Mais de 4 mil espectadores na abertura do BSX de Motocross em Capitão

Por Sílvio Bilhar | Fotos por Sílvio Bilhar | 13 de abril de 2018 - 22:43

A André Produções levou a Capitão a abertura do BSX de Motocross. Uma etapa já consagrada no campeonato e que levou novamente mais de 4 mil espectadores a serra gaúcha. Duelos em praticamente todas as categorias levaram os fanáticos torcedores ao delírio. “Sem dúvida uma grande abertura que fizemos aqui em Capitão. Agradeço a esse público maravilhoso, a minha equipe de trabalho e a todos que se empenharam na realização do evento”. Disse André ao final da etapa.

As categorias de base andaram juntas com Henrique Henicka largando na ponta para vencer a 85cc seguido de Kauê Benatt o e Gabriel Bilhar. Na 65cc, Garmichel Giehl venceu e  subiu no lugar mais alto do pódio com Gabriel Bilhar. A apresentação da 55cc teve David Kettermann sendo ovacionado por mas de 4 mil espectadores.

Na MX3, a vitória foi para Júlio Flasch seguido de Gustavo Visotto que largou no pelotão da frente Ricardo Pereira foi 3º com Carlos Kettermann em 4º e Eduardo Treviso em 5º.

Na MX4, Gustavo Visoto levou a melhor seguido de Eduardo Treviso com Carlos Gustaavo Kettermann seguido de Tasca e Serginho Fernandes.

A MX5 teve Eduardo Timm largando na ponta com Sergio Fernandes e Carlos Kettermann no pelotão da ponta. Sergio pressiona e na metade da corrida assume a liderança para vencer em Capitão. Ketermann foi 2º com Timm em 3º. Com muita recuperação na pista Roberto Todeschini foi o 4º colocado e Mattes o 5º.

Na MX2 a fera e campeão gaúcho MX1 e MX2, José Felipe Mombach larga bem com Rodrigo Galiotto em seu encalço. Mombach abre grande vantagem.Mas na voltas finais Galiotto tira a diferença, Mombach tira a mão do acelerador a 100 metros da quadriculada, Galiotto vinha num sprit final, faz a ultrapassagem para vencer a prova. Mombach foi 2º com Marcelo Galiotto em 3º, Sergio Kiko Zarbieli em 4º e Bibit em 5º.

 

Pela Nacional Força Livre a bateria de número dois foi a mais disputada com Bruno largando na frente seguido de amigo Ismael da Cruz . Os dois com sempre travaram o duelo da tarde na categoria com Bruno tendo problemas na moto a partir da 4ª volta. Ismael assume a ponta para vencer a bateria e a geral da competição. Na soma ficou Ismael, Bruno, Clúdio Tedy, Eduardo Dier e Leandro Fole.

A Estreantes Importada levou a galera de Arvorezinha levar para casa o troféu de 1º lugar com Sergio Zarbieli, O Kiko vencendo a etapa. Seu conterrâneo, Tiago Barbizan chegou em 2º num duelo caseiro. Fernando Tomasetto, da cidade viznha de Guaporé foi o 3º. Com a fera Gedielson Sá em 4º e Tiago Todeschini na 5ª posição de pódio.

A intermediária MX1 teve o pega de Luan Dalmas e David Chies, o chumbinho. Melhor para Dalmas que vem num momento bom em suas competições. Venceu a etapa levando os 25 pontos iniciais. Juliano Mercalli foi 3º com Eduardo Treviso e Gustavo Visoto também subindo no pódio.

Era o dia de Kiko. O piloto de Arvorezinha papou também a Intermediária MX2 levando mais uma vez o number  plate #41 mais uma vez no lugar mais alto do pódio. Agora com nada mais nada menos que Leonardo Menegatt, O Bibit em 2º seguido de Matheus Hernandes, o pilot com mais quilometragem a participar do campeonato (Mora em Rio Grande). Luca Peuhs e Ramon França completaram o pódio.

Deu Mombach na MX1 Pró. O piloto, mais novo  campeão gaúcho de MotoCross a unificar em um ano as categorias MX2 e MXpró, venceu a 1ª bateria após largar em 2º e ultrapassar Leonardo Dambróss. Na 2ª prova, o montenegrino largou na frente com Michel de Lima em 2º, Leonardo Limberger, O Poty em 3º, Rodrigo Galiotto em 4º e MarceloGaliotto em 5º. O apaixonado José Felipe Mombach venceu de ponta a ponta a 2ª prova e sagrou-se líder do campeonato na MX1 com 25 pontos. Michel foi 2º na soma geral com Rodrigo Galiotto, Poty e Fábio Troian, a mais nova revelação do motocross gaúcho. Domingo o Canela Cross Clube recebe a 2ª etapa.

 

 

Compartilhe este conteúdo

Comentários

Sílvio Bilhar começou em março de 1995 o jornal O Podium, exclusivo sobre motociclismo, antes disso teve participação durante 3 anos no Jornal Pit Stop (Hoje é Revista). Estudou Relações públicas na FEEVALE em N.Hamburgo, Jornalismo em São Leopoldo e fez diversos curso de aprimoramento, entre eles de Publicidade e Marketing e de Jornalismo Esportivo, cuja aprovação foi com louvor. Ainda hoje é editor e proprietário do Jornal O Podium cujas informações é de ser o único do estilo no Brasil. Assumiu o Mundocross após o falecimento de seu grande amigo Jorge Soares, que chegou a escrever por alguns anos uma coluna no Jornal. Ambos parceiros e colaboradores nos dois veículos. Natural de Montenegro/RS, nasceu em 10 de fevereiro de 1965. Mora a mais de 25 anos em Novo Hamburgo, região da Grande POA no RS.

Desenvolvido por GetFly