O Motocross das Nações e sua história

Por Mariah Morgado | 16 de setembro de 2013 - 20:35

Não existe um evento motociclismo esportivo no mundo como o Motocross das Nações. Desde 1947 quando uma equipe inglesa venceu o evento no circuito de Wassenaar, na Holanda, a corrida cresceu em grande escala, tendo sempre a participação dos melhores pilotos do mundo.

A cada ano os americanos, australianos, franceses, alemães, ingleses, belgas, neozelandeses, italianos, holandeses e muitas outras nações se reúnem para as Olimpíadas do Motocross. Na década de 50 e 60, a Suécia e a Grã Bretanha dominavam o evento, antes dos belgas começarem sua incrível série de vitórias. A primeira vitória dos belgas foi em 1969 e a última foi em 2004, a equipe da Bélgica tem um total de 12 vitórias no Motocross das Nações.

Depois da Bélgica veio a força da equipe dos Estados Unidos quando os americanos esquentaram o evento como uma tempestade em 1981. Nos últimos 31 anos, os americanos venceram 22 vezes e evento. Pilotos como Ricky Johnson, David Bailey, Jeff Ward, Johnny O’Mara, Mike Kiedrowski, Jeff Emig, Jeremy McGrath, Jeff Stanton e muitos outros fizeram a história deles, e então veio a época de Ricky Carmichael, Ryan Villopoto, James Stewart e Ryan Dungey. Foi uma força invencível que só foi superada algumas vezes.

jeff-ward-courtesy-of-moto-

s780_GY5L6650

Foi a equipe americana que realmente trouxe o glamour para o evento com seus números, altos orçamentos e profissionalismo total que os europeus tem que olhar com respeito, aceitar a surra e esperar por um pouco de sorte para vencê-los.

decoster1

Mas a maré mudou um pouco nos últimos anos com as vitórias não americanas em 1997, 1998, 1999, 2001, 2003, 2004, antes de Carmichael reunir as tropas e vencer em 2005. Desde a vitória de 2005, os Estados Unidos só perderam uma vez, que foi no ano passado, no circuito de Lommel.

joel-robert-motocross-1

Não é de surpreender que a vitória da equipe norte-americana no circuito de Ernee, em 2005, também viu o evento subir para outro nível. A excelência de Ricky Carmichael somando o desempenho perfeito do neozelandês Ben Townley, trouxe mais interesse ao evento e a cada ano multidões, instalações maiores e maior atenção da mídia tem visto essa competição crescer.

Stefan-Everts

Agora estamos em 2013, com data marcada, dias 28 e 29 de setembro, no circuito de Teutschenthal, na Alemanha, e a equipe Estados Unidos vai pegar o que eles acham que é deles. A derrota nas mãos da Alemanha no clássico do ano passado ficou com gosto amargo para a nação americana.

Ryan Dungey, Eli Tomac e Justin Barcia serão favoritos pesados, com as equipes da Bélgica, Alemanha e Itália tendo uma séria chance de desafiar o time americano, embora para muitos o que mais importante não é quem vence o evento por equipes, mas sim o piloto que se destaca individualmente.

Nos últimos oito anos, foram 13 vitórias de baterias por pilotos do AMA e 11 para pilotos do Mundial de Motocross.

2005 – Carmichael – Carmichael – Townley
2006 – Everts – Cairoli – Everts
2007 – Villopoto – Carmichael – Villopoto
2008 – Stewart – Villopoto – Pourcel
2009 – Dungey –  Paulin – Cairoli
2010 – Dungey – Dungey – Townley
2011 – Paulin – Villopoto – Reed
2012 – Cairoli – Cairoli – Herlings

 

Os pilotos com maior número de vitórias de baterias nos últimos oito anos são Antonio Cairoli e Ryan Villopoto, cada um com quatro vitórias, Ryan Dungey e Ricky Carmichael com três vitórias cada um, e Ben Townley e Gautier Paulin com duas vitórias cada um.

 

No momento, os pilotos do Mundial estão de cabeças erguidas, com os três primeiros lugares no ano passado quando os várias vezes campeões mundiais, Antonio Cairoli e Jeffrey Herlings, provaram ser os melhores pilotos de areia no mundo.

 

Seja lá o que acontecer nas terras batidas da Alemanha daqui a seis semanas, podem apostar que pilotos como Dungey, Cairoli, Tomac, Roczen, Herlings, Paulin, Desalle e Barcia darão seus 100%.  Que vençam o melhor piloto e equipe.

 

Vencedores do Motocross das Nações

Ano – País Sede – Equipe – Pilotos

2012 – Bélgica – Alemanha – Maximilian Nagl / Ken Roczen / Marcus Schiffer
2011 – França – EUA – Ryan Dungey / Blake Baggett / Ryan Villopoto
2010 – Estados Unidos – EUA – Ryan Dungey / Trey Canard / Andrew Short
2009 – Itália – EUA – Ryan Dungey / Jake Weimer / Ivan Tedesco
2008 – Reino Unido – EUA – James Stewart / Ryan Villopoto / Tim Ferry
2007 – Estados Unidos – EUA – Ricky Carmichael / Ryan Villopoto / Tim Ferry
2006 – Reino Unido – EUA – James Stewart / Ryan Villopoto / Ivan Tedesco
2005 – França – EUA – Ricky Carmichael / Kevin Windham / Ivan Tedesco
2004 – Holanda – Bélgica – Stefan Everts / Steve Ramon / Kevin Strijbos
2003 – Bélgica – Bélgica – Stefan Everts / Steve Ramon / Joël Smets
2002 – Espanha – Itália – Andrea Bartolini / Alessio Chiodi / Alessandro Puzar
2001 – Bélgica – França – Yves Demaria / Luigi Seguy / David Vuillemin
2000 – França – EUA – Ricky Carmichael / Ryan Hughes / Travis Pastrana
1999 – Brasil – Itália – Andrea Bartolini / Alessio Chiodi / Claudio Federici
1998 – Reino Unido – Bélgica – Marnicq Bervoets / Patrick Caps / Stefan Everts
1997 – Bélgica – Bélgica – Marnicq Bervoets / Stefan Everts / Joël Smets
1996 – Espanha – EUA – Jeff Emig / Steve Lamson / Jeremy McGrath
1995 – Eslováquia – Bélgica – Marnicq Bervoets / Stefan Everts / Joël Smets
1994 – Suíça – Grã Bretanha – Rob Herring / Paul Malin / Kurt Nicoll
1993 – Áustria – EUA – Jeff Emig / Mike Kiedrowski / Jeremy McGrath
1992 – Austrália – EUA – Jeff Emig / Mike LaRocco / Billy Liles
1991 – Holanda – EUA – Damon Bradshaw / Mike Kiedrowski / Jeff Stanton
1990 – Suécia – EUA – Damon Bradshaw / Jeff Stanton / Jeff Ward
1989 – Alemanha – EUA – Mike Kiedrowski / Jeff Stanton / Jeff Ward
1988 – França – EUA – Rick Johnson / Ron Lechien / Jeff Ward
1987 – Estados Unidos – EUA – Bob Hannah / Rick Johnson / Jeff Ward
1986 – Itália – EUA – David Bailey / Rick Johnson / Johnny O’Mara
1985 – Alemanha – EUA – David Bailey / Ron Lechien / Jeff Ward
1984 – Finlândia – EUA – David Bailey / Rick Johnson / Johnny O’Mara
1983 – Bélgica – EUA – David Bailey / Mark Barnett / Broc Glover
1982 – Suíça – EUA – David Bailey / Danny Chandler / Johnny O’Mara
1981 – Alemanha – EUA – Donnie Hansen / Danny LaPorte / Johnny O’Mara
1980 – Reino Unido – Bélgica – Georges Jobé / André Malherbe / Ivan Den Broek
1979 – Suécia – Bélgica – Roger DeCoster / Harry Everts / André Malherbe
1978 – Alemanha  – União Soviética – Kavinov / Khudiakov / Korneev
1977 – França – Bélgica – Roger DeCoster / André Malherbe / Jaak van Velthoven
1976 – Holanda – Bélgica – Roger DeCoster / Harry Everts / Gaston Rahier
1975 – Tchecoslováquia – Tchecoslováquia – Bavorovský / Churavý / Naváček
1974 – Suécia – Suécia – Bengt Aberg / Hakan Andersson / Ake Jonsson
1973 – Suíça – Bélgica – Roger DeCoster / Sylvain Geboers / Jaak van Velthoven
1972 – Holanda – Bélgica – Roger DeCoster / Rene Vorst / Jaak van Velthoven
1971 – Suécia – Suécia – Bengt Aberg / Christer Hammargren / Ake Jonsson
1970 – Suécia – Suécia – Bengt Aberg / Christer Hammargren / Ake Jonsson
1969 – Reino Unido – Bélgica – Roger DeCoster / Sylvain Geboers / Joël Robert
1968 – União Soviética – Arnis Angers / Evgeni Petushkov / Vladimir Pogbrniak
1967 – Holanda – Grã Bretanha – Dave Bickers / Vic Eastwood/ Jeff Smith
1966 – França – Grã Bretanha – Dave Bickers / Vic Eastwood / D.J. Rickman
1965 – Bélgica – Grã Bretanha – Arthur Lampkin / Vic Eastwood / Jeff Smith
1964 – Reino Unido – Grã Bretanha – D.E. Rickman / D.J. Rickman / Jeff Smith
1963 – Suécia – Grã Bretanha – Burton / D.E. Rickman / D.J. Rickman
1962 – Suíça – Suécia – Johansson / Ove Lundell / Rolf Tibblin
1961 – Holanda – Suécia – Ove Lundell / Bill Nilsson / Rolf Tibblin
1960 – França – Grã Bretanha – Curtis / Rickman / Jeff Smith
1959 – Bélgica – Grã Bretanha – Draper / Rickman / Jeff Smith
1958 – Suécia – Suécia – Gustavsson / Ove Lundell / Bill Nilsson
1957 – Reino Unido – Grã Bretanha Curtis / Martin / Jeff Smith
1956 – Bélgica – Grã Bretanha – Draper / Jeff Smith / Ward
1955 – Dinamarca – Suécia – Gustavsson / Sten Lundin / Bill Nilsson
1954 – Holanda – Grã Bretanha – Curtis / Brian Stonebridge / Ward
1953 – Suécia – Grã Bretanha – Les Archer / Draper / Ward
1952 – Reino Unido – Grã Bretanha – Les Archer / Brian Stonebridge / Ward
1951 – Bélgica – Bélgica – Jansen / Leloup / Meunier
1950 – Suécia – Grã Bretanha – Draper / Hall / Lines
1949 – Reino Unido – Grã Bretanha – Lines / Manns / Soovell
1948 – Bélgica – Bélgica – Cox / Jansen / Milhoux
1947 – Holanda – Grã Bretanha – Bill Nicholson / Bob Ray / Fred Rist

Compartilhe este conteúdo

Comentários

é Editor do Mundocross, site que foi lançado por causa de sua paixão por Motocross e Supercross. Em 1990 ele começou a escrever sobre motos no Jornal VS, em São Leopoldo, no RS, numa coluna onde escrevia sobre Trilhas, Enduro e Motocross. Depois também escreveu para o Jornal O Pódium, Revista Moto Action. Nestes 24 anos teve experiências em eventos internacionais, como Mundiais de Motocross, AMA Supercross, AMA Motocross, Motocross das Nações e US Open Supercross.

Desenvolvido por GetFly