Série campeões da Superliga de MX – Milton Becker

Por VipComm Comunicação | Fotos por Luiz Pires | 25 de julho de 2011 - 9:14

O piloto Milton Becker, o ‘Chumbinho’ campeão da categoria MX4 da Superliga Brasil de Motocross, é destaque no segundo especial sobre os vencedores da competição na temporada 2011. Após ser premiado com a conquista antecipada na quarta etapa do campeonato, realizada no Beto Carrero World,no Balneário de Penha, em Santa Catarina,  o catarinense chegou à marca de quinze títulos nacionais, ultrapassou o ídolo Pedro Bernardo Raymundo, o ‘Moronguinho’.

Antes de contar com participações em competições nacionais e internacionais, ‘Chumbinho’ iniciou no esporte na década de 80, um período em que o Motocross ainda não havia tomado grandes dimensões. “Sempre gostei muito de motociclismo, mas comecei no Motocross mesmo em 1983, andando com meus amigos. Antes da carreira de piloto, trabalhei em um posto de gasolina e em uma oficina. Em 1985, participei de um torneio regional em Santa Catarina e terminei na segunda posição. Em 1986, disputei o mesmo campeonato e fiquei com o primeiro lugar. Aos poucos, fui conquistando meu espaço até vencer meu primeiro nacional em 1992”, conta o piloto da categoria MX4.

Segundo o catarinense, o início foi bastante complicado para desenvolver profissionais de Motocross, pois os pilotos não contavam com as condições disponíveis nos dias de hoje. “Na época em que eu comecei não existia essa estrutura. O primeiro desafio era convencer os pais do sonho de ser piloto, o que era muito mal visto como esporte e trabalho. Equipamentos, motos e peças eram muito diferentes dos atuais e para aprender era preciso acompanhar outros competidores. Analisava o nível dos adversários e comparava os resultados. Como na época não tinha internet, gostava de olhar revistas e jornais para me inspirar no estilo do Moronguinho”, lembrou Chumbo.

Chumbinho no lugar mais alto do pódio na categoria MX4 da Superliga

Chumbinho no lugar mais alto do pódio na categoria MX4 da Superliga

Sobre o desenvolvimento da modalidade nos últimos anos, ‘Chumbinho’ se mostra satisfeito por fazer parte da história do Motocross no Brasil. “Para mim é muito gratificante ver esse crescimento, afinal minha carreira inteira eu dediquei ao esporte, pensando nas dimensões que ele poderia vir a tomar. Sempre converso com os organizadores para realizarmos grandes campeonatos e investimentos de empresas, para fortalecermos a categoria. São 29 anos na modalidade e acredito que ainda temos a acrescentar”, disse o campeão.

Com 44 anos, ‘Chumbinho’ possui uma carreira fora das pistas como coordenador técnico da equipe brasileira que vai disputar o Motocross das Nações, na França, e instrutor de pilotagem para jovens. “Eu tento ajudar essa gurizada que está chegando agora, através de cursos de pilotagem. Acompanho o processo de adaptação e ensino a atingirem uma velocidade alta mais rapidamente. Gustavo Henn, que sigo com mais frequência, está entre eles. Henn é líder do campeonato Brasileiro de Motocross na categoria 85 e um menino de desenvolvimento fantástico. Graças a esse trabalho, vamos distribuindo o conhecimento entre os mais novos”, analisa  ‘Chumbinho’.

Chumbinho é uma das lendas do Motocross brasileiro

Chumbinho é uma das lendas do Motocross brasileiro

O campeão da categoria MX4 da Superliga Brasil de Motocross, dono de quinze títulos nacionais (11 no Motocross, 3 no Supercross e um no Ultracross), deixa um recado para os interessados em seguir uma carreira profissional na modalidade. “Busque um profissional que já tenha conhecimento, isso facilita o desenvolvimento do piloto e evita quedas que podem levar a lesões mais graves. Vale lembrar que qualquer sonho vale a pena, mas é preciso trabalhar duro. Eu nasci no extremo oeste do País, divisa com o Uruguai, trabalhei na roça até meus 11 anos de idade e sempre sonhei em ser piloto. Fui atrás do que queria, trabalhei duro e sou campeão da Superliga e o brasileiro com o maior número de títulos”, completou Chumbinho.

Compartilhe este conteúdo

Comentários

Reginaldo 'Xyko Voador' Ourique disse:

parabéns chumbo,é um exemplo de dedicação a ser sempre lembrado e seguido.

é Editor do Mundocross, site que foi lançado por causa de sua paixão por Motocross e Supercross. Em 1990 ele começou a escrever sobre motos no Jornal VS, em São Leopoldo, no RS, numa coluna onde escrevia sobre Trilhas, Enduro e Motocross. Depois também escreveu para o Jornal O Pódium, Revista Moto Action. Nestes 24 anos teve experiências em eventos internacionais, como Mundiais de Motocross, AMA Supercross, AMA Motocross, Motocross das Nações e US Open Supercross.

Desenvolvido por GetFly