Foto Histórica Mundocross

Por Jorge Soares | Fotos por Arquivo Roberto Fernández | 27 de junho de 2011 - 9:08

Na Foto Histórica de hoje vamos lembrar a participação do uruguaio Fernando Roberto Fernández, da cidade de Rivera, localizada na divisa com a cidade de Livramento no Rio Grande do Sul. O uruguaio, que nasceu em 1961, é conhecido no meio como Beto Fernández, começou a correr em 1975 numa etapa do campeonato Uruguaio de Motocross. Em 1980 Beto foi campeão Uruguaio de Motocross na categoria 125.

De 1980 a 1990 Beto Fernández participou de campeonatos no Brasil como o campeonato Brasileiro de Motocross, que era patrocinado pela Marlboro, e o Hollywood Motocross. No uruguai Beto correu nos campeonatos de Motocros e Velocross nacional e também regional. Em 1999 ele teve que operar a coluna e abandonou o Motocross.

Confira abaixo a história das fotos contadas pelo Beto Fernández :

“Vou escrever um pouco sobre estas duas fotos, que foram clicadas no ano de 1979. A minha moto era uma Yamaha YZ 125 modelo 1979 e eu usava o número 73. Corri a etapa do campeonato Latino Americano de Motocross realizada em Rivera, no Uruguai nos dias 29 e 30 de setembro de 1979. Participaram pilotos chilenos, paraguaios, argentinos, colombianos, uruguaios, peruanos, venezuelanos, brasileiros e equatorianos.

Nesta prova do Latino Americano de Motocross em Rivera em 1979, choveu muito durante toda a semana, e a prova foi disputada com muita lama. Os pilotos tinham que ir se apoiando nos pés para não não cair. Foi uma tremenda prova, e até hoje se comenta que foi o Latino Americano de Motocross mais molhado da história da competição, e apesar de tudo, teve corridas no sábado e no domingo, e com muito público.

Aquela corrida teve a participação de Pedro Bernardo Raymundo, o Moronguinho e de Roberto Boettcher entre outros com os quais eu alinhei. Finalizei em décimo.

Já na etapa brasileira do Latino Americano de Motocross, que aconteceu na cidade de Novo Hamburgo, eu corri de YZ 250 modelo1980, recém chegadas ao país. Usei o número 2 na minha moto naquela corrida.

Naquele dia estava muito calor e tinha muita poeira. O Nivanor Bernardi, o Moronguinho, o Gustavo Cerdeña e o Hector Acosta largaram na ponta, nos deixando no segundo pelotão. Finalizei em nono lugar. Meus patrocinadores naquele ano foram a Casa Walter / ANCAP /  Azeites Amalie.

Na etapa de Novo Hamburgo aconteceu um fato engraçado : No domingo da etapa do Latino de MX em Novo Hamburgo, o calor estava impressionante, e como os equipamentos não eram adequados para o calor, se usava de quando o piloto passava pelo pit stop, os mecânicos atiravam uma bacia de água, refrescando assim os pilotos. Só que o meu mecânico se entusiasmou e me atirou um balde inteiro de água, só que o balde escapou das mãos dele e me pegou de cheio no peito !!! Eu vinha bem na prova, e mesmo tentando me equilibrar na moto, acabei caindo sem chegar ao fim da prova !!! O meu mecânico tratou de se esconder, pois quando cheguei no box eu queria agarrar o pescoço dele hehehehe”, contou Beto Fernández

Depois de passar pela cirurgia na coluna em 1999, Beto Fernández voltou as pistas correndo na categoria Velocross, e para homenagear o seu irmão Daniel, que também foi piloto de MX na mesma época, Beto passou o correr com o numeral 91, número que ele usa até hoje nos campeonatos Uruguaio e Gaúcho de Velocross onde ele corre na categoria VX4.

Beto Fernández no Latino de Motocross em Novo Hamburgo

Beto Fernández no Latino de Motocross em Novo Hamburgo

Beto correu na categoria 250 no Latino Americano no Brasil

Beto correu na categoria 250 no Latino Americano no Brasil

Compartilhe este conteúdo

Comentários

ganso disse:

historia bacana, não conheço o beto mas estava la em rivera em 79 juntamente c/ xirusão e o xiruzinho,juan de col ganhou a 125 c/ boetcher sagrandose campeão niva campeão 250,uma curiosidade na epoca foi ver pela primeira vez motos Honda cr ¨cross¨ e tambem as kawa pois aqui so viamos Yamaha e algumas suzuki, tenho muitas fotos deste evento se o beto quiser mando p/ ele

alexis disse:

Un abrazo grande para Beto un buen deportista y organizador. siempre luchando por el motociclismo de la frontera. alexis
http://velotierranorte.blogspot.com/

alexis disse:

Un abrazo grande para Beto un buen deportista y organizador. siempre luchando por el motociclismo de la frontera. alexis

Twitter: claudiodamata38
.Legal estas declarações. Isto que faz o esporte ficar vivo !! Lá fora, os gringos valorizam muito os pilotos de antigamente. E até hoje existem provas para eles. Vi que houve uma corrida patrocinada pela Pirelli que até o Jim Holley, hoje comentarista do site Supercross.com estava correndo. Caras como Jeff Ward, Doug Dubach, Ryno e Jeremy Mcgrath estavam lá. Isto é muito legal. É a memória do esporte sendo colocada para a nova geração entender quem eram os grandes pilotos da época e que ainda aceleram muito !!!
Por isto vou praticar Motocross até os meus 90 anos !!!!
Cláudio da Mata
http://www.claudiocross.blogspot.com

Twitter: claudiodamata38
Legal estas declarações. Isto que faz o esporte ficar vivo !! Lá fora, os gringos valorizam muito os pilotos de antigamente. E até hoje existem provas para eles. Vi que houve uma corrida patrocinada pela Pirelli que até o Jim Holley, hoje comentarista do site Supercross.com estava correndo. Caras como Jeff Ward, Doug Dubach, Ryno e Jeremy Mcgrath estavam lá. Isto é muito legal. É a memória do esporte sendo colocada para a nova geração entender quem eram os grandes pilotos da época e que ainda aceleram muito !!!
Por isto vou praticar Motocross até os meus 90 anos !!!!
Cláudio da Mata
http://www.claudiocross.blogspot.com

salim disse:

Grande Beto.. Até hoje dando trabalho pra gurizada hehehe
Excelente piloto e acima de tudo uma excelente pessoa.. sempre disposto a ajudar.. Parabéns amigo.. muita saude e sucesso!!!
Salim – Equipe Racer Film Livramento-RS

rodrigo gonçalves disse:

é o beto de livramento que corre veloterra , grande figura , lenbro do beto correndo de husk 250 em 2001 na época do Bonnel de cachoeira , só que não tava tão magrinho como na foto ai em cima !!! heheheh !!!

leo lopes disse:

o beto é um cara muito legal, conheço há varios anos, gosto muito dele, abç. beto e vida longa
léo lopes

é Editor do Mundocross, site que foi lançado por causa de sua paixão por Motocross e Supercross. Em 1990 ele começou a escrever sobre motos no Jornal VS, em São Leopoldo, no RS, numa coluna onde escrevia sobre Trilhas, Enduro e Motocross. Depois também escreveu para o Jornal O Pódium, Revista Moto Action. Nestes 24 anos teve experiências em eventos internacionais, como Mundiais de Motocross, AMA Supercross, AMA Motocross, Motocross das Nações e US Open Supercross.

Desenvolvido por GetFly