Resultados do Motocross das Nações 2012

Por Renato Dalzochio Jr. | Fotos por Divulgação | 02 de outubro de 2012 - 19:22

O Motocross das Nações 2012, disputado no último final de semana nas areias de Lommel na Bélgica, entrou para a história graças a um épico episódio. A Alemanha surpreendeu a todos e levou o título pela primeira vez em 66 anos de competição, acabando com a hegemonia dos Estados Unidos que já durava sete anos.

Correndo em casa a Bélgica sagrou-se vice-campeã, enquanto que os atuais campeões completaram o pódio. Entre as 33 nações presentes, o Brasil não conseguiu se classificar, mas teve uma participação digna de aplausos pela coragem e bravura dos pilotos que entraram na pista e encararam o desafio.

Bateria MX1 / MX2
Quando o gate caiu para a primeira corrida do dia, o alemão Max Nagl fez o holeshot e saiu na frente, mas o português Rui Gonçalves e o italiano Antonio Cairoli rapidamente ultrapassaram o piloto da KTM ainda na primeira volta. Enquanto isso Ryan Dungey e Blake Baggett apareciam na oitava e na vigésima terceira posição respectivamente. Depois de assumir a liderança, Cairoli permaneceu nela até a bandeira quadriculada, vencendo com 21 segundos de vantagem sobre o frances Gautier Paulin, segundo colocado. Nagl foi o terceiro, com o belga Clement Desalle em quarto. O alemão Ken Roczen completou os cinco primeiros. Dungey foi apenas o sétimo colocado. Baggett finalizou em décimo quarto, depois de sofrer um tombo na areia quando parecia ter encontrado um ritmo rápido.

Resultado MX1 / MX2
1. Antonio Cairoli, Itália (KTM)
2. Gautier Paulin, França (Kawasaki)
3. Max Nagl, Alemanha (KTM)
4. Clement Desalle, Bélgica (Suzuki)
5. Ken Roczen, Alemanha (KTM)
6. Evgeny Bobryshev, Rússia (Honda)
7. Ryan Dungey, EUA (KTM)
8. Tommy Searle, Grã Bretanha (Kawasaki)
9. Marc de Reuver, Holanda (Kawasaki)
10. Jeremy van Horebeek, Bélgica (KTM)
11. Joshua Coppins, Nova Zelândia (Yamaha)
12. Rui Goncalves, Portugal (Honda)
13. Martin Barr, Irlanda (Suzuki)
14. Blake Baggett, EUA (Kawasaki)
15. Glenn Coldenhoff, Holanda (KTM)
16. Jake Nicholls, Grã Bretanha (KTM)
17. Gert Krestinov, Estônia (Honda)
18. Alexander Tonkov, Rússia (Honda)
19. Marvin Musquin, França (KTM)
20. Priit Rätsep, Estônia (KTM)

Antonio Cairoli

Antonio Cairoli

 

Bateria MX2 / MX3
Quando a placa de 30 segundos baixou para a segunda bateria do domingo, o holandês especialista em areia, Jeffrey Herlings, fez o holeshot e pulou na frente, liderando a corrida do início ao fim e vencendo com uma grande margem sobre os demais. Justin Barcia brigou pela segunda posição com o belga Ken De Dycker por várias voltas, mas a batalha acabou rapidamente quando o norte-americano bateu na roda traseira do belga e sofreu um tombo na areia. Barcia conseguiu voltar em terceiro, mas sofreu muita pressão de Roczen e do estoniano Tanel Leok. Ele tentou segurá-los enquanto pode, mas acabou perdendo a batalha para os dois pilotos.

Roczen tentou desafiar De Dycker por algumas voltas, mas não foi capaz de fazer a ultrapassagem e eventualmente perdeu a terceira posição para Leok. Na última volta o desastre aconteceu com Barcia, quando ele ocupava a quinta posição. Ele teve problemas com o freio dianteiro na colisão com De Dycker e foi obrigado a parar nos boxes e terminou na décima quarta posição. Leok finalizou em segundo e De Dycker em terceiro. Roczen foi o quarto e o italiano Davide Guarneri completou os cinco primeiros. Baggett finalizou na sexta posição.

Após duas baterias, a Alemanha liderava com uma considerável vantagem sobre os EUA, que apareciam na segunda posição.

Resultado MX2 / MX3
1. Jeffrey Herlings, Holanda (KTM)
2. Tanel Leok, Estônia (Suzuki)
3. Ken de Dycker, Bélgica (KTM)
4. Ken Roczen, Alemanha (KTM)
5. Davide Guarneri, Itália (KTM)
6. Blake Baggett, EUA (Kawasaki)
7. Marcus Schiffer, Alemanha (Suzuki)
8. Todd Waters, Austrália (Suzuki)
9. Max Anstie, Grã Bretanha (Honda)
10. Xavier Boog, França (Kawasaki)
11. Marvin Musquin, França (KTM)
12. Alexander Tonkov, Rússia (Honda)
13. Luis Correia, Portugal (Yamaha)
14. Justin Barcia, EUA (Honda)
15. Pritt Ratsep, Estônia (KTM)
16. Filip Bengtsson, Suécia (KTM)
17. Cody Cooper, Nova Zelândia (Suzuki)
18. Karl Olsson, Suécia (Honda)
19. Stefan Kjer Olsen, Dinamarca (Suzuki)
20. Luke Styke, Austrália (Yamaha)

Jeffrey Herlings

Jeffrey Herlings

 

Bateria MX1 / MX3
Na última corrida do dia, Cairoli continuou de onde ele havia parado antes, novamente fazendo o holeshot e saindo na frente, enquanto Dungey e Barcia asseguraram a segunda e a terceira posição. Barcia andou atrás de Dungey por algumas voltas, até ultrapassar seu companheiro de equipe. Foi quando Dungey sofreu um tombo e saiu da pista, voltando apenas na décima posição.

Herlings largou mal mas na quinta volta já era o segundo colocado e concentrava suas atenções em Cairoli, mas não foi capaz de ultrapassar o italiano e os dois campeões mundiais finalizaram respectivamente na primeira e na segunda posição. Barcia foi o terceiro, Leok o quarto e De Dycker completou os cinco primeiros. Dungey finalizou na nona posição.

Com estes resultados a Alemanha sagrou-se campeã pela primeira vez na história do Motocross das Nações. Correndo em casa, a Bélgica finalizou na segunda posição. Após sete anos de hegemonia, os EUA, maior vencedor da história da competição, completou o pódio em terceiro lugar. A Holanda foi a quarta colocada e a Itália fechou os cinco primeiros.

Resultado MX1 / MX3
1. Antonio Cairoli, Itália (KTM)
2. Jeffrey Herlings, Holanda (KTM)
3. Justin Barcia, EUA (Honda)
4. Tanel Leok, Estônia (Suzuki)
5. Ken de Dycker, Bélgica (KTM)
6. Max Nagl, Alemanha (KTM)
7. Clement Desalle, Bélgica (Suzuki)
8. Gautier Paulin, França (Kawasaki)
9. Ryan Dungey, EUA (KTM)
10. Rui Gonçalves, Portugal (Honda)
11. Max Anstie, Grã Bretanha (Honda)
12. Tommy Searle, Grã Bretanha (Kawasaki)
13. Davide Guarneri, Itália (KTM)
14. Marcus Schiffer, Alemanha (Suzuki)
15. Todd Waters, Austrália (Suzuki)
16. Xavier Boog, França (Kawasaki)
17. Marc de Reuver, Holanda (Kawasaki)
18. Gert Krestinov, Estônia (Honda)
19. Lawson Bopping, Austrália (Yamaha)
20. Lauris Freibergs, Letônia (Honda)

Clement Desalle

Clement Desalle

 

Classificação final por países
1. Alemanha (Nagl, Roczen, Schiffer)
2. Bélgica (de Dycker, Desalle, Van Horebeek)
3. Estados Unidos (Dungey, Barcia, Baggett)
4. Holanda (Herlings, De Reuver, Coldenhoff)
5. Itália (Cairoli, Lupino, Guarneri)
6. França (Paulin, Boog, Musquin)
7. Estônia (Leok, Ratsep, Krestinov)
8. Grã Bretanha (Searle, Anstie, Nicholls)
9. Portugal (Goncalves, Alberto, Correia)
10. Austrália (Waters, Bopping, Styke)
11. Rússia (Tonkov, Bobryshev, Mikhaylov)
12. Suécia (Olsson, Lindstrom, Bengtsson)
13. Irlanda (Barr, Edmonds, Graeme)
14. Letônia (Justs, Freibergs, Ivanovs)
15. Nova Zelândia (Coppins, Cooper, Lamont)
16. Eslovênia (Gajser, Gercar, Irt)
17. Noruega (Jarva, Klingsheim, Heibye)
18. Dinamarca (Olsen, Hansen, Lynggaard)
19. Suíça (Seewer, Guilloud)
20. Finlândia (Koskela, Lehtinen)

Alemanha foi a campeã do Motocross das Nações 2012

Alemanha foi a campeã do Motocross das Nações 2012

Compartilhe este conteúdo

Comentários

é Editor do Mundocross, site que foi lançado por causa de sua paixão por Motocross e Supercross. Em 1990 ele começou a escrever sobre motos no Jornal VS, em São Leopoldo, no RS, numa coluna onde escrevia sobre Trilhas, Enduro e Motocross. Depois também escreveu para o Jornal O Pódium, Revista Moto Action. Nestes 24 anos teve experiências em eventos internacionais, como Mundiais de Motocross, AMA Supercross, AMA Motocross, Motocross das Nações e US Open Supercross.

Desenvolvido por GetFly