Desafio Serrano de Veloterra abre temporada em Nova Roma.

Por Sílvio Bilhar | Fotos por Sílvio Bilhar | 26 de Março de 2018 - 20:26

A pista de Nova Roma, na serra gaúcha foi o palco da abertura do Desafio Serrano de Veloterra. A etapa acontecida nos dias finais de fevereiro levou um grande número de pilotos à etapa (estima-se mais de 180 competidores) Foram 18 baterias com pegas em todas as posições. A organização foi de Dirceu Chies Promoções e a realização do Grupo de Trilheiros Guerreiros da Trilha).

Grande presença de pilotos na abertura do Serrano de veloterra

A categoria Importadas Estreantes até 250cc, foi a primeira a entrar da pista com Giovani Mattiello levando a melhor e vencendo a primeira da temporada. Jonas Andreazza, O Cânfora chegou em 2º puxando Leonardo Turatti, Evandro Caliari e João Pedro Roncattinho para as demais peças do pódio.

A Estreantes importadas foi vencida por Giovani Mattiello

Em seguida a Estreantes A entrou em disputa com Vinícicius Eberle largando na frente e fazendo o hole shote com Wagner Siviero chegando junto para dividir a curva um. Mais atrás Diego Trois também fez boa largada no pelotão principal. A liderança teve duelo até o fim com vitória de Vinícius e também mais atrás Diego e Junior Rockembach buscavam posições melhores no pódio. Vinícius venceu com Wagner em 2º, Ronaldo Martin em 3º após largar em 6º. Júnior foi 4º colocado e Zanco Venâncio o 5º.

O duelo da Estreantes A

Na Estreantes B, Mauro Corso, O Borrachinha largou melhor, tendo em 2º lugar Rafael “Pipi” Dallavale, Gil Chies em 3º e Luis Henrique Dike em 4º no 1º pelotão. Na 2ª volta Ênio Debon veio de trás e assume a 2ª colocação. Os duelos e trocas de 2º ao 5º foram muitas, mas na frente Borrachinha venceu com Pipi em 2º. Dike, Ênio e Vini Grazziotin completaram o pódio.

Mauro Corso “Borrachinha” #17 largou na ponta e venceu a Estreantes B

A VX3 Nacional teve a vitória de ponta a ponta de Rafael Valentini que no começo da corrida teve Sidnei Zibeti (Chapô) e Gelsi Cunico colocando pressão. Cunico assume a 2ª colocação, Chapo confirma a 3º posição com João Zalamena e Dora Schneider completando as peças do pódio.

Rafael #12 venceu, Chapô 81 foi 3º na categoria

A Júnior largou com João Pedro Roncatto na ponta seguido de Willian Abdalag, Alexandre Secco Orlandin, Gabriel Bilhar e Ígor Vacari na volta inicial. João Pedro venceu de ponta a ponta, Gabriel Bilhar fez prova de recuperação para chegar em 2º com Willian em 3º, Alex em 4º e Ígor em 5º na sequência da etapa.

Roncattinho com olho fixo na vitória

Pela Nacional Especial até 200cc, Vini Eberle novamente largou na ponta tendo em seu encalço Diego Trois e Jonatas Giacomili. Marcos Marca e Rodrigo Donida (Rospo) completavam o pelotão inicial. Vini e Diego disputam a liderança até o fim, com vitória de Vini Eberle. Jonatas perde o foco e vai para 5º. Rospo e Marco Marca ocupam o 3º e 4º lugar.

Os três primeiro do pódio da categoria

Roberto Rui  largou na ponta da VX3 Importada com Edinnho Izéria, Evandro Caliari, Claudemir Sândi e Tiago Belaver os cinco primeiros na volta inicial. Roberto se mantém líder para vencer do começo ao fim, e Edinho não perde o foco chegando em 2º. Já Edinho ultrapassa Evandro para ser o 3º com Paulo Kappes e Tiago subindo no pódio.

Roberto Rui levou para Nova Prata a vitória na VX3 Importada

Na VX1, Rodrigo Galiotto venceu o duelo com Charles da Silva, os dois primeiros da etapa. Juliano Mercalli confirmou o 3º lugar sendo seguido no pódio por Jefferson Macagnan e Marcos Marca na 5ª posição.

O pódio completo da VX1

Dora Schneider venceu a VX Feminina de ponta a ponta, Marina Zauna chegou em 2º lugar, seguida de Maridione Guerra, Géssica Rosa e Ângela Moraes completando o pódio.

A Feminina teve teve grande participação na abertura do Serrano de VX

Em seguida entrou os duelos da VX2 em que Rodriga Galiotto (andando com a moto do amigo Evandro) largou na ponta seguido de perto por Juliano Mercalli, Diogo Zanco no pelotão principal. As três primeiras posições se mantiveram até a quadriculada. Jonas Andreazza e Leonardo Turatti completaram o pódio.

Largada acirrada da VX2

 

Na intermediária importada, foi a vez de Jonas Cânfora Andreazza vencer a etapa levando consigo ao pódio, Jefferson Macagnan, Giovane Mattiello, Roberto Rui e Evandro Caliari.

Jonas Cânfora Andreazza largou bem em venceu a intermediária importada

Na 230 Pró, Rogério Casa Grande larga na ponta seguido de Cleomar Lusa, que encostou e  nas voltas finais fez grande pressão para assumir a liderança. Cleomar venceu com Casa Grande em 2º, Sílvio Pegoraro em 3º, Ronaldo Marin e Rafael Pipi Dallavalle fechando o pódio da categoria.

Lusa largou em 2º, pressionou e venceu a etapa

Logo em seguida as categorias de base entraram em pista com Rafael Luvison largando na ponta seguido de Otávio Perin, Wellington Rui, Guilherme Perin e Nícolas Parise na geral. Otávio venceu a 55cc seguido de Luvison, Guilherme, Wellington e Nícolas. Já na classificação da 65cc, Gabriel Bilhar venceu a disputa com Alex Seco em 2º, Gabriel Nunes em seguida na 3ª colocação. Também tivemos Diego Muller e Rafael Luvison fechando os cinco lugares do pódio principal.

Luvison #25 venceu na 55cc

Bilhar venceu na 65cc

A Força Livre importada, Juliano Mercalli não deu chances ao azar e venceu logo a prova de abertura do campeonato seguido de Charles da Silva, Marcos Marca, Gabriel Belaver e Diogo Zanco na premiação do pódio.

Mercalli levou a FL Importada

Pela Força Livre Nacional, Cleomar Lusa venceu sua segunda prova da tarde com Giovane Mattiello logo atrás. Vinícius Eberle foi 3º com Cristian Simoneto e Júnior Balardin, O Julico fechando as peças do pódio.

Na etapa pilotos foram sorteados com uma ponteira Viola, patrocinadora do campeonato

Ainda teve tempo no final da tarde  de entrar na pista a categoria Citadina com vitória de Rafael Girelli, Alan Tariga em 2º, Ronaldo Marin e Fernando Fefe Pegoraro em 4º colocado.

Rafael venceu a citadina, prova festiva de final de etapa

Compartilhe este conteúdo

Comentários

Sílvio Bilhar começou em março de 1995 o jornal O Podium, exclusivo sobre motociclismo, antes disso teve participação durante 3 anos no Jornal Pit Stop (Hoje é Revista). Estudou Relações públicas na FEEVALE em N.Hamburgo, Jornalismo em São Leopoldo e fez diversos curso de aprimoramento, entre eles de Publicidade e Marketing e de Jornalismo Esportivo, cuja aprovação foi com louvor. Ainda hoje é editor e proprietário do Jornal O Podium cujas informações é de ser o único do estilo no Brasil. Assumiu o Mundocross após o falecimento de seu grande amigo Jorge Soares, que chegou a escrever por alguns anos uma coluna no Jornal. Ambos parceiros e colaboradores nos dois veículos. Natural de Montenegro/RS, nasceu em 10 de fevereiro de 1965. Mora a mais de 25 anos em Novo Hamburgo, região da Grande POA no RS.

Desenvolvido por GetFly