Rafael Zenni – Série Avaliando 2012

Por Sandra Souza | Fotos por Divulgação | 31 de dezembro de 2012 - 9:56

Mundox – Zenni, para dar uma quebrada no gelo e também para a galera saber um pouco da tua história, conta aí pros leitores do Mundocross como foi o teu início no Motocross.

Rafael Zenni – Comecei aos 3 anos de idade, por incentivo do meu pai, que sempre amou o Motocross. Mas não gostava muito, então meu pai desistiu. Mas ele mesmo nunca parou de andar. Quando completei 7 anos eu já andava bem de BMX, e comecei a pedir moto e ele me dizia que compraria para eu brincar nos finais de semana. Alguns meses depois participei de uma corrida em Itapetininga, onde terminei em sexto lugar (só tinham 6 motos hahahaha). Lembro que o Nando (Leandro Silva) ganhou a prova e o Ratinho foi o quinto. Depois disso comecei a treinar mais e na outra corrida que participei fiquei em segundo lugar. Daí não parei mais.

Mundox – No geral, qual a avaliação que você faz das suas participações nos campeonatos que competiu na temporada 2012.

Rafael Zenni – Fiquei bem contente com os resultados, passei por momentos difíceis e mesmo assim acredito que busquei e alcancei um nível muito bom em minha pilotagem no final do ano no Arenacross.

Mundox – Você considera que sua pré-temporada para a temporada 2012 foi a ideal para enfrentar as competições deste ano que está se encerrando ?

Rafael Zenni – No começo deste ano decidi que não andaria mais de moto, mas mesmo assim fui para a Califórnia com amigos, onde participei de algumas provas regionais. Voltando ao Brasil, não aguentei e voltei para o Motocross um mês e meio antes de começar as corridas. Então não tive uma pré-temporada decente !!!

R Zenni 931

Rafael Zenni

Mundox – O que ocorreu que no primeiro semestre você ficou sem equipe, e depois acabou se integrando na nova equipe, comandada por Clóvis Castello ?

Rafael Zenni – Sim, foi muito complicado acertar com alguma equipe. Recebi apenas duas propostas e muito abaixo do que precisaria para brigar por um título. Na verdade, acredito que a contratação de pilotos estrangeiros foi ruim no que diz respeito aos pilotos brasileiros que ficaram sem equipe.

Mundox – Faça uma avaliação comparando alguma evolução na sua pilotagem, preparação física ou mental de 2011 para 2012.

Rafael Zenni – 2011 foi um ano legal, poderia ter sido melhor, mas foi bom. Aprendi bastante, e em 2012 decidi que não competiria, quando voltei aos treinos, voltei lento e procurei me focar apenas em técnicas e deixar a velocidade vir com o tempo. Eu e o Clóvis Castello conversamos e a idéia era eu estar pronto para a terceira etapa do Arenacross, que foi Indaiatuba, e foi bem isso que aconteceu. Em Indaiatuba chegamos a liderar os treinos e fizemos dois segundos lugares. Na corrida larguei muito mal na primeira bateria terminando em quinto, 5 segundos do primeiro colocado e com a melhor volta da bateria. Na segunda bateria estava bem tranquilo e nos programamos para largar entre os três e apenas manter o ritmo, que sabíamos que dava pra ganhar, pois tínhamos velocidade, preparo fisico de sobra e a mente estava muito boa. Mas um piloto acabou pulando em minhas costas na primeira volta e logo em seguida fui atropelado por outro !! Não tive nenhuma fratura, mas senti dores até a final do Arenacross, e fiz fisioterapia até depois da corrida de Goiânia.

Corrida da PRO

Rafael Zenni

Mundox – Quais foram seus patrocinadores na temporada 2012, e o que você já tem fechado para a temporada 2013 ?

Rafael Zenni – 2012 andamos com o patrocínio da Phone Brasil, Zenni Preparações, Castello Works, Mundial Prime, Brasil Racing, Honda, Mobil, Cobreq e Ferro Sul. Para 2013 ainda não fechamos nada, mas estamos atrás.

Mundox – Como você avalia a organização de um modo geral dos campeonatos que você participou na temporada 2012.

Rafael Zenni – A empresa Romagnolli está de parabéns pela organização e pelos ótimos eventos que vem fazendo. O que me incomoda um pouco é ver como as equipes e marcas  ‘Brasileiras’ estão atrás de pilotos estrangeiros. Os pilotos vem para o Brasil recebendo às vezes bem menos que nós pilotos brasileiros recebíamos anos atrás. Acredito que essa vinda de pilotos foi boa para aumentar o nível técnico, mas foi péssima para os pilotos brasileiros, que a cada dia estão mais fora do Motocross profissional no Brasil.

Mundox – Agora a palavra e o espaço são seus.

Rafael Zenni – Os campeões ‘brasileiros’ são estrangeiros. O brasileiro tem mania de achar que o vem de fora é melhor. Devíamos ser mais patriota e torcer mais por nossos pilotos brasileiros.

Perfil do piloto Rafael Zenni
Nome completo : Rafael Zenni
Data de nascimento : 4 de agosto de 1986
Cidade onde nasceu : Itu – SP.
Cidade onde mora : Curitiba – PR.
Apelido :  Zenni
Motos atuais : CRF 450
Principais títulos : 10 vezes Campeão Brasileiro / 14 vezes Campeão Paulista / Campeão Latino Americano
Ídolo no Motocross Nacional : Rogério Nogueira
Ídolo no Motocross Internacional : Ricky Carmichael
Pista de Motocross favorita em São Paulo : Zenni Preparações MX Track
Pista de Motocross favorita no Brasil : Zenni Preparações MX Track
Comida favorita : Comida japonesa
Bebida favorita : Suco e água de côco
Estilo de filme preferido : Comédia
Comida nos dias de corridas : Macarrão
Bebida nas corridas : Água, água de côco, Gatorade
Lazer preferido : Praia
Esporte preferido fora o Motocross : BMX
E-mail : [email protected]
Facebook : https://www.facebook.com/rafael.zenniii
Site : www.rafaelzenni.com.br

Compartilhe este conteúdo

Comentários

é Editor do Mundocross, site que foi lançado por causa de sua paixão por Motocross e Supercross. Em 1990 ele começou a escrever sobre motos no Jornal VS, em São Leopoldo, no RS, numa coluna onde escrevia sobre Trilhas, Enduro e Motocross. Depois também escreveu para o Jornal O Pódium, Revista Moto Action. Nestes 24 anos teve experiências em eventos internacionais, como Mundiais de Motocross, AMA Supercross, AMA Motocross, Motocross das Nações e US Open Supercross.

Desenvolvido por GetFly