CBM divulga nota oficial de esclarecimento a Femerj

Por Assessoria de Imprensa da CBM | 19 de abril de 2012 - 17:41

A Confederação Brasileira de Motociclismo, entidade fundada em 1948 com o objetivo de unificar, defender, regulamentar e fortalecer o motociclismo em nosso país, vem a público esclarecer de uma vez por todas os factóides divulgados no site da Federação de Motociclismo do Estado do Rio de Janeiro (Femerj).

CBM bloqueou as inscrições de provas da Femerj no SISTEMA CBM pelo simples fato de a entidade fluminense estar suspensa de seus direitos como filiada. A Federação do Rio possui débitos desde maio/2011 e recusa-se a reconhecer a dívida. Fundamentada em seu Estatuto, a CBM em momento algum cometeu arbitrariedades contra a Federação.

Citar o artigo 16 da Lei Federal 9.615/98 (Lei Pelé) e esquecer de consultar o artigo 23, inciso II, alínea D, da mesma lei, deixa claro que os “motivos meramente políticos” são, sim, objetivos justamente da Federação do Rio. O mandato da última gestão da entidade fluminense encerrou-se em 2011 e até hoje, 19/04/12, a CBM não recebeu oficialmente uma ata da nova eleição, a qualificação dos dirigentes, o estatuto atualizado, e a relação dos clubes filiados e com direito a voto, conforme rege o artigo 10, incisos I a VII.

Se a Femerj não se julga subordinada ao Estatuto da CBM, e, como diz em seu site, não necessita de autorização para realizar suas provas, não precisaria e nem deveria bater à porta de prefeituras de cidades do Estado do Rio apresentando documentos emitidos pela CBM em datas anteriores à Assembléia Geral de maio/2011, quando o então ex-presidente foi afastado por má gestão e por ter suas contas reprovadas.

Ter campeonatos de motocross, supercross, enduro de regularidade, cross-country e um incompleto e inacabado campeonato de motovelocidade não deveria dar tanto orgulho à Federação do Rio. É um DEVER da entidade para com os pilotos. Pior do que isso é dizer que é “uma das poucas federações que têm quase todas as modalidades”. É um contra-senso e, mais do que isso, um menosprezo às demais federações que integram a CBM e realizam campeonatos também das modalidades Enduro FIM, Rally Baja, Rally Cross-Country, Velocross, Trial, Supermoto, etc, e que são simplesmente ignoradas pela Federação do Rio.

Dizer que tem orgulho em ver um piloto do Rio de Janeiro no alto do pódio de competições nacionais e à revelia disso marcar provas estaduais (Motocross e Enduro, mais recentemente) nas mesmas datas de etapas de Campeonatos Brasileiros não é, de forma alguma, uma atitude de quem respeita seus pilotos filiados.

A CBM não se pronunciará mais sobre a Federação de Motociclismo do Estado do Rio de Janeiro até que esteja encerrado o processo administrativo contra esta entidade, que já foi notificada e tem, pelo estatuto da CBM e pela lei, seu direito de defesa resguardado.

Compartilhe este conteúdo

Comentários

henrique disse:

pilotos boicote gerAL A TODAS ESTAS FEDERAÇÕES E CONFEDERAÇOES OLHA A BRIGA POR CAUSA DA BUFUNFA UM AGREDINDO O OUTRO E NOS PILOTOS NADINHA

é Editor do Mundocross, site que foi lançado por causa de sua paixão por Motocross e Supercross. Em 1990 ele começou a escrever sobre motos no Jornal VS, em São Leopoldo, no RS, numa coluna onde escrevia sobre Trilhas, Enduro e Motocross. Depois também escreveu para o Jornal O Pódium, Revista Moto Action. Nestes 24 anos teve experiências em eventos internacionais, como Mundiais de Motocross, AMA Supercross, AMA Motocross, Motocross das Nações e US Open Supercross.

Desenvolvido por GetFly