O GP da Itália de Motocross e sua história

Por Mariah Morgado | Fotos por Divulgação | 11 de abril de 2013 - 23:37

No próximo final de semana será disputada a quarta etapa do campeonato Mundial de Motocross MX1/MX2 2013, e o evento será realizado em Traversini, na Itália, o o site Mundocross traz para você um pouco da história dos GPs disputados em terras italianas. Confira a reportagem abaixo e saíba um pouco mais sobre as corridas do Mundial de Motocross na Itália.

Em 1957 Bill Nilsson correndo com uma AJS venceu o primeiro Grand Prix da Itália da história, que aconteceu no circuito de Imola, norte da Itália. Aquela vitória da 500c com a lenda sueca começaria um caso de amor dos italianos com o Campeonato Mundial FIM de Motocross.

Muitos nomes já foram vencedores do GP italiano, incluindo Sten Lundin que venceu o GP da 500cc em Imola em 1958, 1959 e 1960, enquanto Nilsson venceu pela segunda vez em 1961.

Desde aquele tempo uma série de outras lendas obtiveram glória nas 500cc na Itália. Roger De Coster venceu em 1968 no circuito de Gallarate, depois venceu em Cingoli e Pinerolo em 1971 e 1972. O grande piloto finlandês Heikki Mikkola impressionou os italianos com sua pilotagem imbatível, vencendo em 1974, 1975, 1977, 1978 e 1979, cada uma em um circuito diferente e mostrando o quão grande campeão ele era.

Mikkola 1977

O grande belga Andre Malherbe venceu em 1980, 1981 e 1982 e Dave Thorpe venceu duas vezes em 1984 e 1985. O pentacampeão mundial Eric Geboers também venceu duas vezes com vitória de overall em 1989 e 1990.

Com uma nova era da categoria 500c começando enquanto as grandes equips de fábrica abandonavam o esporte, foi Andrea Bartolini que venceu em 1997 e 1998. Joel Smets foi o ultimo dos vencedores duplos na categoria Open com suas vitórias em 2000 e 2001. Smet acrescentaria uma vitória de GP das 650cc em 2003, e assim terminou as vitórias da categoria Open, enquanto o GP passou a ter apenas a MX1 e MX2.

Na categoria 250cc o grande Torsten Hallman foi o primeiro campeão do GP italiano, tendo tido uma vitória em 1962 no circuito de Gallarate. O tetracampeão mundial venceria em 1963, 1964, 1966 e 1967. O hexacampeão mundial Joel Robert acrescentou mais uma vitória em 1970 e 1971 e Guennady Moissev venceria em 1976 e 1977.

Surpreendentemente um vencedor duplo não apareceria de novo até que Stefan Everts venceu em 1994 e novamente em 1998. Sebastian Tortelli teria sua vitória dupla em 1997 e 1998 (tiveram dois GPs italianos em 1998, um em Cingoli e outro em Asti). Com a chegada do novo milênio, também chegou a nova nomenclatura da categoria 250cc (denominada posteriormente de Motocross GP e MX1).

Na ausência de Stefan Everts (que ficou lesionado por dois anos), Mickael Pichon assumiu, vencendo em 2000,2001 e 2002. Everts venceria novamente em 2003 quando a categoria mudou para MotocrossGP e no ano seguinte ele venceria pela quarta vez na agora denominada categoria MX1.

Ben Townley acabaria com a dominação de Pichon e Everts, vencendo em 2005, porém o Rei (Everts) voltou em 2006 para vencer pela quinta vez e igualar o recorde de maior número de vitórias no Grand Prix italiano com dois grandes pilotos, Hallman e Mikkola.

Na categoria 125/MX2 as vitórias vieram rápido e bruscamente, mas  como ainda a 125cc não começou antes de 1976, tem uma história curta comparada com a categoria Open e 250/MX1 e tendo assim, menos vencedores múltiplos.


O primeiro vencedor do GP italiano foi grande pilot belga, o saudoso Gaston Rahier. Ele venceu em 1976 e somou outra vitória no GP em sua lista de vitórias em 1978. O herói japonês Akira Watanabe venceu em 1977 e 1979, enquanto o italiano Michele Rinaldi venceria três vezes no GP de sua casa, vencendo em 1980, 1981 e 1983. 

Naquele tempo o GP Italiano seria dominado pelos pilotos locais, Corrado Maddii, Massimo Contini e o italiano adotado Trampas Parker (USA) venceriam em 1985 (Maddii), 1986, 1987 (Contini vencendo duas vezes) e Parker em 1989. Parker também abriria as portas para uma geração de pilotos americanos correndo no circuito Mundial e em 1990 Donny Schmit venceria,  somando outra vitória na Itália em 1991.

O holandês Pedro Tragter venceu em 1992 e 1993, antes de outra dominação italiana. Outro americano adotado pelos italianos, Bobby Moore venceria em 1994, seguido pelos italianos Claudio Federici (1995), Massimo Bartolini (1996) e Alex Puzar (1997). O jovem francês David Vuillemin teria sua primeira vitória no GP em 1998 e depois foi o maior piloto de todos os tempos do GP italiano, Alessio Chiodi que venceria em 1999 (a sua única vitória no GP em casa), seguido por, sim outro italiano, Thomas Traversini em 2000.

O norueguês Kenneth Gunderson teve sua primeira vitória no GP em 2001, depois em 2002 veio Mickael Maschio, Stefan Everts em 2003 (quarta vitória na Itália), Andrew McFarlane em 2004, Antonio Cairoli em 2005 e outro italiano em 2006, este sendo David Philippaerts.

italy mx 1 2012

Outros pilotos que tiveram vitórias duplas recentemente são Gautier Paulin que venceu na categoria MX2 em 2009 e na categoria MX1 em 2011. Cairolli somou vitórias no GP italiano na MX2 em 2007 e 2008 e um overall na MX1 em 2010, tornando-o um dos pilotos mais bem sucedidos na história do Grand Prix italiano. Uma vitória na Itália para Cairolli em Faenza no ano passado, elevou seu saldo para 5 vitórias, se igualando à Hallman, Mikkola e Everts como os piloto mais bem sucedidos na história do GP da Itália. Esse ano ele pode tentar quebrar o recorde e ter o recorde absoluto de 6 vitórias no GP da Itália.

cairoli sandy 2013

Ndr.: Existem muito mais vencedores de corridas no GP da Itália, mas tentamos colocar o máximo de variabilidade.

Compartilhe este conteúdo

Comentários

é Editor do Mundocross, site que foi lançado por causa de sua paixão por Motocross e Supercross. Em 1990 ele começou a escrever sobre motos no Jornal VS, em São Leopoldo, no RS, numa coluna onde escrevia sobre Trilhas, Enduro e Motocross. Depois também escreveu para o Jornal O Pódium, Revista Moto Action. Nestes 24 anos teve experiências em eventos internacionais, como Mundiais de Motocross, AMA Supercross, AMA Motocross, Motocross das Nações e US Open Supercross.

Desenvolvido por GetFly