Jorge Balbi Jr. – Série Avaliando 2012

Por Jorge Soares | Fotos por Divulgação | 27 de dezembro de 2012 - 11:02

Mundox – No geral, qual a avaliação que você faz das suas participações nos campeonatos que competiu na temporada 2012.

Jorge Balbi Jr.Tive um começo bem complicado, onde sofri uma lesão no punho, que a princípio parecia ser simples, porém depois de algumas semanas meus médicos encontraram uma nova fratura, o que resultou numa cirurgia complicada, e três meses longe da moto. Até então nunca tinha falado abertamente sobre essa lesão, mas foi isso que aconteceu.

Quando olho para trás agora que as coisas já passaram, estudando junto com meu pai e o meu fiel escudeiro e mecânico Max, já de cara posso apontar o primeiro erro rs… Acredito que a coisa mais certa teria não ter corrido a abertura da Superliga de MX, já que andei de moto somente duas vezes e fui para Indaiatuba totalmente despreparado. A corrida em si pelas minhas condições não foi das piores, porém agravei a lesão e a bola de neve começou a aumentar. Não conseguia treinar o suficiente para me preparar e se treinava a lesão piorava e assim foram as minhas primeiras corridas.

Pra piorar na abertura do Brasileiro de Motocross por não aceitar andar atrás e não ter paciência para isso, arrisquei, cai novamente dessa vez machucando meu ombro e já de cara zerando a primeira corrida do Brasileiro de MX, e assim as coisas foram acontecendo. Aos poucos fui melhorando das lesões e comecei a entrar em forma e ai quando achei que estava pronto para brigar pela ponta senti falta de uma pré-temporada, pois não acertei a moto 2012 como deveria, e talvez o que realmente tenha feito a maior diferença foi perder confianca após resultados ruins. Me sentia bem fisicamente treinava, bem durante a semana, porém quando o gate caia não tinha a confiança suficiente para largar bem e buscar a vitória.

Foram muitas corridas seguidas e durante essas provas foi difícil treinar, acertar moto ou até mesmo me recuperar mentalmente para corrida seguinte. Talvez o certo teria ser ficado treinando e voltar bem, porém existe grande investimento dos patrocinadores, dentre outras coisas. Talvez pode ter sido positivo, pois ainda consegui ser terceiro nos dois campeonatos sendo mais uma vez o melhor piloto brasileiro, porém acredito que se após a lesão tivesse me dedicado somente ao Brasileiro de MX, que começou depois não teria agravado minha lesão no início poderia ter treinado mais e vindo bem preparado e com chances de brigar pelo título. Vivendo e aprendedo !!

Olhando por outro lado a coisa mais certa que acredito ter feito durante o ano foi não desistir, principalmente não aceitar os resultados e continuar trabalhando, por mais que a minha confiança estivesse abalada e quando tudo parecia bem eu caia durante um treino e sofria uma pequena lesão ou pegava uma vírose antes de uma corrida rsrsrs… Ou até mesmo fazia uma boa corrida e pensava na próxima eu vou com tudo, bummm voltava a estaca zero, pois a vontade era tanta que errava, caia ou simplismente me cobrava tanto que não pilotava aquilo que sou capaz. As coisas pareciam não dar certo de maneira nenhuma, porém a minha equipe Pro Tork / Mobil / Kawasaki Racing e a minha família estiveram sempre ao meu lado, confiando em mim e me dando força para a cada derrota trabalhar mais, procurar mais e não aceitar os resultados.

Muitas pessoas as vezes não entendiam minha insatisfação, pois o que para mim parecia péssimo para quem está de fora as vezes era algo normal, pois estive no pódio em todas as corridas exceto na abertura do Brasileiro de MX. Mesmo assim fui o melhor piloto brasileiro em quase todas ocasiões e talvez se tivesse aceitado e acreditado ser suficiente, jamais iria vencer se quer uma corrida. Mais mesmo com todo o respeito pelos pilotos estrangeiros que correm atualmente no Brasil, que brigaram pela ponta dos campeonatos, sabia que meu lugar era junto deles disputando cada curva, salto, corrida e vitórias !!

Fiz de tudo treinei mais mudamos a moto inúmeras vezes, troquei as pistas em que treinava, fui para os Estados Unidos e sinceramente mesmo não conquistando os campeonatos me orgulho, pois no fim venci duas corridas e conquistei talvez o que fosse mais importante. Encontrei alegria em correr novamente, me sentindo leve nas últimas corridas e pude até mesmo saborear um terceiro lugar na penúltima etapa do campeonato com sabor de vitória, pois no meu íntimo sabia que se tudo tivesse dado certo, teria vencido.

E as vezes muito mais importante do que vencer e estar no mais alto do pódio, o que realmente nos dá a vitória e a satisfação pessoal saber que consequi dar o meu melhor, poder olhar um mapa de volta e ver que se não fosse o tombo no início da corrida teria vencido. Ver que minha melhor volta da corrida foi a última volta da segunda bateria !! Voltar para casa esgotado, porém sabendo que tudo o que eu tinha, ficou dentro da pista !!

20110826123009-754461

Jorge Balbi Jr.

Mundox – Você se arrepende de não ter ido este ano representar o Brasil no Motocross das Nações ?

Jorge Balbi Jr. – Sinceramente não me arrependo, pois não posso me arrepender de algo que não estava sobre o meu controle. Respeito muito aqueles que participaram da competicao pelo Brasil, e acredito que deram o seu melhor. Porem o MXDN é uma competicao muito difícil e deve ser levada a sério, principalmente por parte da CBM. Não acho justo o nosso país não ser representado pelos melhores pilotos, que provam isso dentro da pista, e não por divergências políticas ou até mesmo por falta de apoio da Confederação ou de seus patrocinadores. Espero poder voltar a correr o Nações fazendo parte de um time de pilotos que independente das equipes que o representem, sejam os melhores pilotos e que por mérito mereçam representar o nosso país !!

Mundox – Faça uma avaliação comparando alguma evolução na sua pilotagem, preparação física ou mental de 2011 para 2012.

Jorge Balbi Jr. – Acredito ter evoluído bastante após ter atingido minha melhor forma. Na verdade acredito que o Motocross Brasileiro evolui muito, principalmente na categoria MX1, onde correm a grande maioria dos pilotos estrangeiros. Com certeza hoje temos um campeonato de alto nivel !!

Mundox – Quais foram seus patrocinadores na temporada 2012, e com quais você já renovou para a temporada 2013 ?

Jorge Balbi Jr. – Em 2012 corri pela equipe Pro Tork / 2B / Kawasaki Racing, com o patrocinio: Pro Tork, Mobil, Pirelli, Kawasaki, Martplus, Racetech. Para 2013 vou  permanecer na mesma equipe.

Mundox – Como você avalia a organização de um modo geral (divulgação, construção da pista, manutenção da pista, instalações para o público, cumprimento dos horários, premiação), dos campeonatos que você participou na temporada 2012.

Jorge Balbi Jr. – Essa e sempre uma questão polêmica no Brasil. Acredito que os eventos de um modo geral melhoraram, porém ainda tem muito que evoluir. Infelizmente não é dada uma continuidade ao trabalho em relação a eventos e campeonatos no Brasil. Posso pegar a Superliga como exemplo, onde começou há 3 anos e finalmente quando estava chegando a um bom nivel, de um modo geral nas pistas, divulgação, etc., recebemos a notícia que não haverá Superliga em 2013 !!!

O Brasileiro de MX de alguma forma segue a mesma linha, desde um construtor de pista até o diretor de prova são inúmertas mudanças, o que impede um maior profissionalismo e evolução com o tempo. Sei que a CBM sofreu bastante por estar no primeiro ano da nova presidência, onde muitas irregularidades foram deixadas pela presidência antiga. Porém é preciso melhorar muito, já que neste ano na minha opiniao o campeonato começou muito bem organizado, e com passar das etapas, a qualidadde foi caindo.

img59257-1352457640-v580x435

Jorginho Balbi

Mundox – Agora a palavra e o espaço são seus.

Jorge Balbi Jr. – Gostaria de encerrar agradecendo a Deus, acima de todas as coisas, por mais uma temporada realizada com sucesso, onde erramos, acertamos e o mais importante conseguimos aprender muito. Agradeço ao grande apoio dos fans e torcedores brasileiros que me incentivaram e vibraram em cada cidade ou corrida em que estive !! Desejo aos leitores do Mundocross um Feliz 2013 e que Deus esteja presente na vida de todos vocês. E um 2013 de muito MX !!!

Perfil do piloto Jorge Balbi
Nome completo : Antônio Jorge Balbi Jr.
Data de nascimento : 9 de junho de 1981
Cidade onde nasceu : Belo Horizonte – MG.
Cidade onde mora : Belo Horizonte – MG.
Apelido : Jorginho
Motos atuais : KXF450
Principais títulos : 7 vezes campeão Brasileiro Motocros / Supercross
Ídolo no Motocross nacional : Meu pai, Milton Becker e Jorge Negretti
Ídolo no Motocross Internacional : Kevin Windham
Pista de Motocross favorita em Minas Gerais : CT 2B Racing
Pista de Motocross favorita no Brasil : Canelinha – SC. e Siqueira Campos – PR.
Pista de Motocross preferida fora do Brasil : Unadilla
Comida favorita : Churrasco
Bebida favorita : Suco de laranja
Comida nos dias de corridas : Arroz e frango
Bebida nas corridas : Ryno fuel
Lazer preferido : Jet ski
Esporte preferido fora o Motocross : Ciclismo e BMX
E-mail : [email protected]
Facebook : Antonio Balbi

Compartilhe este conteúdo

Comentários

é Editor do Mundocross, site que foi lançado por causa de sua paixão por Motocross e Supercross. Em 1990 ele começou a escrever sobre motos no Jornal VS, em São Leopoldo, no RS, numa coluna onde escrevia sobre Trilhas, Enduro e Motocross. Depois também escreveu para o Jornal O Pódium, Revista Moto Action. Nestes 24 anos teve experiências em eventos internacionais, como Mundiais de Motocross, AMA Supercross, AMA Motocross, Motocross das Nações e US Open Supercross.

Desenvolvido por GetFly