MOCAM concretiza sonho da realização do Brasileiro de Velocross em Arroio do meio

Por Sílvio Bilhar | Fotos por Sílvio Bilhar | 19 de julho de 2019 - 19:36

A 4ª etapa do Gaúcho de Velocross aconteceu em 22 e 23 de junho. Junto também aconteceu a 3ª etapa do Brasileiro da modalidade. Um sonho que levou, do projeto a realidade os últimos dois anos com muito trabalho dos organizadores. O MOCAM (Moto Clube de Arroio do Meio) junto com a FGM, a Prefeitura Municipal e com o Projeto Pró Esporte levaram a etapa uma das melhores e mais bem organizadas etapas do ano. O público que nos dois dias deve ter ultrapassado os 4 mil espectadores vibrava a cada curva e a cada duelo dos pilotos. Veja como foram os principais pegas da etapa.

As categorias VX4, VX45 e VX50 impostadas andaram juntas mas com classificação separada. Na bateria, Fabiano Barg e Giovane Pick  largam lado a lado com Braz Santos mais atrás. Completando o pelotão inicial ainda vinham Rodrigo Volcan e Sandro Alexandre  completando a  volta inicial na geral das 3 categorias. Na metade da prova, Fabiano abre, Pick abre 10 segundos de Volcan que havia encostado de vez. Mais atrás Roberto Rui vinha pontuando na VX50. Fabiano segurou a vitória na geral, ficando em 1º na VX4, com Pick, Volcan, Adairton Soares e Braz dos Santos. Já na VX45 Pick foi 1º seguido de Braz, Edemar Púglia,Roberto Rui e Amir Tenedini. Já na VX50 Rui foi o vencedor com Fernando Sanches, Tenedini,Mirko dos Santos e Gilson Assini.

Em seguida a 65cc entrou para dar o show. Caio Holz largou na ponta com Bernardo Zílio e Lucas Wadas colados no líder. Mais atrás Gabriel Oliveira e Mateus Bonetti.  No começo da disputa Bernardo assume a liderança e logo em seguida abre vantagem na pista. Caio segue o líder e administra o 2º lugar, Mateus acelera e ganha duas posições. Bernado venceu com Caio, Mateus, Gabriel Oliveira e Lucas Wadas.

A Intermediária 230 trouxe Vinícius Rigol largando na ponta e ainda na volta inicial trocou de posição com João Guilherme Benedusi, que chegou a ultrapassar mas levou o troco logo na 2ª volta.  João Pedro Roncato vinha em 3º. Um dos nomes da etapa, Gustavo Wenning  que vinha em 4º lugar erra cai e perde posições na metade final. Gustavo em recuperação, busca posições e chega ao 3º lugar após ultrapassar Pedro Marquezan, o 4º colocado e Douglas carvalho o 5º no pódio que teve Vinícius Rigol como vencedor e Benedusi em 2º.

Nas VX 45 e VX50 NACIONAL teve Danny Oliveira e Rafael Valentini largando lado a lado. Seguidos de perto por Giovani Pick. Marco Farias e Giovane Coleto completavam o pelotão inicial. Pick encosta mas Rafael segura e ainda se aproxima de Danny que não errou até a quadriculada. Danny, Rafael,Pick,Fernando frazão e Coleto os 5 da VX45. Na VX50 Danny também foi vencedor com farias em 2º com Coleto, Luiz Carlos Berger e João Machado no pódio.

As duas categoria da 55cc também duelaram no sábado, como bateria final. João Lanzarin venceu de ponta a ponta e foi 1º na classe B, que foi seguido de Monique da Silva de ponta a ponta com Maria Luiza Smytka em 3º. Na classe A, João Wovst foi 1º em prova de recuperação seguido de Lucas Ruwer, Hayane Hedges e Anthony Dalberto em 4º.

Por sua vez a Intermediária VX2 teve Luiz Eduardo Mileski largando em 1º, Kevin Haas em 2º com Lucas Turatti em seu encalço, ambos na mesma tocada. Os três travam um grande duelo até Turatti assumir a 2ª posição logo no início. Mais tarde Haas perde o foco e cai para 5º. Mileski venceu de ponta a ponta seguido de Turatti, Fabrício Tessmer, Maurício Miorando e Kevin chegando na quadriculada.

Uma corrida esquisita foi a da VX4 Nacional. Entrou em pista a sina dos líderes. Quem largou na ponta foi Danny Oliveira com Giovane Pick em 2º e Adairton Brutus Soares logo atrás. Brutos assume a 2ª colocação na 2ª volta, trava uma batalha com Danny levando “X” na ultrapassagem. Na 4ª volta os dois se enroscam, Danny cai e abandona a prova. Brutos não saboreou muito o gosto da liderança por muito tempo, pois a moto apresentou problemas e ele abandonou na 6ª volta. A liderança caiu no colo de Pick que segurou a máquina numeral 125 até a vitória. Sandro Aleixo chegou em 2º pois fizera uma largada no pelotão da frente. Elizandro Costinha foi 3º com Adriano Pupp e Moisés Baccon em 5º.

Na Feminina Importada apareceu a supremacia de Maiara Basso que largou na ponta e venceu a etapa com tranqüilidade. O duelo ficou pelo 2º posto em que Tayná Zolet ultrapassou Sabrina Costa na 2ª volta e seguiu na posição. Stefani Gallas foi a 4ª e Micheli Schimidt em 5º.

Na VX2 começou o show de Rafael Faria que largou no pelotão da frente, que tinha como líder Matheus Basso. Ainda no começo da bateria, a fera assumiu a liderança e manteve a concentração para abrir 7 segundos do segundo colocado, que ao final ficou com Lucas Basso seguido de perto do irmão Mateus, a fera Jordan Martini buscando na raça o 4º lugar e Anthony Gervasio fechando a 5ª peça do pódio da categoria que foi uma das mais aplaudidas da tarde.

Em seguida entrou a VX3 Importada com Edinilson Batista fazendo o hole shote mas caindo na curva um. Com isso Fabiano Barg assume a liderança seguido de Fabrício Ramazzini. A sensação da prova foi o piloto Anderson Alberton que largou mal, entre os 15 e com aquela garra que lhe é peculiar, foi galgando posições até a 4ª colocação de prova. Fabiano venceu, Edinilson foi 2º em grande recuperação seguido de Fabrício, Alberton e Evandro Cagliari.

Na VX3 nacional Luciano De Conto fez o hole shote seguido de Sandro Aleixo, Rodrigo dos Santos (Chaveirinho), Sdemir Tem Pass e Jocemar Magni no pelotão principal. Incansável, Anderson Alberton (ele que acelera, freia e debreia tudo com a mão esquerda devido uma deficiência de nascimento ao não possuir a mão direita) vem aos poucos levantando a galera e buscando uma a uma as posições. Luciano venceu, Alberton foi 2º em enorme recuperação, Costinha buscou o 3º com Ronei Curzel e Chaveirinho completando o pódio.

 

A 230 Pró teve a fera Rafael Faria largando na ponta e daí não tem jeito, o piloto da Pro Tork não vacila abre alguns segundo no início da prova e ao final administra friamente a posição de líder da bateria e do campeonato. Jordan Martini também ao final abre alguns segundos do 3º colocado, Jacson Keil. Rodrigo Taborda e Vinícius Rigol completaram o pódio.

Na VXF Nacional a piloto Mozara Bitencourt não vacilou ao fazer o hole shote, logo volta a pós volta abrir confortável distância sobre as rivais na pista de Arroio do Meio. Mozzara venceu com Janaína Todeschini chegando em 2º, Ana Fietz em 3º, Kamila Rocha em 4º e Sabrina Novazick em 5º lugar numa das categorias mais charmosas da competição, palavras do locutor da prova, Márcio Frozza.

Na Força Livre Nacional o surpreendente Vinícius Rigol fez uma largada de luxo. Largou em hole shote com Dioy da Costa em seu encalço. Na 2ª volta porém, Dioy assume a liderança deixando Rigol em 2º. Antônio Brazzaca em 3º, Jonilson da Costa em 4º e Edinilson Batista na 5ª posição do primeiro pelotão da bateria. Entre o 1º e o 5º lugar, apenas 3 segundos. O duelo era intenso e Vinícius Rigol não desistiu e retomou a liderança na 5ª volta. Dioy vai aos poucos perdendo a concentração e posições. Vinícius venceu seguido de Jonilson que buscou recuperação, Alex Alarcon que fez uma mal largada ainda buscou o 3º posto com Jacson Keil e Gustavo Freitas nas posições de pódio.

Pela categoria Júnior, Gabriel Bilhar, larga bem e venceu de ponta a ponta em seu retorno ao gaúcho. Fez o hole shote, segurou firme todos os ataque de Jorge Marcos, o 2º na largada e no pódio. Em 3º chegou Eduardo Bonamigo, o 5º na largada. Ainda tivemos Pedro Bortoli e Lorenzo Machado na 4ª e 5ª peça do pódio.

Na VX1 que junto andou a Intermediária VX1 teve Mateus Basso largando na frente e abandonando na 1ª volta após ser ultrapassado por Jacson Keil com Francisco Rolin em 2º. Mas que veio de trás e buscou a liderança foi Rafael Faria que acelerava forte para vencer sua 3ª corrida na etapa e sair do RS com a liderança das 3 categorias que disputa. Jacson Chegou em 2º com Gustavo Andres, Lucas Basso e Antônio Brazaca logo em seguida.

Na Intermediária Matheus Zolet foi o vencedor seguido de Francisco Rolin, Anderson Alberton, Felipe Deloss e Leonardo Tenedini.

Compartilhe este conteúdo

Comentários

Sílvio Bilhar começou em março de 1995 o jornal O Podium, exclusivo sobre motociclismo, antes disso teve participação durante 3 anos no Jornal Pit Stop (Hoje é Revista). Estudou Relações públicas na FEEVALE em N.Hamburgo, Jornalismo em São Leopoldo e fez diversos curso de aprimoramento, entre eles de Publicidade e Marketing e de Jornalismo Esportivo, cuja aprovação foi com louvor. Ainda hoje é editor e proprietário do Jornal O Podium cujas informações é de ser o único do estilo no Brasil. Assumiu o Mundocross após o falecimento de seu grande amigo Jorge Soares, que chegou a escrever por alguns anos uma coluna no Jornal. Ambos parceiros e colaboradores nos dois veículos. Natural de Montenegro/RS, nasceu em 10 de fevereiro de 1965. Mora a mais de 25 anos em Novo Hamburgo, região da Grande POA no RS.

Desenvolvido por GetFly