Entrevista com o piloto Antonio Cairoli

Por Renato Dalzochio Jr. | Foto por Divulgação | 19 de janeiro de 2013 - 8:47

Hexacampeão Mundial de Motocross, o italiano Antonio Cairoli, um dos melhores pilotos do mundo na atualidade, é conhecido por dar tudo de si desde a primeira até a última corrida. Cairoli está realizando sua pré-temporada na região da Sardenha, com três corridas preparatórias no calendário, antes da abertura do Mundial 2013 no Qatar. E o primeiro teste está logo ai, com o Starcross de Mantova, que acontece no dia 3 de fevereiro. Confira abaixo uma entrevista com Cairoli.

Pergunta – Como está indo sua rotina de treinos ?

Cairoli – Só comecei a treinar depois do Ano Novo, um pouco mais tarde do que o normal. Não treinei depois do Motocross das Nações por vários meses. Após o Ano Novo comecei a treinar apenas duas ou três vezes por semana.

Pergunta – Treinar na Sardenha não está lhe trazendo dificuldades com a neve e o frio ?

Cairoli – Não, o clima aqui no sul está bom. Não tive qualquer problema com frio ou neve, como normalmente acontece no norte da Europa.

Pergunta – Você está ansioso pela corrida noturna no Qatar ?

Cairoli – Com certeza, estou muito ansioso. Apesar de nunca ter ido para lá, deve ser um bom lugar, estou curioso para conhecer. Espero conquistar um bom resultado e tenho certeza que será uma corrida agradável. É bom para o Motocross ter corridas em lugares como esse.

Pergunta – As corridas no Qatar e na Tailândia serão sob altas temperaturas, 30 graus para cima…

Cairoli – Isso é ótimo, é bom ter corridas em boas condições, é melhor pra todo mundo, para os meios de comunicação, para os mecânicos, para os pilotos, para todos.

Pergunta – No ano passado você novamente terminou a temporada em alta, dominando a concorrência. Em 2013 o objetivo será o mesmo ou você apenas vai pilotar rápido o suficiente para somar mais pontos que seus rivais ?

Cairoli – Meu objetivo é ser campeão do mundo e com uma campanha melhor que a do ano anterior. No ano passado o meu início de temporada não foi tão bom nos primeiros GPs. Somente a partir da Suécia me senti mais motivado para me esforçar mais. Com certeza este ano vou tentar dar o meu melhor desde a primeira corrida do campeonato.

Pergunta – Jeffrey Herlings tem condições de correr com você nas etapas em que as categorias vão largar juntas, ou ele nunca será capaz de vencê-lo ?

Cairoli – Eu não sei, com certeza a 250cc é uma moto muito forte, e em certas corridas alguns pilotos tornam possível a disputa de igual pra igual com a MX1.

Pergunta – O que você acha destas corridas combinadas entre MX1 e MX2 ?

Cairoli – Acho que está ok, quer dizer, vamos ver. Não sei o que pensar no momento, vamos esperar a primeira corrida pra ver como vai ser, é uma coisa nova, para os fãs com certeza vai ser mais interessante. Para alguns espectadores é chato três ou quatro horas de transmissão via TV, então de uma certa forma estas corridas combinadas são melhores em alguns aspectos.

Pergunta – Você tem acompanhado o AMA Supercross ?

Cairoli – Assisti a segunda corrida. Achei legal, existem muitos pilotos em condições de vencer, e a classificação do campeonato está sempre mudando. Justin Barcia venceu a última corrida. Ele é muito rápido e estou ansioso para ver como será o desempenho dele neste sábado.

Cairoli face and bike 2013

Antonio ‘Tony’ Cairoli

Pergunta – Para finalizar, você acha que os circuitos estão sendo prejudicados nesta pré-temporada com tanta neve e frio ? Quais suas expectativas para as duas primeiras etapas do campeonato italiano ?

Cairoli – As melhores possíveis. A primeira etapa será aqui na Sardenha, e a segunda perto de Roma. Ambas na região sul, e a primeira etapa será num agradável circuito de areia. A terceira etapa será na região norte, nas montanhas italianas, por isso ainda estamos avaliando se participaremos ou não.

Compartilhe este conteúdo

Comentários

é Editor do Mundocross, site que foi lançado por causa de sua paixão por Motocross e Supercross. Em 1990 ele começou a escrever sobre motos no Jornal VS, em São Leopoldo, no RS, numa coluna onde escrevia sobre Trilhas, Enduro e Motocross. Depois também escreveu para o Jornal O Pódium, Revista Moto Action. Nestes 24 anos teve experiências em eventos internacionais, como Mundiais de Motocross, AMA Supercross, AMA Motocross, Motocross das Nações e US Open Supercross.

Desenvolvido por GetFly