Brasileiro de Motocross abre em Marau no domingo do dia das mães

Por Sílvio Bilhar | Fotos por Sílvio Bilhar | 14 de maio de 2015 - 15:28

O domingo 10 de maio, Dia das Mães foi de Brasileiro de Motocross na pista do Moto Clube de Marau, O MOTOMAR. Que alias já recebeu em anos anteriores o Brasileiro de MX Júnior. O sábado havia sido perfeito com tempo seco, entretanto na noite e madrugada do dia 9, um grande volume de chuva caiu no município e a pista ficou totalmente embarreada. Com a abertura do sol e os treinos pela manhã, as corridas aconteceram em uma pista própria para a realização das corridas ou seja, sem levantar poeira e sem barro. O que aumentou a adrenalina e levou os mais de 4 mil expectadores a loucura a cada volta dos pilotos.

IMG_3198

largada da 2ª bateria da MXPró válida pelo Gaúcho. O convidado Thales Vilardi#27 venceu as duas provas de ponta a ponta

Um acordo entre CBM e FGM, jogou todas as provas do Brasileiro de Motocross para o domingo, isto posto a 50cc foi válida apenas pelo Brasileiro, Já a MXF, a MX4, a 65cc tiveram suas corridas validadas para os dois campeonatos, Gaúcho e Brasileiro.

IMG_2931

Solenidade de abertura do Brasileiro e Gaúcho de MX, com a presença do presidente da CBM, Firmo Alves e da FGM, Paulo Della Flora

As meninas da MXF entraram na pista para a disputa de mais uma etapa do Gaúcho de MX e Brasileiro da modalidade. A paulista Stefany Serrão largou na ponta seguida da Gaúcha Maiara Basso, A Gringa e da paranaense Bruna Avila. Stefany que vem desde 2014 numa boa fase, não dá mole e a cada volta abre boa vantagem na pista e conquista a categoria. Maiara e Bruna chegaram logo atrás.

IMG_2588

A simpática vencedora Stefany Serrão

Em seguida veio a categoria Júnior (apenas para gaúcho)com Bruno Schmitz largando na ponta seguido de Bernardo Pícolli e Felipe Migliorini. Bê cai e abandona a etapa ainda nas voltas iniciais. Migliorini também erra, mas recupera-se na pista e termina em 3º lugar, atrás de Felipe Moraes que havia assumido a colocação com os tombos. Bruno segura Felipe Moraes que pressionou até o fim, chegando a menos de 2 segundos do líder, fato que também ocorreu na disputa do 2º lugar, pois Migliorini também chegou colado no adversário. Rhuann Ávila, de Guarapuava/PR chegou em 4º e Marcelo Fernandes de Goiânia/GO foi o 5º no pódio.

IMG_2807

Bruno venceu a categoria Júnior e homenageou a Mãe no dia delas

A 2ª categoria do Brasileiro a entrar na pista foi a MX4 cuja prova valeu também pelo gaúcho da modalidade. Nessa o Catarinense Richard Berois largou na ponta com Walter Tardim em 2º e Milton Chumbinho Becker na 3ª colocação. Leandro Schwindt e Erivelton Nicoladelli compondo o 1º pelotão. Chumbinho parte ao ataque e em 3 voltas encosta e ultrapassa Walter e logo em seguida assume a liderança. Em prova de recuperação Willian Guimarães que largou mal, já brigava por pódio em 6 voltas da categoria. Chumbinho abre vantagem e Walter segura os ataques de Richard que na volta final encosta de vez para dar o bote fatal na última curva. Chumbinho vence seguido de Richard, Walter e Erivelton. Willian chegou na 5ª posição após vencer o duelo com Leandro.

IMG_2715

Largada da MX4. Chumbinho #2 largou com vitória rumo ao 23º título no campeonato nacional

Dando continuidade ao gaúcho, a MX2 largou em grande estilo. Gabriel Carbonera fez o hole shote seguido de Mateus Básso, o Tatú e Gustavo Roratto, os três em diferença considerável na pista. Roratto pressiona e em 3 voltas ultrapassou Tatú. Outro duelo que também entrava na definição final era pelo 4º lugar em que Leonardo Dambrós ultrapassou Lucas Basso e subia no pódio em 4º lugar. Carbonera tem uma vitória maiúscula na etapa com Roratto e Mateus Basso em seguida.

IMG_2814

Carbonera #289 venceu a etapa do Gaúcho na MX2 e fez vibrar a equipe Borilli Racing

IMG_2927

Leonardo,Gustavo,Gabriel,Mateus e Lucas no pódio da MX2 gaúcho

Um “largadão” espetacular do garoto de Torres, Carlos Baltazar na 65cc etapa válida pelo estadual e pelo brasileiro. Pedro Moraes foi o 2º com Lucas Diesel na 3ª posição da largada. Mais atrás Gabriel Andrigo e Arthur Amorim, Mineiro que veio participar no Brasileiro de MX da modalidade. O desempenho dos pilotos do pelotão principal variavam até a 5ª volta. Lucas com problemas abandona ainda na volta inicial e José Antônio, de Atibaia/SP que largou mal, busca recuperação e chega ao 4º lugar, com Henrique Hênicka na 5ª. Cristian Echardt e Marcelo Fernando, de Goiânia/GO caem na seção de saltos do campo de futebol. Ambos que vinham fazendo uma boa corrida e também em recuperação abandonam. Carlos Baltazar venceu de ponta a ponta, Pedro Moraes e Gabriel Andrigo, esses dois de Marau/RS. O pódio foi completado com José Antônio e Henrique em 4º e 5º lugares.

IMG_2928

Podium da 65cc Brasileiro e Gaúcho. Baltazar larga bem e sobe em 1º no lugar

A 50cc prova que valia apenas pelo campeonato Brasileiro veio em seguida (A etapa do Gaúcho ocorreu no sábado). O garoto de Itapiranga/SC Rafael Becker fez o hole shote seguido do gaúcho de Dois Irmãos Garmichel Giehl e Ivo Konell de Jaraguá do Sul/SC os 3 primeiros na volta inicial. Ainda no pelotão da frente vinha Bruno Chavier da Cruz (Chapecó/SC), Raul Miranda(Imbituba/SC), João Maurício (Goiânia/GO) todos numa mesma tocada. No pelotão intermediário, José Braulio (Brasília/DF), Gabriel Bilhar(Guaporé/RS) e Gregory Mota (Manaus/AM). Os quatro primeiros ficam inalterados, mas na quinta colocação, veio Gustavo Hatelben de Marec/RO. Rafael venceu de ponta a ponta a etapa inicial brasileiro de 50cc.

IMG_2940

Rafael Becker venceu a abertura do Brasileiro na 50cc

Na 1ª curva da MX3 aparece Milton Becker o Chumbinho fazendo o hole shote, mais atrás Maiara Basso, Marcos Cordeiro e Walter Tardim, O Carioca.Posições que modificariam na volta inicial quando Cordeiro assume o 2º posto com Tardim em 3º Vagner Lachi em 4º. Cordeiro ataca incansavelmente e na 2ª volta assume a liderança, Chumbinho fica no rastro esperando um erro do adversário. Faltando duas volta para o fim, Chumbinho aperta o ritmo e tira a diferença, mas atento aos acontecimentos, Marcos Cordeiro reage mantém a liderança e recebe a quadriculada em 1º. Chumbinho foi o 2º seguido de Willian Guimarães que recuperou terreno. Walter foi o 4º e Fabiano Ribeiro que largou mal, saindo do 10º para a 5ª posição no pódio.

IMG_3100

Marcos Cordeiro venceu a MX3 no Gaúcho de Motocross

A Intermediária MX2 entrou na pista e Mateus Kunz, com uma disposição incrível, largou na frente seguido de Leonardo Dambrós, Eduardo Martello (piloto da casa), Vanderlei da Silva “O Chico Loco” e Ândrio Seben formando o pelotão da frente. Dambrós ataca insistentemente e com 5 voltas já assumia a liderança deixando Mateus pelo 2º posto. O duelo pelo 3º lugar também estava interessante, Vanderlei chegou a assumir a vaga mas caiu ao tentar encostar em Mateus, o 2º. Dambrós que em 2014 superou problemas de saúde voltou com tudo em 2015 e já vence na pista. Mateus chegou em 2º lugar com Ândrio em 3º, Vanderlei em 4º e Leonardo Tenedini em 5º na etapa.

IMG_3126

Dambrós #43 ultrapassa Mateus #19 e vence a Intermediária MX2 válida pelo Gaúcho

Na MXPró, valida pela 5ª etapa do Gaúcho, o convidado especial roubou a sena. Thales Vilardi/SP andando de Yamaha, largou na frente e venceu a bateria inicial de ponta a ponta seguido de Mateus Tatu Basso que segurou os ataques de Gabriel Carbonera e de Gustavo Rorato durante a bateria inicial. Thales, Mateus e Gustavo os três da prova de abertura.

A Bateria final, que encerrava as disputas em Marau, também teve Thales fazendo o Hole Shote e novamente Tatu veio em 2º com Duda Parise na 3ª colocação. Mais atrás, Gabriel Carbonera e Luis Henrique Zottis formando o 1º pelotão em prova. Thales a cada volta abre boa vantagem até a vitória de ponta a ponta. Tatu se mantém em 2º com Zottis em 3º, ele que nunca saiu do pelotão principal. Na 4ª colocação da bateria, Cássio Anacleto que fez uma prova inicial muito aquém de sua tocada, chegou em 4º  e Lucas Basso o 5º. Duda, com pneu furado abandonou na 6ª volta. Na soma geral das duas baterias deu Thales em 1º, Tatu em 2º, Zottis em 3º, Gustavo em 4º e Carbonera em 5º.

Compartilhe este conteúdo

Comentários

Sílvio Bilhar começou em março de 1995 o jornal O Podium, exclusivo sobre motociclismo, antes disso teve participação durante 3 anos no Jornal Pit Stop (Hoje é Revista). Estudou Relações públicas na FEEVALE em N.Hamburgo, Jornalismo em São Leopoldo e fez diversos curso de aprimoramento, entre eles de Publicidade e Marketing e de Jornalismo Esportivo, cuja aprovação foi com louvor. Ainda hoje é editor e proprietário do Jornal O Podium cujas informações é de ser o único do estilo no Brasil. Assumiu o Mundocross após o falecimento de seu grande amigo Jorge Soares, que chegou a escrever por alguns anos uma coluna no Jornal. Ambos parceiros e colaboradores nos dois veículos. Natural de Montenegro/RS, nasceu em 10 de fevereiro de 1965. Mora a mais de 25 anos em Novo Hamburgo, região da Grande POA no RS.

Desenvolvido por GetFly