Mundial de Motocross 2011 – 10ª etapa – Letônia

Por Renato Dalzochio Jr. | Fotos por Divulgação | 18 de julho de 2011 - 22:54

O Mundial de Motocross prosseguiu neste fim de semana, dias 16 e 17 de julho, com o GP de Kegums, na Letônia, décima etapa da temporada 2011. Depois da histórica vitória do russo Evgeny Bobryshev na semana passada na Alemanha, neste fim de semana a KTM seguiu confirmando sua hegemonia no campeonato, com as vitórias de Antonio Cairoli na categoria MX1, e Ken Roczen na MX2. Confira como foi o evento desde domimgo, 17 de julho…

Categoria MX1
Na largada da primeira bateria o alemão Max Nagl fez o holeshot e saiu na frente, mas foi rapidamente superado por seu companheiro de equipe, o italiano Antonio Cairoli, atual campeão e líder do campeonato. Os dois eram seguidos pelo russo Evgeny Bobryshev da Honda, o belga Clement Desalle da equipe Teka / Suzuki, e o francês Steven Frossard da equipe Monster Energy / Yamaha.

Bobryshev conseguiu ultrapassar Nagl e começou a perseguir Cairoli. O piloto da Honda fez algumas tentativas de ultrapassagem, mas não obteve sucesso. O russo parece rápido, mas Cairoli também encontra-se em sua melhor forma física e técnica. Pouco tempo depois, Nagl e Frossard também se juntariam a Bobryshev na perseguição ao líder italiano.

Largada da primeira bateria da categoria MX1 na Letônia

Largada da primeira bateria da categoria MX1 na Letônia

Evgeny Bobryshev

Evgeny Bobryshev

Desalle sofreu um tombo e caiu da quarta para a sexta posição. Vice-líder do campeonato, o belga começa a fazer todos entenderem porque Cairoli está se distanciando cada vez mais na classificação do campeonato. As voltas finais da corrida foram empolgantes, com os quatro primeiros colocados andando no mesmo segundo.

Cairoli aproveitou a presença dos retardatários para ganhar uma pequena vantagem e garantir a vitória. Frossard foi o segundo, Bobryshev o terceiro, e Nagl o quarto. O italiano David Phillippaerts, companheiro de equipe de Frossard, finalizou na quinta posição.

Antonio Cairoli

Antonio Cairoli

Clement Desalle

Clement Desalle

Na largada da segunda bateria, Cairoli novamente fez o holeshot e saiu na frente, mas foi rapidamente superado por Frossard. Como na primeira bateria, o italiano conseguiu vencer a segunda, mas teve que suar para conseguir a ultrapassagem sobre seu rival francês. Bobrysehv largou em terceiro, posição que manteve até o final da bateria, com os belgas companheiros de equipe Steve Ramon e Desalle respectivamente na quarta e na quinta posição.

Rui Gonçalves

Rui Gonçalves

Steven Frossard

Steven Frossard

A disputa pela vitória fez com que Cairoli e Frossard rapidamente se afastassem dos demais. Companheiro de equipe de Bobryshev, o português Rui Gonçalves finalizou na quarta posição. Phillippaerts foi novamente o quinto colocado. Ramon foi o sexto, e Desalle outra vez decepcionou, finalizando na oitava posição.

Max Nagl

Max Nagl

Pódio da categoria MX1 no GP da Letônia

Pódio da categoria MX1 no GP da Letônia

No overall vitória de Cairoli, com Frossard em segundo e Bobryshev completando o pódio em terceiro. Gonçalves foi o quarto e Phillippaerts completou os cinco primeiros. No campeonato, a vantagem de Cairoli sobre Desalle já chega aos 42 pontos. Frossard por sua vez está apenas quatro pontos atrás de Desalle. Bobryshev é o quarto e Nagl fecha os cinco primeiros.

Resultado primeira bateria MX1
1. Antonio Cairoli
2. Steven Frossard
3. Evgeny Bobryshev
4. Maximilian Nagl
5. David Philippaerts
6. Ken de Dycker
7. Rui Gonçalves
8. Clement Desalle
9. Xavier Boog
10. Steve Ramon

Resultado segunda bateria MX1
1. Antonio Cairoli
2. Steven Frossard
3. Evgeny Bobryshev
4. Rui Gonçalves
5. David Philippaerts
6. Steve Ramon
7. Tanel Leok
8. Clement Desalle
9. Ken de Dycker
10. Maximilian Nagl

Resultado geral da décima etapa na categoria MX1
1. Antonio Cairoli – 50 pontos
2. Steven Frossard – 44
3. Evgeny Bobryshev – 40
4. Rui Gonçalves – 32
5. David Philippaerts – 32
6. Maximilian Nagl – 29
7. Ken de Dycker – 27
8. Steve Ramon – 26
9. Clement Desalle – 26
10. Tanel Leok – 23 pontos

Classificação do Mundial de Motocross MX1 após dez etapas
1. Antonio Cairoli – 416 pontos (3 vitórias)
2. Clement Desalle – 374  (3 vitórias)
3. Steven Frossard – 370 (2 vitórias)
4. Evgeny Bobryshev – 334 (1 vitória)
5. Maximilian Nagl – 311
6. David Philippaerts – 282 (1 vitória)
7. Rui Gonçalves – 281
8. Steve Ramon – 229
9. Ken de Dycker – 228
10. Xavier Boog – 215 pontos

Categoria MX2
Na largada da primeira bateria, o alemão Ken Roczen da equipe oficial KTM, atual líder do campeonato, fez o holeshot e saiu na frente. O francês Gautier Paulin da equipe Monster Energy / Yamaha caiu na primeira curva e foi atropelado por alguns pilotos, voltando para a corrida em último lugar. O jovem holandês Jeffrey Herlings, companheiro de equipe de Roczen, também caiu na largada e voltou para a corrida na 25ª posição.

Roczen não teve problemas e venceu de ponta a ponta. O ponto interessante da corrida foi a disputa pelo segundo lugar entre o britânico Tommy Searle da equipe Monster Energy / Pro Circuit / CLS / Kawasaki e Herlings, que fez uma grande corrida de recuperação. Entretanto, Searle levou a melhor, deixando o jovem holandês se contentar com o terceiro lugar.

Largada da primeira bateria da categoria MX2 na Letônia

Largada da primeira bateria da categoria MX2 na Letônia

Max Anstie

Max Anstie

Ambos cruzaram a linha de chegada com dez segundos de desvantagem sobre Roczen. O francês Arnaud Tonus, companheiro de equipe de Paulin, foi o quarto colocado. O britânico Max Anstie, companheiro de equipe de Searle, finalizou na quinta posição. Paulin se recuperou até a oitava posição.

Na segunda bateria Roczen fez novamente o holeshot e saiu na frente, só que desta vez Herlings largou em quarto, rapidamente assumiu o segundo lugar e começou a perseguição contra seu companheiro de equipe. Paulin novamente caiu e voltou para a corrida em 15º.

Jeffrey Herlings

Jeffrey Herlings

Zach Osborne

Zach Osborne

Não surpreendentemente, Herlings ultrapassou Roczen, mas o jovem alemão não estava disposto a desistir, e fez o melhor que pode para não perder o holandês de vista. Não demorou muito para Roczen dar o troco e reassumir a liderança. Herlings em contrapartida, começou à pilotar três segundos mais lento que o alemão.

Pouco depois o holandês sofreria um tombo, ficando doze segundos distante de seu companheiro de equipe. Roczen garantiu mais uma vitória e Herlings ainda conseguiu finalizar em segundo. Searle foi o terceiro, 34 segundos distante do líder. Anstie finalizou na quarta posição e o norte-americano Zach Osborne da Yamaha foi o quinto colocado. Paulin desta vez finalizou na 10ª posição.

Tommy Searle

Tommy Searle

Gautier Paulin

Gautier Paulin

No overall vitória de Roczen e dobradinha da KTM, com Herlings em segundo. Searle completou o pódio em terceiro, Anstie foi o quarto, e Osborne completou os cinco primeiros. No campeonato, Roczen é cada vez mais absoluto e sua vantagem sobre Herlings chega agora aos 27 pontos. Searle é o terceiro, Paulin o quarto, e Osborne fecha os cinco primeiros.

Arnaud Tonus

Arnaud Tonus

Pódio da categoria MX2 no GP da Letônia

Pódio da categoria MX2 no GP da Letônia

Resultado primeira bateria MX2
1. Ken Roczen
2. Tommy Searle
3. Jeffrey Herlings
4. Arnaud Tonus
5. Max Anstie
6. Nicolas Aubin
7. Zachary Osborne
8. Gautier Paulin
9. Harri Kullas
10. Valentin Teillet

Resultado segunda bateria MX2
1. Ken Roczen
2. Jeffrey Herlings
3. Tommy Searle
4. Max Anstie
5. Zachary Osborne
6. Harri Kullas
7. Valentin Teillet
8. Jake Nicholls
9. Matiss Karro
10. Gautier Paulin

Resultado geral da décima etapa na categoria MX2
1. Ken Roczen – 50 pontos
2. Jeffrey Herlings – 42
3. Tommy Searle – 42
4. Max Anstie – 34
5. Zachary Osborne – 30
6. Harri Kullas – 27
7. Valentin Teillet – 25
8. Gautier Paulin – 24
9. Jake Nicholls – 22
10. Matiss Karro – 18 pontos

Classificação do Mundial de Motocross MX2 após dez etapas
1. Ken Roczen – 446 pontos (6 vitórias)
2. Jeffrey Herlings – 419 (3 vitórias)
3. Tommy Searle – 370 (1 vitória)
4. Gautier Paulin – 343
5. Zachary Osborne – 295
6. Arnaud Tonus – 274
7. Max Anstie – 249
8. Harri Kullas – 224
9. Nicolas Aubin – 207
10. Christophe Charlier – 170 pontos

Swian Zanoni
O brasileiro Swian Zanoni, que compete pela equipe Martin Racing / Honda, teve seu melhor desempenho e esteve muito perto de marcar seu primeiro ponto no mundial. Na primeira bateria da MX2, entre os 33 pilotos que largaram, ele finalizou em 21º (os 20 primeiros pontuam em cada bateria). Na segunda bateria Swian foi o 27º, fechando o overall em 31º.

Etapas restantes do Mundial de Motocross MX1  / MX2 2011
11ª Etapa – 31 de julho – Bélgica / Lommel
12ª Etapa – 7 de agosto – República Tcheca / Loket
13ª Etapa – 21 de agosto – Inglaterra / Matterley Basin
14ª Etapa – 4 de setembro – Alemanha / Gaildorf
15ª Etapa – 11 de setembro – Itália / Fermo

Confira como foram as etapas anteriores do Mundial de Motocross MX1 / MX2 2011

9ª Etapa – 10 de julho – Teutschenthal / Alemanha
8ª Etapa – 3 de julho – Udevalla / Suécia
7ª Etapa – 19 de junho – La Bañeza / Espanha
6ª Etapa – 12 de junho – Agueda / Portugal
5ª Etapa – 5 de junho – St. Jean d’Angely / França
4ª Etapa – 22 de maio – Indaiatuba / Brasil
3ª Etapa – 15 de maio – San Bernardino / Estados Unidos
2ª Etapa – 24 de abril – Valkenswaard / Holanda
1ª Etapa – 10 de abril – Sevlievo / Bulgária

Compartilhe este conteúdo

Comentários

é Editor do Mundocross, site que foi lançado por causa de sua paixão por Motocross e Supercross. Em 1990 ele começou a escrever sobre motos no Jornal VS, em São Leopoldo, no RS, numa coluna onde escrevia sobre Trilhas, Enduro e Motocross. Depois também escreveu para o Jornal O Pódium, Revista Moto Action. Nestes 24 anos teve experiências em eventos internacionais, como Mundiais de Motocross, AMA Supercross, AMA Motocross, Motocross das Nações e US Open Supercross.

Desenvolvido por GetFly