Brasileiro de Motocross encerrou temporada em Fagundes Varela na serra gaúcha

Por Sílvio Bilhar | Fotos por Sílvio Bilhar | 13 de novembro de 2018 - 8:35

Etapa que teve como a Foco Racing Escapamentos como principal apoiador local

Coube a Fagundes Varela no Rio Grande do Sul dar o desfecho final a temporada 2018 do Brasileiro de Motocross Pró. Os dias 4 e 5 de novembro ficarão marcados no pequeno município da serra gaúcha que aliás, tem como seu morador um dos maiores incentivadores desse esporte e também dessa etapa, Douglas Duda Parise vencedor de etapas e campeão do Brasileiro de MotoCross e SuperCross. A maior parte das categorias ainda estavam sem definição, principalmente as mais fortes. A chuva de sexta – feira atrapalhou e fez com que a organização transferisse treinos e corridas para domingo.  Veja como foram os principais duelos da etapa.

Fagundes Varela recebeu a nata do motocross brasileiro

Marcos Cordeiro é campeão brasileiro da MX3

A MX3 começou em grande estilo. Um grande conhecido dos gaúchos, Marcos Cordeiro disputava o título com Daniel Pessanha. A largada teve a curva um sendo disputada por Pessanha  e o gaúcho Cristian Khel em 2º e Willian Guimarães, atual campeão logo em seguida. Mais atrás Cristiano Lopes e Marcos Cordeiro.  A volta um já dava a lógica da disputa pelo campeonato com Daniel Pessanha e Marcos Cordeiro ditando o ritmo da corrida com Lopes e Willian se mantendo no pelotão. Cordeiro assume a liderança na volta dois mostrando que estava muito a fim de conquistar seu primeiro título brasileiro. O duelo estava bom e entre trocas Marcos Cordeiro andava com o regulamento embaixo do braço. Cristiano Lopes que vinha numa grande tocada andava rápido e assumiu a liderança no meio da disputa com Daniel Peçanha andando em 2º e Guimarães pelo 3º lugar. Cristiano Lopes venceu a etapa, seguido de Daniel Peçanha que se tornou vice-campeão. Guimarães fechou em 3º com Marcos Cordeiro na 4ª colocação o suficiente para sagrar-se Campeão Brasileiro de Motocross da MX3, seu primeiro título nacional em toda sua vasta carreira. O pódio foi completo por Vinícius Queiroz que largou no pelotão da frente. Khel chegou em 7º, o melhor gaúcho na categoria.

Cordeiro chega ao seu 1º título nacional

Pódio da categoria MX3, Cristiano Lopes a fera venceu no RS

Pessanha o vice – campeão com Marcos Cordeiro (D) o campeão

Maiara Basso confirma vitória e o título no RS

Dando sequencia na pista veio a categoria Feminina (MXF).  Na ponta Maiara Basso fez o hole shote com Larissa Dalló Laira em 2º, Marcely Cazadini em 3º, Micheli Schimdt em 4ª e Tatiane Poltronieri  completando o pelotão. Maiara confirma a boa fase, vence de ponta aponta somando 100 pontos na disputa do campeonato e com isso é a campeã Brasileira 2018 da categoria. Na pista a disputa entre Larissa e Marcely, acabou com a vitória de Marcely, Mas foi Larissa que ficou com o vice-campeonato. O Pódio da MXF também teve Tatiane e Micheli subindo no pódio.

Maiara venceu o campeonato de ponta a ponta

Pódio da MXF, boa participação no feminino 2018

 

Larissa e Maiara comemoram o bom desempenho na feminina

Fábio dos Santos leva a Yamaha ao título da MX2

A disputa entre Fábio e Pepê durou durante todo campeonato e coube aos dois decidirem em Fagundes Varela. Na largada da bateria um com 30 minutos mais 2 voltas,  Lucas Moraes que já havia conquistado uma bateria na temporada e fazia um campeonato regular e ocupava a 3ª colocação, largou na frente seguido de Leonardo Souza, Pepê Bueno, com Fábio Santos logo atrás. Lucas a cada volta abre vantagem, enquanto que Léo se mantinha em 2º e Pepê duelava com Fábio, que fez a ultrapassagem chegando na metade final da corrida ao 2º lugar. Pepê buscava o 3º posto. Nas voltas finais Lucas economiza equipamento, e administra enquanto que Pepê tira boa diferença na pista encostando em Fábio, o 2º. Mas os resultados se mantiveram assim. Leonardo dos Santos e Tallys Brito também ocuparam o pódio.

Lucas venceu a bateria um

Pódio da MX2 após soma das duas baterias. Fábio levou a melhor.

A segunda bateria, que andou valendo também para a elite teve Fabio vencendo a prova e com isso conquistou o título da MX2. Leonardo Souza foi o 2º seguido de Tallys Brito, Pepê Bueno e Nícolas Oliveira em 5º na bateria.

Fabinho dos Santos/Yamaha levou o título da MX2

MX2 Júnior vai para Tallys Natan

Com o resultado da bateria um, que também valeu pela MX2 Júnior, Tallys Natan Brito levou a melhor ao vencer a prova e apenas coroou seu título com uma vitória, que viajou 4 mil quilômetros para disputar a prova. Na etapa, o gaúcho de Portão Nícolas oliveira ficou em 2º com Joaquim Neto em 3º, Pedro Magero em 4º e fechando o pódio João Vitor Xavier que conquistou o vice – campeonato.

Tallys viajou 4 mil km para ser campeão no RS

No pódio da MX2 Júnior o Campeão Tallys Natan e o gaúcho Nícolas Oliveira em 2º

 

Nícolas em 2º na categoria MX2 Júnior

Carlos Campano volta a faturar o Brasileiro na MX1

A MX1 também disputada em 30 minutos mais duas voltas, teve Paulo Alberto largando na ponta com Jean Ramos em 2º, Hector Assunção em 3º. Paulo e Jean andaram lado a lado na volta inicial, mas Jean cai e Hector assume a 2ª colocação. Na pista pesada os motores mostravam toda a preparação dos mecânicos e em uma disputa acirrada, Paulo Alberto erra da 3ª para a 3ª volta deixando Hector na liderança de prova e Jetro que havia caído para 6º, buscou recuperação voltando a disputa seguido de Carlos Campano que fez largada complicada mas encostou no pelotão a partir da 5ª volta. Hector venceu a 1ª bateria com Carlos Campano buscado o 2º lugar e Paulo Alberto que também subiu de posição e chegou em 3º com Humberto Martin o “Machito” e Caio Lopes completando o pódio. Leonardo “Poty” Limberger em 7º na bateria foi o melhor gaúcho na prova.

O espanhol penta campeão Carlos Campano

Paulo Alberto o vice aplaude Campano o campeão

Hector venceu as duas baterias e subiu no lugar mais alto do pódio

Na 2ª bateria, dentro da Elite teve na curva um Paulo Alberto, Hector, Jetro e Thales  Vilardi, Machito e Jean Ramos formando o pelotão principal. Paulo Alberto finalizou a volta inicial em 1º com Hector Assunção em 2º e logo em seguida Carlos Campano e Jetro  Salazar completando o 1º pelotão. Em tarde inspirada, Hector assume a liderança mais tarde para vencer também a 2º prova. Já Paulo Alberto chegou em 2º e garantiu o vice-campeonato com Carlos Campano chegando em 3º e faturando o título após andar o campeonato sempre nas posições da frente. Também tivemos Jetro Salazar e Jean Ramos os mais bem colocados na bateria.

Hector Assunção em tarde inspirada

 Gabi Andrigo traz o título Brasileiro da MX Júnior para os gaúchos

O piloto de Marau/RS, Gabriel Andrigo, O Gabi entrou na pista com o sangue doce, seu maior adversário do título não compareceu. Com isso Gabi precisava apenas completar a prova e sair para o abraço. Com o livro de regulamento embaixo do braço ele largou em 4º atrás do líder Guilherme Bresolin, Henrique Henicka, Mateus Freitas e ao lado de Kauê Benato os cinco na volta inicial. Não contente com a posição Gabi vai ao ataque, assume a ponta mais tarde para vencer e fechar com chave- de – ouro seu título. Henicka se manteve em 2º lugar o que lhe deu o vice – campeonato. Matheus Freitas foi 3º com Luiz Guilherme Cardoso e Lucca Botolli chegando em 5º e assim comemorando seus primeiros 16 pontos numa etapa de brasileiro. Bresolin, que largou na ponta, errou e em recuperação chegou em 6º.

Gabi passou a régua e venceu o campeonato 2018

Pódio da MX Júnior com o campeão Gabi e o vice Henicka ao lado esquerdo

Guimarães na MX4 e Chumbinho na MX5 conquistam os títulos em Fagundes Varela

A MX4 e a MX5 entraram juntas na pista e em disputa os títulos das categorias e também a prova de aposentadoria de Milton Becker, “O Chumbinho”, catarinense de Itapiranga, hoje morando em Joinville com quase trinta títulos a nível nacional de motocross e supercross.

A emoção de Chumbinho ao encerrar a carreiro com intenso sucesso

Na pista Cristiano Lopes largou na frente com Willian Guimarães e Everton Silva, O Grilo fazendo a curva um em alto estilo. Mais atrás Chumbinho, líder da MX5 e cujo título da MX5 já estava na mão, visto que seu maior adversário Fábio Aleixo estava nos EUA disputando o Mundial de Veteranos.

Lopes venceu a corrida da MX4

Cristiano e Guimarães trocam farpas e posição nas voltas iniciais. No fim Cristiano Lopes garante o lugar mais alto do pódio vencendo a MX4, ele que é o vice-campeão seguido de Willian Guimarães que obteve os pontos suficientes para conquistar o título da categoria. Ainda tivemos Gustavo Visoto (Gaúcho de Carazinho), Valter Tardin, carioca que a muitas temporadas participa do campeonato gaúcho fazendo uma ponte aérea entre os dois estados e Renê Albuquerque que largou em posição intermediária e chegou em 5º completaram o pódio.  Everton Grilo que largou em 3º chegou na 6ª colocação, outro gaúcho que obteve sucesso na categoria.

Pódio da MX4 sendo homenageado pela Prefeita de Fagundes Varela Claudia Moreschi Tomé

 

Lopes o vice e Guimarães o campeão da MX4

Chumbinho se aposenta após título 2018

Já na MX5, Milton Chumbinho Becker venceu a etapa e fechou com chave de ouro mais um campeonato brasileiro de motocross. Alé de chumbinho que estava muito emocionado no final de semana, outro piloto que se emocionou foi Carlos Gustavo Kettermann , O Nazysta que é fã confesso do piloto multicampeão e nada mais emocionante que fazer a foto em 2º lugar na etapa de despedida do catarinense. Claudinei Guasti chegou em 3º, Osni Lúcio em 4º e Léo Lopes na 5ª colocação. Fábio Aleixo dos Santos ficou com o vice-campeonato. “É decisão tomada. Vou abandonar as pistas e minha intenção é ter mais tempo para a família e outro ramo de negócios”. Disse Chumbinho ao comentar a aposentadoria.

Renato da Foco entregou o troféu a Chumbinho o vencedor da MX5, Kettermann (de branco) foi 2º na etapa

Milton Chumbinho Becker recebe do Presidente da CBM Firmo Alves o troféu de campeão da MX5

Jetro Salazar conquista o título na categoria  Elite

A categoria Elite, cujo título poderia ser definido no detalhe devido ao grande desempenho dos pilotos do top 3. Paulo Alberto havia chegado mal na 6ª etapa, Carlos Campano teve uma vitória, os demais resultados foram de 3º lugar. Já Jetro Salazar que havia vencido na 1ª etapa depois cravou 6 segundos lugares entrou na pista sabendo o que precisava para o título. Quando Hector assumiu a ponta da bateria, ele andou com o regulamento e ao chegar em 4ª lugar em Fagundes Varela, sagrou-se campeão Brasileiro de Motocross na categoria Elite. Hector venceu a etapa, Paulo Alberto, o vice – campeão chegou em 2º, Carlos Campano foi 3º com Jetro e Jean Ramos completaram o pódio.

Jetro Salazar/Honda salta para o título na temporada 2018 da Elite no RS

Pódio da Elite

Segue abaixo um pequeno arquivo de fotos que captamos na etapa de Fagundes Varela:

A etapa teve como patrocinador local a Foco Racing Escapamentos, supervisão da CBM/FGM, patrocinador do campeonato Honda,Yamaha,Rinaldi,Baterias ERBS e apoio da IMS. Promoção do Moto Grupo de Trilheiros Fim da Picada.

FOTOS USADAS E PUBLICADAS DESTE POST DEVEM NECESSARIAMENTE TER A SEGUINTE: SÍLVIO BILHAR/MUNDOCROSS

Compartilhe este conteúdo

Comentários

Sílvio Bilhar começou em março de 1995 o jornal O Podium, exclusivo sobre motociclismo, antes disso teve participação durante 3 anos no Jornal Pit Stop (Hoje é Revista). Estudou Relações públicas na FEEVALE em N.Hamburgo, Jornalismo em São Leopoldo e fez diversos curso de aprimoramento, entre eles de Publicidade e Marketing e de Jornalismo Esportivo, cuja aprovação foi com louvor. Ainda hoje é editor e proprietário do Jornal O Podium cujas informações é de ser o único do estilo no Brasil. Assumiu o Mundocross após o falecimento de seu grande amigo Jorge Soares, que chegou a escrever por alguns anos uma coluna no Jornal. Ambos parceiros e colaboradores nos dois veículos. Natural de Montenegro/RS, nasceu em 10 de fevereiro de 1965. Mora a mais de 25 anos em Novo Hamburgo, região da Grande POA no RS.

Desenvolvido por GetFly