Prévia do Mundial de Motocross na Holanda

Por Renato Dalzochio Jr. | Fotos por Divulgação | 31 de março de 2013 - 13:27

Após os GPs no Qatar e na Tailândia, o campeonato Mundial de Motocross MX1 / MX2 teve duas semanas de folga, e volta nesta segunda-feira, após o domingo de páscoa. A terceira etapa da temporada será o GP da Holanda, em Valkenswaard. Será a sétima vez consecutiva que o arenoso circuito recebe o Mundial de Motocross.

Como no ano passado, além do GP das categorias MX1 e MX2, também serão realizadas as etapas de abertura do Mundial Feminino e do Mundial de MX3. Nesta etapa volta o formato tradicional do campeonato. Ao invés da Superfinal reunindo os melhores da MX1 e MX2, cada categoria vai disputar duas baterias individuais e da soma dos resultados sairá o vencedor de cada uma delas.

Categoria MX1

O italiano Antonio Cairoli teve um excelente início de temporada e chega em Valkenswaard com o number plate vermelho em sua KTM. O italiano não perde em Valkenswaard desde 2010 e neste fim de semana está disposto a acrescentar mais uma vitória no seu currículo e ampliar a vantagem de pontos na liderança do campeonato.

getmediaobject.ashx3

Antonio ‘Tony’ Cairoli

O atual vice-líder é o belga Clement Desalle, que perdeu o number plate vermelho após finalizar em terceiro no GP da Tailândia. O piloto da equipe Rockstar Energy / Suzuki Europe comentou que está se sentindo muito bem em sua moto e que se sente muito confortável quando está pilotando, então mesmo sabendo que Cairoli seja forte na areia, ele vai fazer o seu melhor para vencer o overall e reconquistar o number plate vermelho.

O francês Gautier Paulin subiu no pódio nos dois primeiros GPs e ocupa a terceira posição na classificação do campeonato, nove pontos atrás de Desalle. Paulin tem treinado mais do que nunca na areia durante este inverno, então ele pode conquistar mais um pódio e melhorar a quarta posição conquistada em Valkenswaard no ano passado.

O belga Ken De Dycker atualmente é o quarto colocado na classificação do campeonato e está focado em conquistar um degrau do pódio nesta segunda-feira em Valkenswaard, onde ele fez sua estreia com a KTM no ano passado. De Dycker vem treinando duro na areia junto com Cairoli, e está pronto para fazer o melhor de si na pista que ele venceu em 2008 ao faturar as duas baterias.

O britânico Tommy Searle fecha os cinco primeiros, o que mostra que sua adaptação na MX1 está indo muito bem. A corrida desta segunda pode ser mais difícil para Searle, que admitiu que não se sente confortável na areia. Ano passado na MX2 ele terminou em terceiro, atrás de Herlings e Roelants.

O belga Kevin Strijbos, que atualmente ocupa a sexta posição, à frente do português Rui Gonçalves, está muito feliz por voltar a Europa e correr na frente de seus fãs, que estão vindo da Bélgica para apoiá-lo. O russo Evgeny Bobryshev e os franceses Steven Frossard e Xavier Boog respectivamente completam os dez primeiros.

O alemão Max Nagl volta neste fim de semana após ficar fora do GP da Tailândia por causa de uma infecção estomacal. Ele voltou a treinar com sua Honda CRF 450R e pode terminar dentro do Top 5.

O piloto da casa Marc De Reuver, que recentemente se tornou pai, vai correr apenas para se divertir e tentar dar show para a torcida local.

Categoria MX2

Jeffrey Herlings é um dos pilotos mais animados para correr em Valkenswaard. E não é pra menos. Vai correr em casa num circuito onde ele não perde desde 2010. E para completar, sua maior especialidade são os circuitos de areia. Seu objetivo mais uma vez é vencer as duas baterias e aumentar a diferença de pontos para o vice-líder Romain Febvre.

1303291259MXGP_2_THAI_2013_MX2_1537

Jeffrey Herlings

Falando em Febvre, o francês foi ao pódio nos dois primeiros GPs e é o vice-líder do campeonato, 13 pontos na frente de Dean Ferris. Febvre teve uma etapa difícil em Valkenswaard no ano passado, quando finalizou na vigésima posição, mas vale lembrar que foi seu primeiro GP de mundial na MX2. É necessário ficar de olho nele, especialmente para verificar o quanto suas habilidades melhoraram na areia.

O australiano Dean Ferris atualmente é o terceiro colocado no campeonato e um grande ponto de interrogação para esta segunda-feira, já que ele ainda está se recuperando de lesões sofridas há duas semanas. Ferris quebrou a clavícula, uma costela e também machucou um de seus pulmões. Ele alegou que vai esperar até o último momento para tomar sua decisão.

Quarto colocado na classificação, o francês Christophe Charlier está ansioso para correr em Valkenswaard, já que ele perdeu o GP do ano passado por causa de uma lesão. Charlier tem uma boa oportunidade de terminar no top 3 e está apenas três pontos atrás de Ferris.

Outro favorito na briga pelas três primeiras posições é o piloto da casa Glenn Coldenhoff. Coldenhoff teve um sólido início de temporada e completa os cinco primeiros na classificação do campeonato. Ele está ciente do potencial de seu conterrâneo, Herlings, na areia, mas vai dar o seu melhor para seguir os passos do compatriota e fazer bonito na frente dos fãs locais.

O espanhol José Butrón pegou o último degrau do pódio na Tailândia e é o sexto na classificação, apenas três pontos atrás de Coldenhoff. Butrón foi quinto em Valkenswaard no ano passado, então é outro que possui muitas possibilidades de pegar um top 3 nesta segunda-feira.

O francês Jordi Tixier é o sétimo no campeonato e quer conquitar um pódio e subir na classificação. Mas o italiano Alessandro Lupino e o belga Julien Lieber, respectivamente oitavo e nono, também querem dar o melhor de si e ganhar posições preciosas no campeonato. O britânico Max Anstie fecha os dez primeiros e também é muito hábil na areia, o que pode lhe render um top 5 em Valkenswaard.

A ausência sentida no GP da Holanda será do suíço Arnaud Tonus, que alegou que ainda sente fortes dores na perna que quebrou em setembro do ano passado, durante o Motocross das Nações.

Compartilhe este conteúdo

Comentários

é Editor do Mundocross, site que foi lançado por causa de sua paixão por Motocross e Supercross. Em 1990 ele começou a escrever sobre motos no Jornal VS, em São Leopoldo, no RS, numa coluna onde escrevia sobre Trilhas, Enduro e Motocross. Depois também escreveu para o Jornal O Pódium, Revista Moto Action. Nestes 24 anos teve experiências em eventos internacionais, como Mundiais de Motocross, AMA Supercross, AMA Motocross, Motocross das Nações e US Open Supercross.

Desenvolvido por GetFly