Federação Fluminense resgata moto clubes no Rio

Por Assessoria de Imprensa da FFM | Foto por Divulgação | 26 de setembro de 2012 - 23:27

Nem a chuva que castigou a capital do Rio de Janeiro na noite desta terça-feira, dia 25 de setembro, foi capaz de atrapalhar a primeira Assembleia Geral Extraordinária da Federação Fluminense de Motociclismo, que contou com a presença de 34 participantes, entre pilotos, organizadores, diretores de prova, representantes e presidentes de moto clubes.

Confirmando a nova fase que vive o esporte fluminense, os cinco moto clubes fundadores da FFM (Trail Clube Esqueleto do Mato, Pró Racing MC, MX-Rio MC, Trail Club Miracema e MC Mão na Lata) aprovaram de forma unânime a filiação de cinco novos membros à entidade, entre eles dois dos clubes mais tradicionais e históricos do estado, como Rio Trail Clube e União Moto Clube. Além do RTC e do União, também foram filiados os clubes Cripaul Racing, Grupo Trilha e Moto Clube Enduro3Rios, responsável pelas únicas provas de Campeonatos Brasileiros nos últimos dois anos no Rio de Janeiro.

– Este foi um dia histórico para todos. Mais do que filiar novos membros, a FFM fez justiça aos clubes afastados de forma absurda e autoritária do motociclismo, sofrendo severas represálias por parte da antiga federação – declarou Adriano Winckler, presidente da FFM. – O União e o RTC são clubes que dispensam apresentação; o Cripaul, pelo que sua diretoria demonstrou nos últimos anos, tem, sem dúvida, o corpo técnico mais qualificado e as melhores provas de motocross no estado; e o Grupo Trilha e o Enduro3Rios destacam-se ano após ano pelos seus grandes eventos no Enduro – completou Winckler.

Responsável por históricas competições de motocross no passado, o União Moto Clube é referência no esporte tanto dentro quanto fora do Rio de Janeiro. Seu presidente, Rodolfo Rezende, colocou a sede do clube, em Duque de Caxias, à disposição para a realização de eventos ainda este ano.

– Por três vezes tentamos fazer parte da antiga federação. Pagamos jóia, mensalidade, e não tivemos o pedido aceito em nenhuma delas. A FFM conseguiu fazer o que muitos tentaram mas não tiveram sucesso. Agora, cabe aos clubes se empenhar em realizar eventos de qualidade para fortalecer o esporte no estado – disse Rodolfo Rezende.

Único piloto a ter participado de todas as 30 edições do Enduro da Independência, Adhemar Euclydes, do RTC, é a história viva da modalidade no estado. Casado com Monica Cury, que presidiu o RTC e foi durante muitos anos a única mulher a disputar o Independência, Euclydes ressaltou a importância de apagar o passado e pensar neste novo começo para o motociclismo fluminense.

– O RTC realizava eventos grandiosos há décadas, e se não tivesse sido desfiliado da antiga federação, por uma suposta e injustificada dívida, poderia ter ainda hoje o Enduro Imperial, em Petrópolis, como uma das principais provas do país. Agora, estamos em uma nova fase. Colocaremos uma pedra em cima desse passado e vamos partir para um novo começo – afirmou Euclydes.

Entre as novidades confirmadas na assembleia, o presidente do Cripaul Racing, juntamente com o senhor Paulo Monteiro, anunciou para dezembro um grande evento de motocross, como prévia para a temporada 2013, marcando a primeira prova da modalidade a ser realizada por um dos clubes filiados à FFM. O anúncio teve grande apoio dos presentes e promete ser um dos maiores eventos do estado este ano.

– Fico muito feliz que o motociclismo do Rio de Janeiro esteja sendo comandado de forma tão correta. O retorno de clubes tão tradicionais é a prova de que é possível recuperar o prestígio do esporte fluminense. A FFM tem todo o apoio da CBM nessa nova jornada, e me alegra perceber que o pedido das federações estaduais que votaram a favor da FFM, na assembléia da CBM em maio, para que houvesse conversa e união no Rio de Janeiro, foi atendido. Tenho certeza de que em breve o estado voltará a figurar no calendário nacional de todas as modalidades – garantiu Firmo Alves, presidente da CBM.

Através de votação democrática, também foram escolhidos os nomes de três diretores de modalidade: Sérgio Barbosa Neves (Enduro de Regularidade), José Carlos Infante (Motocross/Supercross) e Richard Brokaw (Velocross/Cross-Country). Os três irão definir mais três nomes para compor a “Comissão Esportiva” de suas respectivas modalidades. Os demais diretores serão anunciados após apreciação da diretoria e da assembleia da FFM nas próximas semanas.

Estrutura Institucional da FFM:

Presidente: Adriano Winckler
1º vice-presidente: Antonio Amaral
2º Vice-presidente: Gabriel Boardman
Diretor Financeiro: Ilk Lopes Araújo
Diretor Geral: Marcello Marques
Diretor Esportivo: Gabriel Boardman
Diretor de Motocross: José Carlos Infante
Diretor de Enduro de Regularidade: Sérgio Neves
Diretor de Velocross/Cross-Country: Richard Brokaw

Clubes filiados:

Trail Clube Esqueleto do Mato
Trail Clube Miracema
MX-Rio Moto Clube
Pró Racing Moto Clube
Moto Clube Mão na Lata
União Moto Clube
Rio Trail Clube
Cripaul Racing Clube
Grupo Trilha Volta Redonda
Moto Clube Enduro3Rios

Compartilhe este conteúdo

Comentários

é Editor do Mundocross, site que foi lançado por causa de sua paixão por Motocross e Supercross. Em 1990 ele começou a escrever sobre motos no Jornal VS, em São Leopoldo, no RS, numa coluna onde escrevia sobre Trilhas, Enduro e Motocross. Depois também escreveu para o Jornal O Pódium, Revista Moto Action. Nestes 24 anos teve experiências em eventos internacionais, como Mundiais de Motocross, AMA Supercross, AMA Motocross, Motocross das Nações e US Open Supercross.

Desenvolvido por GetFly