Dudu e Ratinho serão o Brasil no Motocross das Nações

Por Divulgação | Fotos por Elton Souza | 26 de agosto de 2011 - 16:53

O Brasil se prepara para sua décima participação no Motocross das Nações, que neste ano será disputado em Saint Jean d’Angely, França, nos dias 17 e 18 de setembro. Na breve história da seleção verde-amarela na principal competição mundial do esporte, pela primeira vez o time brasileiro convocou uma dupla de irmãos para seu elenco. Já que no ano passado, Anderson Cidade, irmão de Cristopher ‘Pipo’ Castro, foi incluído ao time nas vésperas da competição.

Para os paulistas Marcello ‘Ratinho’ e Eduardo ‘Dudu’ Lima, a convocação para seleção brasileira tem sabor de conquista familiar. Afinal seus pais, Agnaldo ‘Gui’ e Soraya, se conheceram durante uma prova de Motocross na década de 80, e, desde então, vêm trabalhando pelo sucesso da carreira dos filhos.

Ratinho, 24 anos, é o mais velho. Ele começou no esporte em 1994, aos sete anos, acumula diversos títulos estaduais e foi campeão Brasileiro MX2 em 2005. Dudu, quatro anos mais novo, venceu campeonatos estaduais, e atual líder da MX2 do Brasileiro de Motocross, está na batalha para conquistar seu primeiro campeonato nacional.

“Será um grande prazer estar na maior competição do Motocross mundial ao lado de meu irmão, isso é uma oportunidade para poucos”, resume Ratinho. “Estou acostumado a andar com ele, o que será importante para o bom desempenho do time”, afirma Dudu. O ponto máximo para a família Lima deve ocorrer no domingo, 18 de setembro. Gui e Soraya terão dois filhos alinhados no gate da Corrida 1 da competição mais importante do Motocross mundial.

Dudu e Ratinho correrão pelo Team Brasil na Copa do Mundo de MX

Dudu e Ratinho correrão pelo Team Brasil na Copa do Mundo de MX

“Estou há mais de 30 anos na batalha pelo Motocross e sei que conseguir colocar um filho na seleção brasileira já seria motivo de grande orgulho. Agora, colocar dois é algo indescritível”, declara Gui Lima. O pai e incentivador lembra-se da trajetória dos irmãos Lima, que dedicaram infância, adolescência e juventude pelo Motocross.

“O Marcello foi o primeiro a começar e logo percebi que ele tinha talento e gostava do que estava fazendo. Depois veio o Dudu, seguindo o mesmo caminho, mas tendo a sombra do irmão mais velho. Porém, o Dudu sempre conseguiu administrar bem isso e conquistou seu espaço. Prova disso é que ambos conquistaram suas vagas na seleção por mérito”, narra.

Dudu em ação na MX2 no GP Brasil de Motocross 2011

Dudu em ação na MX2 no GP Brasil de Motocross 2011

“Sabemos que nossos pais estão felizes e que será motivo de muito orgulho para eles verem eu e o Dudu vestindo o uniforme da seleção brasileira. Daremos o máximo por eles e por todo o povo brasileiro”, completa Ratinho.

Gui Lima, no entanto, lembra também a responsabilidade da família diante do desafio na pista de Saint Jean d’Angely. “O sentimento de orgulho por ter dois filhos na seleção brasileira é diretamente proporcional ao tamanho da responsabilidade. Afinal, 2/3 do time somos nós”, avalia Gui. “Mas, chamamos essa responsabilidade e vamos trabalhar focados nisso”, conclui.

Ratinho em ação na MX1 no GP Brasil de Motocross 2011

Ratinho em ação na MX1 no GP Brasil de Motocross 2011

A relação entre parentes no Team Brasil 2011 extrapola os limites da pista com a participação da família Balbi. Antonio Jorge, chefe de equipe, irá desempenhar o papel de pai e de team manager da seleção brasileira. “É uma grande satisfação ter a oportunidade de trabalhar ao lado do meu filho em favor da seleção brasileira. Meu objetivo é ser um paizão para toda a equipe, já que acompanho a carreira de todos desde suas infâncias”, completa o chefe do Team Brasil.

Irmãos também no time da Ucrânia
Assim como no Brasil, o time da Ucrânia é formado pelos irmãos Mykola e Oleksandr Pashchynskyi, na MX1 e MX Open, respectivamente. Em 2010, a dupla levou a Ucrânia ao 24º lugar do Motocross das Nações, com sua seleção sendo eliminada na Final B.

O Team Brasil no Motocross das Nações 2011 tem o patrocínio de Pro Tork e Rinaldi, além do apoio de Allsign Graphics.

Compartilhe este conteúdo

Comentários

é Editor do Mundocross, site que foi lançado por causa de sua paixão por Motocross e Supercross. Em 1990 ele começou a escrever sobre motos no Jornal VS, em São Leopoldo, no RS, numa coluna onde escrevia sobre Trilhas, Enduro e Motocross. Depois também escreveu para o Jornal O Pódium, Revista Moto Action. Nestes 24 anos teve experiências em eventos internacionais, como Mundiais de Motocross, AMA Supercross, AMA Motocross, Motocross das Nações e US Open Supercross.

Desenvolvido por GetFly