Formato diferente para os GPs do Mundial de MX

Por Renato Dalzochio Jr. | 25 de janeiro de 2013 - 22:56

A FIM divulgou hoje o formato das corridas para os GPs do Qatar, Tailândia, Brasil e México temporada 2013, onde as categorias MX1 e MX2 largarão juntas na mesma bateria, mas com resultados finais separados por categoria. Confira abaixo.

Sábado (*)
MX2 Treino Livre / 35 minutos
MX1 Treino Livre / 35 minutos
MX2 Treino Pré-Classificatório / 30 minutos
MX1 Treino Pré-Classificatório / 30 minutos
MX2 Corrida Classificatória / 20 minutos + 2 voltas
MX1 Corrida Classificatória / 20 minutos + 2 voltas

Domingo (*)
MX2 Warm-up / 20 minutos
MX1 Warm-up / 20 minutos
MX2 Corrida / 12:00 / 35 minutos + 2 voltas
MX1 Corrida / 13:00 / 35 minutos + 2 voltas
MX1 + MX2 Last Chance Race (Repescagem) / 14:30 / 20 minutos + 2 voltas
MX1 + MX2 Super-Final / 16:00 / 35 minutos + 2 voltas
(*) Um horário diferente será usado no Qatar já que o evento será realizado nas noites de sexta-feira e sábado.

Treino Pré-Classificatório (máximo de 40 pilotos por categoria)
A fim de se classificar para a corrida de classificação, um piloto deve conseguir um tempo igual a pelo menos 108% do tempo médio dos 10 melhores pilotos durante o treino pré-classificatório.

Corridas Classificatórias (máximo de 40 pilotos por classe)
As corridas classificatórias da MX1 e MX2 determinarão as posições de largada para as corridas destas respectivas categorias.

Corridas MX1 e MX2 (máximo de 40 pilotos por categoria)
Na primeira etapa serão selecionados os 20 melhores de cada categoria conforme a classificação de 2012, e a partir da segunda conforme a classificação do atual campeonato em disputado

Super-Final
Last Chance Race (Máximo de 40 pilotos, 20 MX1 + 20 MX2)
Super-Final (máximo de 40 pilotos; 20 MX1 + 20 MX2)
Para a primeira etapa no Qatar, será utilizado o seguinte formato:
Os 18 pilotos mais bem colocados da Corrida da MX1 + os 18 pilotos mais bem colocados da Corrida da MX2
Os dois melhores de cada categoria na Last Chance Race
Os 20 primeiros colocados de cada categoria pontuam no campeonato.

Para as outras etapas (Tailândia, Brasil e México), será utilizado o seguinte formato:
Os 10 melhores pilotos da MX1 + os 10 melhores pilotos da MX2
Os 8 pilotos mais bem colocados na Corrida da MX1 (excluindo o top 10 na classificação do campeonato, porque já estão classificados) + os 8 melhores da corrida da MX2 (excluindo o top 10 na classificação do campeonato, porque já estão classificados)
Os dois melhores de cada categoria na Last Chance Race.
Os 20 primeiros colocados de cada categoria pontuam no campeonato.

Generalidades
Os pilotos da MX2 sempre serão os primeiros a escolher a posição de largada no gate, seguidos pelos pilotos da MX1.
Os pilotos podem escolher livremente a sua posição no gate, de acordo com sua ordem de largada e com os lugares disponíveis.

Sobre as corridas da MX1 e MX2
Os pilotos avançam para o gate de acordo com o resultado conquistado na corrida de classificação.

Sobre a Last Chance Race
Em cada categoria, os não classificados avançam para o gate conforme a posição que conquistaram na bateria de sua respectiva categoria.

Sobre a Super-Final no Qatar
Formarão o gate os 18 pilotos mais bem colocados de cada categoria mais os dois melhores colocados da Last Chance Race de cada categoria.

Sobre a Super-Final na Tailândia, Brasil e México
Formarão o gate os 10 melhores na classificação do campeonato de cada categoria, mais os oito melhores na bateria de cada categoria mais os dois melhores da Last Chance Race de cada categoria.

Pontuação
Será utilizada a tabela de pontos que vai do primeiro ao vigésimo colocado (mesma do AMA Supercross e Motocross), mas os respectivos resultados e pontuação serão separados por categoria.

youthstream

Compartilhe este conteúdo

Comentários

é Editor do Mundocross, site que foi lançado por causa de sua paixão por Motocross e Supercross. Em 1990 ele começou a escrever sobre motos no Jornal VS, em São Leopoldo, no RS, numa coluna onde escrevia sobre Trilhas, Enduro e Motocross. Depois também escreveu para o Jornal O Pódium, Revista Moto Action. Nestes 24 anos teve experiências em eventos internacionais, como Mundiais de Motocross, AMA Supercross, AMA Motocross, Motocross das Nações e US Open Supercross.

Desenvolvido por GetFly