Mundial de Motocross 2016 – 16a etapa – Holanda

Por Mariah Morgado | Fotos por MXGP | 28 de agosto de 2016 - 22:48

O público estrondoso holandês criou uma atmosfera de arrepiar a espinha hoje no histórico Dutch TT Circuit, em Assen, 16a etapa do Mundial de Motocross 2016 onde Clement Desalle e Jeffrey Herlings vencendo a MXGP e MX2.

MX2start_MXGP_16_NL_2016

Largada MX2

As coisas não podiam ficar mais enlouquecidas do que ficaram hoje no MXGP da Holanda. Desde a Mãe Natureza liberando uma tempestade épica que foi tão bizarra que foi praticamente indescritível, até Jeffrey Herlings vencendo de forma justa e merecida na areia, até Tim Gajser se retirando da corrida com um DNF, até Jorge Prado subindo no pódio em sua estreia na MX2, e a lista continua.

MXGPstart_MXGP_16_NL_2016

Largada MXGP

Assen também recebeu a Copa do Mundo de Veteranos hoje e o sueco Mats Nilsson defendeu com sucesso sua coroa com uma dobradinha de vitórias, ficando na frente do dono da casa Ton Van Grinsven, enquanto outro sueco, Robert Forsell, completou o pódio.

Categoria MXGP

Clement Desalle não queria tirar aquele peso das costas. Ele queria jogá-lo na parede e isso ele conseguiu fazer neste final de semana com sua primeira vitória de grand prix desde o MXGP da Alemanha em 2014. “Finalmente estou de volta ao topo do pódio.”

Clement Desalle

Clement Desalle

Antonio Cairoli é reconhecido por sua habilidade de encontrar bons traçados, não importa o quão traiçoeiras as condições da pista são e ele relembrou a todos isso enquanto usava suas técnicas para vencer a última bateria do dia que somada a sua quarta posição na primeira, o colocou no segundo degrau do pódio. Embora não tenha sido uma vitória no geral para o oito vezes campeão mundial, de certa forma foi a maior conquista do dia já que ele recuperou 34 pontos importantes sobre o líder do campeonato, Tim Gajser, o que significa que a disputa pelo campeonato será levada para mais uma semana. Agora são 65 pontos separando Gajser e TC222 restando apenas duas etapas. Será que TC222 pode recuperar seu título?

Antonio Cairolli

Antonio Cairolli

Falando do líder do campeonato, Tim Gajser, ele não pareceu tão chateado como se espera de alguém que perdeu 34 pontos. Ao invés disso, ele tomou uma abordagem realista e disse “Estou desapontado, mas é o motocross e essas coisas podem acontecer a qualquer momento. Só preciso aprender com tudo que aconteceu hoje.” Gajser terminou em 18º no geral depois de ter problemas em manter a moto sobre duas rodas na primeira bateria e não terminar a segunda bateria depois que bateu na sessão de costelas e ser lançado da moto, terminando na cerca com o acelerador quebrado e um freio dianteiro pendurado.

Foi um dia épico para o herói holandês, Glenn Coldenhoff, que conquistou algumas novidades neste final de semana. Hoff subiu no pódio pela primeira vez na temporada, seu último pódio foi exatamente em Assen. Ele também conquistou seu primeiro holeshot do ano e marcou a volta mais rápida do dia, ganhando seu primeiro ponto na competição da volta mais rápida Tag Heuer.

Glenn Coldenhoff

Glenn Coldenhoff

Max Nagl enfrentou as condições da pista hoje e foi um dos poucos pilotos que conseguiram ficar em pé. Como resultado, terminou em quarto no geral.

Max Nagl

Max Nagl

Jeremy Van Horebeek e Shaun Simpson completaram os seis primeiros colocados, embora os resultados não reflitam suas pilotagens de hoje. Van Horebeek acelerou tudo e parecia que tinha uma vaga no pódio garantida antes de seu acidente espetacular que o viu voando por cima do guidão nas costelas, o mesmo lugar que Gajser caiu, enquanto Simpson se enroscou com Gautier Paulin na segunda bateria depois de deixar todo mundo para trás na primeira bateria para conquistar sua primeira vitória da temporada.

Shaun Simpson

Shaun Simpson

Jeremy Van Horebeek

Jeremy Van Horebeek

1a bateria da MXGP em Assen

1. Shaun Simpson

2. Clement Desalle

3. Glenn Coldenhoff

4. Antonio Cairoli

5. Jeremy Van Horebeek

6. Maximilian Nagl

7. Rui Goncalves

8. Jordi Tixier

9. Tanel Leok

10. Valentin Guillod

2a bateria da MXGP em Assen

1. Antonio Cairoli

2. Clement Desalle

3. Glenn Coldenhoff

4. Maximilian Nagl

5. Romain Febvre

6. Jeremy Van Horebeek

7. Arminas Jasikonis

8. Tanel Leok

9. Evgeny Bobryshev

10. Jordi Tixier

Geral da MXGP em Assen

1. Clement Desalle

2. Antonio Cairoli

3. Glenn Coldenhoff

4. Maximilian Nagl

5. Jeremy Van Horebeek

6. Shaun Simpson

7. Tanel Leok

8. Jordi Tixier

9. Romain Febvre

10. Evgeny Bobryshev

Classificação da MXGP após 16 etapas 

1. Tim Gajser – 653 pontos

2. Antonio Cairoli – 588

3. Maximilian Nagl – 542

4. Romain Febvre – 522

5. Evgeny Bobryshev – 494

6. Jeremy Van Horebeek – 477

7. Glenn Coldenhoff – 347

8. Clement Desalle – 342

9. Valentin Guillod – 326

10. Shaun Simpson – 307 pontos

Campeonato de fabricantes MXGP após 16 etapas

1. Honda – 689 pontos

2. Yamaha – 628

3. KTM – 617

4. Husqvarna – 557

5. Kawasaki – 453

6. Suzuki – 337 pontos

Pódio da MXGP em Assen

Pódio da MXGP em Assen

Categoria MX2

“Foi um pesadelo!” Essas foram as primeiras palavras que saíram da boca de Jeffrey Herlings na conferência de imprensa de hoje apesar de ter conquistado seu 13º GP da temporada e a 60a vitória de GPda carreira. Sim, sessenta, 60,vitórias de grand prix com apenas 21 anos. O Holandês Voador parecia um pouco enferrujado hoje e vê-lo perder uma corrida na areia foi definitivamente um choque no sistema de quase todos os fãs. Parece que ele é humano no final das contas.

Jeffrey Herlings

Jeffrey Herlings

Sempre considerado a sombra do compatriota Herlings, Brian Bogers carregou a tocha neste final de semana e ofuscou o líder do campeonato na primeira bateria quando saiu de último depois de comer areia na primeira curva para desafiar o compatriota pela segunda posição e marcou, impressionantemente, a volta mais rápida da corrida. Na segunda bateria, o piloto da HSF Logistics Motorsports KTM teve mais um desempenho fantástico o que lhe rendeu o segundo lugar no pódio pela segunda vez na temporada.

Brian Bogers

Brian Bogers

Jorge Prado parece que é o nome a se prestar atenção nos próximos anos. Ele tem aquele tipo especial de talento que não aparece todo dia e mesmo Jeffrey Herlings afirmou “Eu não estou surpreso em ver Jorge aqui, ele é um talento incrível, o mesmo que eu mesmo e Roczen éramos quando tínhamos a idade dele.”

Jorge Prado

Jorge Prado

Foi um dia aleatório para o americano Thomas Covington que provou que o impossível não é nada quando ele venceu o rei da areia, Herlings, na primeira bateria, mas acabou com dificuldades na segunda e precisou se recuperar. Max Anstie quando faturou seu sétimo holeshot do ano na primeira bateria do dia, mas pegou um traçado molhado que era tão fundo que o parou completamente com a moto apagando mesmo ele estando com o punho baixo no acelerador. Enquanto sua moto parou, seu corpo não e ele foi lançado para frente, bateu no guidão e fez o tombo de cara no chão mais épico da temporada. Covington terminou em sexto enquanto Anstie ficou em quarto.

Max Anstie

Max Anstie

Thomas Covington

Thomas Covington

Somado as explorações de Prado, as performances de Thomas Kjer Olsen e Bas Vaessen acrescenta ao argumento de que o Campeonato Europeu EMX250, que acontece juntamente com os campeonatos das categorias principais, MX2 e MXGP, é um terreno de criação de futuros campeões. Vaessen foi fenomenal na primeira bateria, acompanhando Herlings em uma batalha pela terceira posição que durou a corrida toda antes de cair na última volta. Kjer Olsen, campeão da EMX250, conquistou duas posições no top 5 e terminou em quinto no geral.

Kjer Olsen

Kjer Olsen

Vaessen

Vaessen

1a bateria da MX2 em Assen

1. Thomas Covington

2. Jeffrey Herlings

3. Brian Bogers

4. Lars van Berkel

5. Benoit Paturel

6. Iker Larranaga Olano

7. Thomas Kjer Olsen

8. Max Anstie

9. Bas Vaessen

10. Petar Petrov

2a bateria da MX2 em Assen

1. Jeffrey Herlings

2. Jorge Prado Garcia

3. Brian Bogers

4. Max Anstie

5. Thomas Kjer Olsen

6. Calvin Vlaanderen

7. Samuele Bernardini

8. Bas Vaessen

9. Brent Van doninck

10. Benoit Paturel

Geral da MX2 em Assen

1. Jeffrey Herlings

2. Brian Bogers

3. Jorge Prado Garcia

4. Max Anstie

5. Thomas Kjer Olsen

6. Thomas Covington

7. Benoit Paturel

8. Bas Vaessen

9. Lars van Berkel

10. Calvin Vlaanderen

Classificação da MX2 após 16 etapas 

1. Jeffrey Herlings – 644 pontos

2. Jeremy Seewer – 568

3. Benoit Paturel – 460

4. Max Anstie – 447

5. Pauls Jonass – 403

6. Dylan Ferrandis – 378

7. Petar Petrov – 351

8. Brian Bogers – 349

9. Samuele Bernardini – 341

10. Aleksandr Tonkov – 320 pontos

Campeonato de fabricantes MX2 após 16 etapas

1. KTM – 740 pontos

2. Suzuki – 579

3. Kawasaki – 569

4. Yamaha – 552

5. Husqvarna – 549

6. TM – 341

7. Honda – 293 pontos

Calendário do Mundial de Motocross 2016:

Décima Sétima Etapa – 03 de Setembro – Carolina do Norte / Estados Unidos
Décima Oitava Etapa – 11 de Setembro – Glen Helen / Estados Unidos

25 de Setembro – Motocross das Nações – Maggiora / Itália

21 de Agosto – Mundial de Motocross Júnior – Orlyonok / Rússia

Compartilhe este conteúdo

Comentários

Desenvolvido por GetFly