As Lendas são muito mais do que Lendas !!

Por Jorge Soares | 08 de fevereiro de 2013 - 13:56

Quando eu fui levado pelo meu pai para assistir pela primeira vez uma corrida de Motocross no início dos anos 70, na beira da praia de Tramandai, no litoral norte do Rio Grande do Sul, onde eu passava os verões com a minha família, um entre os pilotos que estavam correndo chamava a atenção do público por já ser famoso no esporte. Era Pedro Bernardo Raymundo, o ‘Moronguinho’, por quem fiquei fã a partir daquele dia.

Eu tinha de 7 para 8 anos, e desde aquela época o Motocross circula pelas minhas veias e já acompanhei competições Brasil afora e em alguns lugares pelo mundo. E de lá para cá alguns bons anos se passaram, e o meu ídolo no Motocross virou uma das lendas do Motocross brasileiro, juntamente com outros pilotos da primeira geração do Motocross nacional.

As lendas da primeira geração do Motocross Brasileiro são pilotos como Nivanor Bernardi, Pedro Bernardo Raymundo e Roberto Boettcher, que foram os que mais se destacaram e conquistaram os primeiros títulos do Brasileiro de Motocross desde 1973. Tem ainda o Walter Barchi, que correu de Motocross e depois passou para a Motovelocidade. Tem ainda o Álvaro Cândido, o ‘Paraguaio’, que esteve na safra entre a primeira e a segunda geração do Motocross Brasileiro.

Na sequência veio a segunda geração de lendas do Motocross Brasileiro, com pilotos como Milton ‘Chumbinho’ Becker, Jorge Negretti, Nuno Narezzi, Rogério Nogueira, Cássio Garcia e Eduardo Saçaki. Peço que se eu deixei algum nome importante de fora, usem o espaço dos comentário para acrescentarmos na lista das lendas da segunda geração do MX Brasileiro.

Bem, atualmente estamos na terceira geração de pilotos, que alguns consequentemente virarão lendas pelo seus feitos nas pistas pelo Brasil e pelo mundo afora. A minha base para nomear os pilotos acima em lendas, são as suas conquistas, tanto no âmbito Estadual, como Brasileiro, já que eles foram campeões de campeonatos Brasileiros de Motocross.

Mas esta introdução é para dizer que eles não foram apenas pilotos campeões, mas foram também exemplos seguidos por quem estava começando no esporte, alguns pelos seus estilos dentro das pistas, outros pelos seus estilos comportamentais fora das pistas. E estas pessoas, estes campeões, estas lendas na verdade, infelizmente aqui no Brasil acabam na sua grande maioria não tendo seu devido valor reconhecido.

Quero abrir um parênteses aqui e não mencionar apenas o Motocross, e escrever também de outra modalidade , como o Enduro de Regularidade, que teve nomes como Beto Motorauto, Alexandre Baumgartner, Romeu Valadão e Alexandre Müller como grandes pilotos e modelos para outros pilotos no início da modalidade no Brasil.

Reconhecimento que me refiro, é convidar estas lendas quando tiver uma etapa dos campeonatos que eles participavam em locais próximos aos seus locais de residência atuais e colocá-los em lugares de destaque, anunciando-os ao público, fazendo uma sessão de autógrafos e prestar-lhes uma homenagem no momento da abertura oficial dos eventos, assim como acontece em provas do AMA Supercross e AMA Motocross.

Um outro detalhe interessante seria a criação por parte da CBM de uma carteira de Lenda do Motocross, Lenda do Enduro, Lenda da Motovelocidade e de outras categorias, sendo que com esta carteira eles teriam acesso livre nos eventos, sem precisarem passar por constrangimentos de explicar quem são eles, e o que eles foram para o esporte.

A CBM também pode criar o Hall da Fama, e na Festa dos Campeões de cada ano, empossar um ou dois pilotos, sendo eles escolhidos através de seus feitos nas competições, e também através de votação da mídia especializada, pelo público e por uma comissão, por exemplo. Indo mais longe, este Hall da Fama, e também as carteiras de Lendas do Motocross, Lendas do Enduro e Lendas da Motovelocidade, podem ser igualmente criados pelas Federações para aqueles pilotos que não foram destaques Nacionais, mas que se destacaram em seus Estados.

Está na hora de que algo seja feito em prol de pilotos que fizeram a história do Motocross, do Enduro, da Motovelocidade no Brasil, pois estas pessoas, e na maioria dos casos, suas famílias também, se dedicaram de corpo e alma ao esporte e se hoje muitos poucos lembram dos rostos deles, o que dizer dos feitos deles !!

Presidentes, as decisões estão em suas mãos. Reconhecer e axaltar os feitos do passado, ou deixar cair no esquecimento no futuro !!!

LogoMundocross

 

Compartilhe este conteúdo

Comentários

é Editor do Mundocross, site que foi lançado por causa de sua paixão por Motocross e Supercross. Em 1990 ele começou a escrever sobre motos no Jornal VS, em São Leopoldo, no RS, numa coluna onde escrevia sobre Trilhas, Enduro e Motocross. Depois também escreveu para o Jornal O Pódium, Revista Moto Action. Nestes 24 anos teve experiências em eventos internacionais, como Mundiais de Motocross, AMA Supercross, AMA Motocross, Motocross das Nações e US Open Supercross.

Desenvolvido por GetFly