercross. Em 1990 ele começou a escrever sobre motos no Jornal VS, em São Leopoldo, no RS, numa coluna onde escrevia sobre Trilhas, Enduro e Motocross. Depois também escreveu para o Jornal O Pódium, Revista Moto Action. Nestes 24 anos teve experiências em eventos internacionais, como Mundiais de Motocross, AMA Supercross, AMA Motocross, Motocross das Nações e US Open Supercross.

Desenvolvido por GetFly