Delegação Brasileira finaliza Supermoto das Nações em 12º lugar

Por CBM | Foto por Divulgação | 24 de outubro de 2016 - 22:29

Neste domingo, 23 de Outubro, foi realizada a edição 2016 do Supermoto das Nações, a “Copa do Mundo de Supermoto”, em Alcarràs, Espanha. A equipe do Brasil, formada pelos pilotos Kleber Justino, Rafael Fonseca e Laszlo Piquet, obteve a 12ª colocação entre as 16 equipes participantes do evento. No sábado (22) o trio garantiu a oitava posição nos classificatórios, o melhor resultado já obtido pela equipe brasileira nessa fase da competição.

Com a boa posição na largada, os Brasileiros partiram para cima em busca do melhor resultado também nas três baterias. Na primeira delas, Justino partiu da oitava posição e Fonseca da 16ª. Ainda no começo da prova Rafael Fonseca assumiu a quarta posição, chegando a registrar tempos mais rápidos que do terceiro, Davi Gimenez (Espanha), e segundo colocados. Na segunda metade da prova Fonseca assumiu a terceira posição e passou a diminuir a diferença em relação ao vice-líder, Laurent Fath (França). Pouco tempo depois foi forçado a abandonar quando a corrente de transmissão de sua moto quebrou. Justino, que vinha na 12ª posição, também foi forçado a abandonar com um pneu furado. Com o resultado o Brasil ficou temporariamente na lanterna entre as equipes.

Na segunda bateria Rafael Fonseca partiu da oitava posição e Laszlo Piquet da 16ª. Fonseca não desperdiçou a oportunidade e logo se colocou na terceira posição, a frente de grandes nomes do supermoto, como o tcheco Petr Vorlí?ek, campeão europeu de supermoto em 2012 e 2016, Sylvain Bidart (FRA), multicampeão francês de supermoto e outros. Apesar de não conseguir ultrapassar Fath, em segundo, o brasileiro não deixou que Vorlí?ek o ameaçasse, garantindo a terceira colocação, o melhor resultado de um piloto brasileiro no SMoN. Em uma prova em que os sensores da cronometragem geraram muita polêmica envolvendo os pilotos que a finalizaram entre a sexta e a 32ª – e última – posição, o resultado oficial indica que Piquet foi o 21º colocado, terminando a frente de pilotos como Cristopher Hodgson (Reino Unido) e Michael Kartenberg (Alemanha).

Na terceira e última bateria Justino novamente arrancou da oitava posição, com Piquet largando na 16ª. A dupla enfrentou dificuldades no longo trecho de terra – 463 metros, 31,5% do circuito de 1,478 metros – e com isso acabou perdendo posições ainda no começo da prova. Algumas voltas depois os pilotos se recuperaram e conseguiram algumas ultrapassagens. Ao final de 15 voltas, Laszlo Piquet foi o 23º e Kleber Justino o 24º. Somando os resultados das três baterias, o Brasil ficou na 12ª posição, enquanto o título foi para a França, o vice para a República Tcheca e o terceiro lugar para a Alemanha.

“Se tudo tivesse acontecido bem, poderíamos ter terminado na sétima posição, mas as coisas nem sempre acontecem como queremos e finalizamos assim. Estou feliz pela equipe e pelo resultado. Me dediquei muito para fazer a corrida da minha vida, e acredito que fiz. Agradeço primeiramente a Deus, meus amigos, Laszlo Piquet, Kleber Justino, Pedro Rehn e Petr Vorlí?ek que me ajudaram a realizar esse sonho. No Brasil, todos fizeram parte desse resultado; Simão Lawant – meu amigo e patrocinador master deste sonho – NS Comunicação e Eventos, Kleber Augusto, Adelmo Portuga, e todos que andam e amam supermoto também fizeram parte desse resultado. É indescritível fazer parte disso. Obrigado.”, comenta Rafael Fonseca.

“Gratidão a Deus em primeiro lugar por tudo. Agradeço também aos brasileiros, que acompanharam a prova pela internet, pelo carinho, pela torcida e pelas palavras de apoio. O Rafael Fonseca fez a diferença, com toda a certeza. Laszlo Piquet muito técnico e rápido! Sinto muito orgulho de fazer parte mais uma vez do time brasileiro no Supermoto das Nações. Mais um sonho realizado. Infelizmente o Piquet e eu tivemos dificuldades na parte de terra – e que terra-, mas estamos felizes e realizados. Representar o Brasil mais uma vez em um Nações, me encheu de orgulho. Dei o meu melhor, vocês podem ter certeza, assim como o Rafael [Fonseca] e o Laszlo [Piquet].”, declara Kleber Justino.

“Foi um dia difícil para mim, e ainda estava sentindo bastante dor no pé, por conta da queda no sábado. Na segunda corrida, a minha primeira, não imprimi um bom ritmo e acabei não conseguindo colocação melhor. Na última corrida fui melhor, fazendo uma largada razoavelmente boa. Infelizmente tanto eu quanto o Kleber Justino ficamos embolados no pelotão do meio. Sinto que meu ritmo estava bom e faltou pouco pra conseguir andar no grupo da frente. Pra piorar, quando eu estava disputando com um piloto espanhol, recebi uma bandeira azul errada e fui obrigado a deixá-lo passar. Depois tentei recuperar a posição, mas acabei não conseguindo.”, relata Piquet.

teambrasil

Delegação brasileira. Da esquerda pra direita: Laszlo Piquet, Rafael Fonseca, Kleber Justino.

Campeonato Catalão de Supermoto
O brasileiro Pedro Rehn, que acompanhou a delegação brasileira na viagem à Espanha, participou da etapa do Catalão de Supermoto realizada em conjunto com o SMoN. Correndo na categoria Open, Rehn obteve a segunda posição geral e primeira de sua categoria no classificatório de sábado. Hoje sofreu um tombo e caiu para a 15ª posição, mas fez prova de recuperação e conquistou a terceira posição em sua categoria.

“O nível dos pilotos aqui é muito alto. Eu diria até que tão ou mais alto que dos principais pilotos de motocross do Brasil. Agora confirmei que sou rápido, mas também sei que ainda tenho muito a aprender. Estou muito feliz por levar um troféu para o Brasil.”, diz Rehn.

Os brasileiros agora retornam para casa para se preparar para a final do Campeonato Paulista de Supermoto, que será realizada nos dias cinco e seis de Novembro em Limeira (SP).

*assessoria da delegação

Compartilhe este conteúdo

Comentários

Desenvolvido por GetFly