Assis Aquino assume a presidência da CBM

Por Adriano Winckler | Foto por Divulgação | 26 de maio de 2011 - 16:17

O potiguar Francisco de Assis Aquino Silva é o novo presidente da Confederação Brasileira de Motociclismo – CBM. Até então 1º vice-presidente da entidade, o dirigente, que é presidente da Federação de Motociclismo do Estado do Rio Grande do Norte – Femorn, assumiu o cargo no lugar de Alexandre Caravana, afastado por não ter as contas de 2010 aprovadas pela Assembleia Geral Extraordinária.

Durante a realização da assembleia, no dia 23 de maio, em Campinas, São Paulo, a comissão formada pelos presidentes Firmo Alves – Femems, José Carlos Conceição – FBM, Sérgio Mota – FMA, Juvenal Alves – FSM, e Adilson Kilca – FGM, apresentou relatório contrário à aprovação das contas referentes ao ano de 2010.

Segundo o relatório, haveria irregularidades na prestação de contas apresentada na Assembleia Geral Ordinária, realizada no início do ano em Caldas Novas, Goiás, e a recomendação seria pelo afastamento do então presidente Alexandre Caravana. Estiveram presentes os representantes de 24 das 25 federações filiadas à Confederação Brasileira de Motociclismo, com a ausência apenas de Breno Beltrão, da Federação de Alagoas, que sofrera um acidente no dia anterior.

Assis Aquino assume a presidência da CBM

Assis Aquino assume a presidência da CBM

Votaram pela aprovação do relatório as Federações de Motociclismo dos Estados do Acre, Amazonas, Bahia, Distrito Federal, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraná, Rio Grande do Norte, Rondônia, Santa Catarina e Sergipe, com recusa da Federação de Motociclismo do Piauí, e abstenções das Federações de Motociclismo dos Estados do Ceará, Espírito Santo, Goiás, Paraíba, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, São Paulo e Tocantins.

Assis Aquino assume a presidência até agosto, quando será realizada a eleição para escolher a nova diretoria da Confederação Brasileira de Motociclismo.

Clique aqui e confira a matéria sobre o afastamento de Alexandre Caravana Guelman da presidência da Confederação Brasileira de Motociclismo – CBM.

Compartilhe este conteúdo

Comentários

paulo disse:

Bastidores do motocross falarao que esse assis aquino e um
Baita falcatrua tambem.

Alberto disse:

O tempo passa e as Historias se repetem…. Caravana não é santo,,,, aumentou e muito o patrimonio desde que assumiu a CBM, isso todos sabem,,, o Ex presidente da CBM que era de MG, podem ter certeza passou a mão em muito mais,,,,,,,, Ou seja ninguem é Santo,,,, Vamos ver o que vai virar com toda essa articulação em ano de eleição da CBM, pois as federações estão cheios de Espertinhos,,, loucos pra pegar essa boca,,,, quando digo que a Historia se repete,,,, O Caravana é o Collor da vez,,,,,,, e sejamos sinceros,,, quem roubou mais,,,, o Collor??? o Sarney??? ou o Lulla??… a Historia… e o final vcs ja conhecem…

Paulao disse:

Alexandre Caravana Guelman – ex-presidente da CBM afastado do cargo depois que as contas fiscais da entidade no período de 2010 não foram aprovadas – encaminhou à imprensa nessa quinta-feira, 26 de maio, uma nota oficial no qual se defende e esclarece seu afastamento do cargo da entidade.

“Estamos em ano de eleição para a presidência da Confederação Brasileira de Motociclismo, e, nas últimas semanas, foram divulgados textos e declarações de teor claramente político com o objetivo de tentar abalar a entidade máxima que regulamenta a modalidade no país”, afirmou o ex-presidente em nota.

No documento de 23 páginas apresentado pela comissão na última segunda-feira, 23, durante a Assembleia Geral Extraordinária realizada em Campinas, São Paulo, os relatores identificaram problemas na gestão de Alexandre Caravana que configuram “confusão patrimonial entre o patrimônio da entidade e do presidente”.

São aquisições de passagens aéreas para países como China e Estados Unidos e pagamentos das despesas de hospedagens para seus familiares e pessoas estranhas à entidade; pagamento de contas telefônicas – no valor médio de R$ 5,5 mil por mês – destinadas à utilização familiar, que incluía sua esposa e filhas.

Em relação ao relatório, o ex-gestor da CBM afirma que se sentiu lesado pelo conteúdo do documento.

“Por último, foi divulgado um relatório, apresentado por uma comissão de presidentes de federação, onde minha administração à frente da CBM, bem como minha integridade pessoal foram violentamente atacadas”, apontou.

O BRMX acompanha todo o caso.

Olha partindo do principio q o anterior tinha isso e muito mais , creio q foi bem poquinho hehehe , se nao me falhe a memoria o rapaz anterior a esse q ficou mais ou menos uns 15 anos presidindo a CBM tinha salario de 16pau , mais cartoes e passagens aereas pra ele e pra quem bem entendesse free! a qualquer hora em qualquer situacao. Houve uma evolucao hehehe tao cobrando 5.5k de continha de telefone afff pensa em falar hehehe e viagens pra china usa heehhehe acho q evoluimos da gestao passada pra essa , o guelman só se perdeu nas notinhas pra comprovar os gastos heheheh !
Brasil sil sil sil !

Jackson disse:

Outro da que é da turma do Caravana….FORA ESSE CARA TAMBÉM……tem que fazer eleição novamente,se é vice do caravana é igual ou parecido….

paulo kunt disse:

Graças a deus ele sai eu vou em todas as etapas do brasileiro e nunca vi esse que se dis presidente ele era o cara que deveria receber os pilotos mas se achava o cara bem feito caravana tu plantou a tua demiçao adeus ate nunca mais hahahahahaha

junior disse:

ABPMX …. no comando da CBM já!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

é Editor do Mundocross, site que foi lançado por causa de sua paixão por Motocross e Supercross. Em 1990 ele começou a escrever sobre motos no Jornal VS, em São Leopoldo, no RS, numa coluna onde escrevia sobre Trilhas, Enduro e Motocross. Depois também escreveu para o Jornal O Pódium, Revista Moto Action. Nestes 24 anos teve experiências em eventos internacionais, como Mundiais de Motocross, AMA Supercross, AMA Motocross, Motocross das Nações e US Open Supercross.

Desenvolvido por GetFly