Balbi fatura título da MX1 no Pro Tork Brasileiro de Motocross

Por Mundo Press | Fotos por Maurício Arruda | 31 de outubro de 2011 - 11:03

Ao lado de Gustavo Henn (85cc) e Enzo Lopes (65cc), mineiro é campeão antecipado na sexta etapa em Nova Alvorada do Sul (MS)

Nova Alvorada do Sul (MS) – O piloto Antônio Jorge Balbi Júnior é o campeão da categoria MX1 do Pro
Tork Brasileiro de Motocross 2011. O mineiro confirmou neste domingo o título
com uma rodada de antecipação, durante a sexta etapa em Nova Alvorada do Sul.
Outros dois pilotos garantiram as taças diante do público no Mato Grosso do
Sul, estimado em 14 mil pessoas: Gustavo Henn, da 85cc, e Enzo Lopes, da 65cc.

Balbi venceu a MX2 e levou o titulo da MX1

Assim que teve a confirmação do resultado, Balbi se emocionou e comemorou
bastante ao lado de toda a equipe Pro Tork 2B Kawasaki Racing. “Este é o meu
sétimo título nacional. E, de acordo com a Bíblia, sete é o número da
multiplicação”, lembrou piloto, de olho nas próximas conquistas.

“Dedico este título, primeiramente, a Deus e a toda a minha equipe, que fez um
trabalho fenomenal na temporada. Acredito que a minha principal arma foi a
constância durante o ano e garantir o título de forma antecipada foi muito
importante para eu poder correr sem tanta responsabilidade na final em Siqueira
Campos. Semana que vem tem mais”, avisou Balbi, referindo-se à Super Final da
competição, marcada para os dias 5 e 6 de novembro.

Marcello " Ratinho " Lima ficou com a vitória na MX1

A corrida da MX1 foi vencida hoje pelo espanhol Carlos Campano, que é piloto
convidado e não soma pontos para a classificação geral. Na 85cc, o segundo
lugar de Gustavo Henn foi o bastante para garantir o título. “Faz quatro anos
que comecei a andar de moto e a felicidade é muito grande. Recebi o apoio da
família e de todos os meus amigos. Eu me machuquei durante o ano e tive que
correr atrás, mas todo o esforço foi recompensado”, explicou.

Quem venceu a corrida da 85cc foi Pepê Bueno, sendo que os outros ganhadores da
etapa decisiva foram Marcos Cordeiro (MX3), Júlio Cezar Xavier (MX4), Marcos
Moraes (230cc) e Enzo Lopes (65cc), além de Balbi na MX2. O catarinense Milton
Becker “Chumbinho”, que está muito próximo de ser campeão da MX4,
caiu na corrida e fraturou um dedo da mão direita. Na mesma bateria, o
paranaense Eduardo Saçaki, conhecido como Japonês Voador, confirmou a terceira
colocação. “Esse resultado, para mim, foi uma vitória. Estava com tanta
saudade do motocross que nem quero limpar a lama do meu rosto”, disse o
lendário piloto, que estava há dois anos sem competir na modalidade.

Confira o que disseram os vencedores da etapa:

Balbi (MX2) – “Meu objetivo era aquecer para a MX1, então, sinceramente, eu não esperava vencer
esta corrida. Fiz uma boa largada e a vitória veio. Estou muito feliz, mesmo
com chances remotas de título na MX2.”

Marcos Cordeiro (MX3) – “Caí na largada, mas tive calma e guardei forças
para o final da prova. A disputa entre mim e o Duda Parise foi muito bonita, e
Campeonato Brasileiro é isso mesmo. Agora vamos para a final e que vença o
melhor. De qualquer forma, o título deve ficar para o Rio Grande do Sul.”

Júlio Cézar Xavier (MX4) – “A pista estava bastante pesada, o que
dificultou para todos os pilotos, e estou bastante feliz com a vitória. Foi uma
etapa maravilhosa para mim e espero conquistar outros resultados como
este.”

Marcos Moraes (230cc) – “Não larguei bem e tenho dificuldades para
correr no barro. Mantive a calma e fui crescendo na bateria, até conseguir a
oportunidade de confirmar a vitória. Espero vencer novamente e levar o título,
estou trabalhando para isso.”

Pepê Bueno (85cc) – “Não tive uma boa largada, mas o preparo físico e a
‘cabeça’ fizeram a diferença nesta prova. Tenho conseguido bons resultados no
Brasileiro e quero agradecer a todos que me apoiam.”

Carlos Campano (MX1) – “Gostei muito de competir no Brasil e em 2012
estarei por aqui durante toda a temporada, morando em Florianópolis. Eu achei o
público muito vibrante e aproveitei para analisar os pilotos brasileiros, espero conquistar outras vitórias o ano que vem.”

Enzo Lopes (65cc) – “É uma felicidade muito grande ser campeão
brasileiro. Ganhei as corridas e ainda fiz o melhor tempo cronometrado em todas
as etapas até agora. O segredo é treinar muito, se dedicar mesmo.”

Resultados – 6ª etapa do Pro Tork Brasileiro de Motocross (clique aqui para acessar os resultados completos)

MX1*

1 – Marcello “Ratinho” Lima

2 – Antônio Jorge Balbi Júnior

3 – Pipo Castro

4 – Gustavo Amaral

5 – Dudu Lima

* O espanhol Carlos Campano, que levou a bandeira quadriculada, é piloto
convidado e não entra na classificação geral (assim como o argentino Luis Correa, quarto colocado na pista).

230cc

1 – Marcos Moraes

2 – Jacson Keil

3 – Anderson Chupel

4 – Fabiano Nestor dos Santos

5 – Nivaldo Viana

MX3

1 – Marcos Cordeiro

2 – Duda Parise

3 – Walter Tardin

4 – Mariana Balbi

5 – João Baptista

MX4

1 – Júlio Cézar Xavier

2 – Marlon Olsen

3 – Eduardo Saçaki

4 – Júnior Feitosa

5 – Asaji Jahagihara

85cc

1 – Pepê Bueno

2 – Gustavo Henn

3 – Gustavo Pessoa

4 – Fábio dos Santos

5 – Daniel Reichhardt

MX2**

1 – Antônio Jorge Balbi Júnior

2 – Jean Ramos

3 – Thales Vilardi

4 – Dudu Lima

5 – Marcello “Ratinho” Lima

** O espanhol Carlos Campano foi segundo colocado na pista, mas é piloto
convidado.

65cc (corrida realizada no sábado)

1 – Enzo Lopes

2 – Arthur Todeschini

3 – Yuri Campello

4 – Renato Paz

5 – Renan dos Santos

O Pro Tork Brasileiro de Motocross tem patrocínio de Pro Tork e Rinaldi. A
sexta etapa tem patrocínio da Petrobras e realização da Prefeitura Municipal de
Nova Alvorada do Sul e da Federação de Motociclismo de Mato Grosso do Sul, além
do apoio da Associação de Pilotos de Nova Alvorada do Sul (APINAS) e da Câmara
de Vereadores e da supervisão da Confederação Brasileira de Motociclismo

Compartilhe este conteúdo

Comentários

Marcelo disse:

Estive presente no Brasileiro de Motocross em Nova Alvorada e gostaria de relatar alguns pontos cruciais que encontrei neste brasileiro.

*** Categoria 65c.c. – que triste de ver esse gate vazio, apenas 6 motos competindo em uma categoria que deveria ser de revelação para o motocross brasileiro acredito que o nosso esporte está em franca decadência.

Espero que o novo presidente faça alguma coisa para melhorar esta categoria. Também sou contra o uso total da pista de motocross para esta categoria, deveria ser cortado pois os obstáculos são muito brutos na totalidade da pista. Pois estamos falando de um Campeonato Brasileiro que se globaliza nas 250cc e 450 cc. É motivo para se pensar. Claro que todo pilotinho quer correr toda a pista mas temos que em 1o lugar preservar este atletas.

*** Cat. MX4 – Que incrível ver os tiozão acelerando pois são eles os nossos heróis! são eles que mandam um triplão daques que só achamos que a MX1 faz que só o super homem consegue, Mas os tiozão estão com toda a moral. CBM invistam melhor e pensem com mais carinho nessa categoria, deem privilégio para estes Senhores que são nossos super heróis, pois eles são nosso ídolos! eles são os nossos super homens. Temos que prestigiar estes tiozão que nos fazem ver o tanto da beleza que é o nosso esporte.

*** Organização tem que melhorar bastante, fazer um estadual junto com o Brasileiro! É um absurdo!

Juntar a categoria MX3 com a MX4 mais absurdo ainda! Não interessa se tem só 10 pilotos em cada categoria tem q ser separado!

Agora o ponto crucial deste brasileiro é o narrador! CBM vamos pagar um curso de narração de motocross para este locutor que cara RUIM! Narrador do Brasileiro que nem sei qual o seu nome.

Por favor faça um curso de Narração de Motocross pois nós que somos do público a sua narração é péssima “falo isso para vc poder melhorar pois a corrida tem que ser narrada, tem que ser emocionante, tem q falar de todos os pilotos, tem q ter interação com público, tem que encher a bola dos patrocinadores, tem q entrevistar a galera!”

*** Eduardo Saçaki que maravilhar ver este tiozão voltar a acelerar um moto de cross bem vindo japonês voador.

*** Último item interessante e vale para todos os pilotos! A utilização do LEATT BRACE quem sou eu para falar disso mas provavelmente vai ser polêmico acredito que a maioria dos pilotos estão usando de forma errada este protetor. Acredito eu que este protetor deva ser utilizado por fora do colete pois a pala traseira do LEATT BRACE pega bem na cervical e um tombo que leva a cabeça para traz faz com que a pala force a cervical ocasionando lesão GRAVE! ou até mesmo podendo ficar paralítico! Com certeza é um proteção a mais mais tem que ser corretamente utilizado.

Não sou nenhum especialista no assunto mas acredito que este protetor deva ser usado por fora do colete e não por dentro como muita gente utiliza.

Já vi videos na internet sobre como usar o protetor e mostra que deve ser usado por dentro do colete.

Espero que toda a galera do mundocross ou quem tiver alguma informação correta deste protetor possa dar sugestões, explicação e mais informação. Pois com certeza envolve toda a nação do esporte OFF Road.

Volney Lima disse:

O Balbi merecia este título, pois este rapaz abdicou de uma carreira no Brasil, para levar o nome do Brasil a duras penas pelos mais importantes campeonato de Motocross do mundooooo!!! Muitos ainda insistem em não reconhecer istoooo… Muito receptivo tanto ele como a Mari e seu pai, fui ao box deles, tive o prazer de cumprimentá-los pessoalmente. Parabénsssss Balbi por mais uma importante conquista!!!

Outro Parabénsssss deixo aqui ao presidente da CBM o sul-matogrossense Firmo Henrique Alves, pois tivemos a transmissão com imagem e audio via internet, conseguiu disponibilizá um Helicóptero da PF (p/ atender alguma emergência), conseguiu junto a TV Morena (afiliada globo no MS) que desse uma boa cobertura na estado e conversando com ele, me disse que tentará meios p/ que o Motocross ganhe um espaço merecido na mídia televisiva; fica aqui toda minha torcida p/ que consiga fazer com o que o Motocross seja um esporte com muito espaço na TV.
Para encerrar, o pessoal de Nova Alvorada do Sul-MS, fizeram uma excelente pista e muito bem organizado o evento, estão de parabénssss; lógico que algumas melhorias de infraestrutura tem que ser melhorada, mas em 20 dias eles conseguiram se desdobrar e realizar um belo eventooooo!!!! Fiquei 02 dias em N. Alvorada do Sul, é uma cidade que a cada dia se desenvolve mais; e parece-me que além da pista de motocross no lugar será também um local de múltiplos eventos e vão melhorar muito mais ainda o espaço.

é Editor do Mundocross, site que foi lançado por causa de sua paixão por Motocross e Supercross. Em 1990 ele começou a escrever sobre motos no Jornal VS, em São Leopoldo, no RS, numa coluna onde escrevia sobre Trilhas, Enduro e Motocross. Depois também escreveu para o Jornal O Pódium, Revista Moto Action. Nestes 24 anos teve experiências em eventos internacionais, como Mundiais de Motocross, AMA Supercross, AMA Motocross, Motocross das Nações e US Open Supercross.

Desenvolvido por GetFly