Top 10 AMA Motocross – Ryan Villopoto #9

Por Mariah Morgado | Fotos por Divulgação | 10 de Maio de 2013 - 23:37

Com Ryan Dungey na décima posição ontem, Ryan Villopoto com certeza estaria perto, e ele está: nós temos o tetracampeão do AMA Motocross na nona posição da lista dos Melhores Pilotos do AMA Motocross de todos os tempos. E como Dungey, o piloto da equipe oficial Monster / Kawasaki também está em ascensão. Esses dois pilotos estão liderando o caminho no motocross norte-americano, tendo afirmado, entre eles, cada um dos três últimos títulos da 450 e antes disso, quatro títulos da 250 seguidos, de 2006 a 2009.

Quando Villopoto se profissionalizou no verão de 2005, era difícil de estimar onde ele poderia acabar. Ele não era um minicliclista dominante, com frequência parecia andar na sombra de Mike Alessi. Mas assim que Ryan ‘RV’ Villopoto virou profissional, ele começou ultrapassando através dos rankings contra pilotos veteranos como Ivan Tedesco, Grant Langston, Josh Grant, o um pouco mais velho Alessi, entre outros. Ele chegou no pódio cedo em sua carreira, com um segundo lugar em setembro de 2005, na final da temporada, era apenas a sua terceira corrida profissional.

Villopoto, que vem de Washington, não foi tão bem em sua primeira tentativa no Supercross na categoria Lites, mas no Motocross se tornou rapidamente uma força dominante na categoria 125. Ele venceu seu primeiro nacional na terceira etapa de 2006, depois avançou para pegar o título. Ele repetiria em 2007, segurando os ataques vivazes de seu novo companheiro de equipe Monster Energy / Pro Circuit / Kawasaki, Ben Townley. Aquela temporada terminou com o Motocross das Nações em Budds Creek, uma corrida que normalmente não adicionamos nessas avaliações, mas desta vez é relevante por duas razões: foi uma pista tradicional do nacional americano e a esculachada, que ele deu no restante do mundo (correndo com uma 250F), foi extraordinária.

51625_2008_-_villopoto_-_fredrickson_400

Em 2008, Villopoto se juntou a um clube raro de homens que venceram três vezes consecutivas o campeonato AMA Motocross nessa categoria: Broc Glover, Mark Barnett e Ricky Carmichael. Ele também assinou um acordo a longo prazo com a Kawasaki o que significava que se juntava a outro piloto, o campeão do AMA Motocross 2008 das 450, James Stewart #1, abrindo espaço para ele na categoria principal. Foi uma jogada audaciosa para a equipe que tinha preparado Stewart desde quando era amador em1994 e depois pagando graciosamente como profissional desde 2002. E mais, Stewart registrou uma perfeita temporada (24-0) em seus dias finais na equipe verde. Mas a marca apostou em Villopoto para o futuro.

A estreia de Villopoto na categoria 450 não foi muito boa, nem em sua segunda vez em 2010 quando lesões destruíram suas chances depois de vencer a etapa de abertura e se retirando depois da segunda. Mas em 2011, depois de vencer seu primeiro título do Supercross na categoria 450, Villopoto encaixou um verão excepcional para pegar o plate #1 de Ryan ‘RD’ Dungey, que neste momento estava lado a lado com Villopoto, mas então teve dois problemas mecânicos. Dungey ficou sem gasolina no Texas enquanto liderava, depois perdeu a largada da segunda bateria em Southwick quando teve uma pane na parte elétrica, as duas intercorrências foram presentes para Villopoto. Os dois Ryans se uniram para o Motocross das Nações no final do verão, cruzando famosamente a linha de chegada no final da última bateria, de mãos dadas.

RV venceu seu segundo título consecutive do Monster Energy Supercross em 2012 e repetiu o feito há duas semanas atrás. Mas ele não corre no motocross desde Pala em 2011 por causa do entorse de seu joelho no Supercross de Seattle em abril do ano passado. Tão forte quanto sua carreira tem sido, até agora ele tem registrado apenas uma temporada completa na categoria 450. Agora ele vai tentar pegar de volta com Dungey seu plate #1 no motocross, começando com o Hangtown Motocross Classic no próximo sábado, 18 de maio, em Sacramento, a primeira de 12 etapas que pode elevar, um ou ambos esses caras, na lista dos Melhores Pilotos do AMA Motocross de todos os tempos.

51626_villopoto-pala2011-cudbyphoto-0148_400

Enquanto isso, nós demos a vantagem entre Dungey e Villopoto para RV, baseado em seus quatro títulos comparados com os três de RD e a porcentagem mais elevada de vitórias de Villopoto, 23 vitórias do motocross em 52 largadas na carreira. De qualquer maneira, os dois já estão entre os melhores do motocross norte-americano e têm espaço para subir cada vez mais alto. A parte mais emocionante é que, provavelmente, eles terão que derrotar um ao outro para continuar subindo nos rankings e as batalhas com certeza serão ótimas.

Compartilhe este conteúdo

Comentários

é Editor do Mundocross, site que foi lançado por causa de sua paixão por Motocross e Supercross. Em 1990 ele começou a escrever sobre motos no Jornal VS, em São Leopoldo, no RS, numa coluna onde escrevia sobre Trilhas, Enduro e Motocross. Depois também escreveu para o Jornal O Pódium, Revista Moto Action. Nestes 24 anos teve experiências em eventos internacionais, como Mundiais de Motocross, AMA Supercross, AMA Motocross, Motocross das Nações e US Open Supercross.

Desenvolvido por GetFly