Como é a moto do piloto Jean Ramos da X Motos

Por Divulgação | Fotos por Divulgação | 21 de agosto de 2012 - 17:06

Atendendo ao pedido de um leitor, a Escuderia X Motos preparou uma matéria que desperta muita curiosidade por parte dos amantes do motocross: como é a moto do piloto? Quais foram às modificações feitas e as peças utilizadas?

É importante ressaltar que cada piloto tem um estilo de pilotagem próprio e, portanto, as adaptações na motocicleta devem ser realizadas de acordo com o que for melhor para cada competidor.

Existem pilotos que gostam de motos com grande potencial de saída, as chamadas motos “estúpidas” outros, no entanto, preferem uma saída mais progressiva, com aceleração menos intensa, porém mais constante. Jean Ramos se enquadra nessa última característica.

O Início

No começo de 2012, quando a Escuderia X Motos entrou no cenário de competições no Brasil, Jean Ramos foi o primeiro nome escolhido para defender a equipe. A Escuderia investiu alto em peças para o motor do equipamento do piloto e, já nas primeiras provas da temporada, Jean não mostrou boa adaptação a esta mudança. A equipe, então, retornou ao motor original e manteve modificadas apenas as válvulas e o pistão.

“Mesmo assim Jean ainda achou a moto muito forte, e então passamos a priorizar alterações na estrutura e na suspensão, principalmente, para um ajuste melhor ao jeito do piloto. Jean gosta da suspensão bem dura, no estilo supercross” revela Cale Neto, diretor de competições da X Motos do Brasil.

Jean Ramos

Jean Ramos

Principais características da moto #992

As características principais da moto de Jean Ramos são: ajustes na suspensão, ajuste do assento, sistema de freio dianteiro, ajuste no cabeçote, remapeamento da injeção eletrônica, alteração no ângulo de caster (o ângulo da bengala com a suspensão).

“A maior parte das motos tem esse ângulo de 23º e na moto do Jean ajustamos para 21º5, deixando a moto mais curta, o que facilita que ele faça as curvas de forma mais rápida” acrescenta Cale Neto.

Mais próxima do modelo original

Com o passar dos meses e das provas da temporada, foi possível notar uma boa evolução no desempenho de Jean Ramos nas pistas. O atual campeão brasileiro da MX2 está totalmente adaptado ao seu equipamento. Ele se sentiu mais à vontade com uma motocicleta bem aproximada do original, com pequenas alterações nas dimensões e na suspensão, o que nem sempre é válido para outros pilotos.

“A Kawasaki é uma moto muito completa e trabalhamos em cima de peças originais. As principais mudanças feitas foram na parte da ciclística, onde mudamos o ângulo de caster para a moto ficar mais curta e mais ágil em curvas fechadas, o assento da moto sofreu algumas alterações, ficou mais rigido também , o sistema de freio dianteiro recebeu uma pinça maior e um disco dianteiro flutuante com o diâmetro maior para auxiliar nas freiadas ,o motor sofreu poucas mudanças, apenas no comando e no pistão da moto. Foi feito um ajuste no cabeçote para que a moto fique mais progressiva, já que ela é a mais forte da categoria. Por ser também a moto mais pesada, fizemos um trabalho de revalvulagem das suspenções dianteira e traseira, deixando-as mais firmes. O escapamento é Pro Circuit e fizemos um remapeamento da injeção da moto” revela o piloto.

Compartilhe este conteúdo

Comentários

é Editor do Mundocross, site que foi lançado por causa de sua paixão por Motocross e Supercross. Em 1990 ele começou a escrever sobre motos no Jornal VS, em São Leopoldo, no RS, numa coluna onde escrevia sobre Trilhas, Enduro e Motocross. Depois também escreveu para o Jornal O Pódium, Revista Moto Action. Nestes 24 anos teve experiências em eventos internacionais, como Mundiais de Motocross, AMA Supercross, AMA Motocross, Motocross das Nações e US Open Supercross.

Desenvolvido por GetFly