Resultados da final da Superliga de Motocross em Penha

Por Divulgação | Fotos por Divulgação | 15 de julho de 2012 - 22:19

Grandes disputas encerraram a temporada 2012 da Superliga de Motocross 2012, realizada este final de semana, 14 e 15 de julho, no parque Beto Carrero World, em Penha, Santa Catarina. Os títulos foram decididos somente nas últimas corridas e os campeões, de quebra, foram os vencedores da etapa catarinense.

A categoria Júnior foi a primeira a se alinhar no gate desta manhã, com a vitória que veio de ponta a ponta para Fábio dos Santos. Na MX2, Eduardo Lima venceu as duas corridas que o consagraram campeão na categoria e na MX Pró, Carlos Campano venceu também as duas baterias e levou o título ainda na primeira.

Estrutura do circuito montada no Beto Carrero World

Estrutura do circuito montada no Beto Carrero World

Categoria Júnior

Fábio dos Santos fez o holeshot e durante boa parte da corrida se defendeu das investidas de Gustavo Pessoa, vice-líder do campeonato, que pressionou e chegou a andar lado a lado do líder.

Com problemas na embreagem, Pessoa perdeu o rendimento e foi ultrapassado por Enzo Lopes e depois por José Bryan, terminando a última corrida na 5ª posição. “Não conseguia fazer as curvas por conta de um problema na embreagem e perdi no desempenho. Mas estou feliz com a vice-liderança e os resultados que tive em toda a temporada”, explicou Pessoa, que terminou o campeonato em vice. O catarinense José Bryan levou a bandeirada em 2º, Enzo Lopes e Leonardo de Souza se classificaram na 3ª e 4ª posições.

Fábio dos Santos

Fábio dos Santos

Fábio dos Santos venceu o campeonato com 137 pontos, resultado de quatro vitórias em seis provas disputadas. Gustavo Pessoa se distanciou do título a partir da 5ª etapa da Superliga Brasil de Motocross, realizada em Brasília, quando um pneu furou durante a corrida e hoje, com problemas mecânicos. Terminou a temporada com 122 pontos.

Categoria MX2

1ª bateria – Valendo um respiro para a 2ª e decisiva corrida da MX2, Thales Vilardi largou bem na primeira prova da categoria, seguido do vice-líder do campeonato Eduardo Lima. Hector Assunção não largou bem e teve que ir em busca das primeiras posições.

Na disputa pela ponta, Thales não aguentou a pressão de Dudu Lima e perdeu a liderança, que o piloto levou até a bandeirada. Hector Assunção também conseguiu chegar até o companheiro de equipe e terminar com a 2ª posição. Rafael Faria, que também disputava o título da categoria, ficou com a 4ª colocação na primeira corrida.

2ª bateria –Na decisão da MX2, as atenção estavam voltadas ao líder e o vice do campeonato, Hector Assunção e Dudu Lima. Pepê Bueno fez o segundo holeshot, seguido de Thales Vilardi e Hector Assunção. Dudu Lima largou na quinta posição. Hector Assunção chegou a liderança e Dudu Lima na 2ª posição, numa disputa emocionante valendo o título da temporada. Numa falha, Hector caiu e deixou o caminho livre para Dudu levar a primeira bandeirada e o campeonato da MX2, com a diferença de 50 segundos para ele. “Entrei no gate para dar o melhor e mostrar o resultado de toda a campanha que fizemos durante o campeonato. Agradeço a minha família e meus patrocinadores por chegarmos até aqui”, agradeceu Dudu Lima no pódio.

Eduardo 'Dudu' Lima

Eduardo ‘Dudu’ Lima

O pódio foi completado por Rafael Faria e Thales Vilardi, que terminaram na 2ª e 3ª posições, Hector em 4º e o gaúcho João Ribeiro em 5º. Dudu Lima foi o campeão da categoria MX2 com 160 pontos e quatro vitórias. Hector Assunção ficou com a vice-liderança, igualmente com quatro vitórias, e 256 pontos.

Categoria MX Pró

1ª bateria – Carlos Campano largou na primeira bateria da MX Pró com a possibilidade de tornar-se campeão ainda na penúltima corrida da categoria. O mineiro Jorge Balbi Jr. fez o holeshot e disputou a liderança nas primeiras curvas com o goiano Wellington Garcia até cair e perder posições.

O espanhol não fez boa largada, mas como de costume, logo se aproximou do ponteiro Wellington Garcia e tomou a liderança. O inglês Adam Chatfield e o convidado da equipe Honda, o americano Sean Collier, também chegaram com força às primeiras posições, deixando Garcia para trás. Em 35:48.723s Carlos Campano terminou a prova com a 1ª posição e saiu da pista campeão da temporada na MX Pró. Adam Chatfield e Sean Collier terminaram com as 2ª e 3ª posições, Wellington Garcia em 4º e Jean Ramos, que fez a melhor volta no classificatório, acabou com a 5ª posição.

2ª bateria – Na última corrida da temporada para a MX Pró, Wellington Garcia fez o holeshot e Carlos Campano, que já entrou no gate com o título no bolso, largou na 2ª posição.

Nas primeiras voltas o espanhol já assumiu a liderança rumo a mais uma vitória. Wellington Garcia teve um problema mecânico com a moto, que o obrigou a abandonar a prova. Com o caminho livre, o americano Sean Collier e Jorge Balbi Jr. ganharam cada um uma posição e terminaram nas 2ª e 3ª posições. Adam Chatfield não largou bem e terminou a segunda bateria da MX Pró na 4ª colocação. Leandro Silva finalizou o pódio em 5º.

Carlos Campano

Carlos Campano

Carlos Campano foi o campeão da MX Pró com 260 pontos, seis vitórias consecutivas e levou o título na penúltima prova da manhã. Adam Chatfield foi o vice, com 228 pontos. “Estou muito feliz com esta conquista e dedico ao Marronzinho, um grande piloto e amigo que deixa saudades e um exemplo para nós”, homenageou o campeão espanhol.

A Romagnolli Promoções e Eventos encerra mais uma edição da Superliga de Motocross, parabenizando os campeões de todas as cinco baterias – Arthur Todeschini (65), Gabriel Montagner (CRF 230), Fábio dos Santos (Júnior), Eduardo Lima (MX2) e Carlos Campano (MX Pró).

Thui comemora com seu pai Ademir Todeschini

Thui comemora com seu pai Ademir Todeschini

Clique aqui e confira os resultados completos da etapa de Penha

Compartilhe este conteúdo

Comentários

Szk disse:

Parabéns Dudu pela grande conquista, a primeira de muiras em sua carreira. Parabéns também para o mano Rato, e o grande chefe Gui Lima. Todos mereceram esse resultado!

carlos e. duda giovanucci disse:

a superioridade dos estrangeiros foi gritante esta temporada… deu nem graça!

é Editor do Mundocross, site que foi lançado por causa de sua paixão por Motocross e Supercross. Em 1990 ele começou a escrever sobre motos no Jornal VS, em São Leopoldo, no RS, numa coluna onde escrevia sobre Trilhas, Enduro e Motocross. Depois também escreveu para o Jornal O Pódium, Revista Moto Action. Nestes 24 anos teve experiências em eventos internacionais, como Mundiais de Motocross, AMA Supercross, AMA Motocross, Motocross das Nações e US Open Supercross.

Desenvolvido por GetFly