Mundial de Motocross 2012 – 15ª etapa – Itália

Por Renato Dalzochio Jr. | Fotos por Divulgação | 13 de setembro de 2012 - 7:32

A multidão italiana não deixou ninguém cabisbaixo e embalou as arquibancadas em Faenza neste domingo, 9 de setembro, durante o GP da Europa, penúltima etapa da temporada 2012 do Mundial de Motocross. Na ocasião foram testemunhados os títulos das duas categorias em disputa, a MX1 e a MX2, que decidiram seus campeões com uma etapa de antecedência. Correndo em casa Antonio Cairoli pôde comemorar seu sexto título mundial ainda na primeira bateria, diferente do holandês Jeffrey Herlings na MX2, que só pôde soltar seu primeiro grito de é campeão após o término da segunda bateria.

Categoria MX1

Antonio Cairoli obteve seu sexto título mundial correndo em casa, algo que nunca havia acontecido antes. Cairoli admitiu que estava muito feliz por conquistar o título na Itália, na frente de seu público, mas ao mesmo tempo ele também lembrou de sua mãe, que faleceu neste mesmo dia no ano passado. Na primeira bateria obteve uma boa distância na liderança, mas faltando 10 minutos para o final ficou sem freio traseiro.

Largada da categoria MX1 no GP da Itália

Largada da categoria MX1 no GP da Itália

Mesmo assim a vontade de vencer foi maior e ele garantiu o primeiro lugar e o hexacampeonato. Na segunda bateria o italiano não estava se sentindo bem porque havia comemorado o título no intervalo entre uma bateria e outra, mas outra vez a agitação da torcida local e a vontade de vencer lhe asseguraram o primeiro lugar na segunda bateria.

Gautier Paulin

Gautier Paulin

O francês Christophe Pourcel, ex-campeão Mundial MX2, correu em Faenza ainda sentindo dores no ombro fraturado. Mesmo assim, nas duas baterias ele foi capaz de andar no pelotão da frente com um ritmo consistente. O francês admitiu que seu objetivo era subir no pódio neste fim de semana, de modo que ele estava muito satisfeito com o segundo lugar no overall. O futuro de Pourcel ainda é incerto, mas ele mencionou que talvez possa revelá-lo no próximo GP, na Alemanha.

Antonio Cairoli

Antonio Cairoli

Para Clement Desalle o retorno ao pódio foi muito bom e positivo, especialmente porque ele estava lutando muito para superar as dores da mão lesionada durante o treino classificatório do GP de Matterley Basin. O belga admitiu que ainda precisa obter alguma mobilidade na mão, mas fez boa largada em ambas baterias e foi capaz de terminar em terceiro na primeira e em quarto na segunda.

Christophe Pourcel

Christophe Pourcel

Gautier Paulin perdeu o pódio por apenas quatro pontos mas o francês terminou o GP da Europa com bons sentimentos, levando em consideração que conseguiu marcar bons tempos nas duas baterias. Na primeira Paulin admitiu que cometeu vários erros que lhe custaram preciosos segundos e que lhe impediram de ir além da sétima posição. Na segunda ele largou muito melhor e foi capaz de finalizar em terceiro.

Ken De Dycker

Ken De Dycker

Ken De Dycker estrelou outra recuperação incrível, especialmente na primeira corrida, quando ele caiu na primeira volta, retornou na 18ª posição e finalizou em quarto. Na segunda o belga largou melhor mas cometeu vários erros, tendo que se contentar com a sétima posição na corrida e com a quinta no overall.

Clement Desalle

Com estes resultados Cairoli chegou a 88 pontos de vantagem sobre Desalle no campeonato. Paulin é o terceiro, Pourcel o quarto e De Dycker fecha os cinco primeiros.

Pódio da categoria MX1 no GP da Itália

Pódio da categoria MX1 no GP da Itália

Equipe KTM comemora mais um título de Cairoli

Equipe KTM comemora mais um título de Cairoli

Resultado da décima quinta etapa do Mundial de Motocross na categoria MX1
1. Antonio Cairoli (KTM)
2. Christophe Pourcel (Kawasaki)
3. Clement Desalle (Suzuki)
4. Gautier Paulin (Kawasaki)
5. Ken de Dycker (KTM)
6. Evgeny Bobryshev (Honda)
7. Sebastien Pourcel (Kawasaki)
8. Tanel Leok (Suzuki)
9. Shaun Simpson (Yamaha)
10. Davide Guarneri (KTM)

Classificação da categoria MX1 após quinze etapas
1. Antonio Cairoli (642 pontos/Campeão)
2. Clement Desalle (554)
3. Gautier Paulin (502)
4. Christophe Pourcel (496)
5. Ken de Dycker (478)
6. Kevin Strijbos (389)
7. Xavier Boog (372)
8. Tanel Leok (365)
9. Rui Goncalves (315)
10. Shaun Simpson (298)

Categoria MX2

Jeffrey Herlings conquistou seu primeiro título mundial após vencer as duas baterias. O piloto de 17 anos de idade se emocionou no pódio ao ouvir o Hino Nacional Holandês e lembrar de todos os altos e baixos que teve na temporada 2012. Também lembrou de como sua equipe lhe ajudou na conquista do título. Herlings se sentiu um pouco em casa porque muitos fãs holandeses viajaram até Faenza para comemorar o título com ele.

Largada da categoria MX2 no GP da Itália

Largada da categoria MX2 no GP da Itália

Tommy Searle foi o segundo no overall, finalizando atrás de Herlings em ambas baterias. O britânico deu tudo de si para ultrapassar Herlings no início das duas baterias mas admitiu que o holandês estava muito rápido e que ele não conseguiu vencê-lo. Sua meta agora é vencer o último GP na Alemanha.

Arnaud Tonus

Arnaud Tonus

Jeremy Van Horebeek ficou um pouco decepcionado com seu desempenho já que esperava muito mais de si mesmo. Após a primeira bateria o belga admitiu que sofreu muito com as suspensões de sua moto e que decidiu mudar a configuração para a segunda bateria. Horebeek se sentiu muito mais confortável na segunda bateria mas torceu o joelho e pilotou com dor até a bandeira quadriculada. O belga conseguiu terminar em terceiro nas duas baterias, completando o pódio nesta mesma posição no overall.

Jeremy Van Horebeek

Jeremy Van Horebeek

Seu companheiro de equipe Jordi Tixier fez largadas muito boas nas duas baterias e foi capaz de manter o mesmo ritmo dos pilotos da frente. O francês foi quinto na primeira bateria e quarto na segunda, o que lhe rendeu o quarto lugar no overall e a quinta posição na classificação do campeonato. Sua meta daqui duas semanas é subir no pódio no último GP na Alemanha.

Jeffrey Herlings

Jeffrey Herlings

Arnaud Tonus completou os cinco primeiros depois de cruzar a linha de chegada em sexto na primeira bateria e em sétimo na segunda. O suíço começou a primeira bateria em sétimo, mas perdeu a posição para Jake Nicholls já na primeira volta. No entanto Tonus não desistiu e conseguiu ultrapassar Nicholls e depois Larrieu.

Tommy Searle

Tommy Searle

Na segunda bateria o suíço largou por volta da décima posição e ficou preso num grupo de quatro pilotos enquanto tentava recuperar posições, tendo que se contentar com o sétimo lugar.

Jordi Tixier

Jordi Tixier

No campeonato a vantagem de Herlings sobre Searle chegou a 71 pontos. Horebeek é o terceiro, Nicholls o quarto e Tixier fecha os cinco primeiros.

Pódio da categoria MX2 no GP da Itália

Pódio da categoria MX2 no GP da Itália

Equipe KTM comemorando o título de Herlings na MX2

Equipe KTM comemorando o título de Herlings na MX2

Resultado da décima quinta etapa do Mundial de Motocross na categoria MX2
1. Jeffrey Herlings (KTM)
2. Tommy Searle (Kawasaki)
3. Jeremy van Horebeek (KTM)
4. Jordi Tixier (KTM)
5. Arnaud Tonus (Yamaha)
6. Romain Febvre (KTM)
7. Valentin Teillet (Kawasaki)
8. Loic Larrieu (Kawasaki)
9. Jake Nicholls (KTM)
10. Julien Lieber (Suzuki)

Classificação da categoria MX2 após quinze etapas
1. Jeffrey Herlings (672 pontos/Campeão)
2. Tommy Searle (601)
3. Jeremy van Horebeek (559)
4. Jake Nicholls (409)
5. Jordi Tixier (401)
6. Joel Roelants (367)
7. Max Anstie (323)
8. Jose Butron (272)
9. Dylan Ferrandis (272)
10. Glenn Coldenhoff (251)

Os campeões posando ao lado dos organizadores do Mundial

Os campeões posando ao lado dos organizadores do Mundial

Os Top 3 do Mundial de Motocross MX1 2012

Os Top 3 do Mundial de Motocross MX1 2012

Os Top 3 do Mundial de Motocross MX2 2012

Os Top 3 do Mundial de Motocross MX2 2012

Herling e Cairoli são os campeões Mundiais MX2 e MX1 2012

Herling e Cairoli são os campeões Mundiais MX2 e MX1 2012

Compartilhe este conteúdo

Comentários

é Editor do Mundocross, site que foi lançado por causa de sua paixão por Motocross e Supercross. Em 1990 ele começou a escrever sobre motos no Jornal VS, em São Leopoldo, no RS, numa coluna onde escrevia sobre Trilhas, Enduro e Motocross. Depois também escreveu para o Jornal O Pódium, Revista Moto Action. Nestes 24 anos teve experiências em eventos internacionais, como Mundiais de Motocross, AMA Supercross, AMA Motocross, Motocross das Nações e US Open Supercross.

Desenvolvido por GetFly