Oitavo Motocross Freestyle agitou Campestre

Por Divulgação | Fotos por Divulgação | 24 de agosto de 2011 - 7:38

A tradicional prova que agitou todo o Sul de Minas Gerais chegou a sua oitava edição ainda mais especial. O 8º Motocross Freestyle de Campestre aconteceu nos dias 13 e 14 de agosto, como um dos pontos altos das comemorações do centenário da cidade mineira. Nem mesmo o dia dos pais afastou o grande público que sempre marca presença no evento, que este ano contou com várias melhorias e inovações.

A principal delas foi um grande camarote coberto no sistema ‘open bar’, estrategicamente montado num local onde se tinha visão de quase todo o circuito. Este, por sua vez, sofreu várias alterações, a cargo de Erick ‘Quebra Gaio’, ficando mais longo, com novos saltos e, principalmente, se com mais segurança. A cronometragem eletrônica da equipe Asfaltozero deixou as provas ainda mais ágeis, com apuração imediata dos resultados.

Todas as edições da prova sempre contaram com a participação de grandes nomes do cenário nacional e regional e em 2011 não foi diferente. Principal ídolo na região, Massoud Nassar esteve presente e novamente fez bonito, mesmo correndo com uma moto totalmente ‘original’ e lesionado. Os irmãos Gustavo e Anderson Amaral também garantiram o espetáculo, dominando as principais categorias.

Destaque também para Felippe Simões, Person Paulleto, Heinz Crispim, Tunico Miranda, Daniel Vergueiro, Joseph Alves, Tiago Bueno, Luis Gustavo Tassi e muitos outros, que com grandes performances abrilhantaram ainda mais o evento. Outro fato que chamou bastante a atenção foi a grande participação feminina na prova, mesmo sem contar com uma categoria específica para elas.

Há muito tempo o nome de Massoud Nassar é sinônimo de raça e superação, e em Campestre não foi diferente. Com duas costelas quebradas que lhe tiraram até mesmo da abertura do Arena Cross em Ribeirão Preto (SP), o piloto deixou a dor de lado para vencer de ponta a ponta a primeira bateria do dia, a MX35 Open. Massoud largou na frente seguido de perto por Tiago Bueno e Joseph Alves. A briga pela segunda posição durou apenas até a segunda volta, quando Joseph superou o adversário, mas já vendo o líder escapar na frente.

As três primeiras posições se mantiveram inalteradas, apesar do segundo colocado passar a ter um pouco de esperança nas voltas finais. Com muita dor, Massoud diminuiu bastante o ritmo, mas sua experiência falou mais alto, garantindo a vitória e conseguindo segurar uma vantagem confortável. Luis Gustavo Tassi roubou a quarta posição de Sérgio Barbosa logo no início, mas duas voltas depois uma queda o tirou da briga pelo pódio devolvendo a posição para Sérgio que a manteve até o final. Já Éverton Valério conseguiu uma boa recuperação depois de largar no pelotão intermediário, assumindo o quinto posto na metade da bateria.

Nas categorias principais, os irmãos Amaral não deram chances para ninguém, começando por Anderson que dominou totalmente a MX2. Apesar de seu irmão Gustavo sair na frente, ainda na primeira volta Anderson assumiu a ponta e logo se isolou na liderança. Gustavo foi o único a manter o mesmo ritmo, mas mesmo assim recebeu a bandeirada com mais de dez segundos de desvantagem na segunda posição.

A uma boa distância atrás veio Tunico Miranda, que ocupou a terceira colocação desde a largada. O mesmo vinha fazendo Joseph Alves em quarto, mas acabou surpreendido por Heinz Crispim, a duas voltas do final, terminando em quinto. Heinz teve muito trabalho até conseguir o quarto posto, precisando primeiro defender o quinto lugar dos ataques de Lucas Costa e Ivan de Lima, para só no finalzinho conseguir alcançar e superar Joseph.

Gustavo Amaral deu o troco em seu irmão mais novo na Força Livre Pró, assumindo a dianteira assim que caiu o gate. Num ritmo muito forte, conseguiu se destacar do bloco que disputava a segunda posição liderado por Heinz Crispim. Este por sua vez, precisou andar forte para segurar a pressão de Anderson, que esperando o momento certo atacou na quinta volta, partindo para a caça ao líder. Já sem tempo hábil para tirar toda a diferença, Anderson conseguiu ainda fechar a bateria em segundo, menos de três segundos atrás de Gustavo.

Cansado pela forte disputa com Anderson, Heinz acabou perdendo também o terceiro posto para Massoud Nassar, que acompanhava tudo de perto. Tunico Miranda subiu ao pódio mais uma vez depois de uma boa e rápida recuperação. Largando apenas em oitavo, o piloto subiu duas posições na volta seguinte, completando o terceiro giro já consolidado em quinto.

Person Paulleto fez o holeshot na Força Livre Prata, mas logo foi surpreendido pelo excelente início de prova de Lucas Costa que pulou direto da quinta para a primeira posição antes mesmo de fechar o primeiro giro. Sua liderança se manteve tranquila até o meio da prova, quando finalmente Felippe Simões, depois de largar apenas no pelotão intermediário, o alcançou. A disputa durou apenas duas voltas, quando Felippe assumiu a ponta e logo abriu mais de cinco segundos para garantir uma bela vitória.

A disputa pela segunda colocação levantou o público na volta final. Sérgio Barbosa, que vinha ‘quietinho’ em terceiro, resolveu atacar nos instantes finais, conseguindo cruzar a linha de chegada a apenas meio segundo à frente de Lucas. Superado pelos dois, Person se manteve em quarto, logo a frente de Rafael Arruda que fez uma prova constante, sempre se mantendo perto dos líderes.

Intermediária contou com uma prova a parte de Celso Feliciano e Daniel Vergueiro, que largou na frente seguido de perto por Ivan de Lima e Feliciano. Já na segunda volta, Celso pressionava o líder para na seguinte assumir a ponta em definitivo. Apesar disto, sua vida não foi tranquila até a bandeirada final, com Vergueiro se mantendo próximo o todo tempo, não permitindo um erro sequer do vencedor. Com a tocada forte dos ponteiros, Luis Gustavo Tassi que não conseguiu uma boa largada, mesmo alcançando a terceira colocação no terceiro giro, já se via muito distante sem chances de uma aproximação aos dois primeiros colocados.

Compartilhe este conteúdo

Comentários

Henrique J. Gualhardo disse:

foi uma tradicional corrida e o publico que lotou o lugar…
um incentivo para quem esta comecando parabens

é Editor do Mundocross, site que foi lançado por causa de sua paixão por Motocross e Supercross. Em 1990 ele começou a escrever sobre motos no Jornal VS, em São Leopoldo, no RS, numa coluna onde escrevia sobre Trilhas, Enduro e Motocross. Depois também escreveu para o Jornal O Pódium, Revista Moto Action. Nestes 24 anos teve experiências em eventos internacionais, como Mundiais de Motocross, AMA Supercross, AMA Motocross, Motocross das Nações e US Open Supercross.

Desenvolvido por GetFly