O Rei do Supercross, Jeremy McGrath, fala sobre a atualidade do Motocross

Por Mariah Morgado | Fotos por Eric Johnson, Garth Milan e divulgação | 05 de junho de 2015 - 8:00

Sob o calor de 95ºF de Lake Elsinore, na Califórnia, durante a quinta etapa do Lucas Oil Off Road Racing Series 2015, Jeremy McGrath assistia a terceira etapa do AMA Motocross 2015 em Thunder Valley pela televisão dentro do caminhão da #2 Loctite/Traxxas e fazia comentários sobre a corrida.

Qual é a desses garotos da categoria Lites (250MX)? Jeremy Martin está ótimo, mas o que aconteceu com os outros garotos que deviam assumir as rédeas e controlar o esporte?”

McGrath atualmente compete no Lucas Oil Off Road Racing Series. - Foto: Eric Johnson

McGrath atualmente compete no Lucas Oil Off Road Racing Series. – Foto: Eric Johnson

McGrath estava em Elsinore para uma corrida de Pro 2 Unlimited Truck e enquanto seus mecânicos afinavam seu caminhão Nissan de corrida, a corrida em Thunder Valley ocupava todas as atenções do Rei do Supercross. Depois de assistir as corridas na companhia de Eric Johnson, McGrath bateu um papo com ele em exclusividade para a revista e site RacerX.

Veja sobre tudo o que McGrath tem a dizer sobre a atualidade do Motocross norte americano:

RacerX: Jeremy, qual sua opinião sobre o motocross atualmente?
McGrath: Na minha opinião, o motocross está num estado desastroso (risos).

RacerX: Você acha mesmo?
McGrath: Escute, sou um grande fã. Eu amo isso. É meu passatempo preferido no mundo todo. Amo motocross. Amo Supercross. Mas parece que todos os acordos feitos a cinco ou seis anos atrás, os acordos feitos para essa garotada que estão começando, os mais novos, agora não estão a altura. O impacto que estes jovens tiveram sobre o esporte como um todo, deixou a todos coçando as cabeças. Você sabe, têm alguns superstars lá. Obviamente, Ryan Dungey é um deles. Ele está fazendo o trabalho dele, está na frente, ele é o cara em quem você pensa dentro da pista. Depois disso, você sabe, um cara que te deixa mais impressionado seria Weston Peick. Olhe para esse cara. Ele está trabalhando duro. Está rendendo muito enquanto todos achavam que ele não conseguiria.

RacerX: Ele me lembra um pouco o Jeff Stanton.
McGrath: Oh, eu adoro Jeff Stanton. Sim, ele lembra. Ele lembra. É maravilhoso de assistir. É revigorante. Acho que se Peick não estivesse competindo, não seria muito divertido neste momento. Você não pode deixar de ficar impressionado com um cara como Marvin Musquin, que é um garoto talentoso, com certeza. Mas para mim, nós estamos acostumados a ter todos aqueles superstars, agora todos parecem estar no mesmo nível. E com certeza parecia como no ano passado, quando eu e você fizemos juntos aquela entrevista do supercross antes da temporada começar, quando parecia que Ken Roczen iria ser o grande destaque. Mas eles entraram e conseguiram todos aqueles grandes contratos para ele e de repente ele não estava rendendo exatamente como ele queria. Quero dizer, você tem o poder de Carey Hart, Ricky Carmichel e Roczen. Deveria ser parceria do paraíso, certo? Mas não está rendendo exatamente como todo mundo esperava que iria. Muitos dos pilotos mais velhos acharam que Roczen se destacaria, mas ainda não está dando certo. Dungey está deixando esses caras para trás. Eli Tomac está esmagando eles. Tomac está encontrando seu caminho. Finalmente! (Infelizmente, no mesmo dia da entrevista, Tomac sofreu uma lesão que o tirou da temporada). Mas todos as outras promessas ainda estão em fase de desenvolvimento. Como um fã do esporte, eu só gostaria que pudéssemos ver mais.

RacerX: Você falou sobre Ryan Dungey, Marvins Musquin e Eli Tomac. Tem mais alguém que te impressionou? Alguém mais que se destacou?
McGrath: Sim, para mim, Dungey foi  no supercross desse ano o mais impressionante do que ele já esteve toda a sua carreira. Para mim, foi incrível. Ele realmente foi bem. E ele provavelmente se sentiu muito aliviado porque o título que ele tinha antes (2010), tinha um pequeno “asterisco”. Mas não este ano. Ele dominou. Foi maravilhoso de ver.

Estou um pouco chateado por Trey Canard, e eu tinha grandes esperanças para Davi  Millsaps no supercross. Infelizmente, não deu. Têm algumas equipes que realmente precisam levar um chute no traseiro e descobrir o que vai acontecer aqui. No motocross, vejo Jeremy Martin. Ele é certamente o garoto mais forte dentro da pista. Ele está dominando estes caras. Semana passada ele teve problemas em Glen Helen, mas pilotou forte. Ele é um cara mal. Eu não estou vendo o suficiente desses garotos que são as promessas.

Fiquei bastante impressionado com Blake Baggett este ano. Para alguém que todo mundo apostava que estaria fora da disputa, ele vem andando muito bem, mesmo no supercross, o que eu fico satisfeito em ver.. Mas você vê o time de Mitch Payton da Pro Circuit Kawasaki. A equipe da GEICO Honda. Todos os garotos que estão nestes times estão “batendo na trave”. Eles não estão indo tão bem. Até houve alguns flashes de brilhantismo, mas não tem sido tão bom.

Novamente, eu quero ver mais desses garotos. Eu não estou tentando derrubá-los, mas a verdade é que todos estão errando. Justin Hill, na semana passada ele finalmente andou bem, mas levou o que, seis meses para estar encontrar o ritmo? Jessy Nelson está indo muito bem. Shane McElrath está muito bem também. Sabe o que mais também? Eles estão na equipe de Troy Lee, que supostamente é uma equipe satélite. Essa equipe está começando a ter o apoio total de fábrica agora e eles já tinham todos esses caras antes disso. Estes caras estão exatamente onde deveriam estar. São as equipes de fábrica que estão tendo problemas.

RacerX: O AMA Supercross 2015… muitos se lesionaram.
McGrath: Bem, sabe o que é? Essa agora virou a história do ano : quem não vai se lesionar. Antigamente, meio que parecia que todo mundo sobrevivia a todas as corridas e as vezes era uma disputa um pouco mais próxima. Bem, eu acho que a exceção fui eu. Esse ano todo mundo tinha grandes esperanças que a profundidade da competição seria algo que nós nunca vimos antes. Basicamente, Ryan Dungey foi e silenciou todos os críticos. Entretanto, isso é bom. Você quer ver alguém triunfar e ele certamente fez isso.

O Motocross é um esporte muito saudável. Existem muitos garotos jovens surgindo que são realmente muito bons." – Foto: Garth Milan

O Motocross é um esporte muito saudável. Existem muitos garotos jovens surgindo que são realmente muito bons.” – Foto: Garth Milan

RacerX: Mudando um pouco de assunto, James Stewart e Ryan Villopoto não estão competindo nos Estados Unidos neste ano, qual o impacto disso para o esporte americano?
McGrath: Oh, foi enorme. Você sabe, ame ou odeie ele, todos querem ver James correndo. É ruim que ele não esteja na pista agora. Foi algo muito grave e ninguém ainda sabe muito bem o que aconteceu. E RV foi nosso superstar. Ele estava defendendo os Estados Unidos. Ele foi quatro vezes campeão do supercross antes de partir para o Mundial. E infelizmente, isso não deu muito certo para ele também. Nosso esporte, como um todo, sofreu um grande impacto com a ausência destes caras.

RacerX: Qual a sua opinião sobre a temporada de Ryan Villopoto no Mundial de Motocross? Você assistiu alguma corrida?
McGrath: Eu assisti e das corridas que assisti, vi que ele estavaprovavelmente muito feliz quando ele venceu aquela segunda etapa ou seja lá qual foi. Me parece realmente que ele está tratando isso como férias, como uma volta de comemoração. Infelizmente, as pessoas vão se lembrar disto, mas ele é um campeão e tem a opção de sair quando desejar. Não tem como negar o que ká foi escrito. O cara é um “fodão”.

RacerX: Existe uma teoria por aí de que os caras do MXGP são pilotos de motocross em tempo integral, enquanto os pilotos americanos são praticamente pilotos de supercross em tempo integral. Você acha que isto é verdade?
McGrath: Acho que sim. Esta é a verdade. Aqueles caras, tudo o que fazem é motocross, vocêsabe do que estou falando?

RacerX: O que você acha do AMA Motocross?
McGrath: Oh, eu amo. Esse é o lugar onde os homens são formados por aqui. E preste atenção, eu fui considerado culpado por não ter dado atenção suficiente ou de não ter sido campeão vezes o suficiente no Motocross, e eu entendo isso agora. É engraçado porque no supercross as vitórias vinham fácil, mas quando ganhava uma corrida de motocross, parecia dar trabalho. Eu ficava como se, tipo, agora sim finalmente fiz alguma coisa. Você ganhava seu sustento ali… A capacidade desses caras vencerem como fazem no motocross é impressionante, mas eu ainda gostaria de ver alguém (alguém novo) que será o destaque, o cara popular. E não há apenas um sequer.

RacerX: Como você vê o futuro do nosso esporte?
McGrath: Sim, o futuro parece bom. O motocross é um esporte  muito saudável. Tem muitas garotos jovens surgindo que  são muito bons. É o que estamos esperando que um deles se distinga e se destaque, sabe? Mas sim, como um todo, existem muitos bons pilotos e você gostaria de ver algumas equipes indo muito melhor. Nós apenas precisamos ser pacientes.

McGrath coleciona título do AMA Supercross e agora tem o esporte como hobbie.

McGrath coleciona título do AMA Supercross e agora tem o esporte como hobbie. – Foto: Divulgação

Compartilhe este conteúdo

Comentários

Desenvolvido por GetFly