Jeffrey Herlings desabafa sobre a corrida no Qatar

Por Mariah Morgado | Fotos por Facebook oficial Jeffrey Herlings | 26 de Fevereiro de 2017 - 1:24

A mudança de Jeffrey Herlings para a categoria principal do Mundial de Motocross neste ano foi uma das mais aguardadas das últimas temporadas. O Holandês Voador é reconhecido por ser imbatível e todos estão curiosos para ver como ele se comporta entre os grandes nomes da categoria principal do esporte e se ele vai se manter imbatível e roubar a cena como Tim Gajser fez no ano passado.

Porém, Herlings sofreu um acidente na Itália durante a 3a etapa do Campeonato Italiano (clique aqui) e precisou fazer uma cirurgia para reparar a fratura de um dos ossos da mão no dia 13 de Fevereiro, 12 dias antes da abertura no MXGP, que aconteceu ontem no Qatar. Mas como de costume, ele não se deixou por vencido e não deixou de disputar a etapa. Na primeira bateria da temporada, Herlings largou e parecia estar lutando contra a dor, terminando na 18a posição. Com o corpo mais aquecido e mais habituado a pista, ele terminou a segunda na 11a posição e na somatória dos resultados acabou a sua primeira participação entre as 450cc do Mundial em 15º colocado no geral, computando 13 pontos para a classificação do campeonato.

Jeffrey Herlings terminando fora dos 10 primeiros colocados foi o suficiente para levantar os murmúrios de que ele não esteja 100% bem e confortável entre as motos grandes e que sua performance foi desapontadora. Diante as críticas, o holandês mandou um desabafo via redes sociais e recado para os críticos, revelando uma imagem radiográfica da mão lesionada.

“Como as pessoas podem dizer que eu desapontei? Estou correndo com uma mão quebrada. Morrendo de dor volta após volta para, pelo menos, conquistar alguns pontos para manter o grande sonho vivo. Definitivamente, nesse final de semana e também no próximo, minha corrida será terrível e nós estamos brigando por posições pelas quais nós realmente não queremos brigar. Mas a situação é como está e ainda não está onde somos capazes de correr pela vitória. E as pessoas que já quebraram aquele osso vão entender o que estou dizendo que correr 10 dias após colocando uma placa para conserta-lo. A competição é muito forte e você precisa estar 100% em forma e treinado para disputar pela vitória. E eu não estou nenhum dos dois. Gostaria de agradecer todos os meus patrocinadores por me apoiarem até o fim e especialmente a Red Bull e a KTM por me apoiarem.” 

 

Compartilhe este conteúdo

Comentários

Desenvolvido por GetFly