Prévia da abertura do Mundial de Motocross 2014

Por Mariah Morgado | 28 de fevereiro de 2014 - 23:21

É oficial, a nova temporada já chegou e os gates estão programados para cair neste final de semana no circuito de Losail, no Qatar. Depois do sucesso do ano passado, o campeonato Mundial de Motocross retorna ao Oriente Médio para a etapa de abertura da temporada 2014. E como no ano passado, as corridas irão acontecer em um estilo espetacular no anoitecer do sábado, 1º de março, sob a iluminação de holofotes.

A pista de Losail é toda construída pela mão humana e é situada ao lado do circuito de MotoGP em Losail (Qatar). Graças a sua localização extraordinária, nesse final de semana, todos os envolvidos terão acesso as instalações absolutamente impecáveis que coexistem com o circuito de MotoGP. Isso significa escritórios, centro de imprensa, banheiros e chuveiros impecáveis e também áreas de paddock cobertas e de concreto e um restaurante. Refletindo o ano passado, o sistema de iluminação foi dramaticamente melhorado, permitindo mais visibilidade tanto aos pilotos quanto aos espectadores. 32 postes de luz, 420 lâmpadas com força de 2000W, todos abastecidos por 10 geradores de 350 kva, resultando em uma iluminação geral melhor o que não apenas melhora a visibilidade para os participantes, mas também amplia as imagens transmitidas pela Internet ou pela televisão. Em outras novidades, as corridas foram encurtadas em cinco minutos, tornando as corridas da MX2 e MXGP com 30 minutos mais duas voltas de duração e o Campeonato Mundial Feminino de Motocross (FIM Women’s Motocross World Championship) volta ao paddock do MXGP.

Categoria MXGP

Esse ano, o atual campeão Mundial da categoria MX1, atual MXGP, Antonio Cairoli é o homem a ser superado. Atualmente em segundo colocado na lista do “Maior número de vitórias de todos os tempos” (com 38 vitórias atrás de Stefan Everts) o agradável piloto da Red Bull / KTM Factory Racing vai objetivar seu oitavo título mundial. No início do ano, Cairoli dominou absolutamente as duas primeiras etapas do campeonato Italiano, provando que ele está completamente renovado e preparado para enfrentar a temporada. A única coisa que pode retardar o italiano insanamente talentoso, e apenas um pouco, é a lesão no tornozelo que ele sofreu há duas semanas, depois de colidir com outro piloto, na largada da terceira etapa do Campeonato Italiano.

Entre os possíveis candidatos a impedir Cairoli, está Clement Desalle da Rockstar / Suzuki World. O próprio Desalle fez seu nome no pódio desde sua primeira vitória no GP em 2009 e desde então tem terminado entre os três primeiros no geral nos últimos quatro anos. Já com dois segundos e dois terceiros lugares no ranking, Desalle tem apenas um pódio não marcado e já parece feroz depois de vencer a corrida pré temporada do ‘Masters Motocross International’, em Lacapelle- Marival, na França, no último final de semana.

Seu colega de equipe Rockstar / Suzuki, Kevin Strijbos melhorou imensamente ao longo de 2013, subindo com frequência no pódio nos últimos estágios da temporada. Embora ele tenha passado o período do inverno de molho com uma fratura de quadril, o piloto belga retornou a correr no último final de semana em Lacapelle-Marival (França), onde ele mostrou uma velocidade incrível, vencendo a primeira corrida na frente de seu colega de equipe, Clement Desalle.

Gautier Paulin da Monster / Kawasaki Racing Team conquistou sete pódios no começo da última temporada, três dos quais foram vitórias de GP. Depois de uma vitória espetacular em Maggiora (Itália), Paulin venceu mais algumas corridas, mas seu progresso no campeonato foi retardado enquanto ele brigava para manter sua Kawasaki 450 em duas rodas. Desde então, parece que o francês se reagrupou, fazendo sua primeira aparição de 2014 há duas semanas na terceira e última etapa do Campeonato Italiano em Montevarchi (Itália) onde ele venceu as duas baterias, confirmando que ele está em boa forma para vencer este ano.

Coroado campeão italino a duas semanas atrás no popular Internazionali d’Italia, Jeremy Van Horebeek da Yamaha Factory Racing pode ser a surpresa da temporada. Depois de passar sua primeira temporada na categoria MXGP, Van Horebeek está projetando confiança, está em forma e preparado para mostrar ao mundo do que é feito.

Outro piloto que ingressa em sua segunda temporada na MXGP é Tommy Searle da CLS Kawasaki / Monster. Searle foi nomeado como o novato mais promissor do ano passado e ainda tem que fazer jus a promessa. Agora, com uma temporada de corrida na categoria MXGP na prateleira, 2014 pode ser o ano para transformar seus tip 10 em top 3.

No ano passado, Ken De Dycker da Red Bull / KTM Factory Racing terminou em terceiro no geral e teria sido normalmente outra ameaça ao campeonato. Infelizmente, o belga alto ficará de fora da ação das primeiras etapas depois que um acidente pré-temporada o colocou no hospital com uma fratura severa no punho.

Evgeny Bobryshev e Max Nagl da equipe HRC não são estranhos do pódio da MXGP. Os dois pilotos provaram no passado que eles têm o necessário para ir longe e dado que os dois estão 100% saudáveis e em forma, eles podem ser ameaças genuínas ao título.

Depois de duas temporadas saturadas por lesão, Steven Frossard da Monster / Kawasaki Racing Tem está preparado para voltar. O francês já fez duas aparições pré-temporada em Montevarchi (Itália) e Lacapelle-Marival (França) confirmando que ele ainda pode acompanhar o ritmo dos pilotos da frente no MXGP.

E por fim, mas não o último, o campeão Mundial MX2 de 2008, Tyla Rattray retornou a Europa depois de passar os últimos cinco anos nos Estados Unidos. Rattray caiu direto em uma moto de fábrica com a Red Bull / IceOne / Husqvarna Factory Racing e admitiu que está mais do que preparado para o desafio

Categoria MX2

A pergunta da temporada permanece ‘Alguém pode desafiar Jeffrey Herlings ?’ O piloto da Red Bull / KTM Factory Racing não vai correr apenas em busca de seu terceiro título mundial consecutivo na MX2, mas também pela “temporada perfeita”. A sensação holandesa de 19 anos não foi tímido ao admitir que ele quer ser o primeiro piloto na história do campeonato Mundial  de Motocross a vencer todas as corridas e todas as etapas. E dado sua demonstração de velocidade no ‘Hawkstone International’ onde ele dominou não só a MX2, mas também a superfinal (MXGP e MX2 juntas), ele pode estar bem encaminhado.

O vice-campeão 2013 da MX2, Jordi Tixier, já mostrou ótima velocidade no passado. O jovem francês tem avançando bem e atingindo a velocidade de seu colega de equipe (Herlings) e espera desafiá-lo este ano.

Graças a seus resultados consistentes e momentos de altos e baixos de excelência, Jose Butron da KTM / Silver Action terminou a temporada 2013 em terceiro lugar no geral. Embora terminar entre os três primeiros já é um resultado fantástico, o destaque da de Butron na temporada foi ser o único piloto a derrotar o atual campeão mundial da categoria, Jeffrey Herlings, em uma corrida no ano passado. Com a confiança de que pode vencer e com uma nova temporada a sua frente,  Butron pode ser aquele que vai esquentar o clima na MX2.

No passado grandes coisas foram esperadas do piloto CLS / Kawasaki / Monster, Arnaud Tonus, mas infelizmente uma série de acidentes esquisitos o mantiveram fora do gate. Nesta temporada, a estrela suíça está de volta a ação e já provou que ainda tem alta velocidade, vencendo a pré temporada na MX2 no campeonato Italiano.

Depois de vencer o Grand Prix da Grã-Bretanha no ano passado, Glenn Coldenhoff da Rockstar / Suzuki Europe provou definitivamente que tem o potencial de ser um candidato ao pódio.

Em um bom dia, Dyla Ferrandis da CLS / Kawasaki / Monster pode ser um dos desafiantes do campeão Jeffrey Herlings. Depois de provar que ele pode acompanhar o ritmo em terra batida e provar que ele foi o segundo melhor piloto na areia no Grand Prix da Holanda do ano passado, Ferrandis pode ser um piloto para ficarmos de olho este ano.

O piloto da Yamaha Factory Racing, Christophe Charlier e o piloto CLS / Kawasaki / Monster, Alessandro Lupino são dois pilotos que mostram ser grandes promessas no passado. Os dois são capazes de subir no pódio e estarão motivados pelo fato de ser seu último ano na MX2.

No ano passado a dupla de jovens soldados, o russo Alesandr Tonkov e o francês Romain Febvre, deixou impressões duradouras. Devido a suas velocidades e talentos crus, a dupla foi escolhida pela Wilvo / Nestaan / Husqvarna Factory Racing e entrarão na pista mostrando o seu melhor para deixarem sua marca este ano.

Um piloto que pode ser um desafiante surpresa nesta temporada é o Campeão Europeu EMXF 250 do ano passado, Valentin Guillod. No ano passado, Guillod mostrou um ótimo desempenho, dominando o campeonato EMX250 e depois surpreendendo a todos quando brigou na frente com uma KTM 450 no Motocross das Nações. Este ano Guillod vai correr pela Standing Construct / KTM, a mesma equipe que levou Glenn Coldenhoff a sua primeira vitória de GP em 2013.

Categoria WMX

O campeonato Mundial Feminino de Motocross retornou ao paddock do MXGP. Depois de um intervalo de dois anos, os números e a intensidade das corridas femininas diminuíram notavelmente, mas agora tudo isso está no passado com as mulheres voltando e os números também.

A atual campeã Mundial da WMX Chiara Fontanesi, pode ter as mãos ocupadas nesta temporada. A bicampeã mundial dominou os últimos dois anos e será interessante ver como a talentosa mulher maravilha italiana lida com a pressão das antigas rivais.

Livia Lancelot da Team One One Four é a única mulher a ter corrida no circuito do Qatar. No ano passado, Lancelot alinhou no gate da MX2 e chocou a nação em como uma mulher pode pilotar de verdade uma moto tão bem. Embora ela não tenha se classificado na categoria masculina devido a velocidade insana de Jeffrey Herlings e a regra dos 110%, a moça definitivamente estará em seu elemento neste final de semana e com certeza será uma desafiante ao título deste ano.

A vice-campeã do ano passado, Meghan Rutledge, parece querer melhorar uma posição este ano. A australiana de 19 anos assinou um contrato para a temporada inteira graças ao apoio da Bud Racing Kawasaki e vai buscar por nada menos do que a glória da WMX.

Natalie Kane da HM Plant / KTM UK teve um final de temporada dramático no ano passado quando ela perdeu a primeira corrida da última etapa devido a necessidade de liberação médica. Ao retornar a pista, Kane alinhou no gate para a segunda corrida e bombardeou a competição para terminar sua temporada com um gosto agridoce. Depois de quase perder o segundo lugar no geral em 2013, Kane volta este ano buscando vingança.

A tetracampeão mundial, Steffi Laier, volta este ano e preparada para conquistar seu quinto campeonato mundial WMX. A alemã veloz vai alinhar no gate com o apoio de sua nova equipe, a Dragon Moto Suzuki.

Outro sucesso do passado é Larissa Papenmeier-Picoto da equipe Twenty Suspensio Suzuki. Papenmeier-Picoto já venceu sua cota de Grand Prix WMX no passado e está de volta como uma edição interessante para o line-up de 2014.

CRONOGRAMA (Lembrando que é o horário do Qatar, que corresponde a 7 horas a mais do que o horário de Brasília)

Sábado: 

WMX Warm up / 16:30 horas

MX2 Warm up / 16:50 horas

MXGP Warm up / 17:10 horas

WMX Corrida 1 / 18:10 horas

MX2 Corrida 1 / 19:10 horas

MXGP Corrida 1 / 20:10 horas

WMX Corrida 2 / 21:10 horas

MX2 Corrida 2 / 22:10 horas

MXGP Corrida 2 / 23:10 horas

Stampa

Compartilhe este conteúdo

Comentários

é Editor do Mundocross, site que foi lançado por causa de sua paixão por Motocross e Supercross. Em 1990 ele começou a escrever sobre motos no Jornal VS, em São Leopoldo, no RS, numa coluna onde escrevia sobre Trilhas, Enduro e Motocross. Depois também escreveu para o Jornal O Pódium, Revista Moto Action. Nestes 24 anos teve experiências em eventos internacionais, como Mundiais de Motocross, AMA Supercross, AMA Motocross, Motocross das Nações e US Open Supercross.

Desenvolvido por GetFly