Estrutura do Brasileiro em Canelinha mereceu elogios

Por Adriano Winckler | Fotos por Gerson Coas | 19 de julho de 2011 - 20:13

Apesar de todos os problemas que a nova diretoria da Confederação Brasileira de Motociclismo – CBM, vêm enfrentando nas últimas semanas desde afastamento do ex-presidente da entidade, a realização da terceira etapa do Pro Tork Brasileiro de Motocross, neste último fim de semana, 16 e 17 de julho, em Canelinha, Santa Catarina, foi um grande sucesso.

Mesmo sem poder contar com todo o material que pertence à entidade, a CBM em parceria com a Federação Catarinense de Motociclismo – FCM, apresentou uma estrutura de altíssimo nível para a prova, recebendo elogios de todos os setores envolvidos com o evento, desde o público aos pilotos, equipes, imprensa e patrocinadores.

Para o secretário-geral da Associação Brasileira de Pilotos de Motociclismo Esportivo – ABPMX, Marlon Olsen, a CBM provou que apesar das dificuldades devido à mudança de gestão, é competente e tem todas as condições de realizar um campeonato de alto nível.

“O evento superou a nossa expectativa e dos pilotos. Havia grande público, a pista era segura e os pilotos ficaram bastante satisfeitos. O cronograma e os horários foram cumpridos exatamente como deve ser. Só não digo que ficou perfeito, porque perfeito não existe. Mas se continuarmos nessa linha, com a união dos pilotos e dos organizadores o esporte só vai crescer, cada vez mais”, declarou Olsen.

Integrante da equipe inicial escalada para o Motocross das Nações de 2010, nos Estados Unidos, o paulista Thales Vilardi, patrocinado pela MegaEnergy / KTM / Mormaii, ratificou as palavras do representante dos pilotos.

“Pelos fatos que ocorreram na CBM, e o pouco tempo que a nova diretoria teve para montar tudo, acho que ficou muito legal. A estrutura ficou igual e até melhor à que estava antes, e tanto na pista quanto nos boxes tudo estava muito bom. Quero parabenizá-los pelo evento e espero que continuem fazendo isso ao longo do campeonato”, completou.

Com as arquibancadas cobertas, Área VIP, placas de publicidade bem posicionadas, boas acomodações para a imprensa, arcos de pista e pódio de dois andares, a CBM conseguiu realizar uma das etapas mais elogiadas dos últimos tempos.

“A estrutura da área vip melhorou bastante, ficou mais apresentável e acessível. Na pista, a parte cenográfica também teve mudanças que favoreceram a visibilidade dos patrocinadores, ressaltando a parceria entre a Rinaldi e a Pro Tork que há dois anos estão à frente do campeonato. Acho que conseguimos atingir nosso objetivo que era fazer uma prova belíssima e mostrar que apesar das dificuldades a união, o trabalho em equipe e a positividade fazem a diferença”, afirmou Jana Brum Nalin, responsável pelo marketing da Rinaldi.

Para o presidente da CBM, Assis Aquino, o sucesso do evento se deve à união de todos. “As dificuldades que enfrentamos nas últimas semanas eram de conhecimento geral. Mas a equipe que está à frente da CBM neste momento está imbuída de um só objetivo: resgatar o nome da entidade máxima do motociclismo brasileiro. Nossa parceria com a Federação Catarinense foi excelente, e conseguimos realizar um grande evento, elogiado por todos. Parabenizo cada uma das pessoas que se esforçaram para tivéssemos esse sucesso, e garanto que este foi apenas o primeiro passo para uma nova CBM”, encerrou Assis Aquino.

A próxima etapa do Pro Tork Brasileiro de Motocross acontece nos dias 20 e 21 de agosto, na cidade de Anchieta, no Espírito Santo.

Compartilhe este conteúdo

Comentários

Rick Vieira disse:

Olá Jorge, Que bom ver que as coisas estão se acertando na CBM, o Motociclismo deve respeito a essa entidade, mas a antiga presidência não pensava nas modalidades do esporte.
Vendo tudo isso sabemos que mais do que nunca precisamos da União de Pilotos e Entidades e pelo que vejo agora todos podem dar dicas e vejo também que o clima é outro.
Parabenss CBM e FCM , Kiko e toda sua equipe sempre fazendo a diferença.
Devemos Nos unir e Ajudar para que o esporte cresça…

Um Forte Abraço.

é Editor do Mundocross, site que foi lançado por causa de sua paixão por Motocross e Supercross. Em 1990 ele começou a escrever sobre motos no Jornal VS, em São Leopoldo, no RS, numa coluna onde escrevia sobre Trilhas, Enduro e Motocross. Depois também escreveu para o Jornal O Pódium, Revista Moto Action. Nestes 24 anos teve experiências em eventos internacionais, como Mundiais de Motocross, AMA Supercross, AMA Motocross, Motocross das Nações e US Open Supercross.

Desenvolvido por GetFly