Entrevista com o piloto Marçal Müller

Por André Charão | Fotos por Divulgação | 22 de maio de 2012 - 17:37

O Brasil teve grande destaque na etapa do Mundial de MX realizado neste final de semana na cidade de Penha em Santa Catarina. Os melhores pilotos do mundo estiveram na pista montada  dentro do Parque do Beto Carrero para dar um show de habilidade e resistência para mais de 20.000 pessoas. A pista encharcada e embarrada pela chuva que caiu no final de semana foi a maior adversária para os pilotos.

Os pilotos brasileiros tiveram uma grande participação, entre eles, o gaúcho Marçal ‘Massa’ Müller atual líder da categoria MX2 do campeonato Gaúcho de Motocross 2012.

O gaúcho de Nova Hartz teve uma brilhante participação com um excelente desempenho, 16ª na primeira bateria e 20ª na segunda bateria finalizando a etapa em 18ª na classificação geral, ficando à frente de pilotos oficiais de fábrica e de grandes equipes do Brasil.

Curta agora a entrevista com o gaúcho Marçal Müller, melhor brasileiro no GP Brasil de Motocross na MX2.

Pergunta – Marçal, em primeiro lugar queremos lhe dar os parabéns pela sua participação e pelo ótimo resultado obtido, você pode ter certeza que todos nós estávamos torcendo e muito  por você e pelos gaúchos Leonardo Sebben e Leonardo Lizzot no Mundial de MX. Com certeza a sua participação nos encheu de orgulho. Você sabe como é acompanhar uma etapa do Mundial como espectador. Agora lá dentro, fazendo parte do evento, superou as suas expectativas ?

Marçal – Em conversa com a minha equipe na sexta feira antes do evento, era uma meta chegar entre os 20 primeiros colocados. Terminando a primeira bateria em 16 e conseguindo terminar a segunda bateria em 20, geral 18, superou sim muito minhas expectativas.

Pergunta – Sabemos que a chuva atrapalha qualquer prova de Motocross, às vezes atrapalha um pouco, outras, como foi o caso desta etapa do Mundial, atrapalha muito, no entanto, chover justo na sua  participação no Mundial o deixou com o sentimento de frustração ?

Marçal – Não, acho que piloto de motocross, independente da importância da corrida, ou do clima, tem que ir para atrás do gate em qualquer condição com a mesma ideia de fazer o seu melhor, e isso não me incomoda em nada.

Pergunta – O que passou na sua cabeça durante aqueles 15 segundos antes do gate cair ?

Marçal – É meio complicado de falar aqui em algumas palavras, sensação inexplicável em saber que você está alinhado no mesmo gate que os melhores do Mundo estão. Mas resumindo, tentava manter o foco, em fazer uma boa largada, e tinha em mente muita vontade de terminar as duas baterias de 35 min + 2v.

Pergunta – A dificuldade de se manter em cima da moto foi para todos Em algum momento das duas baterias você achou que não iria conseguir completar a prova ?

Marçal – Na primeira bateria sofri sete quedas, não conseguia ficar mais com a mão no punho, porque tinha tanto barro que escapava a mão do guidom nas entradas ou recepções. A segunda bateria a pista estava impraticável, contanto que pilotos patrocinados de fabrica nem foram alinhar no gate, foram mais cinco tombos, cada vez mais a moto ficava mais pesada, no último tombo não conseguia levantar ela, tive que ser muito forte em não parar, mas mantive o foco e consegui concluir as duas baterias.

Pergunta – O seu fantástico desempenho superou as suas expectativas e, se a pista estivesse em condições melhores, seu resultado seria melhor ?

Marçal – Nunca se sabe, mas não acredito que seria melhor, porque muitos gringos que ganhei na primeira bateria tiveram muita dificuldade com o barro, então acredito que o barro até me favoreceu.

Pergunta – A menos de um ano você cogitou abandonar o Motocross, inclusive ficou afastado das pistas por um período, um dos motivos foi a falta de apoio. Você acredita que com a sua participação no Mundial e sendo o piloto brasileiro com melhor resultado na MX2, isso pode mudar ?

Marçal – Falar de apoio no Brasil é muito difícil, pois tem duas ou três equipes fortes no país que patrocinam de verdade seus pilotos, o resto é tudo apoio com quase nada de capital. Acredito sim que esse resultado em minha carreira me trará benefícios, e estou aberto a qualquer proposta de patrocínio.

Pergunta – Você vive um ótimo momento no Rinaldi Gaúcho de Motocross, e no Brasileiro de MX mesmo começando com problemas você conseguiu recuperar.  Sua responsabilidade em manter a sequência de resultados fica maior à partir de agora ?

Marçal – No gaúcho até agora tive 100% de aproveitamento, pretendo fazer de tudo para continuar com esse ritmo, no brasileiro, tive problemas na primeira etapa com um resultado muito ruim, já na segunda etapa, me recuperei terminando na sétima colocação, pretendo continuar com este crescimento durante o campeonato, minha meta é ir para o pódio nas próximas etapas. Acredito que vou continuar com a mesma responsabilidade de sempre, e vou trabalhar muito em cima disso para tentar superar todas as expectativas.

Pergunta – Agora é com você, o espaço é seu para deixar um recado para o pessoal que o acompanhou tanto em casa pela TV, como ao lado da pista debaixo de chuva, torcendo por você a cada curva e cada obstáculo superado.

Marçal – Quero agradecer a todos que não conseguiram ir ao GP Brasil e  ficaram em casa torcendo por mim na TV ou internet, agradecer a todos de todas as arquibancadas que gritavam incansavelmente muito a toda curva, todo salto, podem ter certeza que isso me ajudou muito durante as duas baterias, agradeço também a FGM e a CBM por me darem a oportunidade de participar do evento, meus patrocinadores Geramotos / Carbase / Pro Race e SPY, agradeço de coração a todos que torceram por mim me mandaram mensagens durante este GP Brasil 2012. Então muito obrigado a todos estou muito feliz com este resultado e pretendo me dedicar mais e mais para isto se repetir.

Compartilhe este conteúdo

Comentários

Gabriel Mattes "Gabiru" disse:

Parabéns \o/
Muito bom te ver na frente dos gringos \o
Espero que vc continue andando , e conquistando mais titulos!

dudol disse:

concordo com tudo que o o ju botucatu falo a maior verdade se tem medo de barro vai pro moto gp.tendo tantos otros pilotos bons no brasil vcs chegam la e desistem.

carlos e. duda giovanucci disse:

parabéns!

Em primeiro queria deixar meus parabens ao Marçal Muller !! que sem duvidas mostrou alem de vontade , GARRA ,determinaçao ser um tremendo profissional !!! quando digo isso quero dizer que foi dado a oportunidade para alguns pilotos BRASILEIROS!!!! de andar o MUNDIAL DE MX ao lado dos melhores e mesmo assim alguns nem entraram na pista e outros boicotarem a segunda bateria!!! td bem choveu pista dificil lama !!! mas é MOTOCROSS quem nao gosta de barro vai andar na MOTO VELOCIDADE !! ou vcs acham que o publico que comprou ingresso estava adorando ficar lá de baixo de chuva !!! quem foi lá é pq gosta do esporte tem seus IDOLOS e ver isso que alguns nao tiveram respeito com os mesmos e nem entraram na pista!!
QUERIA DEIXAR TB OS PARABENS alem DO MARÇAL , BALBI e PRINCIPAL AO WELLINGTON GARCIA que em entrevista disse que nao era justo com o publico desistir !!! foi um GUERREIRO !!! Meus parabens !!!
E deixo aqui um pedido a CBM na HORA de escolher os pilotos !!! tantos com vontade de estar lá e outros nem ai com nada uma tremenda falta de respeito … muito obrigada pelo espaço .

Rafael disse:

Quem está treinando ou seu mecanico? Elton ?

é Editor do Mundocross, site que foi lançado por causa de sua paixão por Motocross e Supercross. Em 1990 ele começou a escrever sobre motos no Jornal VS, em São Leopoldo, no RS, numa coluna onde escrevia sobre Trilhas, Enduro e Motocross. Depois também escreveu para o Jornal O Pódium, Revista Moto Action. Nestes 24 anos teve experiências em eventos internacionais, como Mundiais de Motocross, AMA Supercross, AMA Motocross, Motocross das Nações e US Open Supercross.

Desenvolvido por GetFly