Série Perspectivas 2014 – Rafael Faria

Por Jorge Soares | Fotos por Divulgação | 20 de janeiro de 2014 - 15:41

Agora para você a primeira entrevista exclusiva da ‘Série Perspectivas 2014′ do site Mundocross. Nesta segunda-feira, 20 de janeiro, o destaque vai para o paranaense Rafael Faria, que disputou as últimas duas edições do Motocross das Nações representando o Brasil, e neste ano que inicia ele focará no Brasileiro de Motocross e no Arenacross. Confira na entrevista, os planos de Rafael para a temporada do Motocross 2014.

Placa de 5 segundos no ar, largou…

Mundocross – Antes de falar de 2014, faça aí uma avaliação da tua temporada em 2013.

Rafael Faria – Com certeza não foi a melhor de minha carreira, mas foi uma temporada que aprendi muito com os erros… Para 2013 me preparei muito para buscar os títulos, mas sempre havia algo que me atrapalhava. Se não era dentro da pista, era fora. Mas hoje vejo que tudo isso serviu de muita experiência para que no futuro eu saiba trabalhar, mesmo com essas dificuldades que sempre existirão.

Mundocross – Você está participando, ou vai participar de algum campeonato de Verão de Motocross como parte de sua pré-temporada ?

Rafael Faria – Não. Estou focado em minha pré-temporada e em corrigir os erros do passado… Como em 2014 mudei para a categoria MX1, estou me adaptando e focando muito na pilotagem para a moto 450, que exige mais do atleta.

Mundocross – Quais os campeonatos Estaduais e Nacionais que pretende disputar em 2014, e em quais as categorias ?

Rafael Faria – Em 2014 meu foco vai ser a categoria MX1 no campeonato Brasileiro de Motocross e no Arenacross. Também tenho como objetivo participar de um campeonato Estadual para estar em atividade em corridas, visando melhorar o meu ritmo.

Mundocross – Sobre a sua pré-temporada, o que já está fazendo e o que ainda pretende fazer para 2014 ?

Rafael Faria – Estou trabalhando muito, tanto com a moto, quanto a parte física. Como mudei para a categoria MX1 tenho que ter mais horas em cima da moto para chegar nas etapas inicias adaptado com a moto. Na parte física venho mantendo meu cárdio em alta e aumentei a potência na musculação para fortalecer meu corpo e poder segurar os trancos da Yamaha YZF 450.

576814_4127943570619_2015543892_n

Rafael Faria

Mundocross – O que você achou do formato do calendário que a CBM criou para o campeonato de 2014, com etapas tendo algumas categorias e outras etapas tendo outras categorias em disputa ?

Rafael Faria – Eu gostei desse novo formato, mas ainda acho que estamos longe do ideal. Sempre achei ruim para o esporte todas as categorias participarem de apenas um campeonato. Para que o esporte evolua tecnicamente no Brasil, as categorias MX1, MX2 e Júnior (85 2T e 150 4T) teriam que ter um campeonato separado. As pistas com níveis mais altos, não só em saltos e traçados, mas também no tratamento das pistas. Eu participei das duas últimas edições do Motocross das Nações e sei o quanto é difícil pilotar nas pista de níveis mais altos.

Mundocross – Você pretende disputar alguma das etapas do Mundial de Motocross no Brasil, ou na categoria MXGP ou MX2, sendo que uma etapa será em Penha, Santa Catarina, e outra em Goiás, na cidade de Senador Canedo ?

Rafael Faria – Com certeza. Essa é uma oportunidade que teremos de estar andando com os pilotos mais rápidos do mundo. Então temos que aproveitar para buscar novas técnicas, velocidade e profissionalismo, pois ainda estamos muitos degraus abaixo.

Mundocross – Já faz algumas temporadas que não se tem campeonato Brasileiro de Supercross. O que você acha sobre isto ? Gostaria que tivesse um Brasileiro de Supercross ? Se sim, relate aqui sua opinião sobre qual formato de competição, de pistas e quantas etapas deve ter este campeonato ?

Rafael Faria – Depois que o Dunas Supercross acabou, o Arenacross cresceu muito e ficou. É um campeonato muito parecido com o Supercross, mas com pistas de nível mais fácil, Então acho que não precisaria de mais um campeonato, apenas de pistas mais técnicas no Arenacross.     

Mundocross – Quais os patrocínios e apoios que você já tem fechado para a temporada 2014 ?

Rafael Faria – Para 2014 já acertei com a equipe oficial Yamaha / Geração, mas ainda não sei quais serão os apoiadores da equipe. E também já fechei a parceria com o Serginho Suspensões.

1378783_10200214688083605_1334816735_n

Rafael Faria

Mundocross – Quem será seu mecânico e o seu preparador em 2014 ?

Rafael Faria – Já estamos tudo certo com o meu mecânico Everton Daniel, o ‘Gago’, para 2014. Na parte de preparação física e técnica na pista quem esta me auxiliando é o piloto Davis Guimarães. E na parte de preparação de motores, quem convidarei para trabalhar comigo é um velho amigo, o Clóvis Castello.

Mundocross – Agora a palavra e o espaço são todos seus.

Rafael Faria – Só tenho a agradecer a Deus por sempre estar ao meu lado. A meu pai por sempre estar me apoiando e aos meus amigos e fãs por sempre estarem torcendo por mim. E claro, ao site Mundocross por mais essa oportunidade.

Perfil do piloto Rafael Faria :

Nome completo : Rafael da Silva Faria
Data de nascimento : 31 de maio de 1989
Cidade onde nasceu : Rio Branco do Sul – PR.
Cidade onde mora : Rio Branco do Sul – PR.
Moto atual : Yamaha YZF 450

Número que vai usar na moto em 2014 : 116
Principal título : Campeão Arenacross 2012
Ídolo no Motocross Nacional : Paulo Stedile
Ídolo no Motocross Internacional : Ricky Carmichael
Pista favorita no Paraná : A minha
Pista favorita no Brasil : Cachoeiro do Itapemirim – ES.
Comida favorita : Massa
Bebida favorita : Água
Comida nos dias de corridas : Massa
Bebida nas corridas : Água e isotônicos

Tipo de filme favorito : Ação
Lazer preferido : Namorar
Esporte preferido fora o Motocross : Ciclismo
E-mail : [email protected]

Twitter : @rafaelfaria16
Face :
www.facebook.com/rafaelfaria116

Compartilhe este conteúdo

Comentários

é Editor do Mundocross, site que foi lançado por causa de sua paixão por Motocross e Supercross. Em 1990 ele começou a escrever sobre motos no Jornal VS, em São Leopoldo, no RS, numa coluna onde escrevia sobre Trilhas, Enduro e Motocross. Depois também escreveu para o Jornal O Pódium, Revista Moto Action. Nestes 24 anos teve experiências em eventos internacionais, como Mundiais de Motocross, AMA Supercross, AMA Motocross, Motocross das Nações e US Open Supercross.

Desenvolvido por GetFly