História do Motocross das Nações em números

Por Renato Dalzochio Jr. | 20 de setembro de 2012 - 22:37

– 2004 foi a última vez que os Estados Unidos perderam o título do MXDN.
– 13 foi a mais longa série de títulos de um país, recorde dos Estados Unidos de 1981 a 1993.
– 5 foi o número de vezes que a França foi vice-campeã desde 2005.
– 6 foi o número de vezes que a Grã Bretanha terminou entre os 5 primeiros desde 2005.
– 8 foi o número de pontos perdidos pelos Estados Unidos na edição de 2007.
– 34 foi o número de pontos perdidos pela França em 2007, quando foi vice-campeã.
– 65 é o número de vezes que o MXDN (MXoN) já foi realizado.
– 2004 foi o ano que o nome mudou de Motocross Des Nations para Motocross of Nations.
– 19,42 é a média de pontos perdidos pelos Estados Unidos desde 2005.
– 36 foi o número de países que competiram em 2011.
– 33 serão os países que competirão em 2012 (Kuwait, China e Croácia desistiram).
– 18 é o número de títulos da Grã Bretanha.
– 17 é número de anos do jejum da Grã Bretanha desde o último título.
– 68.000 foi o número de expectadores na edição 2011 em Saint Jean d’Angely.
– 1981 foi o ano do primeiro título dos Estados Unidos.
– 2:15.311 foi a volta mais rápida de Tony Cairoli na pista de Lommel em 2011, palco da edição 2012.
– 6 foi o número de vezes que Roger DeCoster levou a Bélgica para o topo do pódio.
– 26 é o número de títulos dos Estados Unidos no MXoN.
– 23 é o número de títulos da Bélgica no MXoN.
– 12 é o número de títulos da Suécia no MXoN.
– 8 é o número de países que já venceram o MXoN (Estados Unidos, Bélgica, Grã Bretanha, Suécia, União Soviética, Itália, França e Tchecoslováquia).
– 22 é o número de baterias vencidas pelos Estados Unidos.
– 1997 foi o ano da primeira participação brasileira no MXDN.
– 1999 foi o ano em que o Brasil sediou o MXDN.
– 2007 foi o ano da primeira vez que o Brasil se classificou para a final do MXDN, curiosamente no ano em que voltou a disputar a competição, após a última participação em 2001.

Compartilhe este conteúdo

Comentários

é Editor do Mundocross, site que foi lançado por causa de sua paixão por Motocross e Supercross. Em 1990 ele começou a escrever sobre motos no Jornal VS, em São Leopoldo, no RS, numa coluna onde escrevia sobre Trilhas, Enduro e Motocross. Depois também escreveu para o Jornal O Pódium, Revista Moto Action. Nestes 24 anos teve experiências em eventos internacionais, como Mundiais de Motocross, AMA Supercross, AMA Motocross, Motocross das Nações e US Open Supercross.

Desenvolvido por GetFly