GP Brasil de Motocross contou com comissários da CBM

Por Rafael Domingos | Fotos por Divulgação | 20 de maio de 2012 - 19:47

Os elogios não foram poucos para a mega estrutura montada para a realização da quinta etapa do campeonato Mundial de Motocross MX1/MX2 2012 em Penha, Santa Catarina, no complexo do Beto Carrero.

Para a realização da prova, houve o envolvimento de inúmeros técnicos, estes responsáveis por elevar a etapa brasileira como a mais charmosa do mundo. Dentre eles destaque para os profissionais da Confederação Brasileira de Motociclismo (CBM). Que exercem funções vitais para o bom andamento da competição.

A consciência ambiental da prova não fica de fora, o comissário ambiental da CBM, Maurício Sermeno. Tem o papel de supervisionar as questões ambientais da competição. Para que a realização da prova não interfira no meio ambiente. Pontos como separação de resíduos, nível de ruído, recipientes nos boxes do circuito são algumas preocupações da comissão.

Maurício Sermeno

Maurício Sermeno

Responsáveis pela vistoria, destaque para a dupla, ambos tem a responsabilidade de assegurarem que os pilotos entrem na pista com a total de segurança. “O trabalho maior aconteceu na sexta, vistoriamos todas as motos. Temos que estar de olho para que os pilotos entrem seguros na pista”, aponta Sampaio responsável por se fazer cumprir o regulamento.

Alexandre Sampaio e Firmo Henrique Filho

Alexandre Sampaio e Firmo Henrique Filho

Único médico do Brasil habilitado pela Federação Internacional de Motociclismo (FIM), Maurício Braga, diretor do departamento médico da confederação Brasileira de Motociclismo, agrega mais um mundial em sua carreira.

“Já passei por muitos procedimentos, mas o que aconteceu em canelinha acredito que foi um dos principais. O que me deixa tranqüilo é saber que a CBM segue a risca o protocolo médico, sempre com ótimos profissionais a disposição dos pilotos” conta Maurício.

Maurício Braga

Maurício Braga

Por quatro anos, Maurício ficou longe das competições retornando as pistas no início do Campeonato Brasileiro de Motocross na cidade de Carlos Barbosa (RS). “A CBM faz parte da minha história de vida, quando recebi o convite do Firmo (presidente da CBM), não pensei duas vezes, pois acredito na nova gestão”, afirma

Chefe da equipe médica do GP Brasil, Maurício tem a responsabilidade de coordenar nesta etapa, seis postos médicos espalhados na pista, 11 ambulâncias, cinco delas UTI’s móveis. Outros seis médicos, 13 enfermeiros e militares do corpo de bombeiros dão todo suporte técnico para que os pilotos possam acelerar com segurança.

Compartilhe este conteúdo

Comentários

Meu. Bem pensado esses relatos. Pessoas além de indispensáveis, as vezes nos passa desapersebidas. O Maurício, o DR Braga, ali sempre atento. O Sampaio, com a firmeza de sempre. No começo do evento, ainda consegui cumprimenta-lo, até peguei uma carona dele dentro do BOX, mas depois foi aquela correria de sempre. Parabéns a esses profissionais. Ainda colocaria também o Jabuti, presidente da FGM que também colaborou dentro da pista com sua experiência e olho clínico na colaboração à direção de prova.

é Editor do Mundocross, site que foi lançado por causa de sua paixão por Motocross e Supercross. Em 1990 ele começou a escrever sobre motos no Jornal VS, em São Leopoldo, no RS, numa coluna onde escrevia sobre Trilhas, Enduro e Motocross. Depois também escreveu para o Jornal O Pódium, Revista Moto Action. Nestes 24 anos teve experiências em eventos internacionais, como Mundiais de Motocross, AMA Supercross, AMA Motocross, Motocross das Nações e US Open Supercross.

Desenvolvido por GetFly