Horebeek e Searle falam da expectativa na MX1

Por Renato Dalzochio Jr. | Foto por Divulgação | 23 de janeiro de 2013 - 9:43

O belga Jeremy Van Horebeek e o britânico Tommy Searle vão estrear na categoria MX1 do Mundial de Motocross na temporada deste ano. Este ano o campeonato vai ganhar um novo formato, com as categorias MX1 e MX2 largando juntas na mesma bateria durante os GPs realizados fora da Europa, além da corrida noturna no Qatar, que vai abrir o campeonato nos dias 1 e 2 de março.

Para Horebeek, o fato das categorias largarem juntas nas corridas fora da Europa não é positivo nem negativo. Ele destaca seu respeito pelo trabalho que Giuseppe Luongo realiza em prol do esporte.

“Não sou a favor nem contra as corridas combinadas. Primeiro quero ver como vai funcionar, porque ainda é um grande mistério. Acho que os pilotos da MX2 vão comer muita poeira. Isso é certeza. Giuseppe Luongo não fez essa mudança por nada, ele geralmente tem razão e o que ele faz, costuma fazer bem”.

Quanto ao Qatar, Horebeek está focado nas corridas da pré-temporada, pois alega que com elas vai chegar pronto ao GP noturno no Oriente Médio.

“Estamos na Espanha desde janeiro e vamos ficar aqui até as corridas de Mantova, Hawkstone e Valencia. Não planejamos muito ainda a respeito do Qatar, nossa cabeça está no sul da Europa”.

O britânico Tommy Searle também vai estrear na categoria MX1 este ano e é outro que fala sobre suas expectativas para a corrida noturna no Oriente Médio.

1301221257Searle face

Tommy Searle

“A corrida no Qatar vai ser muito diferente para todos os pilotos. As pessoas vão fazer muitos comentários positivos e negativos. É muito importante porque todo mundo quer começar bem a temporada, e para mim é mais importante ainda, porque será meu primeiro GP na MX1. O fato da prova ser noturna gera uma atmosfera diferente, mas já corri muitas vezes no Supercross e posso garantir que pilotar sob as luzes dos refletores é muito melhor do que sob a luz do dia”.

Muitas expectativas giram em torno de Searle e Horebeek, respectivamente os atuais vice-campeão e terceiro colocado do Mundial de Motocross MX2. Eles vão enfrentar não somente seus antigos rivais de MX2, como Jeffrey Herlings, mas também seus novos rivais, como o italiano Antonio Cairoli. É esperar pra ver.

Compartilhe este conteúdo

Comentários

é Editor do Mundocross, site que foi lançado por causa de sua paixão por Motocross e Supercross. Em 1990 ele começou a escrever sobre motos no Jornal VS, em São Leopoldo, no RS, numa coluna onde escrevia sobre Trilhas, Enduro e Motocross. Depois também escreveu para o Jornal O Pódium, Revista Moto Action. Nestes 24 anos teve experiências em eventos internacionais, como Mundiais de Motocross, AMA Supercross, AMA Motocross, Motocross das Nações e US Open Supercross.

Desenvolvido por GetFly